A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Os funcionários da administração colonial portuguesa Por Luciane Cristina Scarato Revisado por: Elaine Castro, Silvia Drumond e Michele Fialho.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Os funcionários da administração colonial portuguesa Por Luciane Cristina Scarato Revisado por: Elaine Castro, Silvia Drumond e Michele Fialho."— Transcrição da apresentação:

1 Os funcionários da administração colonial portuguesa Por Luciane Cristina Scarato Revisado por: Elaine Castro, Silvia Drumond e Michele Fialho

2 Panorama von Bahia, C , de Eduardo Hildebrant

3 Texto adaptado. Para ver o original, clique aqui.clique aqui. "A sombra, quando o sol está no zênite, é muito pequenina e toda ela fica debaixo dos pés. Mas quando o sol está no oriente ou no ocaso, essa mesma sombra se estende tão imensamente, que mal cabe dentro dos horizontes. Assim são os que pretendem e alcançam os governos ultramarinos. Lá onde o sol está no zênite, estas sombras (os funcionários ultramarinos) ficam debaixo dos pés do príncipe e dos seus ministros. Mas quando eles chegam àquelas Índias, onde nasce o sol, ou a estas ( a América), onde o sol se põe, crescem tanto as mesmas sombras, que excedem muito a medida dos mesmos reis de que são imagens".zêniteoriente ou no ocasoultramarinos O texto abaixo foi escrito no século XVII ( ), pelo Padre Antônio Vieira, jesuíta que morou na América portuguesa durante boa parte de sua vida:

4 Zênite: posição do Sol em relação à Terra quando ele está no seu ponto mais alto e central. Sol a pino. Oriente ou Ocaso: quando o sol está em posição mais à direita em relação à Terra. Lado do qual vemos o sol nascer. Leste. Corresponde à posição das Índias Orientais. Ocidente: posição mais à esquerda do Sol em relação à Terra. Lado do qual o Sol se põe. Oeste. Corresponde à posição do Brasil. Ultramarino: Nome genérico dado às Colônias européias. Vocabulário:

5 Esquematizando o texto De acordo com as comparações do Padre Vieira, identifique a sombra dos funcionários em cada uma das situações: Índias, Portugal e América portuguesa. Legenda: Funcionário ultramarino Príncipe de Portugal Colônias

6 OCIDENTE ORIENTE PORTUGAL ÍNDIAS América portuguesa ZÊNITE Tipos de sombras: A B AB BA AB Clique na opção (A ou B) correspondente à sombra que se projeta sob os funcionários, de acordo com o texto:

7 OCIDENTE ORIENTE PORTUGAL ÍNDIAS América portuguesa ZÊNITE Tipos de sombras: A B AB BA AB Clique na opção (A ou B) correspondente à sombra que se projeta sobre os funcionários, de acordo com o texto: Acertou!!! A sombra do funcionário, isto é o seu poder, é pequena porque ele está perto do rei, sendo facilmente controlado.

8 OCIDENTE ORIENTE PORTUGAL ÍNDIAS América portuguesa ZÊNITE Tipos de sombras: A B AB BA AB Clique na opção (A ou B) correspondente à sombra que se projeta sobre os funcionários, de acordo com o texto: Errou!!! A sombra do funcionário, isto é, o seu poder, não pode ser grande porque ele está perto do rei, sendo facilmente controlado.

9 OCIDENTE ORIENTE PORTUGAL ÍNDIAS América portuguesa ZÊNITE Tipos de sombras: A B AB BA AB Clique na opção (A ou B) correspondente à sombra que se projeta sobre os funcionários, de acordo com o texto: Errou!!! A sombra do funcionário, isto é, o seu poder, não pode ser pequena porque ele está longe do rei e, por isso, não é facilmente controlado.

10 OCIDENTE ORIENTE PORTUGAL ÍNDIAS América portuguesa ZÊNITE Tipos de sombras: A B AB BA AB Clique na opção (A ou B) correspondente à sombra que se projeta sobre os funcionários, de acordo com o texto: Acertou!!! A sombra do funcionário, isto é, o seu poder, é grande porque ele está longe do rei e, por isso, não é facilmente controlado.

11 OCIDENTE ORIENTE PORTUGAL ÍNDIAS América portuguesa ZÊNITE Tipos de sombras: A B AB BA AB Clique na opção (A ou B) correspondente à sombra que se projeta sobre os funcionários, de acordo com o texto: Errou!!! A sombra do funcionário, isto é, o seu poder, não pode ser pequena porque ele está longe do rei e, por isso, não é facilmente controlado.

12 OCIDENTE ORIENTE PORTUGAL ÍNDIAS América portuguesa ZÊNITE Tipos de sombras: A B AB BA AB Clique na opção (A ou B) correspondente à sombra que se projeta sobre os funcionários, de acordo com o texto: Acertou!!! A sombra do funcionário, isto é, o seu poder, é grande porque ele está longe do rei e, por isso, não é facilmente controlado.

13 Comparando o Sermão do Padre Antônio Vieira com um trecho da peça Calabar, de Chico Buarque e Ruy Guerra:

14 As falas abaixo foram retiradas da peça teatral Calabar, de Chico Buarque e Ruy Guerra, escrita em O contexto histórico da peça é a União Ibérica ( ) e a Invasão Holandesa ( ): Matias:Nesta guerra de Pernambuco eu represento Dom Felipe de Portugal e Castela. Ou não? -Porque neste Pernambuco eu sou Dom Felipe de Castela, rei de Portugal e Algarves... De aquém e de além-mar em África, Cabo Verde, Açores, Angola e Moçambique... Senhor da Conquista, Navegação e Comércio Capitanias Hereditárias 1548 Governo Geral União Ibérica 1763 Transferência da sede do Governo Geral para o Rio de Janeiro Invasão Holandesa

15 Mathias de Albuquerque era governador de Pernambuco quando da Invasão Holandesa ( ). Na primeira frase, Albuquerque diz que representa Dom Felipe. Depois, ele afirma que, em Pernambuco, ele próprio é o rei de Portugal e Castela e de todo o Império ibérico. ATIVIDADES: 1) Pense na esquematização das idéias do sermão do Padre Antônio Vieira. 2) Compare a esquematização com as maneiras de se entender o poder presentes nas duas falas de Mathias (ele diz que representa e é o rei). 3) De acordo com as opiniões de Vieira sobre os magistrados no ultramar, as falas de Mathias, teriam sido possíveis, no século XVII, em Pernambuco? SimNão.

16 Síntese sobre os funcionários na administração colonial O funcionário colonial deveria ser, sem dúvida, fiel ao rei, mas seus interesses pessoais tinham um peso muito grande. O serviço real significava um enobrecimento e era constante a utilização do prestígio do cargo para conseguir favores ou privilégios. Juizes dilatavam decisões para beneficiar-se financeiramente, clérigos cobravam exageradamente por seus serviços religiosos, militares recebiam dinheiro para esquecer recrutas que deveriam ir para as guerras do sul, escrivões e tabeliões aumentavam as custas (...). A intenção desses funcionários era fazer a América, era explorar a terra para se enriquecer.

17 Atividade final sobre os funcionários coloniais Você estudou um pouco sobre o funcionário ultramarino. Agora, escreva um pequeno texto sobre o que aprendeu. O texto deve conter: Informações sobre: O comportamento do funcionário. Os motivos que o permitiam agir assim. Sua opinião sobre as perguntas: 1.O comportamento do funcionário ultramarino era prejudicial ao Brasil? 2.E aos interesses da metrópole?

18 "A sombra, quando o sol está no zênite, é muito pequenina, e toda se vos mete debaixo dos pés; mas quando o sol está no oriente ou no ocaso, essa mesma sombra se estende tão imensamente, que mal cabe dentro dos horizontes. Assim nem mais nem menos os que pretendem e alcançam os governos ultramarinos. Lá onde o sol está no zênite, não só se metem estas sombras debaixo dos pés do príncipe, senão também dos seus ministros. Mas quando chegam àquelas Índias, onde nasce o sol, ou a estas, onde se põe, crescem tanto as mesmas sombras, que excedem muito a medida dos mesmos reis de que são imagens". Documento com linguagem original

19 Sim Certo, porque Mathias estava em Pernambuco, longe do rei, com uma sombra grande, podendo, portanto, considerar-se rei (mais do que ser representante dele). Voltar

20 Não Errado, porque Mathias estava em Pernambuco, longe do rei, com uma sombra grande, podendo, portanto, considerar-se rei (mais do que ser representante dele). Voltar


Carregar ppt "Os funcionários da administração colonial portuguesa Por Luciane Cristina Scarato Revisado por: Elaine Castro, Silvia Drumond e Michele Fialho."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google