A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Tuberculose no mundo Um terço da população está infectada. 6,2 milhões de casos notificados em 2010. 82 % dos casos em 22 países. 1,1 milhão de morte.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Tuberculose no mundo Um terço da população está infectada. 6,2 milhões de casos notificados em 2010. 82 % dos casos em 22 países. 1,1 milhão de morte."— Transcrição da apresentação:

1

2 Tuberculose no mundo Um terço da população está infectada. 6,2 milhões de casos notificados em % dos casos em 22 países. 1,1 milhão de morte por ano. 350 mil óbitos TB/HIV. 500 mil casos de MDR. 10 milhões de crianças órfãs como resultado da morte dos pais por TB. Fonte: OMS, 2011

3

4

5

6

7

8 TBMR Ainda hoje, apenas 0,5% das pessoas com TBMR mundial de tuberculose diagnosticados recebem tratamento que é considerado o padrão de atendimento no Estados Unidos. Aqueles que não receberam adequado tratamento continuam a alimentar uma pandemia global que agora inclui cepas resistentes a algumas ou a todas classes de drogas testadas. Apesar da enormidade da ameaça, os investimentos para conter a epidemia e para curar pacientes infectados tem sido pobre, quando comparados, por exemplo, com as feitas para tratar a pandemia da síndrome da imunodeficiência adquirida (AIDS). Fonte: Tuberculosis, Drug Resistance,and the History of Modern MedicineSalmaan Keshavjee, M.D., Ph.D., and Paul E. Farmer, M.D., Ph.D., T h e new england and journal o f medicine, n engl j med 367;10 nejm.org september 6, 2012

9 Combate à tuberculose fortaleceu a doença Por Geeta Anand, de Mumbai, e Betsy McKay, de Atlanta The Wall Street Journal A estratégia de longa data da Organização Mundial de Saúde para combater a tuberculose está revelando inesperadas consequências letais. Ao focar por anos nos pacientes mais fáceis de curar, acabou contribuindo com a disseminação de tipos de tuberculose que não podem hoje ser tratados pela medicina moderna. Fonte: Jornal Valor Econômico, 29/11/2012

10 Tuberculose no Brasil 70 mil casos notificados em ,6 mil de morte em º país em número de casos entre os 22 países de alta carga. 22.º país em taxa de incidência, prevalência e mortalidade entre os 22 países de alta carga. 3.ª causa de morte por doenças infecciosas. 1.ª causa de mortes dos pacientes com AIDS. Fonte: MS, 2012

11 Paraná – 2011 População: hab 22 Regionais de Saúde 399 municípios Casos novos de tuberculose: Total de casos notificados: Óbitos por tuberculose: 107 Óbitos em tratamento de tuberculose: 264 Co-infectados TB/HIV: 322 Co-infectados TB/Aids: 299 Pessoas privadas de liberdade com tuberculose: º estado do país em taxa de incidência, entre os 27 estados. 3.ª causa de morte por doenças infecciosas. 1.ª causa de mortes dos pacientes com AIDS. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 03/12/2012 * Dados preliminares

12 Estratégia DOTS (Directly Observed Short Course). OMS, Brasil, Compromisso político. 2.Detecção de casos por baciloscopia. 3.Esquemas padronizados e tratamento diretamente observado. 4.Suprimento regular e ininterrupto dos medicamentos padronizados. 5.Sistema de registro e notificação dos casos.

13 Para começar... Um jornalista escreveu o seguinte sobre Robert Kennedy, logo depois de seu assassinato em 1968: ele se distinguiu principalmente pela capacidade de se indignar. Ele considerava inaceitáveis – pobreza, ignorância, desnutrição, preconceito, desonestidade, conivências; os males que todos toleravam, para ele eram uma afronta pessoal. Alguém poderia dizer que a indiferença é a capacidade de tolerar o inaceitável.

14 Rede da atenção à pessoa com tuberculose Atenção Básica Esquema básico Efeitos adversos menores Referência Terciária Esquema de TBMR Esquemas individualizados para qualquer tipo de resistência Referência Secundária Esquema especiais Efeitos adversos maiores Comorbidades (HIV e outras) BCG Busca do SR com BK Diagnóstico/tratamento/TDO/ contatos/PT/HIV/cultura/SINAN Análise epidemiológica/apoio ao paciente

15 Total de casos de tuberculose. Paraná, Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 03/12/2012 * Dados preliminares

16 N.º de casos novos de tuberculose e total por Regional de Saúde. Paraná, Paraná: Novos: Total: Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 03/12/2012 * Dados preliminares

17 N.º de casos novos de tuberculose. Paraná, Paraná: Novos: Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 03/12/2012 * Dados preliminares

18 % de sintomáticos Respiratórios examinados. Paraná, 2010 a 2012*. Fonte: LACEN Paraná * Dados preliminares 2012 em / Meta até outubro de 2012

19 % de sintomáticos Respiratórios examinados. Paraná, 2010 a 2012*. Fonte: LACEN Paraná * Dados preliminares 2012 em / Meta até outubro de 2012

20 Sintomáticos Respiratórios examinados. Paraná, 2012*. Fonte: LACEN Paraná * Dados preliminares 2012 em / Meta até outubro de 2012

21 % de sintomáticos Respiratórios examinados X % de casos novos encontrados. Paraná, 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 03/12/2012 LACEN Paraná em 03/03/2012 * Dados preliminares

22 PERFIL DOS PACIENTES DE TUBERCULOSE

23 % de casos de tuberculose por sexo. Paraná, 2001 a 2012*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 05/11/2012 * Dados preliminares

24 Coeficiente de incidência de tuberculose por idade. Paraná, 2010 e 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVCDE/PECT/SINAN em e

25 % de casos de tuberculose em gestantes. Paraná, 2007 a 2012*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 05/11/2012 * Dados preliminares

26 % de casos de tuberculose por raça. Paraná, 2003 a 2012*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 05/11/2012 * Dados preliminares

27 % de casos de tuberculose por escolaridade. Paraná, 2007 a 2012*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 05/11/2012 * Dados preliminares

28 % de casos de tuberculose por escolaridade. Paraná, 2007 a 2012*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 05/11/2012 * Dados preliminares

29 % de casos de tuberculose por escolaridade. Paraná, 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 05/11/2012 * Dados preliminares

30 % de casos de tuberculose por tipo de instituição. Paraná, 2007 a 2012*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 05/11/2012 * Dados preliminares

31 % de casos de tuberculose por instituição. Paraná, 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 05/11/2012 * Dados preliminares

32 Local de notificação. Paraná, 2011 a 2012*. ANOHOSPITAL e EMERGÊNCIA U.S ,7 %75,3 % ,6 %75,4 % Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 05/11/2012 * Dados preliminares

33 Local de residentes por forma. Paraná, 2012*. HospitalUS Ano Pulmonar Extra- pulmonar Pulmonar + Extra- pulmonar TotalPulmonar Extra- pulmonar Pulmonar + Extra- pulmonar Total ,9 %36,2 %40,7 %24,6 %78,1 %63,8 %59,3 %75,4 % Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 05/11/2012 * Dados preliminares

34 RECURSOS DIAGNÓSTICOS UTILIZADOS

35 % de casos de tuberculose pulmonar com RX de tórax. Paraná, 2001 a 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 05/11/2012 * Dados preliminares, incluídos pulmonar com extrapulmonar

36 % de casos de tuberculose pulmonar com RX de tórax. Paraná, 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 05/11/2012 * Dados preliminares

37 % de casos de tuberculose extrapulmonar com RX de tórax. Paraná, 2001 a 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 05/11/2012 * Dados preliminares

38 % de casos de tuberculose extrapulmonar pulmonar com RX de tórax. Paraná, 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 05/11/2012 * Dados preliminares

39 % de casos de tuberculose com prova tuberculínica. Paraná, 2001 a 2011*. Forma PulmonarForma Extrapulmonar Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 05/11/2012 * Dados preliminares

40 % de casos de tuberculose pulmonar com prova tuberculínica. Paraná, 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 05/11/2012 * Dados preliminares

41 % de casos de tuberculose extrapulmonar com prova tuberculínica. Paraná, 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 05/11/2012 * Dados preliminares

42 % de casos de tuberculose com agravos associados. Paraná, 2003 a 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 05/11/2012 * Dados preliminares

43 AIDS ALCOOLISMO DIABETES OUTRAS DOENÇAS Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 05/11/2012 * Dados preliminares % de casos de tuberculose com agravos associados. Paraná, 2011*.

44 % de casos de tuberculose extrapulmonar com baciloscopia de outro material. Paraná, 2001 a 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 05/11/2012 * Dados preliminares

45 % de casos de tuberculose com baciloscopia de outro material na forma extrapulmonar. Paraná, 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 05/11/2012 * Dados preliminares

46 % de casos de tuberculose extrapulmonar com cultura de outro material. Paraná, 2001 a 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 05/11/2012 * Dados preliminares

47 % de casos de tuberculose com cultura de outro material na forma extrapulmonar. Paraná, 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 05/11/2012 * Dados preliminares

48 % de casos de tuberculose extrapulmonar com histopatologia. Paraná, 2001 a 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 05/11/2012 * Dados preliminares

49 % de casos de tuberculose extrapulmonar com histopatologia. Paraná, 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 05/11/2012 * Dados preliminares

50 INDICADORES DE IMPACTO DAS AÇÕES DE CONTROLE DA TUBERCULOSE

51 Tendência da incidência da tuberculose. Paraná, 1981 a 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVCDE/PECT/SINAN em * Dados preliminares

52 CI por 100 mil hab. Paraná, 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVCDE/PECT/SINAN em * Dados preliminares Paranaguá Curitiba Irati Ponta Grossa União da VitóriaPato Branco Francisco Beltrão Foz do Iguaçu Cascavel Guarapuava Telêmaco Borba Jacarezinho Cornélio Procópio Londrina IvaiporãCampo Mourão Toledo Umuarama Paranavaí Maringá Cianorte

53 CI por 100 mil hab. Municípios prioritários.Paraná, 2011*. Foz do Iguaçu: 47,3 Londrina: 25,4 Paranaguá: 87,6 Piraquara: 32,7 Pinhais: 65,2 Curitiba: 22,9 Almirante Tamandaré: 24,0 Fonte: SESA/SVS/DECA/DVCDE/PECT/SINAN em * Dados preliminares Paraná: 22,6 42,9 % de todos os casos novos

54 Distribuição dos casos novos de Tuberculose, Brasil. Total de casos 15 anos ou + anos Menores de 15 anos Pulmonar Extra pulmonar Pulmonar Extra pulmonar BK + BK sem confirmação BK + BK sem confirmação 95% 5% 80% 20% 85% 15% 65% 35% 20% 80% Fonte: Manual de Recomendações para o Controle da Tuberculose no Brasil – MS 2011

55

56 % de metas atingidas/estimadas de casos novos. Paraná, 2006 a 2011*. Ano% atingido , , , , ,2 2011*29,0 Fonte: SESA/SVS/DECA/DVCDE/PECT/SINAN em e * Dados preliminares

57 % de metas atingidas/estimadas de casos novos. Municípios prioritários, 2011*. MunicípioCasos estimados Casos encontrados % atingido Almirante Tamandaré ,0 Curitiba ,4 Foz do Iguaçu ,8 Londrina ,0 Paranaguá ,8 Pinhais927885,0 Piraquara743141,9 Fonte: SESA/SVS/DECA/DVCDE/PECT/SINAN em * Dados preliminares

58 % de cobertura vacinal em menores de 1 ano e coeficiente de incidência de TB miliar e meningoencefalite em menores de 5 anos. Paraná, 2001 a 2011*. Fonte: em SESA/SVS/DECA/DVCDE/PECT/SINAN em * Dados preliminares

59 MORTALIDADE

60 Coeficiente de Mortalidade Estima o risco de morte e dimensiona a magnitude como problema de saúde pública. Retrata a incidência em populações vulneráveis, associadas ao desenvolvimento socioeconômico e da infraestrutura ambiental. Reflete efetividade de medidas de prevenção e controle, condições de diagnóstico e assistência médica.

61 Tendência da mortalidade de tuberculose de todas as formas. Paraná, 1981 a 2011*. 1,8 0,9 Fonte: SESA/SVS/DEVE/DVIEP/SIM em * Dados preliminares Meta PR OMS 2015: 0,9

62 Mortalidade por tuberculose. Paraná, *. Fonte: SESA/SVS/DEVE/DVIEP/SIM em * Dados preliminares

63 INDICADORES DE RESULTADO DAS AÇÕES DE CONTROLE DA TUBERCULOSE

64 Proporção de sintomáticos respiratórios (SR) examinados dentre os estimados Estima-se que 1 % da população tosse há mais de 3 semanas e tem indicação de realizar o exame de baciloscopia de escarro. Essa metodologia tem sido utilizada enquanto outros estudos mais precisos ainda são realizados. A descontinuidade do registro dos SR nas US, falta de implantação em pronto-socorros, hospitais e outros locais procurados pelos doentes prejudica a sensibilidade desse indicador.

65 Sintomático Respiratório 1 % da população = Sintomático Respiratório –2 amostras de escarro pesquisa de BAAR 1.ª no momento da suspeita 2.ª dia seguinte em jejum 4% dos Sintomáticos Respiratórios: BK+ – 1ml escarro = 5000 bacilos 96% BK+: 15 anos e mais 4 % BK+: menores de 15 anos

66 Número de laboratórios com baciloscopia, controle da qualidade e cultura. Paraná, 2012*. Fonte: SESA/Regionais de Saúde em set e out/2012 * Dados preliminares

67 % de sintomáticos respiratórios examinados. Paraná, 2010 a 2012*. Fonte: LACEN Paraná * Dados preliminares 2012 em / Meta até outubro de 2012 Meta: examinar 1% da população = sintomático respiratório BK+: 3 a 4 %

68 Contatos examinados É uma ação importante para interrupção da cadeia de transmissão. Espera-se examinar 100 %.

69 Contatos de tuberculose examinados. Paraná, 2007 a 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVCDE/PECT/SINAN em * Dados preliminares

70 % de contatos de tuberculose examinados. Paraná, 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 05/11/2012 * Dados preliminares

71 Casos testados para o HIV Tuberculose é a primeira causa de morte entre paciente portadores de aids. Identificação dos casos HIV positivos é importante para o resultado satisfatório do tratamento possa ser alcançado. Espera-se que 100 % dos casos sejam testados.

72 Tendência da co-infecção HIV e Tuberculose notificados. Paraná, 2001 a 2012*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVCDE/PECT/SINAN em * Dados preliminares

73 % de teste HIV e co-infecção HIV e Tuberculose notificados. Paraná, 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVCDE/PECT/SINAN em * Dados preliminares

74 % de teste HIV e co-infecção HIV e Tuberculose notificados. Paraná, 2012*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVCDE/PECT/SINAN em * Dados preliminares

75 % de co-infecção TB/HIV+. Paraná, 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVCDE/PECT/SINAN em * Dados preliminares Paraná: 14,4 %

76 Baciloscopias de acompanhamento Expressa a evolução do tratamento. Adesão ao tratamento. Diagnóstico precoce de falência ao tratamento.

77 % de baciloscopias de acompanhamento realizadas na forma pulmonar com 1.ª amostra BK+ com resultado notificadas. Paraná, 2001 a 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVCDE/PECT/SINAN em

78 Avaliação do encerramento dos casos Efetividade do tratamento. Restrição: sem informação, transferências não vinculadas. Cura: visa reduzir a transmissão diminuindo a ocorrência de novos casos. Meta: acima de 85 %. Abandono: reduzir o risco de ocorrência de resistências às drogas de primeira linha. 30 dias sem tomar o medicamento ou sem comparecer à US. Aceitável: até 5 %. Óbito: reflete diagnóstico tardio e interferência de coinfecções.

79 % mudança de diagnóstico. Paraná, 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 03/12/2012 * Dados preliminares

80 % ignorado/branco. Paraná, 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 03/12/2012 * Dados preliminares

81 % cura. Paraná, 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 03/12/2012 * Dados preliminares 18% 9% 50%

82 % cura total de casos e pulmonares BAAR +. Paraná, 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 03/12/2012 * Dados preliminares

83 % abandono. Paraná, 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 03/12/2012 * Dados preliminares

84 % abandono X TDO. Paraná, 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 03/12/2012 * Dados preliminares

85 % abandono X TDO. Paraná, 2011 e TDO 2012*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 03/12/2012 * Dados preliminares

86 % óbito por tuberculose e óbitos por outras causas. Paraná, 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 03/12/2012 * Dados preliminares

87 % óbito por tuberculose, óbitos por outras causas e co-infecção TB/HIV. Paraná, 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 03/12/2012 * Dados preliminares

88 % total de óbitos. Paraná, 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 03/12/2012 * Dados preliminares

89 % total de óbitos X TDO. Paraná, 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 03/12/2012 * Dados preliminares

90 % transferências situação de encerramento. Paraná, 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 03/12/2012 * Dados preliminares

91 % transferências situação de encerramento e 9.º mês que precisam ser vinculadas. Paraná, 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 03/12/2012 * Dados preliminares

92 % abandono + transferências não vinculadas. Paraná, 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 03/12/2012 * Dados preliminares Abandonos???

93 % TBMR. Paraná, 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 03/12/2012 * Dados preliminares

94 Situação de encerramento bacilíferos em retratamento. Paraná, 2001 a 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVCDE/PECT/SINAN em *Casos preliminares todas as formas

95 Situação de encerramento bacilíferos em retratamento. Paraná, 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVCDE/PECT/SINAN em *Casos preliminares todas as formas

96 TRATAMENTO DIRETAMENTE OBSERVADO - TDO -

97 TDO É uma estratégia recomendada mundialmente. Recomendação nacional e do Paraná é que a tomada seja observada diariamente, de segunda a sexta-feira, sendo permitida auto-administrada somente finais de semana e feriados. A medicação não deve ficar com o doente. É necessária atualização quanto a realização do TDO mensalmente no boletim de acompanhamneto.

98 Tratamento Diretamente Observado em casos notificados de tuberculose. Paraná, 2007 e 2012*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVCDE/PECT/SINAN em * Dados preliminares

99 Fonte: SESA/SVS/DECA/DVCDE/PECT/SINAN em * Dados preliminares Tratamento diretamente observado. Paraná, 2011*. IncidênciaTDO

100 TUBERCULOSE PULMONAR QUE REALIZAM BACILOSCOPIA DE ESCARRO

101 Tuberculose confirmada bacteriologicamente Reflete o empenho em confirmar casos de tuberculose por meio de exames bateriológicos: baciloscopia ou cultura. Para todo suspeito de tuberculose pulmonar com baciloscopia negativa e também na suspeita de tuberculose extrapulmonar, espera-se que seja procurada a confirmação bacteriológica.

102 Tuberculose pulmonar que realizam baciloscopia de escarro Espera-se que seja realizado exame de escarro para todos os casos suspeitos de tuberculose pulmonar em maiores de 15 anos.

103 % casos de tuberculose forma pulmonar com 1.ª amostra de baciloscopia realizada no diagnóstico em maiores de 15 anos. Paraná, 2001 a 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVCDE/PECT/SINAN em *Dados preliminares

104 % casos de tuberculose forma pulmonar com 1.ª amostra de baciloscopia realizada no diagnóstico em maiores de 15 anos. Paraná, 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 05/11/2012 * Dados preliminares

105 CULTURA

106 Cultura A cultura possibilita identificar o Mycobacterium tuberculosis. Esse exame é a primeira parte do processo que detecta a resistência dos medicamentos para o tratamento. Auxilia a identificação precoce de casos de resistência e na mudança de diagnóstico.

107 Solicitar cultura, identificação e teste de sensibilidade no diagnóstico: HIV + Retratamento: recidiva e pós-abandono Profissionais de saúde Moradores de rua Privados de liberdade Indígenas maiores de 5 anos Estrangeiros e/ou contatos de estrangeiros Contatos de TB com qualquer forma de resistência Acompanhamento: 2.º mês BK+ (TDO) Falência (TDO)

108 % casos de tuberculose forma pulmonar com confirmação bacteriológica dos realizados em maiores de 15 anos. Paraná, 2001 a 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVCDE/PECT/SINAN em * Dados preliminares ** Com baciloscopia negativa BK+: 60 a 70 % Cultura +: mais de 90 %

109 Solicitação de cultura forma pulmonar. Paraná, 2001 a 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVCDE/PECT/SINAN em * Dados preliminares

110 Solicitação de cultura forma pulmonar. Paraná, 2001 a 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVCDE/PECT/SINAN em * Dados preliminares

111 % total de cultura X TBMR. Paraná, 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVDE/PECT/ SINAN em 03/12/2012 * Dados preliminares

112 TIPO DE ENTRADA

113 Tipo de entrada Retratamento –Expressa qualidade do tratamento. Grande proporção indica má qualidade do tratamento. –Pode ser resultado da falta de adesão ao tratamento, erro na prescrição dos medicamentos ou acompanhamento da evolução dos casos.

114 % de casos de tuberculose por tipo de entrada. Paraná, 2001 a 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVCDE/PECT/SINAN em * Dados preliminares

115 % de casos de tuberculose por tipo de entrada. Paraná, 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVCDE/PECT/SINAN em * Dados preliminares

116 TUBERCULOSE COM ENCERRAMENTO INFORMADO

117 Tuberculose com encerramento informado Garante a fidelidade dos dados. Permite a análise do desfecho do tratamento. Casos sem informação contribuem de forma negativa para o alcance das metas pactuadas.

118 % de casos de tuberculose notificados encerrados no SINAN. Paraná, 2001 a 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVCDE/PECT/SINAN em * Dados preliminares

119 % de casos de tuberculose com SINAN encerrado. Paraná, 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVCDE/PECT/SINAN em * Dados preliminares

120 Populações mais vulneráveis para tuberculose Indígenas: 4 vezes População privada de liberdade: 27 vezes PVHA: 30 vezes Moradores de rua: 67 vezes* Fonte: *Adorno, 2009

121 Tratamento da Infecção Latente da Tuberculose Tratamento com isoniazida reduz em 60 a 90 % o risco de adoecer. Mínimo 6 meses ou 180 doses. Indicações: –Crianças contatos de BK+ –Adolescentes e adultos: HIV/Aids, contatos de BK+, tratamento com imunossupressores, profissionais de saúde, instituições de longa permanência, etc. Qualidade da Prova Tuberculínica: 82 profissionais treinados para multiplicadores SILTB: implantado em 2011 – fichas de notificação em Em 08/11/2012 – registros no Paraná

122 Número de casos TILTB. Paraná, até 08/11/2012*. AnoNotificados *870 TOTAL1.748 Fonte: Sistema TILTB-PR em * Dados preliminares

123 Número de casos em TILTB por Regional de Saúde. Paraná, até 08/11/2012*. Fonte: Sistema TILTB-PR em * Dados preliminares Regional de Saúde

124 Número de casos em TILTB por município prioritário. Paraná, até 08/11/2012*. Fonte: Sistema TILTB-PR em * Dados preliminares

125 TILTB. Paraná, até 08/11/2012*. Critério 0 a 4 anos 5 a 10 anos 11 a 14 anos 15 anos e mais Total% Recém-nascido co-habitante de paciente bacilífero 15 0,8 Doença que predisponha TB ,1 Imunossupressão por drogas ,7 Paciente < 10 anos co-habitante paciente com TB ,5 Paciente > 10 anos co-habitante paciente com TB ,2 Imagem radiológica de TB inativa, sem uso prévio do TILTB ,9 Conversão da PT recente últimos 12 meses ,1 Outros ,6 Total Fonte: Sistema TILTB-PR em * Dados preliminares

126 TILTB HIV/Aids. Paraná, até 08/11/2012*. Encerramento HIV/Aids Número% Término7174,7 Abandono1717,9 Evolução para doença011,1 Transferência022,1 Suspensão por efeito adverso011,1 Suspensão por ordem médica022,1 Outros011,1 Total encerrado9573,1 Em tratamento3526,9 Total Fonte: Sistema TILTB-PR em * Dados preliminares

127 Número de casos de tuberculose em população indígena. Paraná, 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVCDE/PECT/SINAN em * Dados preliminares Foz do Iguaçu Coronel Vivida Espigão Alto do Iguaçu Nova Laranjeiras Londrina Turvo

128 Instituições Penais do Paraná Foz do Iguaçu Francisco BeltrãoGuarapuava Ponta Grossa Pinhais Curitiba S. José dos Pinhais Piraquara Cascavel Catanduvas Cruzeiro do Oeste Maringá Londrina Fonte: SEJU/DEPEN/SIP-SPR em 28/08/ Pessoas Privadas de Liberdade

129 Regionais de Saúde Penitenciária Estadual Centro de Observação Col. Agríc. ou industrial Complexo Méd. Penal Cadeia Pública Penitenciária Federal LEGENDA Fonte: MJ/DPN/InfoPen/ em 19/03/2012 Instituições Penais no Paraná por Regional de Saúde Casa de Custódia Centro de Deten. e Res. Regime Semi-aberto

130 % de casos em população privada de liberdade notificados a 2012*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVCDE/PECT/SINAN em * Dados preliminares Taxa de prevalência estimada 2012: 495,8/100 mil

131 Número de casos em população privada de liberdade. Paraná, 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVCDE/PECT/SINAN em * Dados preliminares

132 % de casos forma pulmonar com baciloscopia positiva. Paraná, 2007 a 2012*. PPLPARANÁ Fonte: SESA/SVS/DECA/DVCDE/PECT/SINAN em * Dados preliminares

133 HIV+ Situação de encerramento de casos em PPL. Paraná, 2007 a 2011*. Fonte: SESA/SVS/DECA/DVCDE/PECT/SINAN em *Casos preliminares todas as formas e todo tipo de entrada

134 O QUE É O CONSELHO DA COMUNIDADE Lei n.º de 11/07/1984 O artigo 80, capítulo VIII da Lei de Execução Penal, assim dispõe: Haverá, em cada Comarca, um Conselho da Comunidade, composto, no mínimo, por um representante de associação comercial ou industrial, um advogado indicado pela seção da Ordem dos Advogados do Brasil e um assistente social escolhido pela Delegacia Seccional do Conselho Nacional de Assistentes Sociais. Parágrafo único. Na falta da representação prevista neste artigo, ficará a critério do juiz da execução a escolha dos integrantes do Conselho.

135 QUAIS SÃO AS ATRIBUIÇÕES DO CONSELHO O artigo 81 da Lei de Execução Penal, assim dispõe: Incumbe ao Conselho da Comunidade: I- visitar, pelo menos mensalmente, os estabelecimentos penais existentes na Comarca; II- entrevistar presos; III- apresentar relatórios mensais ao juiz da execução e ao Conselho Penitenciário; IV- diligenciar a obtenção de recursos materiais e humanos para melhor assistência ao preso ou internado, em harmonia com a direção do estabelecimento.

136 Pessoas privadas de liberdade Consideradas munícipes. Devem ser visitadas pelo serviço de saúde da área de abrangência da cada U.S. Procurar o Conselho da Comunidade dos municípios que têm – lista será disponibilizada no site.

137 TUBERCULOSE MULTIRRESISTENTE

138 Custo do tratamento e exames TILTB: 180 dias – R$ 16,20 Esquema Básico: 6 meses R$ 33,60 TBMR: 18 meses – R$ 7.027,20 Baciloscpia direta BAAR: diagnóstico e controle: R$ 4,20 Cultura para BAAR: R$ 5,63 Broncoscopia: R$ 36,02 Biópsia de pleura: R$ 113,68 Tomografia computadorizada de tórax: R$ 136,41 Fonte: CEMEPAR em Fonte: competência out/2012 em

139 % de detecção de TBMR. Paraná, 2001 a 2011*. ANOCASOS NOVOS TB TBMR PRIMÁRIA 1,4 % ESTIMADO TBMR ADQUIRIDA 8 % ESTIMADO TOTAL ESTIMADO TBMR DIAGNOSTICADOS % DETECÇÃO , , , , , , , , , , ,3 Fonte: SESA/SVS/DECA/DVCDE/PECT/SINAN em e SITETB em * Dados preliminares - OBS.: Estimativas com número aproximados.

140 Incidência de TB resistente. Paraná,1999 a 2012*. Fonte: Sistema SITETB em 07/11/2012 * Dados preliminares

141 Situação de encerramento de monorresistência. Paraná, 1999 a 2012*. Fonte: Sistema TBMR em * Dados preliminares

142 Situação de encerramento de polirresistência. Paraná, 1999 a 2012*. Fonte: Sistema TBMR em * Dados preliminares

143 Situação de encerramento de TBMR. Paraná, 1999 a 2012*. Fonte: Sistema TBMR em * Dados preliminares

144 Situação de encerramento de XDR. Paraná, 1999 a 2012*. Fonte: Sistema TBMR em * Dados preliminares

145 TUBERCULOSE RESISTENTE À RIFAMPICINA. PARANÁ, 2009 a 2012*. 3 FONTE: LACEN-PR em * Dados preliminares 2010: : 1 Legenda : :

146 TUBERCULOSE RESISTENTE À ISONIAZIDA. PARANÁ, 2009 a 2012*. FONTE: LACEN-PR em * Dados preliminares

147 TUBERCULOSE RESISTENTE À RIFAMPICINA E ISONIAZIDA E XDR. PARANÁ, 2009 a 2012*. XDR: 2006, 2009 e 2012 FONTE: LACEN-PR em * Dados preliminares

148 MICOBACTÉRIAS NÃO TUBERCULOSAS. PARANÁ, 2009 a 2012*. FONTE: LACEN-PR em * Dados preliminares 2010: : 05 Legenda 2012*: :

149 REFERÊNCIAS PARA TRATAMENTO DA TUBERCULOSE. PARANÁ, SECUNDÁRIAS: 23 TERCIÁRIAS: 05 HOSPITAL: 01 Leste Curitiba Norte Londrina Noroeste Maringá Oeste Cascavel PROPOSTA EXISTENTE SECUNDÁRIAS: 08 SECUN. MUNC.:01 TERCIÁRIAS: 04 HOSPITAL: 01

150 FLUXO DE LIBERAÇÃO DE ESQUEMAS ESPECIAIS PARA TUBERCULOSE - REFERÊNCIA UNIDADE DE SAÚDE Preenche ficha de ficha de notificação de esquemas especiais – SITE TB e digita no SITE TB. Adequado Inadequado: verificar no SITE TB as pendências DIARIAMENTE. Ver no SITE TB que foi validado. Pós-consulta: combinar com o paciente qual US que fará o TDO, provavelmente a que o encaminhou à referência; telefonar para US avisando: a data que o paciente foi orientado a comparecer na US e o esquema prescrito; passar por fax a receita para Vigilância Epidemiológica do município da US; anotar no prontuário: nome do contato telefônico, data que orientou o retorno à US e demais orientações dadas. Preencher e enviar Boletim de Transferência. CRPHF verifica o esquema Serviço de Referência Secundária US que fará o TDO SCINE RS CEMEPAR SCINE/RS encaminha a medicação para o município 06/12/2012

151 Parcerias Coordenação de DST/Aids Coordenação de Atenção Primária Coordenação do SINAN Coordenação de Saúde Mental Coordenação de Saúde do Trabalhador Centro de Atendimento Psicossocial – CAPS Farmacêuticos / Bioquímicos Hospital Regional S. Sebastião da Lapa Complexo Médico Penal: Pinhais LACEN-PR CEMEPAR Conselhos da Comunidade Fundação da Ação Social de Curitiba Secretaria de Estado da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos Secretaria Especial de Saúde Indígena

152 IMPRESSOS PRODUZIDOS Álbum seriado 2.Carteiras de acompanhamento 3.Cartaz 4.Folder 5.Ficha de acompanhamento 6.Resultado de Prova Tuberculínica 7.Boletim de transferência 8.Coleta de amostras 9.Cartaz de mesa 10.Ficha de notificação para tratamento de infecção latente

153 Programa Estadual de Controle da Tuberculose –Elisabeth Thadeo Sens - –Betina Mendez Alcântara Gabardo - –Maria Francisca Teresa –Soeli do Rocio Daguetti - SESA/SVS/DECA/DVCDE Programa Estadual de Controle da Tuberculose Rua Piquiri, 170 – Curitiba, Paraná – CEP – 140. Fone/Fax: (41) 3330 – 4546


Carregar ppt "Tuberculose no mundo Um terço da população está infectada. 6,2 milhões de casos notificados em 2010. 82 % dos casos em 22 países. 1,1 milhão de morte."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google