A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

INDEPENDÊNCIA DO BRASIL D. PEDRO I PERÍODO IMPERIAL (1822-1889) Primeiro Reinado: 1822-1831 D. Pedro I Período Regencial: 1831-1840 elite no poder.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "INDEPENDÊNCIA DO BRASIL D. PEDRO I PERÍODO IMPERIAL (1822-1889) Primeiro Reinado: 1822-1831 D. Pedro I Período Regencial: 1831-1840 elite no poder."— Transcrição da apresentação:

1

2 INDEPENDÊNCIA DO BRASIL

3

4 D. PEDRO I

5 PERÍODO IMPERIAL ( ) Primeiro Reinado: D. Pedro I Período Regencial: elite no poder Segundo Reinado: D. Pedro II

6 PRIMEIRO REINADO Características: - Quando D. Pedro I assumiu o poder ele convocou apenas os membros da elite portuguesa urbana que residia no Brasil para compor o Estado. - D. Pedro I impôs um projeto constitucional, por isso a Constituição ficou conhecida como Outorgada, ou seja, imposta à sociedade. - Essa constituição desagradou parte da elite, pois ela assegurava mais poderes ao Executivo. Ele cria também o poder moderador onde os poderes ficariam concentrados em suas mãos. - Essa constituição declarava o voto censitário e o senado vitalício. - A independência não foi aceita por todos os setores da elite brasileira, alguns portugueses proprietários de terras não desejavam acabar com os laços com Portugal.

7 DECADÊNCIA DE D. PEDRO I Causas da Abdicação: - Pernambuco passava por grandes problemas econômico desde a decadência da produção açucareira, por isso a elite nordestina vinha perdendo destaque e sua influência no governo brasileiro. - A Confederação do Equador (rebelião nordestina que teve como principal líder Frei caneca) lutava pela criação de um governo republicano e contra a centralização do poder na mão do monarca. Alguns revolucionários lutavam a favor da abolição enquanto outros não desejavam o fim da escravidão. Isso dividiu o grupo e proporcionou que as tropas imperiais destruíssem o movimento separatista. - A imprensa criticava constantemente o governo de D. Pedro I - Com a morte de D. João VI em Portugal, D. Pedro resolveu mandar sua filha para assumir o trono português. Mas seu irmão, D. Miguel, armava um golpe para assumir o trono. - Com medo de perder o trono português para o irmão, D. Pedro I resolve abdicar o trono brasileiro a favor de seu filho que na época tinha cinco anos de idade.

8 ABDICAÇÃO DE D. PEDRO I "Usando do direito que a Constituição me concede, declaro que hei muito voluntariamente abdicado na pessoa de meu muito amado e prezado filho o Senhor D. Pedro de Alcântara. - Boa Vista, sete de abril de mil oitocentos e trinta e um, décimo da Independência e do Império. Pedro".

9 PERÍODO REGENCIAL ( ) - Como D. Pedro II tinha apenas cinco anos de idade, o Brasil passou a ser governado pelos regentes. - Regentes: pessoas que governam o país devido a impossibilidade de um governante. - José Bonifácio foi nomeado como tutor de D. Pedro II. - Inicialmente a regência foi formada por três deputados e depois por uma única pessoa, eleita por dois anos. - As elites se dividiram em dois grupos políticos: Conservadores e Liberais. - Durante o Período Regencial ocorreu várias revoltas nas províncias: - Malês: Bahia - Rusga: Mato Grosso - Cabanagem: Pará - Farroupilha: Rio Grande do Sul - Balaiada: Maranhão - Sabinada: Bahia

10 GOLPE DA MAIORIDADE (1840) -Chamamos de Golpe da Maioridade a coroação de D. Pedro II como imperador do Brasil com apenas 14 anos de idade. - A Constituição declarava que somente com 21 anos ele poderia assumir o trono. - Com medo das conseqüências das revoltas provinciais, as elites resolveram aclamar D. Pedro II antes de sua maioridade. As preocupações em 1840 eram: - conter as rebeliões provinciais - incentivar a economia cafeeira - manter as alianças externas

11 D. PEDRO II EM 1840

12 D. PEDRO II EM 1862

13 SEGUNDO REINADO ( ) - Os barões de café se tornaram os novos ricos e passaram a ser respeitados em suas províncias. A base de suas riquezas vinha da mão-de- obra escrava, por isso era preciso manter a escravidão a qualquer custo. - Por que a Inglaterra começou a defender o fim da escravidão? a) Por defenderam a igualdade social. b) Pois a Igreja Católica pressionava os países europeus. c) Porque eles não estavam conseguindo manter o comércio de escravos. d) Pois eles queriam aumentar seu mercado consumidor. A Inglaterra passou a pressionar o governo brasileiro e outros países da América Latina para acabar com o comércio de escravos.

14 PROCESSO DE ABOLIÇÃO DA ESCRAVATURA Bill Aberdeen: Lei inglesa (1845) que permitiu prender navios negreiros, em qualquer parte do mundo e julgar, na Inglaterra, seus tripulantes. Lei Eusébio de Queirós (1850): Lei brasileira que proibiu o tráfico intercontinental de escravos e puniu com rigor os que não a respeitavam. Lei do Ventre Livre (1871) Lei dos Sexagenários (1885) Lei Áurea (13 de maio de 1888): Lei que pôs fim à escravidão no Brasil. O que significou para o Império a luta abolicionista e a culminância com a Lei Áurea? Perda do apoio político da aristocracia rural escravista brasileira.

15 PRINCESA ISABEL

16 MUDANÇAS SOCIAIS E ECONÔMICAS DURANTE O SEGUNDO REINADO - Com a redução dos escravos o Estado e os barões de café tiveram que criar uma nova estratégia para manter a produção cafeeira, assim eles incentivaram a imigração. -Com a entrada de imigrantes no país e com o apoio de alguns barões de café a produção industrial o Brasil passou por várias mudanças, como: - formação de colônias de imigrantes, - emprego da mão-de-obra-livre, - novos costumes, - aumento do mercado consumidor, - crescimento das cidades, - incentivo à industrialização.

17 IMIGRAÇÃO

18 GUERRA DO PARAGUAI ( ) Durante a segunda metade do século XIX, no governo de Solano Lopes, o Paraguai vinha se industrializando e se expandindo economicamente, esse desenvolvimento descontentou alguns países. - Paraguai precisava controlar os rios do Prata (rio Paraguai e Paraná) para escoar sua produção e ter acesso ao oceano Atlântico, esse último desejo só seria possível com a anexação de terras brasileiras. -Brasil temia que o Paraguai ameaçasse sua hegemonia na região. - Argentina não desejava o controle paraguaio na região do Prata. - A Inglaterra queria destruir o avanço industrial paraguaio. Assim Brasil, Argentina e Uruguai, financiados pelos ingleses se uniram numa guerra contra o Paraguai.

19 GUERRA DO PARAGUAI

20

21 A GUERRA DO PARAGUAI E SUAS CONSEQUENCIAS Essa guerra que durou seis anos, deixou o Brasil mais endividado com os ingleses. A resistência paraguaia foi surpreendente. O Paraguai foi destruído, sua economia faliu, a população se reduziu drasticamente. Com o final da guerra, o exército brasileiro resolveu lutar por uma maior participação no governo. Como D. Pedro II não possibilitou essa participação, os militares iniciaram uma campanha contra o regime monárquico, lutando pelo regime republicano e o fim da escravidão.


Carregar ppt "INDEPENDÊNCIA DO BRASIL D. PEDRO I PERÍODO IMPERIAL (1822-1889) Primeiro Reinado: 1822-1831 D. Pedro I Período Regencial: 1831-1840 elite no poder."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google