A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

BRASIL IMPÉRIO RETA FINAL – SOMA 2012 historiativanet.wordpress.com.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "BRASIL IMPÉRIO RETA FINAL – SOMA 2012 historiativanet.wordpress.com."— Transcrição da apresentação:

1 BRASIL IMPÉRIO RETA FINAL – SOMA 2012 historiativanet.wordpress.com

2 P.36/ Q.01 a) A Assembleia Constituinte pretendia instituir uma monarquia com poderes limitados para o soberano, enquanto que D. Pedro I pretendia centralizar o poder em suas mãos. O desfecho dessa crise foi o fechamento da Assembléia pelo imperador e, em seguida, a outorga da Constituição de 1824 que atendeu aos interesses de D. Pedro I. b) A Confederação do Equador (1824) foi um movimento separatista e republicano. Diversas províncias nordestinas aderiram ao levante e constituíram um país independente. O estopim para o movimento foi o autoritarismo de D. Pedro I, a imposição da Constituição de 1824 e o poder moderador. c) A Constituição estabeleceu a divisão do poder em quatro partes: legislativo, executivo, judiciário e moderador, sendo que este era atribuição exclusiva do imperador e estava acima dos demais. A escolha dos deputados e senadores era feita por meio do voto censitário. A escravidão permaneceu. Vale registrar que a Constituição garantia a liberdade de emprego e proibia corporações de ofício. 1º Reinado - Poder Moderador historiativanet.wordpress.com 2

3 P.38/Q.05 a) Conservador ou Regressista. b) O Partido Conservador defendia a unidade do Império a partir de um governo centralizador. Além disso, os conservadores eram identificados com ordem escravista. O Partido Liberal defendia maior autonomia para as Províncias, além de abraçar, mais cedo, a campanha abolicionista. Período Regencial ( ) historiativanet.wordpress.com 3 Ato Adicional (1834) Revoltas Regenciais Regresso Conservador

4 P.37/ Q.03 a) A Assembleia Nacional aprovou a Lei da Maioridade e antecipou a ascensão de D. Pedro II ao trono. Havia um consenso na classe política nacional de que a antecipação da maioridade seria a garantia da ordem e da integridade do País, que estavam ameaçadas pelas constantes rebeliões ocorridas nas Províncias. b) Os versos da primeira estrofe mostram a exaltação de D. Pedro II como soberano necessário à Pátria naquele momento delicado e instável. A segunda estrofe apresenta uma crítica a D. Pedro II que era considerado como representante das elites e não do povo em geral. 2º Reinado – Golpe da Maioridade historiativanet.wordpress.com 4

5 2º Reinado – Aspectos Políticos historiativanet.wordpress.com 5 P.37/Q.2 – Parlamentarismo às avessas O imperador delegava a chefia do executivo ao 1º ministro e este formava o ministério. D. Pedro II alternava liberais e conservadores no poder. P.37/Q.2 – Parlamentarismo às avessas O imperador delegava a chefia do executivo ao 1º ministro e este formava o ministério. D. Pedro II alternava liberais e conservadores no poder.

6 P. 40/ Q.09 Se considerarmos a democracia pelo número de eleitores, o período monárquico foi mais democrático, uma vez que havia maior número de eleitores participantes das eleições para o poder legislativo. Assim, concordo com a afirmativa. Se considerarmos que democracia relaciona-se á capacidade do povo de escolher seus governantes, o período republicano foi mais democrático, já que o eleitorado poderia escolher o presidente da República e os presidentes dos Estados por meio de eleições diretas. Assim, discordo da afirmativa. 2º Reinado – Aspectos Políticos historiativanet.wordpress.com 6

7 2º Reinado – Aspectos econômicos historiativanet.wordpress.com 7 P.71/Q.4 1.a) Região Norte/ Ciclo da Borracha O desenvolvimento econômico da região, em função da expansão do extrativismo da borracha, produto fundamental para o desenvolvimento industrial europeu e norte- americano no final do século XIX, atraiu levas de indivíduos estrangeiros para os principais pólos produtores, a fim de buscarem fortuna. Desse modo, a região Norte atraiu muitos imigrantes europeus. b) Região Sul/ Doação de terras para imigrantes colonizarem a terra O governo imperial buscou ocupar determinadas áreas nas quais havia vazios demográficos, a partir da doação de terras para imigrantes que, além de ocuparem as regiões que interessavam ao governo brasileiro, estimulavam a economia com sua experiência adquirida na lavoura europeia. 2. Norte- a imigração nessa região, na época assinalada na tabela, foi caracterizada, especialmente, pela chegada de indivíduos ligados ao comércio e fixados nas cidades de Belém e Manaus. Desse modo, a imigração teve um perfil mais urbano e relacionado às atividades típicas das cidades. Destacaram-se no período os imigrantes do Oriente Médio, tais como libaneses, turcos, sírios, judeus, etc. P.71/Q.4 1.a) Região Norte/ Ciclo da Borracha O desenvolvimento econômico da região, em função da expansão do extrativismo da borracha, produto fundamental para o desenvolvimento industrial europeu e norte- americano no final do século XIX, atraiu levas de indivíduos estrangeiros para os principais pólos produtores, a fim de buscarem fortuna. Desse modo, a região Norte atraiu muitos imigrantes europeus. b) Região Sul/ Doação de terras para imigrantes colonizarem a terra O governo imperial buscou ocupar determinadas áreas nas quais havia vazios demográficos, a partir da doação de terras para imigrantes que, além de ocuparem as regiões que interessavam ao governo brasileiro, estimulavam a economia com sua experiência adquirida na lavoura europeia. 2. Norte- a imigração nessa região, na época assinalada na tabela, foi caracterizada, especialmente, pela chegada de indivíduos ligados ao comércio e fixados nas cidades de Belém e Manaus. Desse modo, a imigração teve um perfil mais urbano e relacionado às atividades típicas das cidades. Destacaram-se no período os imigrantes do Oriente Médio, tais como libaneses, turcos, sírios, judeus, etc.

8 historiativanet.wordpress.com 8 P.72/Q.4 (continuação) 2. Sul- O governo imperial doou terras para os imigrantes que estabeleceram colônias em várias regiões do Sul do país. A agricultura foi a principal atividade exercida pelos recém chegados que recebiam terrenos para o cultivo. Vieram na época assinalada pela tabela, ucranianos, alemães, italianos, poloneses, suíços, entre outros. P.72/Q.4 (continuação) 2. Sul- O governo imperial doou terras para os imigrantes que estabeleceram colônias em várias regiões do Sul do país. A agricultura foi a principal atividade exercida pelos recém chegados que recebiam terrenos para o cultivo. Vieram na época assinalada pela tabela, ucranianos, alemães, italianos, poloneses, suíços, entre outros.

9 P.40/ Q.10 a) A Era Mauá foi um período de grande prosperidade econômica que o Brasil vivenciou, caracterizado pelo surgimento de ferrovias, fábricas, bancos, companhias diversas, estaleiros. Além disso, houve grande progresso tecnológico, com a instalação de ligação telegráfica com a Europa, expansão do transporte a vapor (ferrovias e navegação), além da utilização do telégrafo nas comunicações nacionais. As primeiras linhas telegráficas do País datam de 1852, poucos anos após a introdução do telégrafo nos Estados Unidos por Samuel Morse. b) Capitais oriundos do café; capitais oriundos do fim do tráfico negreiro; investimentos britânicos e Tarifa Alves Branco (1844). c) O fim do tráfico disponibilizou capitais para outros setores da economia. Os recursos que eram investidos na aquisição de escravos africanos foram desviados, após a Lei Eusébio de Queirós, para outras atividades econômicas, tais como investimentos em ferrovias ou fábricas Era Mauá historiativanet.wordpress.com 9

10 P.41/Q.13 A Lei de Terras estabeleceu que as terras devolutas somente poderiam ser adquiridas mediante o instrumento de compra. Assim sendo, após esta Lei, o acesso à terra ficou bastante difícil para as camadas mais pobres da população. Antes dessa Lei, a posse da terra devoluta poderia ocorrer mediante a ocupação efetiva. OBS: O regime de sesmarias perdurou no Brasil até julho de 1822, quando a Resolução 76, atribuída a José Bonifácio de Andrade e Silva, pôs termo a este regime de apropriação de terras. A partir daí a posse passou a campear livremente no país, estendendo-se esta situação até a promulgação da lei de terras, que reconheceu as sesmarias antigas, ratificou formalmente o regime das posses, e instituiu a compra como a única forma de obtenção de terras. 2º Reinado – Lei de Terras (1850) historiativanet.wordpress.com 10

11 P. 38/Q. 04 Os maus tratos, a discriminação por parte dos proprietários e das autoridades. Assim como acontecia com os escravos, os imigrantes também eram considerados inferiores e tratados de forma violenta, já que a tradição das elites brasileiras era essa: violar direitos dos mais humildes. 2º Reinado - Imigração historiativanet.wordpress.com 11

12 . P.39 / Q.07 a) Imigração sob o regime de parceria, na qual os fazendeiros financiavam a vinda dos imigrantes para o Brasil, fato que resultava num prévio endividamento dos trabalhadores. Uma parte da colheita destinava-se aos trabalhadores, entretanto, a dívida excessiva contraída desde sua chegada ao Brasil, dificultava o acesso dos imigrantes à renda de seu trabalho. Esse sistema gerou muitas insatisfações. A imigração subvencionada pelo governo, ou seja, o transporte do imigrante para o Brasil era custeado pelo Estado. Assim, aliviados desse ônus (transporte) o imigrante era contratado como assalariado, em geral, pelos fazendeiros. b) O processo de imigração objetivava, na segunda metade do século XIX, fornecer mão de obra para as fazendas do café (principal produto de exportação), cuja atividade estava em franca expansão. A introdução da mão de obra livre era necessária tendo em vista a evolução do processo abolicionista, especialmente, do fim do tráfico negreiro. 2º Reinado - Imigração historiativanet.wordpress.com 12

13 P.42/Q.14 a) Lei do Ventre Livre ou Lei Rio Branco. b) A Lei, além de estabelecer o fim próximo da escravidão, alterou a relação de propriedade senhor/escravo, uma vez que libertou as crianças nascidas no cativeiro que, conforme o direito à propriedade, pertenciam aos donos das mães. c) Por violar o direito à propriedade, na percepção dos proprietários de escravos, a Lei do Ventre Livre aumentou a oposição ao governo, considerado responsável pela aprovação da Lei na Assembleia Nacional. Leis Abolicionistas historiativanet.wordpress.com 13

14 P. 39 / Q. 08 a) Livre, a partir dos 60 anos de idade, como o ex-escravo poderia gozar sua liberdade? Sem nenhum amparo por parte do Estado, provavelmente doente e incapacitado para o trabalho, o ex-escravo ficaria à mercê de uma realidade cruel: fome, pobreza e abandono. b) A libertação dos escravos com mais de 60 anos poderia aliviar o proprietário de um escravo indesejável, uma vez que, nessa idade, o escravo geralmente não era mais produtivo e representava um pesado ônus para seu proprietário. Assim a Lei dos Sexagenários seria mais vantajosa para o proprietário do que para o escravo. Leis Abolicionistas historiativanet.wordpress.com 14

15 P.41/Q.11 a) A significativa presença de segmentos populares nas tropas brasileiras, especialmente negros e mulatos (livres ou escravos), aumentou a simpatia dos militares em relação à campanha abolicionista e concorreu, decisivamente, para o apoio de vários oficiais do Exército Nacional à causa abolicionista. b) Após a Guerra do Paraguai, o Exercito brasileiro assumiu uma posição de maior destaque na vida nacional, já que foi o principal responsável pela vitória do Brasil. Assim, os militares passaram a exigir maior participação do Exército na condução dos negócios políticos brasileiros e, em última instância, tornaram-se importante foco de oposição à monarquia. Vale registrar que a queda de D. Pedro II foi derrubado por um golpe militar liderado por membros do Exército 2º Reinado – Guerra do Paraguai ( ) historiativanet.wordpress.com 15

16 P.39/Q.06 a) Monarquia Constitucional com centralização da autoridade nas mãos do imperador; eleições baseadas no voto censitário. b) A expansão da economia cafeicultora promoveu o aparecimento de uma poderosa oligarquia – a paulista. Insatisfeitos com o excessivo centralismo do Império, os paulistas passaram a advogar a causa do federalismo, ou seja, defendiam maior autonomia para as Províncias. Tal projeto resultou, na década de 1870, na criação do partido Republicano que agregou a oposição ao imperador. P.41/Q.12 A resposta dessa questão coincide com a letra B da questão 6, ou seja, deve-se realizar uma relação entre o crescimento do poder dos cafeicultores e a origem do Partido Republicano. P.54/Q.1 – A vitória do Partido Republicano representou a afirmação da elite agrária brasileira no poder, massacrando os ideais monárquicos e inaugurando um novo sistema político que perdura até os dias de hoje. P.39/Q.06 a) Monarquia Constitucional com centralização da autoridade nas mãos do imperador; eleições baseadas no voto censitário. b) A expansão da economia cafeicultora promoveu o aparecimento de uma poderosa oligarquia – a paulista. Insatisfeitos com o excessivo centralismo do Império, os paulistas passaram a advogar a causa do federalismo, ou seja, defendiam maior autonomia para as Províncias. Tal projeto resultou, na década de 1870, na criação do partido Republicano que agregou a oposição ao imperador. P.41/Q.12 A resposta dessa questão coincide com a letra B da questão 6, ou seja, deve-se realizar uma relação entre o crescimento do poder dos cafeicultores e a origem do Partido Republicano. P.54/Q.1 – A vitória do Partido Republicano representou a afirmação da elite agrária brasileira no poder, massacrando os ideais monárquicos e inaugurando um novo sistema político que perdura até os dias de hoje. 2º Reinado- Questão republicana historiativanet.wordpress.com 16


Carregar ppt "BRASIL IMPÉRIO RETA FINAL – SOMA 2012 historiativanet.wordpress.com."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google