A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

HISTOLOGIA VEGETAL - MERISTEMAS E TECIDOS PERMANENTES Prof. Regis Romero.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "HISTOLOGIA VEGETAL - MERISTEMAS E TECIDOS PERMANENTES Prof. Regis Romero."— Transcrição da apresentação:

1 HISTOLOGIA VEGETAL - MERISTEMAS E TECIDOS PERMANENTES Prof. Regis Romero

2 Tecidos meristemáticos ou embrionários Tecidos adultos ou permanentes tecidos meristemáticos Primários tecidos meristemáticos secundários tecidos de revestimento ou proteção tecidos de sustentação tecidos de condução de seivas tecidos de preenchimento ou parênquimas dermatogênio ou protoderme periblema ou meristema fundamental pleroma ou procâmbio caliptrogênio Câmbio Felogênio epiderme (vivo) súber (morto) colênquima (vivo) esclerênquima (morto) xilema (morto) floema (vivo) parênquima clorofiliano parênquima amilífero ou de reserva parênquima aerífero parênquima aquífero

3 Os meristemas sempre estimulam crescimento suas células são indiferenciadas ou totipotentes suas células sempre estão sofrendo mitoses meristema primário que provoca crescimento primário (em altura) meristema secundário que provoca crescimento secundário (em espessura) [ [ podem formar outros tecidos, principalmente os adultos ou permanentes Ex. câmbio Ex. felogênio Ex. periblema Ou meristema fundamental Ex. pleroma ou Procâmbio Ex. dermatogênio ou protoderme Xilema Floema Súber Feloderme Tecidos de sustentação Tecidos de preenchimento câmbio epiderme

4 Meristemas ( Planta adulta)

5 Diferenciação Vacúolos pequenos núcleo volumoso um único e grande vacúolo parede celular delgada parede celular espessa

6 Diferenciação

7 floemaxilemas procâmbio meristema fundamental protoderme coifa ou caliptra periblema ou meristema fundamental procâmbio protoderme

8 Tec. Meristemático secundário Tec. meristemático secundário

9

10

11 Tecidos adultos ou permanentes Tecidos adultos ou permanentes tecidos de revestimento ou proteção tecidos de sustentação tecidos de condução de seivas tecidos de preenchimento ou parênquimas epiderme (vivo) súber (morto) colênquima (vivo) esclerênquima (morto) xilema (morto) floema (vivo) parênquima clorofiliano parênquima amilífero ou de reserva parênquima aerífero parênquima aquífero

12 De revestimento e proteção De revestimento e proteção: Epiderme Formada apenas por uma única camada de células vivas; Suas células são aclorofiladas; Reveste as folhas e as partes mais jovens da planta, aparecendo também na zona pilífera da raiz; possui alguns anexos importantes, tais como os estômatos, os hidatódios, a cutícula, os acúleos e os pêlos (absorventes, urticantes...)

13 Súber É formado por várias camadas de células mortas, devido a impregnação de suberina, uma substância impermeável (de natureza lipídica); Reveste principalmente as partes mais velhas do caule e da raiz, mas nunca das folhas; Protegem a planta contra predadores, excesso de calor e até mesmo contra o fogo; Seu principal anexo é a lenticela, pequenas rachaduras no súber que permitem as trocas gasosas;

14

15

16 ocorre predominantemente nas folhas são rachaduras do súber

17 São estômatos modificados, adaptados a perder o excesso de água na forma líquida, de gotinhas.

18

19 Tecidos de sustentação Colênquima É formado por células vivas, que apresentam reforços de celulose nos cantos da célula; São mais frequentes nas partes jovens da planta, oferecendo à ela sustentação com flexibilidade; pode ser comparado tecido cartilaginoso nos animais.

20 reforço de celulose nos ângulos da célula.

21 Esclerênquima É formado por células mortas que sofreram uma impregnação de lignina (substância impermeável) e muito dura; Pode ser comparado ao tecido ósseo dos animais; Ocorre predominantemente nas partes mais velhas da planta; Suas principais células são as fibras e os escleritos ou esclerídeos.

22 reforços de lignina

23

24

25 Tecidos de condução de seivas Xilema ou Lenho formado por células mortas, impregnadas de lignina; transporta a seiva bruta ou inorgânica das raízes até as folhas; em relação ao floema é um tecido mais interno; além do papel que realiza no transporte de seiva, também atua como importante tecido de sustentação; as principais células do xilema são os elementos do vaso e os traqueídes.

26 Floema ou Líber formado por células vivas; transporta a seiva elaborada ou orgânica, das folhas até o caule e as raízes; é um tecido mais periférico em relação ao xilema, ficando logo abaixo da casca da planta; suas principais células são os elementos do tubo crivado e a célula companheira.

27 Célula companheira Célula companheira Célula ou elemento do tubo crivado Placa crivada Vaso do floema ou vaso liberiano

28

29 Célula do tubo crivado

30

31

32 Tecidos de preenchimento ou parênquimas Parênquima clorofiliano ou assimilador Parênquima amilífero ou de reserva Parênquima aerífero ou aerênquima Parênquima aquífero Realiza a fotossíntese, e por isso é mais abundante nas folhas e nos caules verdes; É um parênquima que armazena reservas principalmente na forma de amido. Ele é mais abundante nas raízes; Armazena ar, não para a sua respiração, mas para conseguir ficar mais leve e flutuar no ambiente aquático. É muito desenvolvido na vitória-régia e nos aguapés; Armazena água para resistir ao dias de Dificuldade. É bem desenvolvido nas plantas Xerófitas ( de clima quente e seco)

33 Parênquimas e suas funções

34

35 Resumo dos tecidos vegetais

36


Carregar ppt "HISTOLOGIA VEGETAL - MERISTEMAS E TECIDOS PERMANENTES Prof. Regis Romero."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google