A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Sexo e Sexualidade. Há diferença? Vida sexual é a forma como a gente exerce a sexualidade na nossa vida particular. Sexualidade é a parte biológico-psico-

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Sexo e Sexualidade. Há diferença? Vida sexual é a forma como a gente exerce a sexualidade na nossa vida particular. Sexualidade é a parte biológico-psico-"— Transcrição da apresentação:

1 Sexo e Sexualidade

2 Há diferença? Vida sexual é a forma como a gente exerce a sexualidade na nossa vida particular. Sexualidade é a parte biológico-psico- social do organismo: a integração entre corpo, mente e parte social de cada um. Conformação particular que distingue o macho da fêmea, nos animais e nos vegetais, atribuindo-lhes um papel determinado na geração e conferindo-lhes certas características distintivas.

3 Atributo do ser humano - Reprodutiva Sexo Função

4 Função Reprodutiva O ser humano só faz sexo porque este é o seu meio de reprodução. É no ato sexual que os espermatozóides têm acesso ao óvulo. Fazer sexo é uma atividade essencial, como dormir ou comer. O sexo é vital para a manutenção da espécie humana.

5 Atributo do ser humano Sexo Função - Reprodutiva - Sexual (divertimento/prazer)

6 Função sexual Nos primórdios da humanidade, a natureza fez o estímulo sexual – O Cio – irresistível e o sexo uma atividade muito prazerosa para garantir a procriação. Uma vez sentido o estímulo sexual, a concentração do macho se fixa no sexo. Era muito difícil se conter. Ao longo do tempo, o cio foi substituído pelo erotismo/romantismo.

7 Atributo do ser humano Sexo - Reprodutiva - Sexual (divertimento/prazer) - Relacional (cio erótico) Função

8 O sexo feito conforme a natureza manda. Mecanismo fisiológico da reprodução. Estímulo sexual – Cio. Então, o sexo foi aculturado: passou a ser feito conforme símbolos e rituais. Não necessariamente durante o período fértil – valores e sentimentos. Estímulo sexual – erotismo/romantismo. A atração sexual se dá em função do relacionamento estabelecido. Sexual – tesão Afetivo – amor Afetivo e Sexual Função relacional

9 Erótico

10 Romantismo

11 Processo de sociabilização Capacidade psico-emocional Potencial biológico Atributo do ser humano Sexo - Reprodutiva - Sexual (divertimento/prazer) - Relacional (cioerótico) Função

12 Dinâmica da sexualidade Valores Mitos Expectativas Cultura e normas sociais Mecanismo biológico e fisiológico Estruturas mentais Capacidade cognitiva adaptativa

13 Cognitiva Adaptativa Aprendizagem Códigos de comportamento Motivação para a prevenção Comportamento Sexual Motivar-se para fazer sexo seguro

14 Sexualidade na adolescência

15 Início das mudanças do corpo Entre anos. Órgão responsáveis Hipófise. Testículo. Ovário. Hormônios sexuais Testosterona. Estrogênio. Progesterona. Principal preocupação dos jovens Normalidade do desenvolvimento. Puberdade

16 Características sexuais secundárias

17 Garotas Aumento dos seios. Estirão. Alteração da voz. Pêlos pubianos. Acne. Contorno do corpo. Menstruação. Garotos Aumento do pênis e testículos. Estirão. Alteração da voz. Pêlos pubianos. Acne. Barba e bigode. Polução noturna. Pomo de Adão. Espermatogênese. Mudanças no corpo

18 Ovulação Menstruação Espermatogênese Ejaculação Relação Sexual Capacidade reprodutiva Marco da Puberdade

19 Física Social Cognitiva Psico-emocional É um período de grande crescimento e transformações, onde tudo é vivido intensamente. Adolescência A adolescência é um período do desenvolvimento humano que se estende, aproximadamente, dos 10 aos 19 anos de idade (segundo a OMS) que se caracteriza por uma revolução nos seguintes aspectos:

20 Pertencer a grupos. Confirmação de sua identidade. sexual e valorização social. Jovem isolado requer atenção. Diversidade de valores. Oportunidade afetiva-sexual. Vida escolar. Aspecto Social

21 Capacidade sexual e reprodutiva Hormônios sexuais Desejo sexual Excitação Capacidade orgástica Espermatozóides Óvulos Aspecto Físico

22 Capacidade de abstração Informação Análise crítica Aspecto Cognitivo

23 Auto-afirmação Contestar. Onipotência Pouco caminho percorrido – inexperiência. A certeza de que tudo vai dar certo. Devaneios Capricho da imaginação. Sonhos. Aspecto Psico-emocional

24 Social Pertencer a grupos - Confirmação da identidade sexual e valorização social. Diversidade de valores. Oportunidade afetivo-sexual. Física Capacidade sexual e reprodutiva. Cognitiva Capacidade de abstração. Informação. Psico-emocional Auto-afirmação. Onipotência. Devaneios. Adolescência

25 Desenvolvimento afetivo-sexual Fases do desenvolvimento afetivo–sexual Homo - Grande amigo (aprendendo a ser).

26 Relacionamento com intimidade psíquica. Projeta no outro a imagem que deseja para si. O grande amigo é uma extensão de si. Confirma as escolhas e reforça a autoconfiança. Pode haver jogos sexuais. Grande amigo/amiga

27 Desenvolvimento afetivo-sexual Fases do desenvolvimento afetivo–sexual Homo - Grande amigo (aprendendo a ser). Intermediária - Paixão platônica (treino mental).

28 Não sabe lidar com o outro. Idealização do parceiro. A paixão precisa ser por alguém que não corra o risco de ser correspondido. Treina mentalmente o relacionamento. Desenvolve a autoconfiança. Paixão platônica

29 Desenvolvimento afetivo-sexual Fases do desenvolvimento afetivo–sexual Homo - Grande amigo (aprendendo a ser). Intermediária - Paixão platônica (treino mental). Hétero - Interesse afetivo e sexual.

30 Olha o outro como homem / mulher. O outro desperta o desejo sexual. É capaz de se colocar no lugar do outro sem perder sua identidade. Estabelece um relacionamento a dois. Interesse afetivo e sexual

31 Desenvolvimeto afetivo-sexual Fases do desenvolvimento afetivo–sexual Homo - Grande amigo (aprendendo a ser). Intermediária - Paixão platônica (treino mental). Hétero - Interesse afetivo e sexual. Formas de relação Ficar - Fase do desenvolvimento/início de um relacionamento. Namoro – O relacionamento.

32 Revolução sexual feminina. Diferenciação do tesão e afetividade. Treino do papel sexual. Etapa do relacionamento. Envolve beijos, carícias e até relação sexual. Ficar

33 Relação com compromisso. Atenção mútua. Vivência do papel sexual. Convivência e privacidade. Envolve atividades sexuais. Relacionamento

34 INDIVIDUAL Comportamento Pessoal SOCIAL Contexto Social PROGRAMÁTICA Programas Institucionais A vulnerabilidade se desenvolve em função dos aspectos individuais ou comportamentais que colocam o indivíduo em determinadas situações de risco, como também pelos aspectos sociais e institucionais que a determinam. Vulnerabilidade

35 Individual Valores pessoais. Pensamento mágico. Informação inadequada. Busca do novo. Correr risco. Social Contexto sócio-cultural. Pressão do grupo. Dependência econômica. Relações de poder. Acesso aos métodos contraceptivos. Programática Política de prevenção. Sistema educacional. Suporte institucional. Vulnerabilidade

36 Falta de Informação sobre: Sexo. Sexualidade. Relacionamento afetivo. Reprodução. Métodos contraceptivos. Vulnerabilidade

37 Relação de gênero Comportamentos baseados nos modelos de feminilidade: Submissão como atributo de conquista do parceiro. Demonstrar desconhecimento sexual. Negação do desejo sexual. Medo de ser rejeitada. Testar capacidade reprodutiva. Falta de convicção e habilidade para negociar e usar o preservativo. Conflito entre os modelos antigos e atuais - impulsiona o aqui e o agora na conquista do outro. Sonho profissional X sonho afetivo e familiar. Vulnerabilidade

38 Relação de gênero Comportamentos baseados nos modelos de masculinidade: Não perder oportunidade sexual. O desempenho sexual não pode ser ameaçado. Correr risco. Não demonstrar seus sentimentos. Perceber a prevenção da gravidez como responsabilidade feminina. Vulnerabilidade

39 Projeto de vida Ter um projeto de vida é agir de forma coerente com os seus objetivos e perceber o que se pode alcançar a curto, médio e longo prazo. Identificar o sonho de vida pessoal e profissional. Perceber o impacto de suas ações no futuro. Desenvolver habilidades que causem admiração e reconhecimento social. Acesso a educação e profissionalização. Perspectiva pessoal e profissional. Fator de proteção

40 PROJETO DE VIDA

41 Profº Carlos Alberto de Camargo Profª Wagner Ferreira Freitas Professores: Fonte Material adaptado do projeto Vale Sonhar Instituto Kaplan Imagens do Google belavida.zip.net psicoterapeutacristao.blogsp...


Carregar ppt "Sexo e Sexualidade. Há diferença? Vida sexual é a forma como a gente exerce a sexualidade na nossa vida particular. Sexualidade é a parte biológico-psico-"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google