A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

POLUIÇÃO SONORA Ciências do Ambiente POLUIÇÃO SONORA Ciências do Ambiente Prof. Aline Monteiro Trigo Abril/ 2012.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "POLUIÇÃO SONORA Ciências do Ambiente POLUIÇÃO SONORA Ciências do Ambiente Prof. Aline Monteiro Trigo Abril/ 2012."— Transcrição da apresentação:

1 POLUIÇÃO SONORA Ciências do Ambiente POLUIÇÃO SONORA Ciências do Ambiente Prof. Aline Monteiro Trigo Abril/ 2012

2 Poluição Sonora? É qualquer alteração nas características do som ambiente, provocada por ruídos. Ruído - Definição Geral: som indesejável, que perturba a segurança, o bem-estar e a saúde das pessoas.

3 Diferenças * A poluição sonora difere bastante da poluição do ar e da água quanto aos seguintes aspectos: O ruído é produzido em toda parte e, portanto, não é fácil controlá-lo na fonte como ocorre na poluição do ar e da água; Embora o ruído produza efeitos cumulativos no organismo, do mesmo modo que outras modalidades de poluição, diferencia-se por não deixar resíduo no ambiente tão logo seja interrompido; Diferindo da poluição do ar e da água, o ruído é apenas percebido nas proximidades da fonte.

4 Diferenças O ruído, ao que parece, não tem efeitos genéticos, como acontece com certas formas de poluição do ar e da água, a exemplo da poluição radioativa. Entretanto o incômodo, a frustração, a agressão ao aparelho auditivo e o cansaço geral causados pela poluição sonora podem afetar as futuras gerações.

5 Propagação do Som Em que meio o som se propaga melhor? Ar atmosferico m/s Agua m/sFerro m/s VÁCUO?

6 Fontes de Ruído Grupo 1 - Meios de transporte: rodoviários, aéreos, ferroviários e marítimos; Grupo 2 - Vizinhança: indústrias, bares, discotecas, restaurantes, canteiros de obras, ruídos domésticos (animais domésticos, eletrodomésticos, elevadores, etc.)

7 Características do Som Intensidade ou Amplitude - é causada pela pressão do ar contra o ouvido => quanto maior a pressão, mais intenso é o som, maior o dano. A unidade universal de medida da amplitude é o decibel (dB). A 0 dB corresponde o limiar de audição e a 130 dB corresponde o limiar da dor.

8 Características do Som O ouvido humano percepciona ondas sonoras com freqüências compreendidas entre os 20Hz (graves) e os Hz (agudos). Freqüências abaixo dos 20 Hz (infra-sons) e acima dos Hz (ultra-sons) são captadas pelo nosso corpo podendo provocar reações no cérebro, a nível do subliminar

9 A percepção do som é medida através da razão entre duas medidas, por exemplo: Observa-se que o uso de escalas lineares levaria a números muito grandes, o que é indesejável; Por outro lado, o ouvido humano não responde linearmente, mas logaritmamente a uma dada excitação; Por esse motivo as grandezas acústicas (vibratórias) são expressas com uma razão logarítmica de um valor medido em relação a um valor de referência. Medição do Ruído limite da dor 200 Pa Pressão sonora = = = 10 7 limiar da audição 20µPa

10 Nível de Pressão Sonora NPS = 10 ( log P 2 /P o 2 ) = 20 ( log P/P o ) ü NPS - nível de pressão sonora, em dB; ü P - pressão sonora medida por instrumento; ü P o - pressão de referência (2 x N/m 2 ). ( Limites: ü inferior da audibilidade é zero dB; ü superior é 134 dB; ü meio urbano os sons variam entre 30 e 100 dB.

11 Níveis Típicos de Ruído Tipo de fonte NBS(dB –A) Sensação Relógio / Biblioteca / Chuvisco 30 muito baixo Rua Calma 40 Razoavelmente baixo Conversa 50normal Ruído de Escritório 60normal Ruído de tráfego pesado 80 Alto Fábrica barulhenta/moto a 10m 90 Muito Alto Buzina de veículo a 7m 100 Muito alto a insuportável Indústria têxtil – caldeira 110 Muito alto a insuportável Avião na aterrissagem 150Insuportável

12 Danos causados por ruídos

13 Fonte: dB = doloroso; dB = perigoso; dB = fatigante; dB = incomodativo; 0-50 dB = repousante

14 Limites de Intensidade Ruído com intensidade de até 55 dB não causa nenhum problema; Ruídos de 56 dB a 75 dB pode incomodar, embora sem causar malefícios à saúde; Ruídos de 76 dB a 85 dB pode afetar a saúde, e acima dos 85 dB a saúde será afetada, a depender do tempo da exposição. Uma pessoa que trabalha 8 horas por dia com ruídos de 85 dB terá, fatalmente, após 2 anos problemas auditivos; Estudos mais recentes da OMS (Organização Mundial de Saúde) apontam que um som deve ficar em até 50 dB para não causar prejuízos ao ser humano. A partir de 50 dB, os efeitos negativos começam. Alguns problemas podem ocorrer a curto prazo, outros levam anos para serem notados. CIÊNCIAS DO AMBIENTE - CAP

15 Conseqüências do Ruído Quanto maior o período de exposição, maior o dano; ruídos intermitentes interferem no sistema nervoso e contínuos na audição (fadiga auditiva, efeito máscara, e surdez); depende da susceptibilidade e de lesões anteriores no ouvido.

16 Limites de tolerância - Exposição

17 * zumbido; * deterioração do reconhecimento da fala (efeito de máscara); * perda de atenção, concentração e memória; * nervosismo, ansiedade e agressividade; * dores de cabeça, tonturas, constrição dos vasos sanguíneos periféricos; perturbações circulatórias, taquicardia; * dilatação da pupila ; * gastrite, úlcera; * alterações do apetite e do sono; * liberação de noradrenalida, adrenalina (hormônios do medo, da raiva e da ansiedade. É por causa dessa liberação de hormônios que muitas pessoas acham que ouvir música em intensidade moderada não dá emoção ou não tem graça. Efeitos negativos da poluição sonora

18 Medidas de Controle Na fonte: substituição de tecnologias ruidosas; boa lubrificação, ajuste e regulagem nos equipamentos; uso de materiais amortecedores. Na trajetória: através da segregação, enclausuramento, barreiras e tratamento acústico das superfícies. No pessoal: exames médicos; limitação do tempo de exposição ao ruído; uso de equipamentos de proteção individual (EPI).

19 Avaliação do Ruído O primeiro decreto que se conhece para a proteção humana contra o ruído no Brasil, é de 6 de maio de 1824, no qual se proibia o "ruído permanente e abusivo da chiadeira dos carros dentro da cidade", estabelecendo multas que iam de 8 mil réis a 10 dias de cadeia, que se transformavam em 50 açoites, quando o infrator era escravo.

20 Resoluções e Normas A Resolução CONAMA nº 1, de 8/3/90, estabelece que a emissão de ruídos em decorrência de quaisquer atividades, inclusive as propagandas politicas, nao devem ser superiores as estabelecidas pela Norma NBR O PROGRAMA NACIONAL DE EDUCAÇÃO E CONTROLE DA POLUIÇÃO SONORA - SILÊNCIO foi instituído pela Resolução CONAMA nº 2, de 8/3/90.

21 Resoluções e Normas NBR – Avaliação do Ruído em Áreas Habitadas Visando o Conforto da Comunidade. NBR – Níveis de Ruído para Conforto Acústico.

22 TABELA 1 - de que tratam os art.7º/8º do Decreto Estadual de 15/06/93 (NBR 10151) Tipo de área Período do dia Diurno (7 às 19h) Vespertino (19 às 22h) Noturno (22 às 7h) Residencial 55 dB50 dB45 dB Diversificada 65 dB60 dB55 dB Industrial 70 dB60 dB

23 Avaliação do Ruído de Fontes iguais / diferentes LOCAL Decibéis Hospitais (apartamentos, centros cirúrgicos, etc. 35 – 45 Escolas (salas de aula) Escolas (bibliotecas) 35 – 45 Igrejas e templos Residências (dormitórios) Escritórios (salas de gerência, projetos e administração) Escritórios (salas de computação) Estes são alguns valores apontados pela NBR :

24 Segundo a NBR e 10152, consideram-se prejudiciais os ruídos que: Atinjam, no ambiente exterior do recinto em que têm origem, nível de som de mais de 10 dB, acima do ruído de fundo existente; Independentemente do ruído de fundo, atinjam no ambiente exterior do recinto em que têm origem, mais de 70 dB; Alcancem, no interior do recinto em que são produzidos, níveis de som superiores aos considerados aceitáveis pelas normas da ABNT. Resoluções e Normas

25 Selo Ruido – Atesta o nivel de ruido emitido pelo aparelho, dando ao consumidor a possibilidade de optar por um equipamento menos ruidoso, com isso incentivando a fabricação de produtos mais silenciosos.

26 Avaliação do Ruído O Ministério do Trabalho dispõe de quatro Normas que, de alguma forma, tratam do problema do ruído e das vibrações: NR6 - Equipamento de Proteção Individual - EPI; NR7 - Prog. Controle Médico de Saúde Ocupacional - PCMSO; NR15 - Atividades e Operações Insalubres; NR17 - Ergonomia (item ).

27 Decibelímetro Equipamento para medir o nível de ruído Equipamento para medir o nível de ruído CIÊNCIAS DO AMBIENTE - CAP

28 Referências Agradecimento ao site e/PoluioSonora.ppt


Carregar ppt "POLUIÇÃO SONORA Ciências do Ambiente POLUIÇÃO SONORA Ciências do Ambiente Prof. Aline Monteiro Trigo Abril/ 2012."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google