A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

8º Seminário 06 de Novembro de 2008 GFAA Calibração do Método PIXE para Análise de Amostras Espessas Fernando R. Aguirre, Manfredo H. Tabacniks.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "8º Seminário 06 de Novembro de 2008 GFAA Calibração do Método PIXE para Análise de Amostras Espessas Fernando R. Aguirre, Manfredo H. Tabacniks."— Transcrição da apresentação:

1 8º Seminário 06 de Novembro de 2008 GFAA Calibração do Método PIXE para Análise de Amostras Espessas Fernando R. Aguirre, Manfredo H. Tabacniks

2 8º Seminário 06 de Novembro de 2008 GFAA O que é uma amostra espessa? É simplesmente uma amostra em que o feixe não consegue atravessar Por exemplo um feixe de H + com 2.4 Mev de energia não conseguirá atravessar uma amostra de Ferro se ela tiver mais do que 30μm de espessura. Introdução – Formulação – Resultados Parciais – Próximos Passos

3 8º Seminário 06 de Novembro de 2008 GFAA O Método PIXE (Particle Induced X-ray Emission) Introdução – Formulação – Resultados Parciais – Próximos Passos

4 8º Seminário 06 de Novembro de 2008 GFAA Formulação do Método PIXE Introdução – Formulação – Resultados Parciais – Próximos Passos Fator de Resposta Alvo Fino r i Carga MedidaEspessura em μg/cm² Número de Contagens

5 8º Seminário 06 de Novembro de 2008 GFAA Introdução – Formulação – Resultados Parciais – Próximos Passos Para Alvo Espesso: Temos que ter um Fator de Resposta de Alvo Grosso R i que deve ser igual à: Formulação do Método PIXE

6 8º Seminário 06 de Novembro de 2008 GFAA Introdução – Formulação – Resultados Parciais – Próximos Passos Formulação do Método PIXE Concentração em PPM

7 8º Seminário 06 de Novembro de 2008 GFAA Amostras feitas por laminação 9.484(39)Chumbo (48)Chumbo 16.64(11)Estanho 8.204(53)Estanho 7.577(41)Cádmio (61)Cádmio 3.394(18)Cobre (53)Cobre Espessura(μm)Elemento Amostras Semi-espessas Introdução – Formulação – Resultados Parciais – Próximos Passos

8 8º Seminário 06 de Novembro de 2008 GFAA Introdução – Formulação – Resultados Parciais – Próximos Passos Software Primeiramente um pouco sobre a Geometria Utilizada na câmera PIXE no LAMFI α=45º θ Copo de Faraday Detector de Baixa Energia θ=75º Detector de Alta Energia θ=225º

9 8º Seminário 06 de Novembro de 2008 GFAA Introdução – Formulação – Resultados Parciais – Próximos Passos Software Problema: Em alvos semi-espessos, o detector de Alta registra muitas contagens, em alguns casos, até mais do que o detector de Baixa, como fazer estes cálculos se o CLARA não foi projetado para isso? Solução: Escrever um programa que faça esta conta:

10 8º Seminário 06 de Novembro de 2008 GFAA Introdução – Formulação – Resultados Parciais – Próximos Passos Software

11 8º Seminário 06 de Novembro de 2008 GFAA Resultados Parciais Introdução – Formulação – Resultados Parciais – Próximos Passos

12 8º Seminário 06 de Novembro de 2008 GFAA Próximos Passos Estudar amostras que tenham energias de emissão próximas as do Chumbo Estudar elementos próximos ao Cobre como o Níquel ou Ferro. Introduzir refinamentos no cálculo do fator de correção do NovoClara, como por exemplo considerar o diâmetro do feixe. Criar uma interface gráfica para o programa. Introdução – Formulação – Resultados Parciais – Próximos Passos

13 8º Seminário 06 de Novembro de 2008 GFAA Obrigado!


Carregar ppt "8º Seminário 06 de Novembro de 2008 GFAA Calibração do Método PIXE para Análise de Amostras Espessas Fernando R. Aguirre, Manfredo H. Tabacniks."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google