A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

NORMAS PARA TRABALHOS ACADÊMICOS DA UTFPR/CORNÉLIO PROCÓPIO NORMAS PARA TRABALHOS ACADÊMICOS DA UTFPR/CORNÉLIO PROCÓPIO Conforme as normas da ABNT: NBR.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "NORMAS PARA TRABALHOS ACADÊMICOS DA UTFPR/CORNÉLIO PROCÓPIO NORMAS PARA TRABALHOS ACADÊMICOS DA UTFPR/CORNÉLIO PROCÓPIO Conforme as normas da ABNT: NBR."— Transcrição da apresentação:

1 NORMAS PARA TRABALHOS ACADÊMICOS DA UTFPR/CORNÉLIO PROCÓPIO NORMAS PARA TRABALHOS ACADÊMICOS DA UTFPR/CORNÉLIO PROCÓPIO Conforme as normas da ABNT: NBR 6023/ Referências NBR 6024/ Numeração Progressiva NBR 6027/ Sumário NBR 10520/ Citação NBR 14724/ Apresentação de Trabalhos Atualizado em 07/09/ REGRAS DE APRESENTAÇÃO REGRAS DE APRESENTAÇÃOREGRAS DE APRESENTAÇÃO 2 ESTRUTURA DO TRABALHO ESTRUTURA DO TRABALHOESTRUTURA DO TRABALHO 3 CITAÇÕES CITAÇÕES 4 REFERÊNCIAS REFERÊNCIAS 5 ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOSELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS

2 1 REGRAS DE APRESENTAÇÃO 1.1 FORMATO Papel branco, formato A4. Papel branco, formato A4. Utilização da fonte tamanho 12 para o texto e tamanho 10 para citações longas e notas de rodapé. Recomenda-se a utilização da fonte Times New Roman ou Arial no Word. 1.2 MARGEM Esquerda e superior com 3,0 cm. Direita e inferior de 2,0 cm. 1 REGRAS DE APRESENTAÇÃO 1.1 Formato 1.2 Margem 1.3 Espacejamento Notas de rodapé Indicações de seção 1.4 Paginação 1.5 Numeração progressiva 1.6 Citações 1.7 Abreviaturas e siglas 1.8 Equações e fórmulas 1.9 Ilustrações Figuras Tabelas SAIR 3 cm 2 cm

3 1.3 ESPACEJAMENTO O texto deve ser digitado com espaço 1,5 de entrelinhas. As citações longas, as notas, as referências e os resumos devem ser digitados em espaço simples. Os títulos das seções devem ser separados por dois espaços 1,5 entrelinhas, antes e depois do texto Notas de rodapé Devem ser digitadas dentro das margens, ficando separadas do texto por um espaço simples e por filete de 3 cm, a partir da margem esquerda. SAIR 3 O Modelo RM/T O Modelo RM/T ¹, definido por Coldd em 1979, procura superar algumas deficiências de modelagem... ¹ RM-Relational Model – T Filete de 3 cm Nota de rodap é

4 1.3.2 Indicações de seção O indicativo numérico de uma seção, deve ser colocado antes do título, alinhado à esquerda e separado por um espaço. As seções primárias por serem as principais divisões de um texto devem iniciar em folha própria, digitadas em caixa alta e negrito. As seções secundárias devem ser digitadas em caixa alta. As seções terciárias devem ser digitadas somente com a primeira letra do título em maiúscula. Exemplo: Seção primária: 1 UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Seção secundária: 1.1 CAMPUS CORNÉLIO PROCÓPIO Seção terciária: Departamentos e divisões SAIR

5 Os títulos, sem indicativo numérico, como errata, agradecimentos, lista de ilustração, sumário, resumo, referências e outros devem ser centralizados, em negrito e em caixa alta. SAIR REFERÊNCIAS ANDRADE, M. M. de A. Como preparar trabalhos para cursos de p ó s-gradua ç ão. 5. ed. São Paulo: Atlas, FRAN Ç A, J. L. Manual para normaliza ç ão de publica ç ões t é cnico-cient í ficas. 3. ed. Belo Horizonte: Ed. UFMG, UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARAN Á. Sistema de Bibliotecas. Relat ó rios. Curitiba: Ed. da UFPR, v. 3

6 1.4 PAGINAÇÃO Todas as folhas do trabalho,a partir da folha de rosto, devem ser contadas seqüencialmente. As páginas pré-textuais não necessitam ser numeradas. A numeração das páginas textuais é colocada a partir da primeira folha da parte textual (introdução), em algarismos arábicos, no canto superior direito da folha, a dois centímetros da borda superior, exceto nas páginas que iniciam-se os capítulos primários, que são contadas, porém não são numeradas. SAIR 3.1 BIBLIOTECA UTFPR A Biblioteca da UTFPR tem uma freq ü ência de aproximadamente 600 pessoas por dia. 9

7 1.6 CITAÇÕES Quando se utiliza informação extraída de outra fonte, para reforçar a idéia que se quer transmitir. 1.7 ABREVIATURAS E SIGLAS Quando aparecer pela primeira vez no texto, deve-se colocar seu nome por extenso, acrescentando-se a abreviatura ou a sigla entre parênteses. Exemplo: Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) 1.8 EQUAÇÕES E FÓRMULAS É permitido o uso de uma entrelinha maior que comporte seus elementos (expoentes, índices e outros). Quando destacadas dos parágrafos são centralizadas e, se necessário, deve-se numerá-las. SAIR

8 Quando numeradas em mais de uma linha, por falta de espaço, devem ser interrompidas antes do sinal de igualdade ou depois dos sinais de adição, subtração, multiplicação e divisão. 1.9 ILUSTRAÇÕES Figuras As figuras podem ser: quadros; lâminas; plantas; fotografias; gráficos; organogramas; fluxogramas; esquemas; desenhos e outros. As legendas devem ser claras, breves, (de maneira que dispensem consulta ao texto). sendo inseridas o mais próximo possível das ilustrações a que se referem. SAIR

9 1.1 BIBLIOTECA A Biblioteca da Universidade Tecnol ó gica Federal do Paran á (UTFPR) - Campus Corn é lio Proc ó pio possui dois terminais de consulta ao acervo, onde os usu á rios podem verificar se uma obra existe na Biblioteca, qual sua localiza ç ão e se est á emprestada. Neste caso poder á realizar uma reserva. Figura 5 – Biblioteca UTFPR - Campus Corn é lio Proc ó pio Exemplo de figura:

10 1.9.2 Tabelas Apresentam informações tratadas estatisticamente, conforme IBGE, Devem conter: Título na parte superior; Fonte de onde foi extraída na parte inferior. Exemplo: Tabela 1- População de Cornélio Procópio _________________________________________________________________ INFORMAÇÃO DATAESTATÍSTICA _____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ População Censitária habitantes População Estimada habitantes População Econ. Ativa pessoas População Ocupada pessoas Número de Domicílios __________________________________________________________________________ Fonte: IBGE (2000) SAIR

11 Em sua apresentação: a) têm numeração independente e consecutiva; b) o título é colocado na parte superior precedido da palavra Tabela e de seu número de ordem em algarismos arábicos; c) as fontes citadas, na construção de tabelas e notas eventuais aparecem no rodapé após o fio de fechamento; d) caso sejam utilizadas tabelas reproduzidas de outros documentos, a prévia autorização do autor se faz necessária, não sendo mencionada na mesma; e)as tabelas devem ser inseridas o mais próximo possível do trecho a que se referem; f) se a tabela não couber em uma folha, deve ser continuada na folha seguinte e, nesse caso, não é delimitada por traço horizontal na parte inferior, sendo o título e o cabeçalho repetidos na folha seguinte; g) nas tabelas utilizam-se fios horizontais e verticais para separar subtítulos das colunas no cabeçalho e fechá-las na parte inferior, evitando-se fios verticais para separar as colunas e fios horizontais para separar as linhas. SAIR

12 2 ESTRUTURA DO TRABALHO 2.1 OBJETIVO Estabelece princípios gerais para elaboração de trabalhos acadêmicos. 2.2 DEFINIÇÕES Trabalhos Acadêmicos: Resultado de estudo emanado da disciplina, módulo, estudo independente, curso, programa e outros. Deve ser feito sob a coordenação de um orientador. Pode ser trabalho de conclusão de curso (TCC), trabalho de graduação interdisciplinar (TGI) e outros. Dissertação: É feita sob a coordenação de um orientador (doutor), visando à obtenção do título de mestre. Tese: É feita sob a coordenação de um orientador (doutor), visando à obtenção do título de doutor ou similar. 2 ESTRUTURA DO TRABALHO 2.1 Objetivo 2.2 Definições 2.3 Estrutura Elementos pré-textuais Capa Folha de rosto Folha de aprovação Dedicatória Agradecimentos Epígrafe Resumo em língua vernácula Resumo em língua estrangeira Sumário Lista de ilustrações Lista de abreviaturas e siglas Lista de símbolos Elementos textuais Introdução Desenvolvimento Conclusão Elementos pós-textuais Referências Apêndice Anexo Glossário SAIR

13 2.3 ESTRUTURA Os elementos de um trabalho devem aparecer na seguinte ordem: Pré-textuais: capa folha de rosto errata folha de aprovação dedicatória agradecimento epígrafe resumo na língua vernácula resumo em língua estrangeira lista de ilustrações lista de abreviaturas e siglas lista de símbolos sumário Textuais: introdução desenvolvimento e conclusão Pós-textuais: referências apêndice anexo glossário índice SAIR

14 2.3.1 Elementos pré-textuais Capa Elemento para proteção externa do trabalho. Deve apresentar as informações indispensáveis à sua identificação, na seguinte ordem: a) nome do autor: responsável intelectual pelo trabalho; b) título principal do trabalho: deve ser claro e preciso; c) subtítulo: se houver, precedido de dois pontos(:); d) local (cidade) da instituição onde deve ser apresentado; e) ano (da entrega). SAIRExemplo de capa

15 SAIR UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS CORNÉLIO PROCÓPIO LETÍCIA FERNANDES DE MEDEIROS SISTEMA OPERACIONAL: Gerenciamento de memória CORNÉLIO PROCÓPIO 2006 Exemplo de capa: RELATÓRIOS

16 Folha de rosto Elemento que contém os dados essenciais à identificação do trabalho. Os elementos devem figurar na seguinte ordem: a) nome do autor; b) título; c) subtítulo; d) natureza: (tese, dissertação, monografia, TCC e outros) e objetivo (graduação pretendida); nome da instituição a que é submetido; área de concentração; e) nome do orientador e, se houver, do co-orientador; f) local; g) ano. No caso de trabalho acadêmico será facultativo a apresentação da natureza. SAIR

17 LETÍCIA FERNANDES DE MEDEIROS SISTEMA OPERACIONAL: Gerenciamento de memória CORNÉLIO PROCÓPIO 2006 Exemplo de folha de rosto Trabalho acadêmico apresentado à disciplina Sistemas Operacionais. Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Campus de Cornélio Procópio. Orientador: Professor João da Silva

18 Folha de aprovação Contém autor, título e subtítulo (se houver), local e data de aprovação. Nome, assinatura e instituição dos membros componentes da banca examinadora. SAIR LET Í CIA FERNANDES DE MEDEIROS SISTEMA OPERACIONAL: Gerenciamento de mem ó ria Monografia apresentada ao Curso Superior de Tecnologia em Informática, Modalidade Sistemas de Informação, da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, como requisito para obtenção do título de Tecnólogo. COMISSÃO EXAMINADORA _________________________________ Prof. João da Silva Universidade Tecnológica Federal do Paraná _________________________________ Profª Gladys Carvalho Universidade Tecnológica Federal do Paraná _________________________________ Prof. Marcos Roberto Santos Universidade Tecnológica Federal do Paraná Cornélio Procópio, de RELATÓRIOS

19 Dedicatória Folha em que o autor homenageia ou dedica seu trabalho. SAIR Aos meus pais, Clarice e Raul Ao amigo Jos é Carlos

20 Agradecimentos Dirigido àqueles que contribuíram de maneira relevante à elaboração do trabalho. SAIR AGRADECIMENTOS Aos meus pais pelo apoio. Ao meu orientador pelo aux í lio e incentivo neste trabalho. Aos funcion á rios da Companhia Santa Cruz pelo servi ç os prestados. Aos colegas de curso pelo companheirismo

21 Epígrafe Pensamento, frase significativa, provérbio, citação, seguida de indicação de autoria, relacionada com o assunto do trabalho. Elemento opcional. SAIR "O tempo e o espaço são modos pelos quais pensamos e não condições nas quais vivemos (Albert Einsten)

22 Resumo em língua vernácula Apresentação dos pontos relevantes de um texto. O resumo deve dar uma visão rápida e clara do conteúdo e das conclusões do trabalho. Constitui- se em uma seqüência de frases objetivas e não de uma simples enumeração de tópicos, não ultrapassando 500 palavras. Abaixo do resumo devem constar as palavras representativas do conteúdo do trabalho, isto é, palavras-chave e/ou descritores Resumo em língua estrangeira Consiste em uma versão do resumo em idioma de divulgação internacional. SAIR

23 Sumário Enumeração das principais divisões, seções e outras partes do trabalho, na mesma ordem e grafia em que aparecem no trabalho, acompanhado do respectivo número da página. Deve ser apresentado em folha própria. Os elementos pré-textuais não devem constar no sumário. SAIR SUM Á RIO 1 O QUE É UM SISTEMA OPERACIONAL DEFINI Ç ÃO Um breve hist ó rico GERENCIAMENTO DE MEM Ó RIA O QUE É MEM Ó RIA PROCESSAMENTO DE ENTRADA E SA Í DA FITAS MAGN É TICAS CONCLUSÃO REFERÊNCIAS ANEXOS RELATÓRIOS

24 Lista de Ilustrações Deve ser elaborada de acordo com a ordem apresentada no texto, com cada item acompanhado do respectivo número da página. Recomenda-se a elaboração de lista própria para cada tipo de ilustração (quadros, lâminas, plantas, fotografias, gráficos, organogramas, fluxogramas, esquemas, desenhos e outros) Lista de abreviaturas e siglas Relação alfabética das abreviaturas e siglas utilizadas no texto, seguidas das palavras ou expressões correspondentes escritas por extenso. Recomenda-se a elaboração de lista própria para cada tipo Lista de símbolos Deve ser elaborada de acordo com a ordem apresentada no texto, com o devido significado. SAIR

25 2.3.2 Elementos textuais Apresenta três partes fundamentais: introdução, desenvolvimento e conclusão Introdução Nesta parte deve constar a delimitação do assunto tratado, objetivos da pesquisa e outros elementos necessários para situar o tema do trabalho Desenvolvimento Parte principal do texto que contém a exposição ordenada e pormenorizada do assunto. Divide-se em seções e subseções que variam em função da abordagem do tema e do método Conclusão Parte final do texto, na qual se apresentam conclusões correspondentes aos objetivos ou hipóteses. SAIR

26 2.3.4 Elementos pós-textuais Elementos que complementam o trabalho Referências Lista padronizada dos documentos, os quais foram citados pelo autor ou que serviram de embasamento para a elaboração do trabalho Apêndice Consiste em um texto ou documento elaborado pelo autor, a fim de complementar sua argumentação. Exemplo: APÊNDICE A - Avaliação dos alunos do Ensino Médio da UTFPR Anexo Consiste em um texto ou documento não elaborado pelo autor, que serve de fundamentação, comprovação e ilustração. Os anexos são identificados por letras maiúsculas consecutivas, travessão e pelos respectivos títulos. SAIR

27 Exemplo: ANEXO A - Grade curricular dos Cursos Superiores de Tecnologia da UTFPR Glossário Lista em ordem alfabética de palavras ou expressões técnicas de uso restrito ou de sentido obscuro, utilizadas no texto, acompanhadas das respectivas definições. SAIR

28 3 CITAÇÕES 3 CITAÇÕES Segundo a NBR 10520/ago 2002, citação é menção de uma informação extraída de uma outra fonte. A citação pode ser utilizada para esclarecer, ilustrar ou sustentar um determinado assunto, ela garante respeito ao autor da idéia e ao leitor. Dá credibilidade ao trabalho científico. As citações podem estar localizadas no texto ou em notas de rodapé, podem ser curtas (até três linhas), longas (mais de três linhas), diretas (cópia fiel do autor consultado) ou indiretas (texto baseado na idéia do autor consultado). Toda citação deve vir acompanhada da indicação de autoria, esta pode estar inclusa no texto (na sentença, frase) ou entre parênteses. Quando inclusa no texto deve–se usar letras maiúsculas e minúsculas com indicação da data entre parênteses. Exemplo: Maximiano (2000, p. 358) afirma que os fatores de manutenção ou aspectos insatisfatórios, diziam respeito ao contexto do trabalho, ou seja, às condições dentro das quais o trabalho era realizado. 3 CITAÇÕES 3.1 Citação direta 3.2 Citação indireta 3.3 Citação curta 3.4 Citação longa 3.5 Citação de citação 3.6 Supressões, Comentários e destaques 3.7 Sistema de chamada 3.8 Autor pessoa 3.9 Autor entidade 3.10 Autor evento 3.11 Documento sem autoria SAIR

29 Quando a autoria não fizer parte do texto deve ser entre parênteses e todas as letras em maiúscula. Exemplo: Os fatores de manutenção ou aspectos insatisfatórios, diziam respeito o contexto do trabalho, ou seja, às condições dentro das quais o trabalho era realizado. (MAXIMIANO, 2000, p. 358). 3.1 CITAÇÃO DIRETA É a transcrição ou cópia de um parágrafo, uma frase ou uma expressão, usando exatamente as mesmas palavras usadas pelo autor do trabalho consultado. Nesse caso, repete-se palavra por palavra e estas devem vir entre aspas duplas, ou com destaque gráfico, seguidas da indicação da fonte consultada. Exemplo: fazendo um relatório com algumas notas de rodapé. (MCGREGOR, 1999, p.1). SAIR

30 3.2 CITAÇÃO INDIRETA É a transcrição das idéias de um autor usando suas próprias palavras. A citação indireta é a maneira que o pesquisador tem de ler, compreender e gerar conhecimento a partir do conhecimento de outros autores. Exemplo: Neste texto, o papel do bibliotecário ganha importância como educador (DUDZIAK; GABRIEL; VILLELA, 2000). 3.3 CITAÇÃO CURTA As citações curtas (até três linhas) diretas ou indiretas são inclusas ao texto destacadas entre aspas precedidas ou sucedidas da indicação de autoria. Exemplo: Esses três fatores determinam a motivação do indivíduo para produzir em quaisquer circunstâncias em que se encontre. (CHIAVENATO, 2000, p.310). Ou Para Chiavenato (2000, p.310), esses três fatores determinam a motivação do indivíduo para produzir em quaisquer circunstâncias em que se encontre. SAIR

31 3.4 CITAÇÃO LONGA As citações longas (mais de três linhas) devem ser transcritas em bloco separado do texto, com recuo esquerdo de 4 cm a partir da margem, justificado, com a mesma fonte do texto porém em tamanho 10 e espaçamento simples. Exemplo: A motivação esta relacionada ao sistema de cognição de cada um, onde este sistema inclui os valores pessoais, e é influenciado pelo ambiente físico e social. Chiavenato (2000, p. 302) afirma A motivação representa a ação de forças ativas e impulsionadoras: as necessidades humanas. As pessoas são diferentes entre si no que tange à motivação. As necessidades humanas que motivam o comportamento humano produzem padrões de comportamento que variam de indivíduo para individuo. Confirma-se mais uma vez que a motivação é diferente para cada indivíduo. Devido a isto muitas organizações preocupam-se em descobrir como motivar seus funcionários para desta forma melhorar os serviços oferecidos. SAIR

32 3.5 CITAÇÃO DE CITAÇÃO É a citação de um texto que tivemos acesso a partir de outro documento. Exemplo: Leedy (1988 apud RICHARDSON, 1991, p.417) compartilha deste ponto de vista ao afirmaros estudantes estão enganados quando acreditam que eles estão fazendo pesquisa, quando de fato eles estão apenas transferindo informação factual [...]. Na lista de referências, faz-se a referência do documento consultado (RICHARDSON). 3.6 SUPRESSÕES, COMENTÁRIOS E DESTAQUES Em alguns casos o autor do trabalho poderá fazer supressões (omitir parte da citação), comentários (na citação) ou destaques (negrito, sublinhado ou itálico). Ao usar uma citação que contenha expressão ou palavra destacada pelo autor usa-se após a citação a expressão grifo do autor. Exemplo: [...] buscavam explicar o desempenho do indivíduo nas organizações. (FICHT, 2004, p. 26, grifo do autor). SAIR

33 Caso o autor do trabalho destaque uma palavra ou expressão em uma citação, acrescenta-se após a citação a expressão grifo nosso. Exemplo: Todas elas buscavam explicar o desempenho do indivíduo nas organizações. (FICHT, 2004, p. 26, grifo nosso). Ao usar uma citação que contenha alguma expressão ou palavra entre aspas, no trabalho esta expressão ou palavra aparecerá entre aspas simples. Exemplo: Texto original atualmente as organizações estão preocupadas em como motivar sua equipe, procuram entender porque alguns colaboradores dão o máximo de si enquanto outros fazem o mínimo possível pela instituição. Segundo Ficht (2004, p. 25), atualmente as organizações estão preocupadas em como motivar sua equipe, procuram entender porque alguns colaboradores dão o máximo de si enquanto outros fazem o mínimo possível pela instituição. SAIR

34 3.7 SISTEMA DE CHAMADA A NBR 10520/ago 2002, apresenta dois tipos de sistemas de chamadas para citações: o autor data e o sistema numérico. Nesta norma recomendamos o sistema autor data. Neste sistema a indicação é feita pelo sobrenome do autor ou pelo nome da entidade responsável até o primeiro sinal de pontuação, seguido da data de publicação do documento e da página onde estiver a citação. 3.8 AUTOR PESSOA Exemplo de citação obra com um autor: Esses três fatores determinam a motivação do indivíduo para produzir em quaisquer circunstâncias em que se encontre. (CHIAVENATO, 2000, p. 310). Exemplo de citação obra com dois autores: A teoria de Alderfer, como a de Maslow, é difícil de ser testada, o que torna difícil avaliar sua aplicação a situações organizacionais, à prática da administração ou até mesmo à realização pessoal dos empregados. (STONER; FREEMAN, 1994, p. 326). SAIR

35 Exemplo de citação obra com três autores: Segundo Andrade, Cardoso e Siqueira (1998, p )... Ou (ANDRADE; CARDOSO; SIQUEIRA, 1998, p ). Exemplo de citação obra com mais de três autores: Segundo Cordi et al (1994, p. 88) Ou (CORDI et al, 1994, p.88) Exemplo de vários documentos do mesmo autor publicado no mesmo ano: (RICHARDT, 2000a, p.12) (RICHARDT, 2000b, p.16) Vários documentos do mesmo autor (RICHARDT, 1998, 1999, 2000) Ou Zenere (1998, 1999, 2000) Dois autores com mesmo sobrenome (SILVA, Maria, 1998, p. 23) Ou Silva, Maria (1998, p. 23) (SILVA, José, 1996, p. 38) Silva, José (1996, p. 38) SAIR

36 3.9 Autor entidade (UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ, 2005, p.10). (UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ, 1990, p. 24) AUTOR EVENTO (CONGRESSO BRASILEIRO DE BIBLIOTECONOMIA E DOCUMENTAÇÃO, 1979) Documentos sem autoria Quando o documento não possuir autoria, a indicação da citação deve ser feita pela primeira palavra do titulo seguido de reticências: (ANTEPROJETO..., 1987, p. 550) Se o titulo iniciar por artigo este deve ser incluído na indicação da fonte: (A FLOR..., 1995, p.4) SAIR

37 4 REFERÊNCIAS Descreve a apresentação dos documentos utilizados em um trabalho acadêmico. Referência é uma lista ordenada dos documentos que foram citados pelo autor ou que serviram de embasamento para a elaboração do trabalho. Bibliografia é considerada um levantamento de documentos relacionados com o tema abordado em uma obra, para que o leitor possa se aprofundar no assunto. Documentos são suportes físicos que contêm informações. Podem ser: impressos (livros, periódicos, normas técnicas, mapas, etc.); eletrônicos (CD-ROM, disquetes, informações veiculadas pela internet, etc); sonoros (CD, fita cassete); entre outros. 4 REFERÊNCIAS 4.1 Como fazer uma referência 4.2 Regras de apresentação 4.3 Localização das referências 4.4 Transcrição dos elementos Autoria pessoal Um autor Dois e três autores Mais de três autores Autoria desconhecida Autor entidade / instituição Título e subtítulo Edição Local Casa publicadora Data Descrição física Série e coleção 4.5 Documentos a serem referenciados Livros (Monografias) considerados no todo Documentos considerados em parte Teses, dissertações e monografias Publicação periódica Artigos de periódicos Artigos de jornais Normas técnicas Entrevistas Entrevistas não publicadas Entrevistas publicadas Documentos eletrônicos CD-ROM Bases de dados em CD-ROM Documentos on-line Documentos cartográficos (atlas) 4.6 Listagem das referências Sair

38 4.1 COMO FAZER UMA REFERÊNCIA Existem elementos essenciais e elementos complementares que identificam a obra. Os elementos essenciais são obrigatórios à identificação da obra: autor, título, subtítulo (quando houver), edição, local de publicação, editora ou produtora e data de publicação ou produção. Os elementos complementares são opcionais e possibilitam uma maior identificação da obra: números de páginas, volumes totais da obra, título e número da série, outros tipos de responsabilidades como ilustrador, editor, organizador, tradutor. SAIR

39 4.2 REGRAS DE APRESENTAÇÃO Na apresentação deve-se obedecer à seqüência dos elementos: autor, título, subtítulo, edição, local de publicação, casa publicadora e data. As referências deverão ser alinhadas somente à margem esquerda. A pontuação e o recurso tipográfico para destacar o título da obra (negrito, grifo ou itálico) devem ser uniformes em todas as referências. 4.3 LOCALIZAÇÃO DAS REFERÊNCIAS As referências podem ser dispostas: a) em nota de rodapé, no caso de citações; b) no final de texto ou de capítulo; c) em lista de referências, no final do trabalho; d) antecedendo resumos e resenhas. SAIR

40 4.4 TRANSCRIÇÃO DOS ELEMENTOS Os elementos abaixo apresentados estão na seqüência em que deverão ser transcritos na referência Autoria pessoal Um autor Quando a obra possui um autor indica-se, primeiramente, seu último sobrenome em letra maiúscula seguido por vírgula e logo após, as iniciais dos nomes em maiúscula Dois e três autores Quando a obra possui dois ou três autores a indicação dos autores deve ser seguida como a anterior sendo que os autores devem ser separados por ponto e vírgula. SAIR

41 Mais de três autores Menciona-se apenas o primeiro autor que aparece na obra seguido da expressão et al Autoria desconhecida Em caso de autor desconhecido a referência bibliográfica deve ser iniciada pelo título, sendo a primeira letra em maiúscula Autor entidade / instituição Para obras publicadas sob a responsabilidade de uma entidade (empresas, órgãos governamentais, congressos, seminários, etc.) deve-se identificar o nome por extenso e em letra maiúscula Título e subtítulo O título e o subtítulo devem ser transcritos como aparecem na obra, separados por dois pontos. O título deverá aparecer em destaque: negrito, itálico ou grifado. SAIR

42 4.4.4 Edição Quando aparecer uma indicação de edição, esta deve ser apresentada de forma abreviada, a partir da 2.ed., bem como as emendas de edição aumentada (aum.), revisada (rev.), atualizada (atual.), etc Local Indica-se o nome da cidade onde a obra foi publicada. Quando houver mais de um local, anotar o que aparece primeiro ou aquele que estiver em destaque. Quando o local não aparece na obra, mas pode ser identificado, colocá-lo entre colchetes. Na impossibilidade de identificar o local, transcrever, entre colchetes, a abreviação da expressão latina sine loco (sem local) [s.l.]. SAIR

43 4.4.6 Casa publicadora Pessoa ou instituição responsável pela produção de um documento. No caso de instituição: editora (para documentos impressos); produtora (para imagens em movimento); gravadora (para registros sonoros). O nome da casa publicadora é indicado sem as palavras que designam sua natureza jurídica ou comercial (editora, livraria, gravadora, etc). Quando houver mais de uma casa publicadora, indicar a que aparece em destaque na obra, ou a que primeiro aparecer na folha de rosto. Entretanto, as demais também podem ser indicadas com seus respectivos locais. Na ausência da casa publicadora, indicar a abreviação, entre colchetes, da expressão latina sine nonime (sem editora) [s.n.]. SAIR

44 4.4.7 Data A data de publicação ou produção deve ser indicada em algarismo arábico. Quando não aparecer data na obra, indicar uma data aproximada entre colchetes. Exemplificando: [1980 ou 1981] um ano ou outro [1975?] data provável [1997] data certa, mas não indicada na obra [entre 1945 a 1959] usar para intervalos menores de 20 anos [ca. 1988] data aproximada [199-] década certa [199?] década provável [18--] século certo [18--?] século provável Nas referências de documentos com vários volumes, indicam-se a data inicial e a data final de publicação, separadas por hífen. SAIR

45 Nas referências de artigos de periódicos, os meses devem ser indicados no idioma original da publicação, de forma abreviada. Exemplo: PortuguêsEspanhol Inglês janeiro - jan. enero - enero January - Jan. fevereiro - fev. febrero - feb. February -Feb. março - mar. marzo - marzo March - Mar. abril - abr.abril - abr. April - Apr. maio - maiomayo - mayo May - May junho - jun.junio - jun. June - June julho - jul.julio - jul. July - July Agosto - ago. agosto - agosto August - Aug. setembro - set. septiembre - sept. September -Sept. outubro - out. octubre - oct. October - Oct. novembro - nov. noviembre - nov. November- Nov. dezembro- dez.diciembre - dic. December- Dec. Obs.: Na língua inglesa as iniciais dos meses e suas abreviaturas são em letra maiúscula. SAIR

46 4.4.8 Descrição física Em caso de referências de parte da obra, artigos de periódicos e publicações avulsas, deve-se anotar o número da página inicial e final separados por hífen, seguidos da abreviatura (p.). Para os materiais sonoros indica-se o número das partes em algarismo arábico e a designação específica do material. Quando necessário indicar entre parênteses outras especificações. Exemplo: 1 disco sonoro (56 min.) Série e coleção Anotar entre parênteses o título da série ou coleção e sua numeração como figuram no documento. Este elemento não é obrigatório, mas é recomendável indicá-lo quando faz diferença para a identificação do documento. SAIR

47 4.5 DOCUMENTOS A SEREM REFERENCIADOS Livros (Monografias) considerados no todo HIBBELER, R. C. Estática: mecânica para engenharia. 10.ed. São Paulo: Prentice Hall, DORF, R. C.; BISHOP, R. H. Sistemas de controle modernos. 8. ed. Rio de Janeiro: LTC, ANDRADE, R. O. B. de; TACHIZAWA, T.; CARVALHO, A. B. de. Gestão ambiental: enfoque estratégico aplicado ao desenvolvimento sustentável. 2.ed. São Paulo: Makron Books, COLEMAN, D. et al. Desenvolvimento orientado a objetos: o método fusion. 3. ed. Rio de Janeiro: Campus, ALMANAQUE Abril. São Paulo: Abril Cultural, SAIR SOBRENOME, Prenomes (abreviados) do autor. Título: subtítulo. Edição. Local de publicação: Editora, ano. Obra com um autor Obra com três autores Obra com mais de trêss autores Citar o primeiro autor e a expressão et al (e outros) Obra com dois autores Obra sem autoria Iniciar pelo t í tulo

48 Documentos considerados em parte ALVES, L. S. Composição visual como base teórica para o planejamento gráfico. In: Metodologia da problematização: experiências com questões de ensino superior. Londrina: Ed. UEL, p CUNHA, E. C. da; CARMO, L. F. R. da C.; PIRMEZ, L. Uma estratégia de autoria de documentos multimídia para apresentação adaptativa. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SISTEMAS MULTIMÍDIA E HIPERMÍDIA, 5, 1999, Goiânia. Anais... Goiânia: UFG - Instituto de Informática. p SAIR SOBRENOME, Prenomes (abreviados) do autor da parte da obra. Título da parte. In: Autor da obra. Título da obra. Edição. Local de publicação: Editora, ano. Página inicial-final da obra. Cap í tulo de livro

49 4.5.2 Teses, dissertações e monografias FIGUEIREDO, K. M. de. Mapeamento dos modos de transferência metálica na soldagem MIG de alumínio. Uberlândia, f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Mecânica) – Faculdade de Engenharia Mecânica, Universidade Federal de Uberlândia Publicação periódica Artigos de periódicos SAIR SOBRENOME DO AUTOR, Prenomes (abreviados). Título. Local, ano. Número de folhas. Tese, Dissertação, monografia, TCC e outros (grau e área) Instituição. SOBRENOME DO AUTOR DO ARTIGO, Prenomes (abreviados). Título do Periódico, Local de publicação, número do volume, número do fascículo, página inicial- final do artigo, data.

50 DIAS, A. Você tem um plano B? Você S/A., São Paulo, n. 82, p , abr REIS, R. L. G. Crise de energia dificulta expansão do mercado. Química Industrial, São Paulo, v. 11, n. 76, jul./ago SILVA, F. C. A. da. et al. Controle de fontes radioativas através de inspeções regulatórias de radioproteção na indústria brasileira. Soldagem & Inspeção, São Paulo, v. 6, n. 6, p , set Artigos de jornais MESQUITA, A. Lagos trazem um ambiente de calma e conforto aos sítios. Folha de S. Paulo, São Paulo, 09 out Agrofolha, Caderno 7, p. 2. SAIR SOBRENOME DO AUTOR DO ARTIGO, Prenomes (abreviados). Título do artigo. Título de Jornal, local de publicação, data (dia, mês, ano). Número ou título do caderno, seção, suplemento, etc., página(s) do artigo.

51 BORGES,F. Trabalho de reflorestamento é premiado. Folha de Londrina, Londrina, 15 dez Folha Cidades, p Normas técnicas ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NB 9000, ISO 9000: normas de gestão da qualidade e garantia da qualidade: diretrizes para seleção e uso. Rio de Janeiro, ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 14724: informação e documentação - trabalhos acadêmicos - apresentação. Rio de Janeiro, Entrevistas Entrevistas não publicadas SAIR ÓRGÃO NORMALIZADOR. Título : subtítulo. Local, ano. AUTOR (entrevistado). Nota da entrevista. Local, data.

52 SCHERER, T. Entrevista concedida a Clara Nunes Machado. Curitiba, 20 set Entrevistas publicadas KEEGAN, J. A guerra irracional. Veja, São Paulo, v. 34, n. 39, 03 out p Entrevista Documentos eletrônicos CD-ROM (Compact disc on read only memory) e assemelhados TANENBAUM, A. S.; WOODHULL, A. S. Sistemas operacionais: projeto e implementação. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, CD-ROM. CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA MECÂNICA, 14., 1997, Bauru. Anais... Bauru: UNESP/ABCM, CD-ROM. SAIR AUTOR (entrevistado). Título da entrevista. Publicação que divulgou a entrevista. Nota de entrevista

53 Bases de dados em CD-ROM PEIXOTO, M. F. V. Função citação como fator de recuperação de uma rede de assunto. In: IBICT. Base de dados em ciência e tecnologia. Brasília: IBICT, n. 1, CD-ROM Documentos on-line SAIR SOBRENOME DO AUTOR DA PARTE, Prenomes(abreviados). Título da parte. In: SOBRENOME DO AUTOR DO TODO, Prenomes (abreviados). Título do todo. Local : Editora, data. Tipo de suporte. Número de CD. ALVES, M. B. M.; ARRUDA, S. M. Como fazer referências: bibliográficas, eletrônicas e demais formas de documentos. Disponível em: Acesso em: 10 nov

54 CAVERNA revela arte de 28 mil anos. Isto é, São Paulo, 05 jul Disponível em: Acesso em: 26 nov MARINO, A. M. Educação. [mensagem pessoal]. Mensagem recebida por em 12 maio Nota: As mensagens recebidas por não são fontes formais, por isso, não são recomendadas como fonte de pesquisa científica ou técnica. SAIR SOBRENOME DO AUTOR DA MENSAGEM, Prenomes (abreviados). Assunto da mensagem. [mensagem pessoal]. Mensagem recebida por e- mail do destinatário. Data do recebimento.

55 4.5.7 Documentos cartográficos (atlas) Inclui atlas, mapas, globos, fotografias aéreas BOCHICCHIO, V. R. Atlas mundo atual. São Paulo: Atlas, SAIR SOBRENOME DO AUTOR, Prenomes (abreviados). Título. Edição. Local: Editora, ano.

56 SAIR 4.6 LISTAGEM DAS REFERÊNCIAS A lista de referências deve ser elaborada em folha própria. Quando houver mais de uma referência no trabalho, elas deverão ser transcritas em ordem alfabética de autor (não havendo autor pela entrada da referência). No caso de mais de uma obra referenciada sucessivamente do mesmo autor pessoal, usa-se seis travessões a partir da segunda referência, para substituir o nome do autor. Exemplo: ALENCAR, J. de O Guarani. 25.ed. São Paulo: ática, ______. Senhora: perfil da mulher. 6.ed. São Paulo: FTD, ______. Ubirajara. 18.ed. São Paulo: ática, 2001.

57 5 Elaboração de relatórios 5.1 DEFINIÇÃO Documento elaborado com o objetivo de apresentar e descrever informações detalhadas de fatos vivenciados, ouvidos ou observados. Geralmente a elaboração do relatório passa pelas seguintes fases: coleta e ordenação do material necessário ao desenvolvimento do relatório, redação e revisão. Os relatórios podem ser classificados em: técnicos, empresariais, científicos, de viagem, de estágio, de visita técnica e de atividades acadêmicas em geral. A redação do relatório deve levar em consideração sua finalidade (relatar o quê, para quem? Por quê?). 5.2 ESTRUTURA DO RELATÓRIO Capa Deverá ser confeccionada conforme detalhes fornecido no item ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS 5.1 Definição 5.2 Estrutura do relatório Capa Folha de rosto Folha de aprovação Sumário Texto Forma de apresentação SAIR

58 5.2.2 Folha de rosto Recomenda-se que os relatórios de estágio tenham capa e folha de rosto e os de aulas práticas e de visita técnica tenham somente folha de rosto. SAIR MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS CORNÉLIO PROCÓPIO RODNEY CRUZ SILVEIRA EXERCÍCIO ORIENTADO DA PROFISSÃO COMPANHIA PARANAENSE DE ENERGIA ELÉTRICA – COPEL DISTRIBUIÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA Supervisor do estagiário na empresa: Taís Alves Bernardes Professor orientador: Luís Fernandes da Silva Duração: 01 de agosto a 28 dezembro de 2005 Total de dias: 101 dias Carga horária diária: 08 horas Carga horária do estágio: 808 horas Corn é lio Proc ó pio 2005

59 5.2.3 Folha de aprovação No caso dos relatórios de estágio dos alunos da UTFPR esta deve aparecer em folha própria, contendo o nome e assinatura do estagiário, do supervisor do estágio na empresa, do professor orientador e do professor responsável pelas correções ortográficas. ExemploExemplo Sumário É a enumeração dos capítulos, seções ou partes do relatório, na ordem em que aparecem no texto, indicando suas subordinações, bem como as páginas em que se iniciam. ExemploExemplo Texto Constitui a parte principal do relatório. Deve apresentar: introdução: descreve claramente os objetivos do relatório, pode incluir a apresentação da empresa, suas atividades desenvolvidas ou ainda a descrição da teoria que envolve o experimento com embasamento na bibliografia consultada (fundamentação teórica); SAIR

60 metodologia e discussão: descreve a natureza e resultados do trabalho, especifica testes, experiências, observações, vantagens e desvantagens, métodos utilizados para a coleta dos dados, resultados e análises; conclusão: constitui a finalização do relatório e deve ser baseada na evidência clara dos fatos observados, apresentando as comprovações mais importantes para um exame crítico dos dados; anexos ou apêndices: apresentam informações complementares como ficha de avaliação de desempenho do estagiário, Catálogos, fôlderes, projetos, gráficos, etc.; referências: listam os documentos consultados para a elaboração do relatório Forma de apresentação De acordo com o item um deste documento. SAIR


Carregar ppt "NORMAS PARA TRABALHOS ACADÊMICOS DA UTFPR/CORNÉLIO PROCÓPIO NORMAS PARA TRABALHOS ACADÊMICOS DA UTFPR/CORNÉLIO PROCÓPIO Conforme as normas da ABNT: NBR."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google