A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O cristão e o enfrentamento das vicissitudes da vida Palestra para UNIESTE – Jardim das Esmeraldas Profª Maridulce Ferreira Lustosa.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O cristão e o enfrentamento das vicissitudes da vida Palestra para UNIESTE – Jardim das Esmeraldas Profª Maridulce Ferreira Lustosa."— Transcrição da apresentação:

1 O cristão e o enfrentamento das vicissitudes da vida Palestra para UNIESTE – Jardim das Esmeraldas Profª Maridulce Ferreira Lustosa

2 Introdução: Enquanto estamos no mundo, estamos sujeitos aos seus percalços. Quais são os principais deles e como enfrentá-los é fundamental! Para tanto, precisamos apreciar nossa estrutura emocional. 1. Frustração 2. Depressão 3. Desespero 4. perseguições 5. Perdas

3

4 Frustração O fato de um instinto não poder ser satisfeito. A proibição é o regulamento pelo qual essa frustração é estabelecida, como privação. As reivindicações, desejos instintuais que nascem com cada criança e que são naturalmente castrados pela atuação do superego (coerção externa) que atua gradativamente como um agente mental através da cultura que forma o indivíduo moral e socialmente.

5 Depressão: Pv. 18:01 A palavra depressão provém do termo latim depressus, que significa abatido ou aterrado. Trata-se de um distúrbio emocional podendo traduzir-se num estado de abatimento e infelicidade, o qual pode ser transitório ou permanente. Para a medicina e a psicologia, a depressão é uma síndrome ou um conjunto de sintomas que afetam principalmente a área afetiva/emocional de uma pessoa. Posto isto, a tristeza patológica, o estado de fraqueza, a irritabilidade e as alterações de humor podem causar uma diminuição no rendimento profissional ou uma limitação na respectiva vida social.

6 Embora possa ser ocasionada por múltiplos fatores, a depressão costuma surgir com sinais de stress e certos sentimentos (uma desilusão amorosa, a vivência de um acidente ou de uma tragédia, etc.). Uma elaboração inadequada do luto pela morte de um ente querido ou o consumo de determinadas substâncias (como o álcool ou outras substâncias tóxicas) também podem resultar em depressão.sentimentos

7 Desespero É consequência de uma discordância interna do sujeito e sua relação consigo mesmo diante do real. Kierkegaard analisa a liberdade humana a partir da angústia e do desespero que fazem parte da vida do homem cristão. Para Kierkegaard a única forma de superarmos o desespero é entrar em contato com quem criou a nossa essência, o que só poderia ser possível para o cristão, que é o único tipo de homem que conhece o verdadeiro criador. Essa é fórmula que descreve o estado do eu, quando deste se extirpa completamente o desespero: Orientando-se para si mesmo, querendo ser ele mesmo, o eu mergulha, através da sua própria transparência até o poder que o criou. A passagem do possível ao real é um progresso em ascensão.

8 angústia é a forte sensação psicológica, caracterizada por "abafamento", insegurança, falta de humor, ressentimento e dor. Na moderna psiquiatria é considerada uma doença que pode produzir problemas psicossomáticos. A angústia é também uma emoção que precede algo (um acontecimento, uma ocasião, circunstância), também pode-se chegar a angústia através de lembranças traumáticas que dilaceraram ou fragmentaram o ego. Angústia pode provocar percepção redobrada e casos de ansiedade. A angústia exerce função crucial na simbolização de perigos reais (situação, circunstância) e imaginários (consequências temidas).

9 No tocante à análise do problema da angústia, Arthur Schopenhauer nos apresenta em sua filosofia uma visão extremamente pessimista da vida: para ele, viver é necessariamente sofrer. Por mais que se tente conferir algum sentido à vida, na verdade, ela não possui sentido ou finalidade alguma. A própria vontade é um mal. Nós queremos vencer, desejamos vencer. Mas a vontade gera a angústia e a dor e, os mais tenros momentos de prazer, por mais profícuos que possam vir a ser, são apenas intervalos frente à infelicidade. É com base em Schopenhauer que um outro pensador alemão, Friedrich Wilhelm Nietzsche, concluiu que, dentre todos os povos da Antiguidade, os gregos foram os que apresentaram maior sensibilidade para compreender o sofrimento e a tragicidade da existência humana, como que permeada pela dor, solidão e morte. No entanto, os mesmos gregos criaram uma sociedade baseada no princípio do equilíbrio: nada em demasia como forma de combater todos os nossos instintos e paixões. A arte é concebida, nesta concepção da vida, como catarse. Assim surgiram as tragédias gregas que, enquanto arte da representação e da aparência, nos colocam ainda hoje em contato com toda a tragicidade e angústia de nossa existência. Segundo Nietzsche é preciso ter consciência de que a vida é sim uma tragédia, para que possamos desviar um instante os olhos da nossa própria indigência, desse nosso horizonte limitado, colocando mais alegria em nossas vidas. A arte tem essa função. Jean-Paul Sartre, filósofo francês contemporâneo, representante maior da corrente existencialista, defendeu que a angústia surge no exato momento em que o homem percebe a sua condenação irrevogável à liberdade, isto é, o homem está condenado a ser livre, posto que sempre haverá uma opção de escolha: mesmo diante de A, pode optar por escolher não-A. Ao perceber tal condenação, ele se sente angustiado em saber que é senhor de seu destino.

10 Psicanálise Sigmund Freud, pai da Psicanálise, realizou estudos sobre o problema da angústia. Ele afirmou que vivemos um profundo mal-estar provocado pelo avanço do capitalismo. Neste ínterim, se faz mister observar o quão suscetível o Ocidente está às doenças próprias desse sistema econômico, tais como a esquizofrenia.

11 Contudo, a mais eminente colaboração da Psicanálise para essa temática pode ser percebida na sua análise do aparelho psíquico: um conflito interno entre três instâncias psíquicas fundamentais ao equilíbrio do ser: as vontades (Id) vivem em constante atrito com o instinto repressor (Superego). O balanço entre as vontades e as repressões tem que ser buscado pelo Ego, a consciência. vontadesIdSuperegoEgoconsciência

12 É o Ego que analisa a possibilidade real de por em prática uma ação desejada pelo Id. Não obstante, controla o excessivo rigor imposto pelo Superego. A esse conflito entre o Id e o Superego, Freud denominou angústia.

13 Cabe ao Ego, portanto, a busca de um equilíbrio entre estas partes do psíquico e, não obstante, entre o sujeito e o todo social." "Pessoas que apresentam o quadro de angústia sem acompanhamento profissional, desenvolvem outros distúrbios emocionais, tais como cansaço físico-mental, abaixamento da auto- estima e comportamentos inadequados".auto- estima

14 A igreja de Deus tem sobre si a responsabilidade de ter atitude positiva diante do desagradável – moldar nosso EU. Para tanto, sugerimos: 1.Racionalizar as nossas ações diante dos nossos sentimentos. Ex. dos discípulos – Mt. 14:15. Considerar circunstâncias... 2.Disposição para agir com otimismo independente das situações. 3.Fé – requer disciplina do cérebro 4.Sabedoria – Pv. 8:01 5.Comunicação: A interação que se dá via a comunicação é que produz o crescimento da relação porque dá a luz a maturidade.

15

16

17

18

19

20 A forma como eu me vejo nutre o meu EU, ou quem sou externamente!

21 Durante anos procuramos encontrar alguém que nos compreenda, alguém que nos aceite como somos, capazes de nos oferecer a felicidade, apesar das duras provas. Apenas ontem descobri que esse mágico alguém é o rosto que vemos no espelho. Ao amanhecer, todas as confusões de ontem são coisas do passado. Hoje inicia-se um novo dia, um dia que nunca existiu" Richard Bach

22 Sentimentos... Com crescer com cada um! Cotidianamente nos encontramos com estes diversos sentimentos como resultados de situações externas a nós e extremas. Alguns até sem entedermos o porquê, portanto, aprendermos a reconhecê-los e aprendermos a dominarmos é a primeira característica da maturidade!

23 Conceito de maturidade: Qualidade de estar maduro. Não cai do céu, não é apenas, favorecimento de quem já viveu mais experiências. Tem a ver com formação. A vida é um aprendizado! Com as diferenças dos outros desenvolvemos nossa inteligência emocional a cada dia!!

24 As cinco linguagens do amor!

25 Mas (apesar de...) em todas estas coisas (vicissitudes da vida) somos mais que vencedores, por aquele que nos amou. (Romanos 8.37), desgostos, doenças, misérias, aflição, adversidades, torturas do corpo ou da alma, mágoas e luto. Nada é doença mortal aos olhos do cristão. (Kierkegaard:2002).

26 Cântico Deus é poderoso O nosso Deus é poderoso pra fazer Infinitamente mais do que tudo Do que tudo o que pedimos Do que tudo que pensamos Do que tudo que sonhamos e esperamos O nosso Deus é poderoso pra mudar Situações que nos afligem todo dia Ele faz o impossível Ressuscita até os mortos Não há nada que o possa derrotar Lance sua rede ao mar Creia na palavra de Deus Sinais e maravilhas ele hoje vai fazer Lance sua rede ao mar Creia na palavra de Deus Tudo é possível ao que crê

27 Que esta seja nossa reflexão!


Carregar ppt "O cristão e o enfrentamento das vicissitudes da vida Palestra para UNIESTE – Jardim das Esmeraldas Profª Maridulce Ferreira Lustosa."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google