A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

National Seminar on Developing a Programme for the Implementation of the 2008 SNA and Supporting Statistics in Brazil Rio de Janeiro, 16 de setembro de.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "National Seminar on Developing a Programme for the Implementation of the 2008 SNA and Supporting Statistics in Brazil Rio de Janeiro, 16 de setembro de."— Transcrição da apresentação:

1 National Seminar on Developing a Programme for the Implementation of the 2008 SNA and Supporting Statistics in Brazil Rio de Janeiro, 16 de setembro de 2013

2 2 Agregados monetários e seus condicionantes; 1. Monetária e Financeira a. agregados monetários e seus condicionantes; b. operações de crédito do Sistema Financeiro Nacional; c. aplicações financeiras; d. Taxa Referencial (TR). e. elaboração e remessa de dados estatísticos para organismos internacionais (FMI, BIS, GMM-Mercosul), de acordos com metodologias específicas;

3 3 Monetária e Financeira 1. Agregados monetários e seus condicionantes a. Elaboração e acompanhamento dos indicadores monetários, M1, M2, M3 e M4, Base Monetária, Recolhimentos Compulsórios; i. Dados com periodicidade mensal. 2. Dados estatísticos do Sistema Financeiro a. Contas Analíticas do Sistema Financeiro: balancetes analíticos da Autoridade Monetária e do Sistema Financeiro; i. Segue o Manual de Estatísticas Monetárias e Financeiras do FMI, dados com divulgação mensal. b. Elaboração de estatísticas do sistema financeiro segundo padrões de organismos internacionais (FMI, BIS e GMM).

4 4 Monetária e Financeira 3. Operações de crédito do SFN a. Compreende as operações de bancos (comerciais, de investimento, de câmbio, de desenvolvimento, múltiplos, BNDES e Caixa Econômica Federal), financeiras, sociedades de arrendamento mercantil, associações de poupança e empréstimo, companhias hipotecárias, sociedades de crédito imobiliário, cooperativas de crédito e agências de fomento; i. Divulgação Mensal 4. Aplicações Financeiras e Taxa referencial: a) Elaboração e acompanhamento das estatísticas referentes às principais taxas de juros praticadas no mercado financeiro; b) Poupança financeira; c) Cálculo da TR;

5 5 Monetária e Financeira A partir de fevereiro de 2013, nova estrutura das estatísticas de crédito: Principais avanços 1. quadro mais amplo e detalhado do crédito: 2. maior detalhamento de operações de crédito direcionado; 3. extensão do detalhamento das informações de crédito livre (PF e PJ); 4. modalidades, concessões, taxas de juros, prazo e inadimplência; 5. incorporação de novas bases de informações (prazos da concessões, etc) ; 6. aumento da representatividade da taxa de juros apurada, com inclusão do crédito direcionado e das novas modalidades.

6 6 Balanço de Pagamentos – BPM6 Situação atual: projeto pronto para aprovação no âmbito do BCB. Data prevista da primeira publicação: Periodicidade: Mensal (requerida: trimestral) Tempestividade: em até 25 dias (requerida: até 3 meses) Fontes: principalmente contratos de câmbio, agregados Cosif, informações diretas de algumas empresas (de transportes, de seguros, dados de disponibilidades no exterior, etc), Receita Federal, BCB/Depin, RDE/Rof. Moeda: USD Unidade responsável: BCB/Depec/Dibap Um importante passo intermediário será dado com a implantação dos novos códigos de classificação do câmbio, no âmbito do novo Regulamento do Mercado de Câmbio e Capitais Internacionais (RMCCI).

7 7 BPM6 – Nova classificação por setor institucional A implementação do BPM6 propiciará maior adequação à abertura do SNA2008, em termos da classificação por setor institucional. O BPM6 utiliza os mesmos setores do SNA2008, mas com ordenamentos e agrupamentos distintos, visando manter a comparabilidade com as séries de dados anteriores, no formato BPM5.

8 8 BPM6 – Nova classificação por setor institucional

9 9 BPM6 – Classificação por instrumentos financeiros A implementação do BPM6 permitirá harmonização com o SNA2008, com respeito à classificação por instrumentos financeiros. Ambas estatísticas passarão a ser diretamente comparáveis, nos principais grupamentos: Ações e cotas de fundos de investimento Instrumentos de dívida Outros instrumentos financeiros A classificação por instrumentos financeiros do BPM6 permitirá vínculo existente com o tipo de renda que cada instrumento financeiro gera. Esta vinculação facilita o cálculo das taxas de retorno, bastante úteis tanto para a análise, quanto para a checagem dos dados.

10 10 Dados envidados ao IBGE – BPM5 Anuário estatístico Balanço de pagamentos (principais contas); Exportações PPE; Importações CUODE; Reservas internacionais (total mensal); Dívida externa (padrão SDDS); Serviços (principais contas); Rendas (principais contas); Taxas de câmbio nominais R$/US$: spot e médias; Cotações spot de moedas selecionadas.

11 11 Dados envidados ao IBGE – BPM5 Serviços e Transferências Unilaterais Serviços: detalha receitas e despesas dos principais serviços, além de amplo detalhamento dos serviços de seguros e transportes, Transferências unilaterais: apresenta receitas e despesas, além de maiores países de origem das receitas de manutenção de residentes. Dados enviados trimestralmente Serviços e transferências: publicados mensalmente no Balanço de Pagamentos; Seguros: discriminados de acordo com as categorias do RMCCI – Regulamento do Mercado de Câmbio e Capitais Internacionais

12 12 Estatísticas fiscais do BCB Apuração da Dívida Líquida do Setor Público e das Necessidades de Financiamento do Setor público Manual GFSM 1986, do FMI; Critério de caixa para o superávit primário; Estatísticas oficiais para aferição das metas fiscais do País Fonte de dados: Contabilidade do sistema financeiro; Balanço de pagamentos; Sistemas de liquidação e custódia de títulos públicos Abrangência: Setor público não financeiro Governo Federal (inclusive previdência) Banco Central, Estados, Municípios Empresas estatais Periodicidade: mensal, defasagem máxima 30 dias

13 13 Estatísticas fiscais do BCB Indicadores regionais Forma de compilação: Dados do sistema financeiro x cadastro de entidades do setor público, elaborado pelo Banco Central Início: 2007 Periodicidade: trimestral, com defasagem de um trimestre Cobertura: Estados: 100% Municípios das capitais: 100% Demais municípios: responde por 85% do endividamento, exceto das capitais

14 14 GFSM 2001 Banco Central participa de GT coordenado pela STN para produção de estatísticas no padrão GFSM 2001; As ações do Banco Central compreendem a consolidação de indicadores patrimoniais mais abrangentes que os atuais, incorporando aos estoques da DLSP outros ativos e passivos, de forma a adequar aos critérios estabelecidos no novo manual ; Incorporação de estoques e abertura dos fluxos (transações x outros fluxos) Participações acionárias; Ajustes de ativos a preços mercado; Contas a pagar; Outros débitos não registrados no sistema financeiro; Provisões

15 15 GFSM Estágio atual/ações previstas Base de dados estruturada, com dados a partir de 2006 e resultados preliminares para o patrimônio financeiro líquido do Governo Central e Governo Geral; Pontos pendentes: Critérios de avaliação de ativos financeiros; Critérios de registro de operações específicas; Seleção dos principais indicadores patrimoniais e de resultado, segundo o escopo do GFSM 2001, passíveis de consolidação/acompanhamento; Critérios de consolidação setor público (financeiro e não financeiro);

16 16 OBRIGADO! José Henrique Dias de Carvalho Consultor Departamento Econômico


Carregar ppt "National Seminar on Developing a Programme for the Implementation of the 2008 SNA and Supporting Statistics in Brazil Rio de Janeiro, 16 de setembro de."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google