A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Palestrante: ELIENE LIMA - LN Professor do IFMT e de Cursinhos pré-vestibulares há mais de 30 anos Disputou e venceu 6 eleições. Hoje Deputado Federal.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Palestrante: ELIENE LIMA - LN Professor do IFMT e de Cursinhos pré-vestibulares há mais de 30 anos Disputou e venceu 6 eleições. Hoje Deputado Federal."— Transcrição da apresentação:

1 Palestrante: ELIENE LIMA - LN Professor do IFMT e de Cursinhos pré-vestibulares há mais de 30 anos Disputou e venceu 6 eleições. Hoje Deputado Federal de 2ª Legislatura Secretário Estadual de Ciência Tecnologia e Inovação

2 I ENCONTRO INTERDISCIPLINAR DA AJES JUINA-MT

3 ESSA CONQUISTA ENFRENTA BARREIRAS A PRINCIPAL É A BOA PREPARAÇÃO INTELECTUAL, O BOM NIVEL DE CONHECIMENTO A EDUCAÇÃO É VISTA COMO SONHO QUE CULMINA COM UM CURSO SUPERIOR. ESSE SONHO NÃO É O ESTUDAR PELO ESTUDO, PELO MERO CONHECIMENTO, MAS, EQUIVALE À CONQUISTA DE UMA PROFISSÃO, DE UMA PROFISSÃO NOBRE.

4 Assim muitos jovens desistem de seus sonhos FALTAM OPORTUNIDADES A MAIORIA DOS JOVENS QUE CONCLUEM O ENSINO MEDIO NÃO AS TEM SUCUMBEM DIANTE DA FORTE CONCORRENCIA DOS MAIS PREPARADOS A SUPERAÇÃO ESTÁ NA CONCENTRAÇÃO DE ESFORÇOS ESTÁ NO REFORÇO DOS ESTUDOS PARA INGRESSO NO CURSO SUPERIOR. MAS, AS OPORTUNIDADES PARA ESTA CONCENTRAÇÃO SÃO RARAS E CARAS, RARAS E CARAS.

5 NOSSO PAÍS TEM UMA IMPERIOSA NECESSIDADE DE APRIMORAR SUA EDUCAÇÃO, E SUA TECNOLOGIA

6 Senão vejamos... o Brasil não tem ocupado posição de destaque; Quando comparado a outros países fragilidades e deficiências em inúmeras áreas. Pelo contrario, apresenta

7 PISA Programa Internacional de Avaliação de Alunos AVALIAÇÃO INTERNACIONAL DA EDUCAÇÃO PISA/OCDE Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (PROGRAMME FOR INTERNATIONAL STUDENT ASSESSMENT –PISA)

8 nas áreas: Leitura Matemática Ciências, nos países da OCDE e parceiros. Em cada edição, o exame explora as três áreas, porém adota uma como foco, na qual se concentrarão dois terços das questões. O PISA compara o conhecimento e as habilidades dos estudantes de 15 anos de idade,

9 Assim, em 2000, o foco foi a leitura, em 2003, foi a matemática, em 2006, as ciências e, novamente, a leitura em A pontuação do ranking da área ou país obedece a uma contagem cujo teto é 800. É realizado a cada três anos.

10 PAÍSES OCDE COLOMBIA BRASIL ARGENTINA MÉXICO CHILE URUGUAI PANAMA PERU Fonte: Resultados Preliminares PISA-2009 – INEP Legenda: --- Não participou P I S A

11 Neste período, o Brasil teve o terceiro maior avanço entre todos os países, sendo superado apenas pelo Chile, que cresceu 37 pontos e por Luxemburgo, que cresceu 38 pontos. Na classificação geral, o Brasil está na 53ª posição. P I S A

12 Na média geral, o Brasil cresceu principalmente em matemática, passando de 334 pontos, em 2000, para 386 pontos em 2009; em ciências, passou de 375 para 405 e em leitura, de 396 para 412. P I S A

13 Fonte: Resultados Preliminares PISA INEP

14 todos com média superior à média nacional. Paraná, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul e Goiás, seguido por Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, o Distrito Federal aparece com as melhores notas, Na avaliação do PISA por unidades da Federação,

15 SE FALARMOS NO ESTADO DE MATO GROSSO,

16 TEMOS CONSCIENCIA DE NOSSO POTENCIAL, DE NOSSAS RIQUEZAS, ONDE CONQUISTAMOS A LIDERANÇA NA PRODUÇÃO E PRODUTIVIDADE DA SOJA, ALGODÃO E NO PLANTEL BOVINO. PORÉM NÃO RESISTEM A UMA COMPARAÇÃO COM MUITOS OUTROS ESTADOS DESTE PAÍS. NÃO PODEMOS SER BONS E FAMOSOS APENAS NO AGRONEGOCIO, URGE CRESCERMOS, APRIMORARMOS EM MUITOS ASPECTOS. O EDUCACIONAL, NOSSO FOCO PRINCIPAL, HOJE, PRECISA RESGATAR SEU ANTIGO PRESTIGIO COM INICIATIVAS CORAJOSAS, DE PESO QUE ALCANCEM TODO O ESTADO.

17 A ANALISE DOS DADOS ESTATISTICOS DO ENSINO FUNDAMENTAL E MEDIO PERMITE ALGUMAS CONCLUSÕES, A SABER:

18

19

20 A supressão do Ensino Pré-escolar faz com que o aluno já inicie seu ciclo básico em defasagem escolar. Assim, ao atingir 10 anos de idade deveria estar cursando o 5º ano de seus estudos, quando a média de MT é apenas 2,4 anos. Vejamos no conjunto: ANO: 2009 Anos de idade Anos Médios de Estudo Defasagem (%) RealEsperado 102,4548, ,7 249,61468,6

21 PELA LEI, A FAIXA ETÁRIA PARA INICIO E CONCLUSÃO DE CADA NIVEL DE ENSINO É: DE 6 A 14 ANOS - ENSINO FUNDAMENTALDE 15 A 17 ANOS - ENSINO MÉDIO 3º

22 Fonte: MEC/INEP/Deed

23 No Ensino Fundamental: 1 ALUNO A CADA 5, ESTÁ ATRASADO EM RELAÇÃO À IDADE; ISTO EQUIVALE A 105 MIL ALUNOS FRENTE 505 MIL MATRICULADOS EM Esta taxa de distorção irá se refletir no baixo rendimento do Ensino Médio.

24 Fonte: MEC/INEP/Deed

25 NO ENSINO MÉDIO: 3 ALUNOS A CADA 10 TAMBÉM ESTÃO EM DEFASAGEM IDADE-SÉRIE. A equivalência é de alunos com distorções idade- série frente a 150 mil matriculados em Aqui, o peso desta defasagem é altamente prejudicial à qualidade do ensino e, portanto, ao seu rendimento, quer pelo alto desnivelamento etário, como pela inserção de muitos ao mercado de trabalho.

26 Tendência daTaxa de Distorção Idade-Série, no Ensino Fundamental e Médio, MT Fonte: MEC/INEP/Deed

27 a) DE 2007 A 2009, O NÍVEL DAS APROVAÇÕES VARIOU POUCO, (DE 71,2% PARA 73,3%) NÃO ATINGINDO TRÊS QUARTOS DOS ALUNOS MATRICULADOS. DO RESTANTE, FICAM 10% DE REPROVADOS E QUASE UM QUINTO (18%) DE EVADIDOS DA ESCOLA, NA MÉDIA DOS 3 ANOS. 4º

28 Fonte: MEC/INEP/Deed

29 b) CERCA DA METADE DOS MATRICULADOS NAS SERIES INICIAIS (1º AO 5º ANO) DO ENSINO FUNDAMENTAL ESTÃO CURSANDO O ENSINO MEDIO:...Matrículas nas Séries Iniciais do E. Fund. = Matrícula nas Séries do Ensino Médio = c) APROXIMADAMENTE 60% DOS QUE TERMINAM O ENSINO FUNDAMENTAL, CHEGAM À CONCLUSÃO DO ENSINO MÉDIO

30 Nível de Ensino 2000/032001/042002/052003/062004/072005/082006/09 Fundamental [2006] Médio [2006]

31 Educação Brasileira

32 O mundo não deve ter fronteiras, mas horizontes. (André de Botton)

33 O Papel Central do Conhecimento na Economia Global do Século XXI Ciência Tecnologia Riqueza

34 Exemplos do impacto positivo da C,T&I no sucesso da economia do Brasil atual O Brasil + Prof. Richard H. Smith, chefe do Departamento de Aeronáutica do MIT

35 Embraer desde quando ainda estatal investiu fortemente em inovação e tornou-se um dos maiores fabricantes de aeronaves voltadas para nichos de mercado importantes O Brasil Exemplos do impacto positivo da C,T&I no sucesso da economia do Brasil atual

36 O Brasil + Grandes Escolas de Agronomia

37 DF Embrapa Sede 10 Centros Nacionais de Temas Básicos 14 Centros Nacionais de Produtos 14 Centros Ecorregionais de Pesquisa Agroflorestal ou Agropecuária 3 Serviços Especiais 16 Organizações Estaduais Brasil é Líder mundial em P&D em agropecuária tropical O Brasil Exemplos do impacto positivo da C,T&I no sucesso da economia do Brasil atual

38 Produção agropecuária Brasileira impulsionada por C,T&I Brasil tem 9% dos artigos científicos do mundo em agricultura trans-disciplinar ProdutoProdução mundial Açucar, Suco de laranja, Café1o1o Soja, Carne bovina, Frango2o2o Milho, Frutas3o3o O Brasil Exemplos do impacto positivo da C,T&I no sucesso da economia do Brasil atual

39 Prof.Urbano Ernesto Stumf do ITA inicia pesquisas nos anos 50 Proálcool (1975): bioetanol misturado a gasolina (25%) Motores Flex-fuel (gasolina, bioetanol or mix) introduzido em % dos carros vendidos hoje são flex-fuel Consumo de bio-etanol hoje já é maior que o de gasolina Bio-etanol de cana-de-açúcar para veículos O Brasil Exemplos do impacto positivo da C,T&I no sucesso da economia do Brasil atual

40 O GRANDE DESAFIO É TRANSFORMAR C,T & I COMO EIXO ESTRUTURANTE DO DESENVOLVIMENTO O GRANDE DESAFIO É TRANSFORMAR C,T & I COMO EIXO ESTRUTURANTE DO DESENVOLVIMENTO AVANÇAR EM DIREÇÃO À ECONOMIA DO CONHECIMENTO TRANSIÇÃO PARA A ECONOMIA DE BAIXO CARBONO E SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL

41 Na indústria de alta e média-alta intensidade tecnológica, cinco setores respondem por 80% do déficit comercial. Déficits Comerciais Concentrados em Cinco Setores Críticos Fonte: SCEX / MDIC

42 O saldo comercial dos bens de Tecnologia de Informação e Comunicação - TICs (US$ bilhões) Fonte: Funcex 42

43 EFEITOS DO INVESTIMENTO EM P&D (2010) Para importar uma tonelada de circuitos integrados (US$ ,43), o Brasil precisa exportar toneladas de minério de ferro (US$39,58/ton) ou toneladas de soja (US$ 487,36/ton) Fonte: Alice Web, MDIC, Brasil, Consulta em 10/02/2011. Ton/US$ FOB. Circuitos importados. Minério de Ferro e Grãos de Soja exportados.

44 Investimento em P&D (%PIB) PIB per capita (US$ PPP) 0,00 0,50 1,00 1,50 2,00 2,50 3,00 3,50 4, Coreia 1976 India China Coreia 1990 Coreia 2007 Brasil 2000 Brasil 2007 Rússia Argentina México Reino Unido Itália Espanha EUA Canada União Européia França Alemanha Japão Ano base: 2007 Países com > 30 M/hab Fonte: OCDE e MCT Política industrial articulada com C,T&I Exemplo da Coréia do Sul É possível um país sem tradição em C&T mudar seu padrão de desenvolvimento?

45 % P&D / PIBEm US$ Bilhões Estados Unidos (2008)2,79 398,2 Japão (2008)3,44148,7 China (2008)1,54 120,6 Alemanha (2009)2,82 84,0 BRASIL (2009)1,19 24,2 Fontes: Main Science and Technology Indicators (MSTI), , da Organisation for Economic Co-operation and Development (OECD); para o Brasil:

46 Inovação: Falta de Protagonismo das Empresas Fonte: Inovação: demanda comprometimento de longo prazo, recursos e disposição ao risco Dispêndio Público e Privado em P&D (% PIB) Empresas Governo 2010* estimativa

47 Número de concluintes de cursos de graduação, 2000 a 2009 Total e Engenharias e participação percentual das Engenharias Participação das Engenharias Engenharias 47

48 11,4 mil doutores titulados em ,8 mil mestres * titulados em 2009 Mestres e Doutores Titulados Anualmente 48

49 Baseado em dados do UNESCO Report,

50 Distribuição percentual dos doutores titulados no Brasil no período , empregados durante o ano de 2008, por seção da classificação nacional de atividades econômicas dos estabelecimentos empregadores CGEE, 2010

51 Participação percentual das áreas de formação no numero de doutores

52

53 Fonte: OECD Factbook 2010: Economic, Environmental and Social Statistics - ISBN © OECD 2010

54 Investir em EDUCAÇÃO: Formação de pessoal altamente qualificado nas competências e habilidades necessárias para o avanço da economia do conhecimento. Foco nos grandes desafios nacionais: Engenharias e demais áreas tecnológicas Áreas estratégicas: INOVAÇÃO/solução de problemas. Promoção da P&D&I empresarial.

55 Prof. João Pedro Valente Presidente (65)


Carregar ppt "Palestrante: ELIENE LIMA - LN Professor do IFMT e de Cursinhos pré-vestibulares há mais de 30 anos Disputou e venceu 6 eleições. Hoje Deputado Federal."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google