A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Ética, Virtude e Felicidade pág.96 – 107 SEED / ITINERANTE 2010 / DEB Nilson Rosa de Faria Cascavel, 10/06/2010.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Ética, Virtude e Felicidade pág.96 – 107 SEED / ITINERANTE 2010 / DEB Nilson Rosa de Faria Cascavel, 10/06/2010."— Transcrição da apresentação:

1 Ética, Virtude e Felicidade pág.96 – 107 SEED / ITINERANTE 2010 / DEB Nilson Rosa de Faria Cascavel, 10/06/2010

2 Quando nasceu o primogênito do Mestre, ele não se cansava de contemplar o bebê. – Que deseja que ele seja quando crescer? Alguém perguntou. – Escandalosamente feliz. Disse o Mestre.(Antoine de Mello)

3 ÉTICA A Virtude e ética em Aristóteles Amizade Liberdade Liberdade em Sartre

4 Definição Ética aberta e Ética fechada

5 Moral e a ética? Por tópicos: A moral tem um caráter: o Prático imediato o Restrito o Histórico o Relativo Por tópicos - A ética: o Reflexão filosófica sobre a moral o Procura justificar a moral o O seu objeto é o que guia a ação o O objetivo é guiar e orientar racionalmente a vida humana

6 A ética é o estudo dos fundamentos da ação humana. (...) para que possam atingir a excelência moral, ou seja, serem virtuosos, vivendo de forma virtuosa e conseguirem atingir a finalidade da vida humana: a felicidade. P.96,1

7 Porém, a busca pela felicidade passa por escolhas que devem ser guiadas pela razão. É por isso que Aristóteles (...) o equilíbrio nas escolhas diante das ações e emoções como critério para que o homem possa ser feliz. P.96,2

8 Um dos grandes problemas enfrentados pela ética é o da relação entre o sujeito e a norma. (...) norma implica no cerceamento da liberdade. P96,3

9 (...) a ética defende a existência dos valores morais e do sujeito que age a partir de valores, com consciência, responsabilidade e liberdade, no sentido da luta contra toda e qualquer forma de violência. P96,7

10 Ética, Virtude e Felicidade Quando nasceu o primogênito do Mestre, ele não se cansava de contemplar o bebê. – Que deseja que ele seja quando crescer? Alguém perguntou. – Escandalosamente feliz. Disse o Mestre.p.99 (Antoine de Mello)

11 O que é ser feliz? É possível ser feliz em nossa sociedade? Existe alguma relação entre a felicidade, a justiça e a bondade? P.99

12 Dizem que sou louco Por pensar assim Se sou muito louco Por eu ser feliz Mas louco é quem me diz! E não é feliz! Não é feliz...

13 Se eles são bonitos Eu sou Alain Delon Se eles são famosos sou Napoleão Mas louco é quem me diz! E não é feliz! Não é feliz...

14 Eu juro que é melhor Não ser um normal Se eu posso pensar Que Deus, sou eu..

15 Se eles têm três carros, eu posso voar. Se eles rezam muito, eu já estou no ar Mas louco é quem me diz E não é feliz, não é feliz

16 Eu juro que é melhor Não ser o normal Se eu posso pensar que Deus sou eu

17 Sim sou muito louco, não vou me curar Já não sou o único que encontrou a paz Mais louco é quem me diz E não é feliz Eu sou feliz

18 ÉTICA E FELICIDADE Pode-se afirmar que, para Aristóteles, a felicidade é o resultado do saber viver. Entendendo a ética como a arte de viver, o resultado desse viver será a felicidade(...). p.100,2.

19 ÉTICA E FELICIDADE A virtude, que segundo Aristóteles, é o que vai garantir ao homem a felicidade, é o hábito que torna o homem bom e lhe permite cumprir bem a sua tarefa, a virtude é racional, conforme e constante. (ARISTÓTELES, 2001). P.100,3.

20 POLIS E A FELICIDADE Em Atenas, no século IV a.C., o regime político era a democracia. E para o regime democrático uma figura fundamental é o cidadão. Porém, para os gregos atenienses, a cidadania estava reservada apenas aos nascidos em Atenas,... P.101,1

21 ... pois cada cidade possuía os seus deuses e era a religião e o culto aos deuses que determinavam a cidadania. Em Atenas eram cidadãos os homens atenienses livres a partir dos 18 anos. P.101,1

22 POLIS E A FELICIDADE Observe que as mulheres, os escravos e os estrangeiros não eram cidadãos. A eles estava reservado apenas o espaço do oikos, da casa e não o da pólis, da cidade. P.101,1

23 POLIS E A FELICIDADE (...) impossível conseguir a cidadania, pois assim como não é possível pertencer a duas Famílias também não o é a duas Religiões. P.101,2

24 Responda as questões a seguir. 1. Segundo Aristóteles, quais são os fundamentos da cidadania grega? 2. De que forma se justifica a cidadania em nossa sociedade? 3. O que mudou e o que permanece em relação à Antigüidade grega?p.101

25 COMO ATINGIR A FELICIDADE Pressupondo que a felicidade é a finalidade de nossa vida, Aristóteles preocupa-se em demonstrar que a vida humana possui em si uma finalidade, ou seja, uma função para a qual está dada. (...) a arte de viver, com o saber viver (...).p102,3

26 COMO ATINGIR A FELICIDADE [...] Devemos observar que cada uma das formas de excelência moral, além de proporcionar boas condições à coisa a que ela dá excelência, faz com que esta mesma coisa atue bem; por exemplo, a excelência dos olhos (...) (ARISTÓTELES, 2001, p. 41) p.103,1

27 COMO ATINGIR A FELICIDADE O termo excelência utilizado por Aristóteles é corriqueiramente entendido também por virtude. Há duas espécies de excelência: a intelectual e a moral. P.103,2,3,4

28 COMO ATINGIR A FELICIDADE Por que o desenvolvimento da excelência moral é tão importante para nós? (...) Pode-se dizer que a excelência moral é a capacidade que vamos desenvolver para lidar com nossas emoções e ações na relação direta com o prazer e o sofrimento. E disso resultará o bom uso que Faremos ou não do prazer e do sofrimento. P.103,5

29 COMO ATINGIR A FELICIDADE Mas o fato de a excelência estar relacionada ao domínio que fará do prazer e sofrimento implica que a excelência garantirá atingir o alvo do meio termo. P.103,7

30 COMO ATINGIR A FELICIDADE Isto nada mais seria que a nossa disposição em relação às coisas, ou melhor como sentimos, encaramos a realidade que nos cerca, com certo grau de intensidade e ou indiferença. P104,2

31 COMO ATINGIR A FELICIDADE Por exemplo, pode-se sentir medo, confiança, desejos, cólera, piedade, e de um modo geral prazer e sofrimento, demais ou muito pouco, e em ambos os casos isto não é bom;...

32 COMO ATINGIR A FELICIDADE...mas experimentar estes sentimentos no momento certo, em relação aos objetos certos e às pessoas certas, e de maneira certa, é o meio termo e o melhor, e isto é característico da excelência. (ARISTÓTELES, 2001, p ). P.104,2

33 FELICIDADE E VIRTUDE Ora: a excelência moral se relaciona com as emoções e as ações, nas quais o excesso é uma forma de erro, tanto quanto a falta, enquanto o meio termo é louvado como um acerto; (...) p.105,4

34 FELICIDADE E VIRTUDE Para os surrealistas as obras de arte são manifestações do subconsciente, sendo estas absurdas e ilógicas é o que bem ilustra a obra de Salvador Dali, Telefone lagosta. P.105,7

35 FELICIDADE E VIRTUDE Então, para o Surrealismo, a loucura não é um problema psíquico, mas sim a tentativa de viver além das aparências e exigências de padrões que nem sempre respeitam nossa liberdade. P.106,1

36 FELICIDADE E VIRTUDE Porém, uma pergunta que se pode fazer é: sei que para ser virtuoso devo buscar o meio termo, mas sabendo isso percebo que não é tão simples assim como parece. O que preciso fazer para isso? P.106,2

37 FELICIDADE E VIRTUDE A resposta está em que temos que escolher nossas ações (...). Além disso, Aristóteles ressalta que a mediania é relativa a nós, ou seja, o que é bom para mim pode não ser para o meu colega. (...). P.106,4

38 (...)como fazer para atingir o meio termo?(...)em Aristóteles no sentido de orientar os homens, (...), a atingirem a finalidade de suas vidas, que para Aristóteles é a felicidade.


Carregar ppt "Ética, Virtude e Felicidade pág.96 – 107 SEED / ITINERANTE 2010 / DEB Nilson Rosa de Faria Cascavel, 10/06/2010."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google