A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Introdução Por possuir uma grande área territorial o Brasil necessitou como todo o resto do mundo subdividir-se em regiões, que levam em conta as características.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Introdução Por possuir uma grande área territorial o Brasil necessitou como todo o resto do mundo subdividir-se em regiões, que levam em conta as características."— Transcrição da apresentação:

1

2 Introdução Por possuir uma grande área territorial o Brasil necessitou como todo o resto do mundo subdividir-se em regiões, que levam em conta as características que um território possui em comparação com outro se originando assim uma área regionalizada. Quando dividimos o país politicamente o mesmo desagrega-se em cinco regiões: Norte, Nordeste, Centro- Sul, Sudeste e Sul, porém quando dividimos o Brasil economicamente essa regionalização se modifica reduzindo-se a três Regiões Geoeconômicas: Amazônia, Centro-Sul e Nordeste. Este trabalho tem como objetivo discorrer a cerca da Região Norte e o Complexo regional da Amazônia explicitando seus aspectos físicos e econômicos.

3 Características Gerais da Região Norte A Região Norte é a maior região brasileira, com uma área de ,2 km2 correspondendo a 45% do total de todo território. FIGURA 01: Região Norte e seus respectivos Estados e Capitais Essa região tem destaque em relação aos recursos e paisagens naturais, é caracterizada principalmente pela Floresta Amazônica, além de possuir um clima quente e úmido, relevo irregularmente plano e a concentração de uma grande quantidade de rios.

4 A Região Brasileira que abriga a Amazônia. A Região Norte do Brasil é cobiçada por todo o mundo, pois comporta uma extensa floresta com grande riqueza de paisagens e recursos naturais ainda conservados. Na Floresta Amazônica existem diversos tipos de vegetações divididos em partes, há cerrado campo e vegetação litorânea. FIGURA 02: Floresta Amazônica Tal sua importância que toda a atenção do mundo volta-se cada vez mais para tão rica e lucrativa Floresta, rica não somente por sua Biodiversidade mais para os avanços científicos que ela possibilitará trazendo assim grande rentabilidade. FIGURA 03 Região geoeconômica da Amazônia.

5 A Amazônia Caracterizada por seus Aspectos Físicos VEGETAÇÃO A Floresta Amazônica possui características com árvores de grande estatura e copas largas, porém essa cobertura vegetal é definida conforme as variações dos elementos da natureza como relevo, clima, umidade e os litossolos encontrados dispersos na região. FIGURA 04: Vitória Régia, planta exótica da região amazônica. FIGURA 05: Variabilidade de árvores, na Floresta Amazônica.

6 Mata de Igapó: esse subsistema se encontra distribuído em áreas mais baixas do relevo, correspondendo a regiões próximas às margens de mananciais (rios, lagos, córregos etc.), a principal característica é que essa vegetação permanece sempre alagada. Mata de Várzea: se encontra em áreas mais elevadas em relação às matas de igapó, possui aspecto de mata fechada com árvore de 20 metros e galhos repletos de espinhos. Mata de Terra Firme: esse tipo de vegetação é composto por árvores altas que atingem entre 30 e 60 metros de altura, geralmente próximas, no qual favorece o agrupamento das copas, dessa forma impede a entrada de luz do sol. Floresta semi-úmida: corresponde a um tipo de vegetação de transição entre outros biomas, sua cobertura vegetal é composta por árvores com alturas que variam entre 15 e 20 metros, os troncos são finos e as copas restritas.

7 A Hidrografia e o Relevo da Região Norte A região abriga a maior rede hidrográfica do mundo, a Bacia Amazônica, nome dado em razão do seu rio principal, o Amazonas. O mesmo é o maior do mundo em extensão e volume, durante os 6571 km que ele percorre e drena as águas de aproximadamente 7 mil afluentes FIGURA 06: Mapa da Hidrografia Amazônica

8 A maioria dos rios da região são extensos e volumosos, isso proveniente do relevo plano. Os rios de maior destaque são: Amazonas e Tocantins. A rede hidrográfica se caracteriza pelo potencial de navegação, tendo em vista que existem cerca de 25 mil km de percurso viáveis para o deslocamento de embarcações fluviais. FIGURA 08: Rio Meandrante.FIGURA 09: Como o relevo predominante na região Norte é o de planície, praticamente todos os rios são navegáveis. Diversos rios que compõe a Bacia Amazônica percorrem áreas compostas por planaltos, fator que propicia a utilização dos mesmos para a exploração hidráulica

9 Clima O clima predominante no complexo regional Amazônico é o Equatorial úmido, que é quente e úmido, gerando altas taxas de precipitação (cerca de 2500mm anuais). A temperatura é bem estável, sempre em torno de 25ºC. FIGURA 09: Clima do Brasil Numa pequena porção setentrional do país, há o clima equatorial semi- úmido, que ainda é quente, mas menos chuvoso. Isso por causa do relevo acidentado (o planalto residual norte - amazônico), e das correntes de ar que levam as massas equatoriais para o sul, entre os meses de setembro a novembro.

10 A Amazônia Caracterizada por seus Aspectos Econômicos Existe outra forma de regionalizar o Brasil, de uma maneira que capta melhor a situação sócio-econômica e as relações entre sociedade e o espaço natural. Trata-se da divisão do país em três grandes complexos regionais: o Centro-Sul, o Nordeste e a Amazônia. Ao contrário da divisão regional oficial, esta regionalização não foi feita pelo IBGE. Ela surgiu com o geógrafo brasileiro Pedro Pinchas Geiger no final da década de 60, nela o autor levou em consideração o processo histórico de formação do território brasileiro em especial a industrialização, associado aos aspectos naturais.

11 Ocupação da Região Amazônica A ocupação do território amazônico ainda está se processando. Essa ocupação busca integrar definitivamente a área à economia do Centro-Sul e mesmo à economia internacional, graças aos grandes investimentos de capital em projetos de mineração, agropecuários e industriais. FIGURA 07: Região geoeconômica da Amazônia

12 Os capitais públicos e privados investidos na construção de hidrelétricas como Tucuruí, na instalação de núcleos de mineração como Carajás, e de pólos industriais como a Zona Franca de Manaus, procuram integrar a região à economia do país de forma mais efetiva - como fornecedora de produtos semi processados ou processados para os grandes mercados consumidores internos ou externos, e também como mercado consumidor dos produtos do Centro-Sul. A construção das rodovias Belém-Brasília, Brasília-Acre, Cuiabá-Santarém e Porto Velho-Manaus penetraram a região, acelerando a integração da Amazônia ao Centro- Sul. FIGURA 08: Cidade de Manaus, símbolo da transformação econômica da Amazônia.

13 Economia 3º Produto Interno Bruto do Brasil (perdendo para o Centro-Sul e para o Nordeste).Produto Interno Bruto economia baseada no extrativismo animal, vegetal e mineral.extrativismo multinacionais estão instaladas na região, sobretudo na serra dos Carajás (Pará), de onde se extrai parte do minério de ferro do país.serra dos CarajásParáferro Pólo Petroquímico da Petrobras, com extração de petróleo e gás natural nos poços de Urucu, em Coari/AM, o Pólo Industrial de Manaus (PIM) e o Pólo de Biotecnologia, também em Manaus.PetrobrasPólo Industrial de Manaus

14 Indústrias da Região Norte Dentre todas as regiões brasileiras a norte é a menos desenvolvida industrialmente. atividades econômicas vinculadas aos setores com pouca aplicação tecnológica e que atuam nos ramos agroindustriais que produzem alimentos, têxtil, couro, borracha, etc. Na parte oriental as mudanças ocorreram em decorrência da extração mineral na Serra dos Carajás e de Oriximiná, além da proximidade com a usina hidrelétrica de Tucuruí e a instalação do complexo metalúrgico do alumínio nas proximidades de Belém.

15 Na parte ocidental o desenvolvimento industrial aconteceu principalmente a partir de 1967, com a criação da Zona Franca de Manaus, esse centro industrial atraiu empresas incentivadas por uma série de benefícios de ordem tributária, além de isenção de taxa de importação para componentes. FIGURA 09: Zona Franca de Manaus, estado do Amazonas. A criação da Zona Franca de Manaus foi uma iniciativa do governo federal com o objetivo de desenvolver economicamente e socialmente a região. No entanto, o resultado não foi o esperado, pois as indústrias não atribuíram nenhum beneficio à população local.

16 Rios Amazônicos: principais Vias de Transporte Os rios da região Norte é parte integrante da vida dos habitantes dessa região do Brasil. A característica dos rios amazônicos é favorável à navegação, pois muitos são extensos e volumosos e suas águas fluem lentamente. Tal condição faz com que os rios sejam uma importante via de transporte para os habitantes da região. FIGURA 10: O principal meio de transporte para a população da região Norte são as embarcações fluviais.

17 CONSIDERAÇÕES FINAIS Região Amazônica teve seu processo de industrialização e levante econômico tardio, o que se verifica em um comparativo com as demais Região Geoeconômicas isso se dá por diversos fatores tais como: o difícil acesso pois a Região Norte está contida dentro da Floresta Amazônica, pela dependência que se faz dela para sobreviver da extração de seus recursos, a partir desse ponto levanta-se o questionamento a cerca da preservação versus utilização. Com tudo o que foi discutido neste o que podemos concluir é que apesar de todas as riquezas naturais como plantas, animais e minerais e avanços industriais como a implantação do Pólo Industrial, Gasoduto e Mineração o Complexo Amazônico ainda tem que se firmar no campo econômico de nosso país, isso será possível quando soubermos administrar tais recursos e indicarmos pessoas competentes para representar a população, maior interessada no desenvolvimento da nossa região.

18


Carregar ppt "Introdução Por possuir uma grande área territorial o Brasil necessitou como todo o resto do mundo subdividir-se em regiões, que levam em conta as características."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google