A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

REDE DE PESQUISA, DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO EM CARVÃO MINERAL.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "REDE DE PESQUISA, DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO EM CARVÃO MINERAL."— Transcrição da apresentação:

1 REDE DE PESQUISA, DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO EM CARVÃO MINERAL

2 CRIAÇÃO: Dia 28 de Junho de 2006 Reunião no MCT em Brasília PROJETO DE PESQUISA ENCOMENDADO Financiamento: CT-Energ / MCT Valor: Cerca de R$

3 Objetivo Ser instrumento de ação integrada e sinérgica para gerar conhecimento, tecnologia e inovação com o objetivo de dar suporte à cadeia produtiva do carvão mineral com vistas ao uso sustentável do carvão nacional

4 Participantes Cerca de 100 Pesquisadores na Área de Carvão Mineral 39 Diferentes Instituições

5 Principais Instituições Participantes Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro – PUC-Rio Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUC-RS Universidade Federal de Itajubá - UNIFEI Universidade Federal de Pernambuco - UFPE Universidade Federal Fluminense - UFF Universidade de Campinas - UNICAMP

6 Principais Instituições Participantes Fundação Universidade de Rio Grande - FURG Universidade do Extremo Sul Catarinense - UNESC Universidade Federal de Viçosa - UFV Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG Universidade do Sul de Santa Catarina - UNISUL Universidade Luterana do Brasil - ULBRA Centro Universitário La Salle - UNILASALLE Universidade de Caxias do Sul - UCS Universidade Federal de Santa Maria - UFSM Associação Beneficiente da Indústria Carbonífera de Santa Catarina - SATC

7 Principais Instituições Participantes Associação Brasileira dos Analistas de Inteligência Competitiva – ABRAIC Centro de Tecnologia Mineral - CETEM Fundação de Ciência e Tecnologia - CIENTEC Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais - CPRM Departamento Nacional da Produção Mineral - DNPM Associação Brasileira do Carvão Mineral - ABCM Centro de Pesquisas de Energia Elétrica - CEPEL Instituto de Pesquisas Tecnológicas - IPT Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE CENPES/PETROBRÁS

8 Principais Instituições Participantes - Companhia de Geração Térmica de Energia Elétrica - CGTEE - Sindicato da Indústria da Extração de Carvão do Estado de Santa Catarina - SIESESC - Associação Brasileira das Instituições de PesquisaTecnológica - Carbonífera Criciúma - Indústria Carbonífera Rio Deserto - Carbonífera Catarinense - Ferrovia Tereza Cristina - Carbonífera Metropolitana - ICON

9 Gerenciamento Regimento Interno aprovado pela Plenária

10 Gerenciamento Comitê Coordenador Escolhidos na Plenária Coordenador: Carlos Hoffmann Sampaio Apoio: Gérson Luiz Miltzarek Área de Produção: José Alcides Fonseca Ferreira - CPRM Antônio César Faria Vilela - UFRGS César Ferrazzi Duarte – ABCM Área de Conversão: Jorge Luiz Castellan – CIENTEC David Turick Chazan – ABCM Luiz Nelson Valcareggi – CGTEE Área de Meio ambiente: Paulo Sérgio Moreira Soares – CETEM Cléber José Baldoni Gomes – ABCM Ivo Schneider - UFRGS

11 Plano de Ação Desenvolvido pelo Comitê Coordenador (baseado em reunião plenária) Aprovado pela Plenária

12 Áreas Temáticas Produção Conversão e aplicações Meio Ambiente aplicado ao carvão

13 Metas da Rede de Carvão Área: Produção  Aprimorar conhecimento sobre depósitos de carvão  Otimização e desenvolvimento de novas tecnologias de lavra  Otimização e desenvolvimento de tecnologias para beneficiamento de carvões e rejeitos

14 Metas da Rede de Carvão Área: Conversão e aplicações  Obtenção de gases combustíveis  Obtenção de gases de síntese\redutor  Uso eficiente do carvão nacional em GCT\PCT  Uso de carvão nacional na siderurgia

15 Metas da Rede de Carvão Área: Meio Ambiente aplicado ao carvão  Alternativas de utilização de rejeitos e cinzas  Técnicas de predição, prevenção e tratamento de drenagem ácida  Critérios de avaliação\priorização  Técnicas de recomposição de ecossistemas  Desenvolvimento de protocolo de descomissionamento  Desenvolvimento de métodos de avaliação  Técnicas de avaliação de impactos sobre corpos hídricos  Redução, controle e monitoramento de emissões - simulação

16 Áreas Prioritárias para Aplicação Financeira 1. Ações Transversais 1.1. Formação de Recursos Humanos  Bolsas de Estudo I.C.; Mestrado, Doutorado; Pós-Doutorado; Aperfeiçoamento; DTI; e Professor Visitante  Realização de Cursos na área de Carvão Cursos de Curta duração e Cursos de Especialização (360 h)

17 Áreas Prioritárias para Aplicação Financeira 1. Ações Transversais 1.2. Investimento em Infra-Estrutura Laboratorial Demanda Espontânea para a aquisição de equipamentos de médio e grande porte.(> R$ ) Equipamentos a serem compartilhados com outros membros da rede

18 Áreas Prioritárias para Aplicação Financeira 1. Ações Transversais 1.3. Cooperação Internacional e Parceria Nacional  Financiamento de Missões Demanda Espontânea para o financiamento de missões no país ou exterior de no máximo 20 dias  Pleito junto ao CNPq e CAPES Bolsas de Doutorado Sandwich, Pós-Doutorado e Missões de Curta Duração (até 3 meses) Editais Específicos para Doutorado Pleno no Exterior em Áreas indicadas pela Rede Carvão

19 Áreas Prioritárias para Aplicação Financeira 1. Ações Transversais 1.4. Portal e Centro de Documentação Financiamento para ampliação e modernização de Portal e Centro de Documentação em Carvão Mineral

20 Áreas Prioritárias para Aplicação Financeira 1. Ações Transversais 1.5. Custeio das Ações da Rede Carvão Destinar verba para o custeio de ações da Rede Carvão: -Reuniões ordinárias e extraordinárias da Plenária e do Comitê Coordenador da Rede Carvão; e - Viagens no Brasil e Exterior para visitas a Centros de Pesquisa visando à implementação de projetos de parceria.

21 Áreas Prioritárias para Aplicação Financeira 2. Ações de Pesquisa nas Áreas Temáticas Dois tipos de Chamadas de Projetos de Pesquisa: Chamada de Demanda Induzida. Quando o Comitê Coordenador encomenda para Pesquisador ou Grupo de Pesquisa a execução de um projeto de pesquisa em tema específico. Chamada de Demanda Espontânea. Quando o Comitê Coordenador consulta os membros da Rede Carvão quais pesquisadores ou grupos de pesquisa estariam dispostos a realizar projeto em determinado tema, normalmente mais amplo. Após o conhecimento dos interessados, o Comitê Coordenador escolherá os pesquisadores que desenvolverão o projeto.

22 Ações Prioritárias da Rede Carvão Produção  Exploração  Lavra de Minas  Beneficiamento

23 Ações Prioritárias da Rede Carvão Conversão e Aplicações  Gaseificação  Combustão

24 Ações Prioritárias da Rede Carvão Meio Ambiente aplicado ao carvão  Tratamento e aproveitamento de rejeitos e resíduos  Recuperação de áreas degradadas  Avaliação de desempenho ambiental

25 Principais Projetos de Pesquisa em Andamento 1.Projeto Finep: Identificação, qualificação e quantificação de carvão mineral para utilização em usinas termelétricas: infra- estrutura laboratorial para pesquisa científica e tecnológica, capacitação de recursos humanos e cooperação internacional Valor: R$ (2 anos) 2. Projeto CNPq: Caracterização e testes de combustão de carvões brasileiros aplicados a geração termelétrica Valor: R$ (2 anos)

26 FIM Contato: Carlos Hoffmann Sampaio


Carregar ppt "REDE DE PESQUISA, DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO EM CARVÃO MINERAL."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google