A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Oficina de Exportação de Serviços

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Oficina de Exportação de Serviços"— Transcrição da apresentação:

1 Oficina de Exportação de Serviços
Encontro de Comércio Exterior ENCOMEX Oficina de Exportação de Serviços Goiânia, 30 de abril de 2009.

2 Setor de Serviços Extremamente diversificado.
Setor da economia que mais vem crescendo nas últimas décadas - no mundo e no Brasil. Crescimento mais lento em países mais pobres, carentes de mão-de-obra especializada. Responsável por 65% do PIB no Brasil. Principal gerador de empregos no Brasil. Principal setor receptor de IED no Brasil

3 Conceito amplo de comércio de serviços (OMC - GATS)
Modo 1 - Comércio transfronteiriço Modo 2 - Consumo no Exterior Modo 3 - Presença Comercial Modo 4 - Movimento temporário de profissionais

4 Modo 1 – Comércio Transfronteiriço
Do território de um país para o território de qualquer outro país Serviço Território do prestador Território do consumidor Ex. 1: Empresa de publicidade francesa contratada para prestar serviços para empresa brasileira. Ex. 2: Empresa de arquitetura do Brasil contratada para efetuar projeto de ponte para a Tailândia.

5 Modo 2 – Consumo no Exterior
Serviços consumidos no território de um país por um cidadão de outro país Consumidor Território do prestador Território do consumidor Ex. 1: Norte-americano que faz cirurgia plástica em um clínica brasileira Ex. 2: Estudante brasileiro que faz doutorado em universidade da Argentina

6 Modo 3 – Presença Comercial
Pelo prestador de serviços de um país que se estabelece no território de outro país Prestador de Serviço Território do prestador Território do consumidor Ex. 1: Laboratório britânico abre filial no Brasil para prestar serviço médicos. Ex. 2: Empresa de design brasileira abre escritório na África do Sul.

7 Modo 4 – Movimento Temporário de Profissionais
Presença de pessoa física prestadora de serviços de um país no território de outro país Pessoa física prestadora de serviço Território do prestador Território do consumidor Ex. 1: Consultor brasileiro que presta serviços temporariamente em Angola. Ex. 2: Advogado suíço vem ao Brasil para prestar serviços a uma empresa brasileira de consultoria.

8 BALANÇA BRASILEIRA DE COMÉRCIO EXTERIOR DE SERVIÇOS
BRAZILIAN FOREIGN TRADE IN SERVICES BALANCE Janeiro/Dezembro – January/December US$ Bilhões / US$ Billion ANOTAÇÕES: * Os dados acima referem-se às Receitas e Despesas da Conta de Serviços do Balanço de Pagamento deduzidos da Conta de Serviços Governamentais, conforme definido pelo Manual de Estatísticas do Comércio Internacional de Serviços na pág 254 (http://www.desenvolvimento.gov.br/sitio/interna/interna.php?area=4&menu=1764)/ The data above are related to the Revenues and Expenditures of the Services Account of the Balance of Payments deducted from the Governmental Services Account, as it is defined by the Manual on Statistics of International Trade in Services on the page 254 (http://www.desenvolvimento.gov.br/sitio/interna/interna.php?area=4&menu=1764) Fonte/Source: Banco Central do Brasil/ Brazilian Central Bank - Elaboração / Elaboration : DECOS/ SCS

9 EXPORTAÇÃO DE SERVIÇOS – PRINCIPAIS SETORES/CNAE*
Janeiro/Dezembro 2008 – US$ Milhões Fonte/Source: Banco Central do Brasil–CNAE 2.0/Brazilian Central Bank - Elaboração/Elaboration : DECOS/ SCS * De acordo com a Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE) - Ver nota explicativa na última página / According to the National Classification of Economic Activities - See explanatory note on the last page.

10 ESTADOS EXPORTADORES BRASILEIROS – PARTICIPAÇÃO % - Jan/Dez 2008**
BRAZILIAN EXPORTING STATES - % SHARE - Jan/Dec 2008** ANOTAÇÕES: Fonte/Source: Banco Central do Brasil CNAE 2.0 por UF da Empresa/ Brazilian Central Bank CNAE 2.0 Companies by State Location Elaboração / Elaboration : DECOS/ SCS ** Ver Nota Explicativa na última página/ See explanatory note on the last page of this publication

11 ESTADOS IMPORTADORES BRASILEIROS – PARTICIPAÇÃO % – Jan/Dez 2008**
MAIN BRAZILIAN IMPORTING STATES - % SHARE – Jan/Dec 2008** ANOTAÇÕES: Fonte/Source: Banco Central do Brasil CNAE 2.0 por UF da Empresa/ Brazilian Central Bank CNAE 2.0 Companies by State Location Elaboração / Elaboration : DECOS/ SCS ** Ver Nota Explicativa na última página/ See explanatory note on the last page of this publication

12 EVOLUÇÃO DA BALANÇA COMERCIAL DE SERVIÇOS – US$ MILHÕES
EVOLUTION OF SERVICES TRADE BALANCE – US$ MILLION ANOTAÇÕES: Fonte/Source: Banco Central do Brasil / Brazilian Central Bank – Dados do balanço de pagamentos - Data from the Balance of Payments Elaboração / Elaboration : DECOS/ SCS

13 AQUISIÇÃO DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE SERVIÇOS*
ACQUISITION FOR THE BRAZILIAN SERVICES EXPORTS* Janeiro/Dezembro - January/December 2008 – PARTICIPAÇÃO %/ % SHARE ANOTAÇÕES: Fonte/Source: Banco Central do Brasil – CNAE Ver nota explicativa na última página / Brazilian Central Bank – CNAE See explanatory note on the last page. Elaboração / Elaboration : DECOS/ SCS * Os dados acima referem-se a paises selecionados e não constituem um ranking/ The data above refer to selected countries and don’t constitute a ranking.

14 PARTICIPAÇÃO % NO NÚMERO DE EMPREGOS FORMAIS
% SHARE IN THE NUMBER OF FORMAL JOBS ANOTAÇÕES: Fonte/Source: RAIS – Ministério do Trabalho e Emprego/ Ministry of Labour and Employement Elaboração / Elaboration : DECOS/ SCS

15 BASES PARA INSERÇÃO DO BRASIL NO COMÉRCIO INTERNACIONAL DE SERVIÇOS
Política de Desenvolvimento Produtivo (PDP) Sistema Integrado de Comércio Exterior de Serviços, Intangíveis e Outras Operações que Produzem Variações no Patrimônio das Entidades (SISCOSERV) Nomenclatura Brasileira de Serviços, Intangíveis e Outras Operações que Produzem Variações no Patrimônio das Entidades (NBS)

16 POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO - PDP

17 PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE
PDP PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE COMPLEXO SERVIÇOS 17 17

18 Complexo Serviços MDIC Situação atual Metas 2010 Desafios Gestão 18
Estratégias: conquista de mercados e focalização (especialização) Objetivo: aumentar a participação do País no comércio mundial de serviços, ampliando a base de empresas exportadoras 2009 Situação atual Metas 2010 Desafios Gestão MDIC Déficit comercial persistente Concentração das exportações brasileiras em dois grandes mercados de destinos (EUA e UE) e pouca diversificação por segmentos produtivos Reduzido número de instrumentos de apoio a Exportação de serviços Competitividade nos serviços de construção e engenharia Diversificar e desconcentrar as exportações brasileiras de serviços Capacitar empresas prestadoras de serviços em comércio exterior - Dotar o país de sistema de informação e gestão das operações do comércio exterior de serviços Ampliar as exportações do complexo serviços para 1,0% do comércio mundial de serviços, ou US$ 40 bilhões em 2010 - Capacitar empresários em exportação de serviços até 2010 18 18

19 19 19

20 Complexo Serviços: instrumentos existentes
Desafios Instrumentos Ampliar, diversificar e desconcentrar as exportações brasileiras de serviços MDIC/BACEN/RFB: Harmonização de Conceitos BNDES: crédito COFIG: crédito e seguro BNDES BB crédito MDIC/ RFB desoneração tributária MDIC/MRE: acordos comerciais CAMEX/ABDI/ MDIC: articulação MDIC/APEX: inteligência comercial e projetos setoriais MDIC/ RFB/ BACEN: modernização e consolidação da legislação de comércio exterior em serviços Capacitar empresas prestadoras de serviços em comércio exterior BB/ MDIC: treinamento “básico” em Negócios Internacionais Módulo Exportação Serviços SEBRAE/MDIC/BB/APEX: “Manual de Exportação de Serviços” MDIC/BB/ BNDES/APEX: Encontros regionais em exportação de serviços Dotar o país de sistemas de informação e gestão das operações de comércio exterior de serviços MDIC/RFB: SISCOSERV BACEN/IBGE MDIC/RFB/: Estatísticas FATS MDIC: Estudos em oportunidade de negócios de serviços MDIC/RFB: Nomenclatura Brasileira de Serviços - NBS MDIC: Panorama de Comércio Internacional de Serviços 20 20

21 COMPLEXO SERVIÇOS SISCOSERV (SCS/MDIC-SERPRO-RFB-BACEN)
Grupo de Estatísticas de Internacionalização de Empresas Treinamento de empresários exportadores (SCS/MDIC- BB) IR com alíquota zero nas despesas de promoção comercial para o setor de serviços Ampliação do PROEX e ACC para outros setores de serviços Financiamento para estudos de viabilidade de projetos de arquitetura, engenharia e construção 21

22 SISCOSERV SISTEMA INTEGRADO DE COMÉRCIO EXTERIOR DE SERVIÇOS, INTANGÍVEIS E OUTRAS OPERAÇÕES QUE PRODUZEM VARIAÇÕES NO PATRIMÔNIO DAS ENTIDADES

23 Secretaria de Comércio e Serviços
OBJETIVOS SISCOSERV Gerar estatísticas periódicas e desagregadas do comércio exterior brasileiro de serviços nos quatro modos de prestação. Integrar atividades exercidas pelos setores privado e público nas transações externas de compra e venda de serviços, intangíveis e outras operações que produzem variações no patrimônio. Fornecer subsídios para proposição, acompanhamento e avaliação das políticas públicas para o setor de serviços. Fornecer subsídios para gestão de mecanismos de apoio (crédito e financiamento, promoção comercial, etc) à exportação de serviços, no âmbito Federal, Estadual e Municipal. Registrar informações hábeis para obtenção da dedutibilidade de tributos, nos casos previstos em lei. Apoiar às negociações internacionais em serviços.

24 Secretaria de Comércio e Serviços
SISCOSERV - MÓDULOS VENDA 2º Semestre de 2009 AQUISIÇÃO 2010 O SISCOSERV proporcionará aos usuários do setor privado, em tempo real, um ambiente único para processamento de suas transações de comércio exterior de serviços, intangíveis e outras operações que produzem variações no patrimônio das entidades, excluídas as operações efetuadas exclusivamente com mercadorias.

25 Secretaria de Comércio e Serviços
PREMISSAS BÁSICAS – MÓDULO DE VENDA Plataforma WEB e processamento on-line. Classificação das transações: Nomenclatura Brasileira de Serviços, intangíveis e outras operações que produzem variações no patrimônio (NBS). Registro do serviço prestado ou iniciado. Identificação dos 4 Modos de Prestação. Inexistência de anuência prévia por órgãos do governo.

26 NBS NOMENCLATURA BRASILEIRA DE SERVIÇOS, INTANGÍVEIS E OUTRAS OPERAÇÕES QUE PRODUZEM VARIAÇÕES NO PATRIMÔNIO DAS ENTIDADES

27 NBS EXEMPLOS 1 ) SERVIÇOS: serviços de engenharia; serviços de gerenciamento de redes; serviços fotográficos 2) INTANGÍVEIS: licenciamento de patentes e de marcas; 3) OUTRAS OPERAÇÕES QUE PRODUZEM VARIAÇÕES NO PATRIMÔNIO DAS ENTIDADES: fornecimento de refeições e leasing

28 NBS A NBS DEVERÁ TER UMA ESTRUTURA FÁCIL E CONHECIDA A NBS SERÁ EDITADA POR ATO DO PODER EXECUTIVO (DECRETO), BEM COMO SUA NOTAS EXPLICATIVAS (NEBS) A NBS SERÁ UTILIZADA NO SISTEMA INTEGRADO DO COMÉRCIO EXTERIOR DE SERVIÇOS, INTANGÍVEIS e OUTRAS OPERAÇÕES QUE PRODUZEM VARIAÇÕES NO PATRIMÔNIO DAS ENTIDADES - SISCOSERV É PROVÁVEL QUE A NBS VENHA, AO LONGO DO TEMPO,TAL QUAL A NCM, SER UTILIZADA, DE FORMA SUBSIDIÁRIA, PELA ADMINISTRAÇÃO FEDERAL, ESTADOS E MUNICÍPIOS

29 NBS A NBS tomou por base a Central Product Classification (CPC), draft 2.0, de 18 de agosto de CPC é classificação de produtos e atividades, editada pelas Nações Unidas Não se trata de convenção internacional assinada pelo Brasil (não estamos, portanto, obrigados a adotar a CPC integralmente) A CPC está sendo utilizada como sugestão (ponto de partida básico) para a construção da NBS

30 MUITO OBRIGADO! MAURÍCIO DO VAL
Diretor de Políticas de Comércio e Serviços Secretaria de Comércio e Serviços MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR Telefone - (61) Fax - (61)


Carregar ppt "Oficina de Exportação de Serviços"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google