A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

2º Reinado O governo de D. Pedro II Unidade 8 (temas 3 a 6)

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "2º Reinado O governo de D. Pedro II Unidade 8 (temas 3 a 6)"— Transcrição da apresentação:

1 2º Reinado O governo de D. Pedro II Unidade 8 (temas 3 a 6)

2 Governo de D. Pedro II Golpe da maioridade, Objetivo: fortalecer novamente o poder central retirando as liberdades, as poucas liberdades concedidas pelo ato adicional de 1834.

3 Liberais e conservadores Sistema eleitoral baseado no voto censitário. Excluídos: pobres, mulheres e analfabetos. Liberais: senhores rurais, camadas médias e urbanas. Centro-sul. Conservadores: grandes proprietários rurais, ricos comerciantes e alto escalão do governo. Nordeste. Não havia divergências profundas entre o programa dos dois partidos, mas conflitos de poder e disputas de interesse Alternavam-se no poder.

4 Política interna Os dois partidos representavam a classe dominante, defendiam a monarquia e a manutenção da mão-de­obra- escrava. Por isto, não apresentavam divergências ideológicas, justificando uma frase muito comum na época: "Nada mais parecido com um conservador do que um liberal no poder, e nada mais parecido com um liberal do que um conservador no poder".

5 Guerra do Paraguai Se estendeu de 1865 a Nessa época, sob o governo de Francisco Solano López, o Paraguai era um país praticamente auto-suficiente – produzia tudo aquilo que precisava – mas não tinha saída para o mar.

6 Causas Disputa pela bacia do Prata. Paraguai desejava uma saída para o mar, e tinha, por isso mesmo, interesse em aumentar seu território. O Brasil tinha interesse em controlar a navegação por esses rios, que era o caminho mais fácil para o Mato Grosso. A Argentina pretendia que o Paraguai voltasse a fazer parte do seu território. A Inglaterra via na Guerra uma oportunidade de abrir o mercado paraguaio aos seus produtos. Juntando-se aos interesses, a Inglaterra emprestou dinheiro, a juros altos, e o Brasil, a Argentina e Uruguai entraram com soldados.

7

8 Conseqüências No fim de 5 anos, a Inglaterra só ganhou – com o retorno do dinheiro emprestado e dos juros e com a abertura do mercado paraguaio ao seus produtos; o Brasil e a Argentina ganharam – terras paraguaias – e perderam – milhares de mortos e a destruição de suas economias; o Paraguai só perdeu – com a sua destruição, foram mortos três em cada quatro paraguaios, sua população passou de para habitantes. O Império brasileiro estava com sua economia fortemente abalada e o exército passou a assumir posições contrárias à sociedade escravista.

9 Economia do 2ºreinado Durante o Segundo Reinado houve uma diversificação das atividades econômicas, muito embora o modelo econômico estivesse voltado para atender as necessidades do mercado externo. O cacau e a borracha ganharam destaque na produção agrícola. O surto da borracha - Pará e Amazonas - levou o Brasil a dominar 90% do comércio mundial. Porém, o principal produto de exportação brasileira será o café.

10 Café: expansão e modernização O café foi introduzido no Brasil, por volta de 1727, por Francisco de Mello Palheta. A partir de 1760 o produto passou a ter uma importância comercial, sendo utilizado para a exportação. Inicialmente no Rio de Janeiro, no vale do Paraíba e, posteriormente o Oeste paulista. No começo do 2ºreinado o café já era o principal produto da economia brasileira, 40% das exportações.Fatores que permitiram a rápida expansão: abundância de terra e mão de obra, condições climáticas favoráveis e aumento de consumo na Europa e Eua.

11 Do vale do Paraíba para o oeste No vale do Paraíba, as fazendas de café eram estruturadas de forma tradicional, grandes propriedades com mão­de- obra escrava. O esgotamento do solo e a escassez de terras contribuíram para a decadência da produção na região. Mas a expansão do mercado consumidor internacional favoreceu a expansão do cultivo do café para o Oeste paulista.

12 Substituição do trabalho escravo pelo trabalho assalariado A crise do escravismo brasileiro está relacionado a uma série de fatores, entre os quais, as pressões inglesas sobre o tráfico negreiro e a expansão da atividade cafeeira, trazendo a necessidade de ampliar a força de trabalho. Com a extinção do tráfico negreiro em lei Euzébio de Queiróz- os fazendeiros de café tiveram que encontrar uma solução para suprir a falta de mão-de-obra; esta solução será a importação de imigrantes europeus

13 Mudanças favorecidas pelo café A economia cafeeira foi responsável pelo processo de modernização econômica do século XIX: desenvolvimento urbano, dos meios de transportes ( ferrovias e portos ), desenvolvimento dos meios de comunicação ( telefone e telégrafo ), a substituição do trabalho escravo pelo trabalho livre e o surto industrial.


Carregar ppt "2º Reinado O governo de D. Pedro II Unidade 8 (temas 3 a 6)"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google