A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Projeto para criação de codorna de corte COTUNICULTURA ANA PAULA VILLWOCK DEVAIR ROSIN MARINA SCARSI MICHELI PEGORARO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Projeto para criação de codorna de corte COTUNICULTURA ANA PAULA VILLWOCK DEVAIR ROSIN MARINA SCARSI MICHELI PEGORARO."— Transcrição da apresentação:

1 Projeto para criação de codorna de corte COTUNICULTURA ANA PAULA VILLWOCK DEVAIR ROSIN MARINA SCARSI MICHELI PEGORARO

2 Introdução Criação de codornas tem apresentado um desenvolvimento expressivo Principais fatores que contribuem: – Grande produtividade e rentabilidade – Rápido crescimento das aves – Alta taxa de postura – Baixo consumo de ração – Elevada rusticidade – Baixo custo para implantar uma pequena criação Fonte de renda complementar dos pequenos produtores rurais

3 COTUNICULTURA Coturnix coturnix japônica Codorna doméstica ou japonesa

4 COTUNICULTURA Codornas japonesas atingem entre 115 a 180 gramas, quando adultas Crescem e se reproduzem em dias Com 5 ou 6 semanas estão prontas para abate

5 COTUNICULTURA Precisam de pouco espaço – Na área ocupada por uma só galinha podem ser criadas 42 codornas – Em um galpão de 30 m de comprimento e 5 m de largura, cabem até dez mil codornas (Costa, 2005)

6 COTUNICULTURA Cinco princípios para a criação de codornas – Higiene – Água sempre limpa e fresca – Alimentação correta – Manejo apropriado – Boa instalação Local seco, alto e sem correntes e vento

7 Criação Criação Doméstica Criação Comercial – Em grande escala – Objetivo do criador será a comercialização do produto final Produto processado – Carne

8 LOCALIZAÇÃO E ESTRUTURA Escolha da localização – Facilidade de abastecer a granja com os insumos necessários – Escoamento da produção – Facilidade de acesso aos consumidores Estrutura Ser construída em função das exigências ambientais das aves, proporcionado ótima condição de conforto

9 INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS Galpões fechados – Alto custo – Não podem ser muito grandes e largos Dificultam a circulação do ar – Recomenda-se várias janelas Galpões abertos (laterais) – Controlar a temperatura durante o inverno – Exige telas Laterais evitar fugas e ataque de predadores

10 INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS

11 Telhado – Influência na temperatura interna do galpão Telhas de cimento amianto – Custo baixo – Maior temperatura interna

12 INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS Pisos – Chão batido – Optar por terrenos bem drenados ou se necessário providenciar sistema de drenagem – Construir o piso a pelo menos 20 cm acima do chão adjacente, com caimento de 2% do centro para o sentido das laterais da instalação Maravalha

13 INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS Cortinas – Lona – Parte inferior da cortina é fixada na mureta lateral e a parte superior é sustentada por cordas e roldanas, de maneira a oferecer condições de regulagem quanto à altura Controlando o ambiente dentro do galpão, conforme as exigências de conforto térmico em relação a fase do desenvolvimento das aves

14 INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS Pedilúvio – No interior do aviário, junto à porta, um espaço de cerca de 1 m² onde será disponibilizado o pédilúvio

15 INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS Caixa dágua – Instalada em local sombreado e protegido

16 INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS Bebedouros – Tipo copo-de-pressão, na proporção: 1:200 aves até 14 dias de idade 1:100 aves após esta data Comedouros tipo bandeja – Comportam 200 a 250 aves até 14 dias de idade Comedouros pendulares infantis – 100 aves/comedouro

17 PROJETO DA INSTALAÇÃO Aviário com área de 50 m²

18 Vista Frontal

19 Vista Lateral

20 Corte Cobertura

21 Planta Baixa

22 Estimativa de material necessário para construção do aviário

23

24 SISTEMA DE CRIAÇÃO Três tipos – Criação sobre camas – Criação em gaiolas no sistema de baterias – Criação em gaiolas no sistema escada

25 SISTEMAS DE CRIAÇÃO Criação sobre camas – Menor tecnologia – Criar as aves sobre um material absorvente » Maravalha

26 O MANEJO O manejo das codornas divide-se em – Manejo de Reprodução – Manejo do Pintinho – Manejo da Recria – Manejo de Postura – Manejo dos Ovos

27 Manejo Tabela 1. Variação semanal da densidade para codornas de 1 a 36 dias de idade criadas em piso ou gaiolas. Fonte: ALBINO E NEME (1998). SemanasDensidade (aves/m²) 1° semana 200 2° semana 150 3° semana 100 4° semana

28 Manejo Campânula de aquecimento – Controle da T°C poderá ser feito por termômetros ou pelo comportamento das aves Com o crescimento das codornas, deve-se ampliar o círculo de proteção, propiciando um adequado espaço às mesmas, sem ocorrer disputa por comida, água e espaço

29 Circulo de proteção - Comportamento das aves Pintinho com Frio Amontoados Pintinho com Frio Amontoados Pintinho com calor Afastados da fonte Correntes de ar Pintinho agrupados Ideal - Situação de conforto Pintinhos distribuídos uniformemente em torno do circulo Ideal - Situação de conforto Pintinhos distribuídos uniformemente em torno do circulo

30 Fichas de controle Controle de mortalidade e chegada e saída de Aves

31 COMERCIALIZAÇÃO Produto processado - carnes

32 Legislação Legislação Específica para a abertura do empreendimento: Registro na Junta Comercial; Registro na Secretária da Receita Federal; Registro na Secretária da Fazenda; Registro na Prefeitura do Município; Registro no INSS;(Somente quando não tem o CNPJ – Pessoa autônoma – Receita Federal) Registro no Sindicato Patronal Procurar a prefeitura da cidade para obter informações quanto às instalações físicas da empresa (com relação a localização), e também o Alvará de Funcionamento.

33 Registro e Comercialização Registro Especial - Registro no S.I.F. (Serviço de Inspeção Federal) – Exigência feita para que o criador possa colocar seu produto no mercado – Registro como produtor rural Na comercialização do produto processado (carne ou pratos prontos), o empresário deverá informar-se a respeito dos registros necessários para sua legalização – Nível Municipal – Nível Estadual – Nível Nacional

34 Custos Fonte: Telmo Souza

35 12. REFERENCIAS OLIVEIRA, B. L. Manejo em granjas automatizadas de codornas de postura comercial. In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE COTURNICULTURA, 3., 2007, Lavras. Anais... Lavras: Universidade Federal de Lavras, p. ALBINO, L.F.T., & NEME, R. Codornas: Manual prático de criação. Viçosa, MG: Aprenda Fácil, 1998, 56 p. : il. SOUZA, T. Como iniciar sua criação de codornas Disponível em:. Acesso em: 01 de dezembro de COSTA, F. Codorna: pequenas e lucrativas. Revista Rural 90 - agosto Disponível em:. Acesso em: 01 de dezembro de 2011.

36 Obrigado (a) !!!


Carregar ppt "Projeto para criação de codorna de corte COTUNICULTURA ANA PAULA VILLWOCK DEVAIR ROSIN MARINA SCARSI MICHELI PEGORARO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google