A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Amilcar Guerreiro Diretor de Estudos Econômicos e Energéticos Empresa de Pesquisa Energética - EPE Rio de Janeiro, RJ 17 de Setembro de 2008 Painel Planejamento.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Amilcar Guerreiro Diretor de Estudos Econômicos e Energéticos Empresa de Pesquisa Energética - EPE Rio de Janeiro, RJ 17 de Setembro de 2008 Painel Planejamento."— Transcrição da apresentação:

1 Amilcar Guerreiro Diretor de Estudos Econômicos e Energéticos Empresa de Pesquisa Energética - EPE Rio de Janeiro, RJ 17 de Setembro de 2008 Painel Planejamento e Operação do Sistema Elétrico Brasileiro Tópico Mudanças Estruturais no Mercado de Energia Elétrica Brasileiro

2 Mudanças Estruturais no Mercado de Energia Elétrica Brasileiro 2 AGENDA IMUDANÇAS ESTRUTURAIS EM CURSO IIIMPACTO NAS CONDIÇÕES DE ATENDIMENTO DO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL IIIRESUMO E CONCLUSÕES

3 Mudanças Estruturais no Mercado de Energia Elétrica Brasileiro 3 I.MUDANÇAS ESTRUTURAIS EM CURSO Economia e energia Autoprodução Energia de Reserva

4 Mudanças Estruturais no Mercado de Energia Elétrica Brasileiro 4 Elaboração EPE, com base em dados do FMI e da IEA Dados relativos ao ano de 2004 Canadá Argentina Brasil Chile França Alemanha Grécia Itália Portugal Espanha Reino Unido EUA US$ [2000]/hab kWh/hab Economia e energia maior desenvolvimento renda mais alta consumo mais alto Consumo de energia e PIB per capita

5 Mudanças Estruturais no Mercado de Energia Elétrica Brasileiro 5 Elaboração EPE, com base em dados do FMI e da IEA. Economia e energia Canada EUA Argentina Brasil Chile França Alemanha Grécia Itália Portugal Espanha Reino Unido Brasil ,000 0,100 0,200 0,300 0,400 0,500 0,600 0,700 0,800 0,900 1, US$ [2000]/hab kWh/US$ [2000] Canada EUA Argentina Brasil Chile França Alemanha Grécia Itália Portugal Espanha Reino Unido 0,000 0,100 0,200 0,300 0,400 0,500 0,600 0,700 0,800 0,900 1, US$ [2000]/hab kWh/US$ [2000] Intensidade elétrica e PIB per capita maior desenvolvimento maior produtividade intensidade elétrica mais baixa Elaboração EPE, com base em dados do FMI e da IEA Dados relativos ao ano de 2004

6 Mudanças Estruturais no Mercado de Energia Elétrica Brasileiro 6 1,0 Economia e energia Fonte: IEA Statistics, 2006 maior desenvolvimento maior produtividade elasticidade-renda 1 Elasticidade-renda do consumo de energia

7 Mudanças Estruturais no Mercado de Energia Elétrica Brasileiro 7 Economia e energia. Brasil Historicamente, a elasticidade-renda do consumo de energia no Brasil é elevada Elaboração: EPE, com base em dados próprios (BEN) e do IBGE (PIB) Elasticidade-renda do consumo de energia

8 Mudanças Estruturais no Mercado de Energia Elétrica Brasileiro 8 Economia e energia. Brasil Mas, a tendência é de elasticidade-renda decrescente linha de tendência Elaboração: EPE, com base em dados próprios (BEN) e do IBGE (PIB) Elasticidade-renda do consumo de energia

9 Mudanças Estruturais no Mercado de Energia Elétrica Brasileiro 9 Efeito atividade taxas de crescimento econômico mais elevadas Brasil. Economia e energia Mudanças estruturais Efeito estrutura maior crescimento de segmentos industriais de menor intensidade elétrica Efeito intensidade aumento da produtividade na margem, menor intensidade do uso da energia elétrica na economia aumento da eficiência energética na indústria

10 Mudanças Estruturais no Mercado de Energia Elétrica Brasileiro 10 taxas de crescimento econômico mais elevadas Efeito atividade PIB Curva de regressão ajustada aos dados históricos 1985/2004 (descartados os anos de crescimento econômico negativo e o ano do racionamento, 2001) = 1 Elasticidade-renda do consumo de energia ( ) vs. crescimento do PIB

11 Mudanças Estruturais no Mercado de Energia Elétrica Brasileiro 11 maior crescimento de segmentos industriais de menor intensidade elétrica Efeito estrutura Fonte: IBGE. Elaboração EPE Produção Física Brasil - Índices Especiais de Intensidade do Gasto com Energia Elétrica. Número índice (base: média de 2002 = 100) 111,4 118,9 128,0 Alta Intensidade (custo da energia elétrica >4% do valor da transformação) Exemplos: mineração, siderurgia, metalurgia (alumínio, ferroligas), cimento, vidro, papel e celulose, soda-cloro, petroquímica, etc. Média Intensidade (custo da energia elétrica entre 2 e 4% do valor da transformação) Exemplos: fabricação de bombas e motores, turbinas e rodas hidráulicas, ferramentas, produtos da borracha, latas de aço e alumínio, etc. Baixa Intensidade (custo da energia elétrica <2% do valor da transformação) Exemplos: refino, produção de gás natural, bens de capital (fornos industriais, guindastes, empilhadeiras, escavadeiras), produção de eletrodomésticos, etc.

12 Mudanças Estruturais no Mercado de Energia Elétrica Brasileiro 12 Efeito intensidade aumento da produtividade Evolução temporal da elasticidade-renda do consumo de energia Média móvel de 10 anos com base nos dados históricos 1985/2004 (descartados os anos de crescimento econômico negativo e o ano do racionamento, 2001)

13 Mudanças Estruturais no Mercado de Energia Elétrica Brasileiro 13 Efeito intensidade na margem, menor intensidade do uso da energia elétrica na economia Intensidade elétrica da economia (kWh/R$ 2006) 2007

14 Mudanças Estruturais no Mercado de Energia Elétrica Brasileiro 14 Efeito intensidade aumento da eficiência energética na indústria Consumo específico de eletricidade (kWh/t): número índice (base: 2003 = 100) Fonte: EPE, Balanço Energético Nacional (BEN) 98,0 92,9 88,6

15 Mudanças Estruturais no Mercado de Energia Elétrica Brasileiro 15 Economia e energia. Brasil A evolução recente confirma esta tendência e sugere que estejam em curso mudanças estruturais na economia brasileira Período Consumo de energia ,8% ao ano PIB ,5% ao ano Elasticidade-renda1,07

16 Mudanças Estruturais no Mercado de Energia Elétrica Brasileiro Indústria eletro-intensiva18,332,954,0 Outras indústrias17,130,948,3 TOTAL35,463,8102,3 Autoprodução Principais incrementos na autoprodução Indústria eletro-intensiva Siderurgia, 17 TWh Papel e celulose, 15 TWh Petroquímica, 4 TWh Outras indústrias Sucroalcooleiro, 10 TWh Projeção 2007/ ,9 TWh 11,2% ao ano 46 TWh Histórico % ao ano em TWh Crescimento

17 Mudanças Estruturais no Mercado de Energia Elétrica Brasileiro 17 Ano Consumo na rede do SIN AutoproduçãoTOTAL ,435,4404, ,963,8543, ,6102,3704,9 Crescimento (% a.a.) ,011,25,7 em TWh Observação: Considera as interligações Fonte: Projeções da Demanda de Energia Elétrica para o Plano Decenal de Energia 2008/2017 (Nota Técnica DEN 02/08, de maio de 2008, disponível na página da EPE na web) Projeção do consumo final Participação da autoprodução Autoprodução

18 Mudanças Estruturais no Mercado de Energia Elétrica Brasileiro 18 Sistema Interligado Nacional Estrutura do Mercado de Energia Elétrica Oferta Interna de Energia Elétrica Autoprodução clássica Centrais despachadas centralizadamente Importação OFERTA Consumo sem uso da Rede Requisitos do Sistema Elétrico na Rede Perdas e diferenças Consumo na Rede Consumo Final DEMANDA

19 Mudanças Estruturais no Mercado de Energia Elétrica Brasileiro 19 Sistema Interligado Nacional Estrutura do Mercado de Energia Elétrica Oferta Interna de Energia Elétrica Autoprodução clássica Centrais despachadas centralizadamente Importação OFERTA Consumo sem uso da Rede Requisitos do Sistema Elétrico na Rede Perdas e diferenças Consumo na Rede Consumo Final DEMANDA Energia de Reserva

20 Mudanças Estruturais no Mercado de Energia Elétrica Brasileiro 20 II.IMPACTO NAS CONDIÇÕES DE ATENDIMENTO DO SIN Menor crescimento da demanda Maior oferta no sistema

21 Mudanças Estruturais no Mercado de Energia Elétrica Brasileiro 21 CONSUMO TWh Previsto195,9 Realizado193,5 Dif. (*)- 1,2% (*) em relação à previsão CARGA MWmed Previsto Realizado Dif. (*)- 2,3% (*) em relação à previsão Evolução recente do mercado (2008) Consumo (Brasil: jan-jun) Carga (SIN: jan-jul) Fonte: COPAM; EPEFonte: ONS crescimento acumulado em 12 meses: 4,5%4,0%

22 Mudanças Estruturais no Mercado de Energia Elétrica Brasileiro 22 Revisão das projeções de demanda 2008influência de fatores conjunturais (temperatura mais baixa no 1º semestre) 2009crescimento econômico menor (crise norte-americana; risco de aumento da inflação; taxa de juros elevada em 2008) após 2010restabelecimento do cenário macroeconômico (crescimento de 5% ao ano) influência das mudanças estruturais MENOR CRESCIMENTO DA DEMANDA DE ENERGIA ELÉTRICA

23 Mudanças Estruturais no Mercado de Energia Elétrica Brasileiro 23 Referência Energia MWmédio Capac. Inst. MW Previsão anterior (2007) Previsão atual (2008) Diferença média em 5 anos Médias anuais Sistema Interligado Nacional Requisitos para expansão da oferta ( )

24 Mudanças Estruturais no Mercado de Energia Elétrica Brasileiro 24 Efeito da Energia de Reserva na Oferta (PMO jul 2008) MWmédios

25 Mudanças Estruturais no Mercado de Energia Elétrica Brasileiro 25 Efeito da Energia de Reserva na Armazenagem Ano Energia de Reserva MWmédios % EA max ,1% ,4% ,9% ,4%

26 Mudanças Estruturais no Mercado de Energia Elétrica Brasileiro 26 Sistema Interligado Balanço de garantia física BALANÇO

27 Mudanças Estruturais no Mercado de Energia Elétrica Brasileiro 27 BALANÇO Sistema Interligado Balanço de garantia física

28 Mudanças Estruturais no Mercado de Energia Elétrica Brasileiro 28 BALANÇO Sistema Interligado Balanço de garantia física

29 Mudanças Estruturais no Mercado de Energia Elétrica Brasileiro 29 BALANÇO Sistema Interligado Balanço de garantia física

30 Mudanças Estruturais no Mercado de Energia Elétrica Brasileiro 30 III.RESUMO E CONCLUSÕES

31 Mudanças Estruturais no Mercado de Energia Elétrica Brasileiro 31 Historicamente, a elasticidade-renda do consumo de energia elétrica no Brasil é elevada, mas a tendência é decrescente Comportamento recente da economia e do consumo de energia sugerem aceleração desta tendência e que estão em curso mudanças estruturais na economia brasileira As projeções da demanda para o plano decenal capturavam em parte esses fenômenos, mas as novas previsões reduzem ainda mais o crescimento da demanda de energia Resumo e conclusões

32 Mudanças Estruturais no Mercado de Energia Elétrica Brasileiro 32 Há tendência de forte aumento da autoprodução Com o 1º leilão de energia de reserva iniciou-se processo de efetiva melhoria das condições de atendimento em adição à expansão ordinária da oferta A expansão da oferta no sistema interligado deve prover anualmente, em média, nos próximos 5 anos, MWmédios (entre e MW), cerca de MW a menos que a projeção anterior O balanço de garantia física (estático) revela condição de equilíbrio entre oferta e demanda nos próximos anos Resumo e conclusões

33 Muito obrigado! Av. Rio Branco, 1 – 11 o andar Rio de Janeiro RJ Tel.: + 55 (21) Fax: + 55 (21)

34


Carregar ppt "Amilcar Guerreiro Diretor de Estudos Econômicos e Energéticos Empresa de Pesquisa Energética - EPE Rio de Janeiro, RJ 17 de Setembro de 2008 Painel Planejamento."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google