A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O Paradigma da Complexidade Uma Síntese nas Áreas das Ciências Biológicas, Sociais e Físicas Rafael de Oliveira Costa Rafael Machado Alves Renato Pinheiro.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O Paradigma da Complexidade Uma Síntese nas Áreas das Ciências Biológicas, Sociais e Físicas Rafael de Oliveira Costa Rafael Machado Alves Renato Pinheiro."— Transcrição da apresentação:

1 O Paradigma da Complexidade Uma Síntese nas Áreas das Ciências Biológicas, Sociais e Físicas Rafael de Oliveira Costa Rafael Machado Alves Renato Pinheiro Rodrigo Guedes Pereira Pinheiro Simone Cristina N. Santos

2 Ciência ao longo dos séculos A Ciência é a forma mais eficiente de se obter conhecimento?

3 Ciência ao longo dos séculos Periodos da História: Idade Média Idade Moderna Idade Conteporanea Critério utilizados: Autoridade Veracidade da Teoria Hipótese

4 Ciência ao longo dos séculos O Iluminismo floresceu, resultando em um desenvolvimento científico e tecnológico refletidos nas revoluções industriais e nos avanços da Ciência como um todo.

5 Ciência ao longo dos séculos Pensamento científico classico: Princípios da disjunção Princípios da redução Princípios da abstração

6 Ciência ao longo dos séculos Século XX: Na segunda metade dos século XX a ciência se deparou com questões que o modelo vigente não conseguia responder. Ecossistema Mente humana

7 Ciência ao longo dos séculos 1962 Kuhn argumentou que a ciência não progride por meio de um acúmulo linear de novos conhecimentos, mas passa por revoluções periódicas, também chamadas de " mudanças de paradigma ", nas quais a natureza da pesquisa científica dentro de um determinado campo é abruptamente transformada.

8 Sistemas Complexos

9 Paradigma da simplicidade A concepção determinista e mecânica do mundo presente no pensamento científico clássico. Segundo o princípio cartesiano era necessária a redução do complexo ao simples ao estudar um fenômeno. Isaac Newton René Descartes Inteligência Cega Perfeição Leis

10 A complexidade era ausente do cotidiano. Século XIX e XX - Foi compreendida e descrita através dos romances de Dickens e Balzac.

11 Complexidade Complexidade é a qualidade do que é complexo. Etimológico: De origem latina, provém de complectere, cuja raíz plectere significa trançar, enlaçar. Senso comum: Empregado no sentido de complicado, incompreensível, difícil, confuso. O complicado, entretanto, pode reduzir-se a um princípio simplificador como um emaranhado de corda.

12 Pensamento Complexo Segundo Edgar Morin: "À primeira vista, a complexidade (complexus: o que é tecido em conjunto) é um tecido de constituintes heterogêneos inseparavelmente associados: coloca o paradoxo do uno e do múltiplo. Na segunda abordagem, a complexidade é efetivamente o tecido de acontecimentos, ações, interações, retroações,determinações, acasos, que constituem o nosso mundo fenomenal."

13 Caos Uma pequena mudança ocorrida no início de um evento qualquer pode ter conseqüências desconhecidas no futuro. O meteorologista Edward Lorenz em 1960 descobriu, que acontecimentos simples tinham um comportamento tão desordenado quanto à vida. Formulou equações que demonstravam o efeito borboleta. Teoria do Caos está na essência de tudo, dando forma ao universo.

14 Complexidade e Caos Quanto à constituição semântica dos termos caos e complexidade, deve-se considerar: Inseparabilidade das artes de um todo. Desordem faz parte da ordem. Sistemas e seus componentes são interdependentes.

15 Ordem e Desordem Paradigma Simplicidade: Busca a ordem (leis, princípios) no universo e expulsa a desordem. Os cientistas se deparam diante de um paradoxo referente ao universo, com a entropia geral, ou seja, desordem maximal e por outro lado o universo em desenvolvimento, organizado e complexo.

16 Na visão tradicional da ciência tudo é determinismo, não existe sujeito, consciência, nem autonomia. Na visão de universo que se cria não apenas no acaso e na desordem mas nos processo auto-organizadores, onde cada sistema cria as suas próprias determinações e finalidades, o sujeito apresenta-se como um ser autônomo, mesmo dependente em alguns aspectos. Ordem e Desordem

17 Então a idéia de que o universo começou fruto de uma desintegração e que a partir daí se organizou. A agitação e o encontro com o acaso são necessários para organização do universo. Big Bang

18 Tetragrama Organizacional Desordem Interação (Re)organização Ordem

19 Princípios da Complexidade A parte está na todo, como o todo está no parte. Hologramático Dialógico Recursão Organizacional Dualidade no seio da unidade, associando dois termos ao mesmo tempo complementares e antagônicos. Os produtos e os efeitos são, simultaneamente, causa e produtores daquilo que os produziu.

20 Princípios da Complexidade Recursão Hologramático Dialógico

21 Sistemas Complexos Um Sistema Complexo é composto por um conjunto de partes conectadas por alguma forma de inter-relação entre elas.Todo é mais que a soma das partes. Interação entre suas partes. Mudança com o passar do tempo. Interação entres os subsistema.

22 Sistemas Complexos Tráfego Clima

23 Paradigma da Complexidade O paradigma da complexidade surgirá do conjunto de novas concepções, de novas visões, de novas descobertas, novas reflexões.

24 Paradigma da Complexidade na Saúde Teoria da Evolução Saúde-Doença Saúde Coletiva

25 Teoria da Evolução A teoria de Darwin afirma que Mutações ocorrem ao acaso e são transmitidas por herança para as próximas gerações que sobrevivem através do processo de seleção natural Eldredge e Gould através do Equilíbrio Pontuado afirmam que a evolução nem sempre ocorre de maneira lenta e gradual mas também através de saltos intermitentes (extinções) As duas visões costumam ser apresentadas como antagônicas no entanto através do pensamento complexo é melhor considerá-las complementares

26 Teoria da Evolução Kauffman afirma que organismos em sua interação uns com os outros e com o meio ambiente formam um sistema complexo adaptativo em coevolução A coevolução implica que a evolução de cada organismo modifica a 'paisagem de aptidão'; A evolução é portanto um meio de auto-organização.

27 Saúde-Doença Determinar o que é saúde é uma tarefa bastante complexa. (diferentes olhares não dão idéia de completude) Saúde não é o inverso de doença e vice-versa ! Todos aqui presentes têm saúde, e contraditoriamente, todos estão doentes ! É necessário pensar em saúde e na doença como termos complementares e antagônicos ao mesmo tempo (dialógica)

28 Saúde-Doença "Necessitamos conceber a insustentável complexidade do mundo, pois é precisos considerar a um só tempo a unidade e a diversidade dos processos planetários de saúde, suas complementaridades e os seus antagonismos" Edgar Morin Pensar saúde como conjunto de Variáveis que envolvem tanto a saúde como a doença que estão interligadas e são consequências dos mesmos fatores (Saúde-Doença);

29 Saúde Coletiva Expressão usada para expressar a utilização de técnicas e conhecimentos para intervir nos problemas de saúde de uma população Para tratar o problema da saúde coletiva é necessário utilizar uma abordagem Transdisciplinar resultante de uma produção coordenada de múltiplos saberes Atualmente existem dois tipos de profissionais da saúde: Especialistas e Agentes Multidisciplinares

30 Saúde Coletiva Campos Disciplinares: Epidemiologia (V) Clínica (Z) Biologia (Y) Ciências Sociais em Saúde (X) Objeto Complexo (OC): Depressão, um problema de saúde coletiva

31 O Paradigma da Complexidade nas Ciências Sociais

32 A complexidade vinha sendo compreendida e descrita no século XIX e XX nos romances de Dickens e Balzac, onde a vida cotidiana dos personagens era apresentada através de papéis sociais, nas relações domésticas, no trabalho, nas interações sociais, analisando a multiplicidade de identidades e a personalidade. Balzac teve a ideia inédita na história da literatura, de fazer reaparecer seus personagens em diferentes obras e em diferentes estágios de suas vidas. Os romances de Dickens eram, entre outros aspectos, obras de crítica social.

33 Transição Paradigmática Paradigma formulado por Descartes: a civilização ocidental vivenciou o princípio da disjunção e da redução. O paradigma da simplificação ainda domina nossa cultura atualmente. O paradigma da complexidade surgirá do conjunto de novas concepções, de novas visões, de novas descobertas e de novas reflexões. Segundo Morin (2001) esta transição paradigmática implica em fugir do modelo cartesiano-newtoniano, autoritário, fragmentado, desconectado que concebe o sistema educacional e o ser humano como máquinas que reagem a estímulos externos.

34 O todo está na parte que está no todo O cientista social, enquanto indivíduo integrante desta sociedade tende a ter uma idéia deformada sendo necessário confrontar seu ponto de vista com outros indivíduos, conhecer sociedades diferentes. Portanto do ponto de vista da complexidade, é preciso ter metapontos de vista, onde o observador-conceptor se integra na observação e na concepção.

35 Transdiciplinaridade Segundo Morin, significa mais do que disciplinas que colaboram entre elas em um projeto com um conhecimento comum a elas, mas significa também que há um modo de pensar organizador que pode atravessar as disciplinas e que é mais profundamente integradora. Para que haja transversalidade, é necessário um pensamento organizador: o que chamamos de pensamento complexo. Efeitos da fragmentação: distribuição do ensino em disciplinas. Segundo Morin o verdadeiro problema não é fazer uma adição de conhecimento, mas sim fazer uma organização de conhecimentos.

36 Os Setes Saberes 1. O Erro e a Ilusão; 2. Conhecimento Pertinente; 3. Ensinar a Condição Humana; 4. Ensinar a Identidade Terrena; 5. Enfrentar as Incertezas; 6. Ensinar a Compreensão; 7. A Ética do Gênero Humano.

37 Recusas fundamentais 1. Recusar a separação entre a razão e a emoção, entre ciência e arte; 2. Assumir as implicações da recusa: tensão entre as relações; 3. Recusar que o Estado é o único balizador dos movimentos do conhecimento científico. Segundo Morin, para reformar o pensamento é necessário, antes de tudo, reformar as instituições que depois permitirão esse novo pensar. Mas para reformar as instituições é necessário que já exista um pensamento reformado. O grande problema é reeducar os educadores, nenhum decreto ou lei pode decidir sobre eles. Trata-se de um movimento bastante vigoroso entre os educadores que a reforma não pode dar conta.

38 Exemplos do Paradigma da Complexidade em Outras Áreas A PRÁTICA PEDAGÓGICA DO PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA NO PARADIGMA DA COMPLEXIDADE Resumo: Um estudo com a finalidade de não somente descrever a prática pedagógica, como também o de procurar contribuir para a inclusão dessa metodologia atual e emergente no cotidiano dos professores desse curso, de relacionar a opinião de professores e alunos e de incluir possíveis sugestões para essa prática. O PARADIGMA DA COMPLEXIDADE NA FORMAÇÃO E NO DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DE PROFESSORES UNIVERSITÁRIOS Resumo: Na formação dos professores o paradigma conservador carregou as denominações de treino e de capacitação. No paradigma da complexidade a formação tem sido designada: inicial, contínua ou continuada. Nessa última década, aparece na formação para docência o movimento de desenvolvimento profissional dos professores.

39 Exemplos do Paradigma da Complexidade em Outras Áreas FUTEBOL E A TEORIA DA COMPLEXIDADE: UM NOVO PARADIGMA DO CONHECIMENTO Resumo: Refletir alguns conceitos tradicionais no futebol questionando se ainda é possível continuar com métodos dos anos 60/70. As qualidades que se podem trabalhar num desporto coletivo, como o futebol. O homem é um ser complexo, no futebol temos de perceber que onze homens à procura de um objetivo é completamente diferente de um homem à procura de um objetivo.

40 O Paradigma da Complexidade nas Ciências Exatas

41 A complexidade Em (Scherer, 2010), é dito que complexo é aquilo que é organizado em conjunto. Sendo o conhecimento criado a partir das relações e interações das partes. Não é possível explicar de maneira lógica, as relações e inter- relações dessas partes com o todo e vice-versa. O nome complexidade advem dessa característica da aparente falta lógica para estas relações, a ordem dentro da desordem. (Francelin, 2003).

42 Ciência da Informação A informação tomou proporções tais no mundo contemporâneo que uma disciplina que se propõe estudá-la em seu contexto de atividade não pode omitir-se ao estudo do indivíduo e também do contexto que o envolve. Para ser socializada informação precisaria ser aceita pelo indivíduo, para isso os responsáveis por esta socialização também deveriam saber se o indivíduo possui a disposição de receber a informação disponibilizada e se o simples fato de o indivíduo aceitar a informação poderia significar a socialização. Se isto não partir de maior esclarecimento, a informação pode continuar sendo estoque, o que, de certa maneira, mantém o instinto conservativo da ciência da informação, ao invés de assumir um carater formativo. (Francelin, 2003)

43 Ainda o todo e as partes Engenharia de software – Como um software é complexo e ao mesmo tempo abstrato e em constante modificação se faz necessária a exploração das diversas atividades envolvidas na construção do mesmo – Além da necessidade de um entendimento não apenas do software em si (a parte), mas também da equipe de análise, da equipe de desenvolvimento e das organizações envolvidas (que formam o todo). (Prikladnicki e Audy 2007).

44 Referências Scherer, Adriane Schlottfeldt Flores. Educação Informática: O Virtual e a Imaginação no Encantamento das Crianças Prikladnicki, Rafael; Audy, Jorge Luis Nicolas. Construção do Conhecimento e Complexidade na Área de Engenharia de Software Francelin, Marivalde Moacir. A epistemologia da complexidade e a ciência da informação Filho, Naomar de Almeida. A Saúde e o Paradigma da Complexidade Nussenzveig,H. Moysés. Complexidade e Caos Filho, Naomar de Almeida. Transdisciplinaridade e o Paradigma Pós-Disciplinar na Saúde. 2005


Carregar ppt "O Paradigma da Complexidade Uma Síntese nas Áreas das Ciências Biológicas, Sociais e Físicas Rafael de Oliveira Costa Rafael Machado Alves Renato Pinheiro."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google