A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

TM175 Tópicos Especiais em Engenharia Mecânica IV: Ética Parte II – O Indivíduo nas Instituições.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "TM175 Tópicos Especiais em Engenharia Mecânica IV: Ética Parte II – O Indivíduo nas Instituições."— Transcrição da apresentação:

1 TM175 Tópicos Especiais em Engenharia Mecânica IV: Ética Parte II – O Indivíduo nas Instituições

2 QUALIDADE DE RELACIONAMENTO

3 Introdução Toda ação está motivada por alguma satisfação própria ou alheia Toda ação está motivada por alguma satisfação própria ou alheia A virtude da prudência inclina a tomar a melhor solução tendo em vista os princípios éticos A virtude da prudência inclina a tomar a melhor solução tendo em vista os princípios éticos

4 Introdução Ao decidir entre a satisfação própria ou alheia há a necessidade de um hábito prévio inerente: a virtude da justiça Ao decidir entre a satisfação própria ou alheia há a necessidade de um hábito prévio inerente: a virtude da justiça A quebra do equilíbrio entre o bem para si e o bem para o outro gera o relacionamento de má qualidade A quebra do equilíbrio entre o bem para si e o bem para o outro gera o relacionamento de má qualidade Da postura egoísta nasce a corrupção do relacionamento Da postura egoísta nasce a corrupção do relacionamento

5 A justiça nas relações Relações mútuas Obrigações morais De direito estrito Obrigações morais são aquelas das quais não se pode exigir retribuição Obrigações morais são aquelas das quais não se pode exigir retribuição –P.Ex.: as advindas do relacionamento entre pais ou professores De direito estrito são aquelas das quais se exige o que é devido De direito estrito são aquelas das quais se exige o que é devido

6 Direitos e deveres É salutar a exigência dos direitos quando se equilibram com os deveres É salutar a exigência dos direitos quando se equilibram com os deveres Os conflitos nascem quando se inclina excessivamente a balança para o lado dos direitos próprios Os conflitos nascem quando se inclina excessivamente a balança para o lado dos direitos próprios B tem o seu direito a X Foco no direito A deve dar o X devido a B Foco no dever A deve X para B

7 O individualismo Preocupação excessiva consigo em detrimento da comunidade Preocupação excessiva consigo em detrimento da comunidade Diante do conflito de interesses pessoal e comunitário interpõe o próprio Diante do conflito de interesses pessoal e comunitário interpõe o próprio Defesa dos direitos alheios quando não há custo pessoal Defesa dos direitos alheios quando não há custo pessoal Nunca observa o direito do próximo se isto implica um dever pessoal Nunca observa o direito do próximo se isto implica um dever pessoal Falta respeito aos demais e espírito de serviço Falta respeito aos demais e espírito de serviço O seus vínculos com os demais baseiam-se em interesses comuns O seus vínculos com os demais baseiam-se em interesses comuns

8 Mediocridade no relacionamento Acomodar-se para evitar o conflito Acomodar-se para evitar o conflito Não tem nada de mau, não estou prejudicando ninguém Não tem nada de mau, não estou prejudicando ninguém Não mato, não roubo, etc. Não mato, não roubo, etc.

9 Abertura ao outro A disponibilidade para os outros e o diálogo na busca da melhor solução se apóia na preocupação pelo bem do outro A disponibilidade para os outros e o diálogo na busca da melhor solução se apóia na preocupação pelo bem do outro

10 Conseqüências da atitude sobre o ambiente de trabalho IrresponsabilidadePassividadeDesperdícioAter-se ao estrito da sua funçãoTensão Individualismo Personalismo ResponsabilidadeIniciativaOrdemPazSatisfação compartilhada

11 Personalismo Visão do homem como ser individual, pessoal e social Visão do homem como ser individual, pessoal e social Dignidade do homem como pessoa Dignidade do homem como pessoa Apóia-se em valores transcendentes e duradouros Apóia-se em valores transcendentes e duradouros Respeito à liberdade pessoal Respeito à liberdade pessoal Consciência da responsabilidade pessoal Consciência da responsabilidade pessoal O cumprimento dos deveres para com o outro como meio de desenvolvimento pessoal e de auto-realização O cumprimento dos deveres para com o outro como meio de desenvolvimento pessoal e de auto-realização Fundamenta-se na consciência de que a realização plena do homem passa pelo outro Fundamenta-se na consciência de que a realização plena do homem passa pelo outro

12 Personalismo A consideração pelo outro causa o respeito por ele e, conseqüentemente, leva a dar-lhe o que lhe é devido A consideração pelo outro causa o respeito por ele e, conseqüentemente, leva a dar-lhe o que lhe é devido A medida da dignidade da pessoa está no que ela é, e não no que ela tem A medida da dignidade da pessoa está no que ela é, e não no que ela tem A grandeza da pessoa está no seu agir, não no que faz A grandeza da pessoa está no seu agir, não no que faz O critério econômico não pode ser o único no processo decisório, porque antes deve-se dar prioridade à pessoa O critério econômico não pode ser o único no processo decisório, porque antes deve-se dar prioridade à pessoa

13 O relacionamento e o trabalho O trabalho não pode ser visto como simples recurso, mercadoria ou instrumento utilitarista O trabalho não pode ser visto como simples recurso, mercadoria ou instrumento utilitarista O trabalho é encarado como serviço ao outro e, por isso, meio para que a pessoa cresça em plenitude e auto- realização O trabalho é encarado como serviço ao outro e, por isso, meio para que a pessoa cresça em plenitude e auto- realização Os binômios ganhar- perder e mandar-servir dão lugar ao servir- servir Os binômios ganhar- perder e mandar-servir dão lugar ao servir- servir

14 Superação do jogo de soma zero A qualidade no relacionamento supera a concepção do ganha- perde e alcança a do ganha- ganha A qualidade no relacionamento supera a concepção do ganha- perde e alcança a do ganha- ganha O que a empresa ganha em qualidade no fazer e no agir é reflexo da qualidade do fazer e do agir de cada pessoa, e vice-versa O que a empresa ganha em qualidade no fazer e no agir é reflexo da qualidade do fazer e do agir de cada pessoa, e vice-versa Aponta para a superação do conflito, dando lugar a esforços coordenados numa mesma direção Aponta para a superação do conflito, dando lugar a esforços coordenados numa mesma direção Efeito sinergético em que a soma da contribuição de cada indivíduo considerado isoladamente é menor que a considerada em conjunto Efeito sinergético em que a soma da contribuição de cada indivíduo considerado isoladamente é menor que a considerada em conjunto FuncionárioEmpresa SalárioAlimentação Transporte e saúde TrabalhoProduçãoAssiduidade

15 A Virtude da Justiça Hábito adquirido pelo exercício de dar a cada um o que lhe é devido Hábito adquirido pelo exercício de dar a cada um o que lhe é devido Âmbitos de relacionamento Âmbitos de relacionamento –De cada um com cada um –De cada um com o todo –Do todo com cada um Mais que não ser injusto (negativo), trata-se de ser justo (positivo) Mais que não ser injusto (negativo), trata-se de ser justo (positivo) A solidariedade não está na linha do devido A solidariedade não está na linha do devido

16 Virtude anexa: a veracidade Integridade, caráter, franqueza Integridade, caráter, franqueza Proporciona credibilidade Proporciona credibilidade Reflete-se no fazer: conformidade entre o resultado e a capacidade Reflete-se no fazer: conformidade entre o resultado e a capacidade … e no agir: conformidade entre o tratado e o fornecido … e no agir: conformidade entre o tratado e o fornecido

17 Virtude anexa: a lealdade Cumprir o prometido Cumprir o prometido Agir com franqueza Agir com franqueza Proporciona confiança ao relacionamento Proporciona confiança ao relacionamento

18 Virtude anexa: a compreensão Colocar-se ao lado do outro Colocar-se ao lado do outro Procurar entendê-lo Procurar entendê-lo Buscar as suas razões Buscar as suas razões Deixar a órbita do eu Deixar a órbita do eu Está na linha do ganhar-ganhar Está na linha do ganhar-ganhar

19 Aquisição da virtude Exercício Exercício Exame Exame –Antecedente –Concomitante –Conseqüente


Carregar ppt "TM175 Tópicos Especiais em Engenharia Mecânica IV: Ética Parte II – O Indivíduo nas Instituições."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google