A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CRISTIANE QUEIROZ BARBEIRO LIMA Ergonomista – pesquisadora na área de saúde do trabalhador da Fundacentro -

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CRISTIANE QUEIROZ BARBEIRO LIMA Ergonomista – pesquisadora na área de saúde do trabalhador da Fundacentro -"— Transcrição da apresentação:

1 CRISTIANE QUEIROZ BARBEIRO LIMA Ergonomista – pesquisadora na área de saúde do trabalhador da Fundacentro - MTE/SP Conferência Estadual de Saúde do Trabalhador da CUT-SANTA CATARINA-2013 Situação da Saúde do Trabalhador Brasil e Santa Catarina

2 AnoTotal de Acidentes Acidentes típicos Acidentes trajeto DoençasNTEP Sem CAT BRASIL 3 ANOS:

3 AnoTotal de Acidentes Acidentes Típicos Acidentes Trajeto DoençasNTEP Sem CAT SANTA CATARINA 3 ANOS:

4 Dois menores sofrem acidente de trabalho por dia no Brasil Notícia do dia 15/10/ globo.com Números do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) do Ministério da Saúde obtidos pelo G1 mostram que, entre 2006 e agosto de 2011, menores de 18 anos se envolveram em acidentes graves de trabalho. No mesmo período, 58 crianças e adolescentes de até 18 anos morreram durante o trabalho. Unidade da federação (entre 2006 e agosto 2011) Acidentes de trabalho Graves entre menores de 18 Anos SP3660 PR262 MG253 SC191 Al101

5 SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - FIESC/SESI Santa Catarina (2011) teve a segunda pior taxa de incidência de acidentes do trabalho no Brasil (2.419 acidentes para cada 100 mil trabalhadores) Indústria de Santa Catarina (2011) acidentes para cada 100 mil trabalhadores. Santa Catarina (2011) ficou em 11º lugar na taxa de Mortalidade, com 8,85 óbitos para cada 100 mil trabalhadores, o pior coeficiente da região Sul. Indústria de Santa Catarina (2011) - 11,5 mortes para cada 100 mil trabalhadores empresados Santa Catarina (2011) - taxa de Letalidade 3,7 óbitos a cada mil acidentes registrados Indústria de Santa Catarina (2011) - Indústria 3,55 óbitos a cada mil acidentes registrados PRINCIPAIS CAUSAS DE ACIDENTES E DOENÇAS DO TRABALHO EM SC TRAUMATISMO E LESÕES – 65,61% DOENÇAS DO SISTEMA OSTEOMUSCULAR – 24,20% TRANSTORNOS MENTAIS E COMPORTAMENTAIS – 1,91% Disponivel em:

6 Segurança e medicina do trabalho Higiene do trabalho Segurança e saúde no trabalho Segurança e saúde do trabalhador Formas de expressão das acões relacionadas aos acidentes e as doenças agravadas e/ou relacionadas ao trabalho Higiene ocupacional Saúde do trabalhador

7 Segurança e saúde no trabalho Segurança e medicina do trabalho Saúde do trabalhador Sec. XIX ~ 1800 ~1945 ~1960/70 Unicausalidade Determinação social Correção Prevenção Promoção Trabalho DoençaSaúde Multicausalidade

8 Saúde do Trabalhador Busca compreender o adoecer e o morrer das pessoas, dos trabalhadores em particular, por meio do estudo dos processos de trabalho levando em consideração os fatores de risco existentes no meio ambiente de trabalho, o conjunto de valores e crenças, as representações sociais e o desenvolvimento sustentável.

9 Estudos dos processos de trabalho É um instrumento de análise que possibilita reformular conceitos e concepções considerando as dimensões sociais e históricas na compreensão das razões do adoecimento. Considera que a historicidade e o contexto que circunstancia as relações de produção materializadas em condições específicas de trabalhar possam ser geradoras de agravos à saúde. MINAYO, C. G; COSTA S. M. F. T. A construção do campo da saúde do trabalhador: percurso e dilemas. Caderno de Saúde Púbica, Rio de Janeiro, 13 (Supl. 2), p , 1997.

10 MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CAPÍTULO V, DO TITULO II, LEI No /75 Portaria No /78 MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL LEI No /91 E LEI No /91 DECRETO No /99 MINISTÉRIO DA SAÚDE LEI No /90 Norma Operacional de Saúde do Trabalhador Portaria no de 1998 Orientação para Estados e Municípios PORTARIA Nº 1.823, DE 23 DE AGOSTO DE 2012 Institui a Política Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora. Ministério Público do Trabalho Política Nacional de Segurança e Saúde no Trabalho – PNSST- Decreto 7602/nov-2011

11 NR 5 CIPA Comissão Interna de Prevenção de Acidentes MAPA DE RISCOS NR 9 PPRA NR 7 PCMSO Controle Médico de Saúde Ocupacional Programa de Prevenção de Riscos Ambientais NR 15 Atividades e operações insalubres Ministério do Trabalho e Emprego

12 Visa a estabelecer parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de conforto, segurança e desempenho eficiente. Condições de trabalho incluem: Levantamento, transporte e descarga de materiais Mobiliário Equipamentos Condições ambientais do posto de trabalho Organização do trabalho. NR 17 Ergonomia Anexo I Trabalho dos operadores de checkouts 2007 Anexo II Trabalho em teleatendimento e telemarketing 2007

13 Ministério da Previdência Social Lei No /91 Lei Orgânica da Seguridade Social A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação. A assistência social é a política social que provê o atendimento das necessidades básicas, traduzidas em proteção à família, à maternidade, à infância, à adolescência, à velhice e à pessoa portadora de deficiência, independentemente de contribuição à seguridade social.

14 Previdência Social tem caráter contributivo e de filiação obrigatória. Prevê: I - cobertura de eventos de doença, invalidez, morte e idade avançada; II - proteção à maternidade, especialmente à gestante; III - proteção ao trabalhador em situação de desemprego involuntário; IV - salário-família e auxílio-reclusão para os dependentes dos segurados de baixa renda; e V - pensão por morte do segurado, homem ou mulher, ao cônjuge ou companheiro e dependentes

15 Previdência Social Acidente do trabalho Doença profissional ou relacionada ao trabalho Auxílio doença acidentário Aposentadoria por invalidez Aposentadoria especial 15, 20 ou 25 anos Segurado CAT PPP PPP- Perfil Profissiográfico Previdenciário Comunicação de Acidente do Trabalho NEXO TÉCNICO EPIDEMIOLÓGICO FAP SAT- Seguro Acidente do Trabalho Fator Acidentario de Prevenção

16 Ministério da Saúde CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE SUS Assistência Vigilância epidemiológica Vigilância sanitária Promoção da saúde

17 Lei Orgânica da Saúde-Lei no de 1990 Saúde do trabalhador : “conjunto de atividades que se destina através das ações de vigilância epidemiológica e vigilância sanitária, à promoção e proteção da saúde dos trabalhadores, assim como visa à recuperação e reabilitação da saúde dos trabalhadores submetidos aos riscos e agravos advindos das condições de trabalho”.

18 Entende-se por vigilância sanitária um conjunto de ações capaz de eliminar, diminuir ou prevenir riscos à saúde e de intervir nos problemas sanitários decorrentes do meio ambiente, da produção e da circulação dos bens e da prestação de serviços de interesse da saúde o controle de bens de consumo e o controle da prestação de serviços. Entende-se por vigilância epidemiológica um conjunto de ações que proporcionam o conhecimento, a detecção ou prevenção de qualquer mudança nos fatores determinantes e condicionantes de saúde individual e coletiva, com a finalidade de recomendar e adotar as medidas de prevenção e controle das doenças ou agravos.

19 Promoção da saúde é o conjunto de atividades, processos e recursos, de ordem institucional, governamental ou da cidadania, orientados a propiciar a melhoria das condições de bem- estar e acesso a bens e serviços sociais, que favoreçam o desenvolvimento de conhecimentos, atitudes e comportamentos favoráveis ao cuidado da saúde e o desenvolvimento de estratégias que permitam à população maior controle sobre sua saúde e suas condições de vida, a níveis individual e coletivo. Gutierrez, 1994 Ações de promoção à saúde: - Educação - Mobilização social - Desenvolvimento da vontade política inclusão autonomia equidade bem estar

20 Desafios Discutir gestão e organização do trabalho Culpabilização Individualização Motivação x desejos Variabilidade interindividual Sair da Unicausalidade / multicausalidade da doença, acidente relacionado ao trabalho -combinação de causas e multiplicidade de efeitos Racionalidade da produção x tempo intensificação do trabalho Apoio Social


Carregar ppt "CRISTIANE QUEIROZ BARBEIRO LIMA Ergonomista – pesquisadora na área de saúde do trabalhador da Fundacentro -"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google