A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

2004/2005 MEEC - Gestão de Energia em Edifícios e na Indústria 1 URE em edifícios. Tecnologias Solares Passivas. Álvaro Gomes Mestrado em Engenharia Electrotécnica.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "2004/2005 MEEC - Gestão de Energia em Edifícios e na Indústria 1 URE em edifícios. Tecnologias Solares Passivas. Álvaro Gomes Mestrado em Engenharia Electrotécnica."— Transcrição da apresentação:

1 2004/2005 MEEC - Gestão de Energia em Edifícios e na Indústria 1 URE em edifícios. Tecnologias Solares Passivas. Álvaro Gomes Mestrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores Gestão de Energia em Edifícios e na Indústria

2 22004/2005 MEEC - Gestão de Energia em Edifícios e na Indústria Edifícios - objectivos Oferecer aos seus ocupantes um ambiente agradável para o desenvolvimento da sua actividade (na habitação, local de trabalho, de lazer ou outro) Conforto Térmico Térmico Qualidade do ar Qualidade do ar Estético Estético …. ….

3 32004/2005 MEEC - Gestão de Energia em Edifícios e na Indústria Edifícios - introdução Os níveis exigidos de conforto são atingidos de uma forma passiva e/ou através de sistemas activos Quando têm um mau comportamento térmico exigem maiores quantidades de energia para atingir os níveis exigidos de conforto Quando têm um mau comportamento térmico exigem maiores quantidades de energia para atingir os níveis exigidos de conforto Exigência em termos de níveis de conforto a aumentar (aumento do nível de vida) Exigência em termos de níveis de conforto a aumentar (aumento do nível de vida) Aumento rápido do consumo de energia: o crescimento médio anual nos consumos de energia na última década tem sido de 3,7% nos edifícios residenciais e 7,1% nos edifícios de serviços É necessário contrariar esta tendência …

4 42004/2005 MEEC - Gestão de Energia em Edifícios e na Indústria … modo de actuação: Conceber edifícios cujas necessidades de aquecimento e de arrefecimento (via sistemas activos) sejam pequenas Arquitectura e soluções construtivas, explorando o potencial: Arquitectura e soluções construtivas, explorando o potencial: da radiação solar e ventilação natural para aquecimento no inverno, da radiação solar e ventilação natural para aquecimento no inverno, arrefecimento no verão, iluminação natural todo o ano Quando necessários, usar sistemas activos eficientes e com uma utilização racional Utilização racional dos edifícios

5 52004/2005 MEEC - Gestão de Energia em Edifícios e na Indústria URE nos edifícios Engloba aspectos relacionados com: Concepção do edifício (desde a implantação no local até à escolha de soluções arquitectónicas – solar passivo) Concepção do edifício (desde a implantação no local até à escolha de soluções arquitectónicas – solar passivo) Sistemas activos (selecção e utilização) Sistemas activos (selecção e utilização)

6 62004/2005 MEEC - Gestão de Energia em Edifícios e na Indústria Aproveitamento passivo da energia solar – 1 Utilização da energia solar (térmica e luminosa) sem recorrer a sistemas activos Aquecimento solar passivo: uso da energia solar na forma térmica para aquecimento (é captada e transportada sem intervenção de meios mecânicos - por meio de condução, radiação e convecção naturais) Aquecimento solar passivo: uso da energia solar na forma térmica para aquecimento (é captada e transportada sem intervenção de meios mecânicos - por meio de condução, radiação e convecção naturais) Captação de luz natural Captação de luz natural

7 72004/2005 MEEC - Gestão de Energia em Edifícios e na Indústria Aproveitamento passivo da energia solar - 2 Existe sempre, bem ou mal efectuado Pode não ser fácil combinar o aproveitamento das duas formas de energia Objectivo: minimizar a utilização dos sistemas activos

8 82004/2005 MEEC - Gestão de Energia em Edifícios e na Indústria Elementos de um sistema de ASP Envidraçados Sombreamentos variáveis para controlo da entrada de luz solar Isolamento removível para evitar perdas durante a noite Massa de armazenamento Sombreamentos para controlar fluxo de luz para a massa de armazenamento Isolamento ajustável para controlar a libertação de calor da massa Dispositivos de difusão e distribuição da luz solar

9 92004/2005 MEEC - Gestão de Energia em Edifícios e na Indústria Edifícios - aspectos a considerar Implantação do edifício localização localização Orientação Orientação Forma (relação área/volume) Envolvente (opaca e envidraçada) Soluções construtivas Soluções construtivas Materiais Materiais Organização interna dos espaços Sombreamentos

10 102004/2005 MEEC - Gestão de Energia em Edifícios e na Indústria Localização Insolação;Humidade; Ventos predominantes; Sombreamento; Zonas verdes (zonas urbanas); Manchas de água.

11 112004/2005 MEEC - Gestão de Energia em Edifícios e na Indústria Localização

12 122004/2005 MEEC - Gestão de Energia em Edifícios e na Indústria Localização

13 132004/2005 MEEC - Gestão de Energia em Edifícios e na Indústria Orientação Energia incidente por dia médio, 51º N

14 142004/2005 MEEC - Gestão de Energia em Edifícios e na Indústria Movimento do sol

15 152004/2005 MEEC - Gestão de Energia em Edifícios e na Indústria Orientação

16 162004/2005 MEEC - Gestão de Energia em Edifícios e na Indústria Forma Quanto mais compacta, menos trocas de calor com o exterior / influência dos ventos

17 172004/2005 MEEC - Gestão de Energia em Edifícios e na Indústria Envolvente - isolamento

18 182004/2005 MEEC - Gestão de Energia em Edifícios e na Indústria Envolvente - isolamento - materiais materiais Espessura (mm) Massa super- ficial (kg/m2) Transmissão de calor (W/m2ºK) Parede alv. simples (tijolo furado) – 2.6 Parede alv. simples (tijolo furado) Parede alv. simples (betão normal) Parede dupla alv. simples (tij. furado) (170)(160) Parede dupla alv. (tij. Furado+isol+ar) (130)(160)(ar=4cm)0.5 Vidro simples Vidro duplo 204

19 192004/2005 MEEC - Gestão de Energia em Edifícios e na Indústria Envolvente - isolamento - materiais (espessura equivalente)

20 202004/2005 MEEC - Gestão de Energia em Edifícios e na Indústria Envolvente - pontes térmicas

21 212004/2005 MEEC - Gestão de Energia em Edifícios e na Indústria Envolvente - protecções

22 222004/2005 MEEC - Gestão de Energia em Edifícios e na Indústria Envolvente – vãos e protecçõs

23 232004/2005 MEEC - Gestão de Energia em Edifícios e na Indústria Envolvente - protecções Fachada Sul Fachada Norte

24 242004/2005 MEEC - Gestão de Energia em Edifícios e na Indústria Envolvente - protecções exteriores

25 252004/2005 MEEC - Gestão de Energia em Edifícios e na Indústria Conforto térmico Aquecimento (tipos de ganho externo)

26 262004/2005 MEEC - Gestão de Energia em Edifícios e na Indústria Conforto térmico Arrefecimento e ventilação ventilação natural (ventos, estratificação) ventilação natural (ventos, estratificação) arrefecimento evaporativo

27 272004/2005 MEEC - Gestão de Energia em Edifícios e na Indústria Conforto visual Iluminação natural

28 282004/2005 MEEC - Gestão de Energia em Edifícios e na Indústria Iluminação natural - Ex. os Clarabóia / Poço de luz

29 292004/2005 MEEC - Gestão de Energia em Edifícios e na Indústria Concepção e projecto eficientes Compromissos de concepção entre o conforto visual e o térmico O papel da automatização na optimização dos edifícios eficientes Ex os: luz natural + luz artificial free cooling ventilação natural sistemas de ganho indirecto

30 302004/2005 MEEC - Gestão de Energia em Edifícios e na Indústria Estratégias para satisfazer objectivos da URE nos edifícios - 1 Aquecimento na estação fria Maximizar ganhos solares (envidraçados preferencialmente orientados a sul – eixo dominante do edifício nascente-poente) Maximizar ganhos solares (envidraçados preferencialmente orientados a sul – eixo dominante do edifício nascente-poente) Isolamento térmico da envolvente Isolamento térmico da envolvente Vidros e caixilharias de qualidade Vidros e caixilharias de qualidade Minimização das pontes térmicas Minimização das pontes térmicas Arrefecimento na estação quente Sombreamento dos envidraçados (excepto os voltados a norte) preferencialmente pelo exterior Sombreamento dos envidraçados (excepto os voltados a norte) preferencialmente pelo exterior Soluções construtivas com inércia térmica pesada Soluções construtivas com inércia térmica pesada Favorecer a ventilação natural, quando útil Favorecer a ventilação natural, quando útil Evitar cargas internas elevadas em zonas com má ventilação natural Evitar cargas internas elevadas em zonas com má ventilação natural

31 312004/2005 MEEC - Gestão de Energia em Edifícios e na Indústria Estratégias para satisfazer objectivos da URE nos edifícios - 2 Iluminação natural Evitar edifícios muito profundos Evitar edifícios muito profundos Controlar incidências directas Controlar incidências directas Áreas envidraçadas adequadas na envolvente Áreas envidraçadas adequadas na envolvente Cores adequadas no interior Cores adequadas no interior Sistemas de iluminação artificial adequadamente concebidos Sistemas de iluminação artificial adequadamente concebidos Qualidade do ar interior Ventilação mínima garantida Ventilação mínima garantida Controlo das infiltrações Controlo das infiltrações Controlo das fontes de poluição Controlo das fontes de poluição

32 322004/2005 MEEC - Gestão de Energia em Edifícios e na Indústria TSP (abordagem quase reducionista) Localização Onde receba o máximo de sol no inverno, parte norte do terreno Forma e orientação Forma rectangular com eixo E-W expõe a maior fachada a sul e reduz perdas inverno e necessidades de arrefecimento no verão Fachada norte Deve ser convenientemente protegida: declive do terreno, talude ou redução de aberturas Arranjo espaços int Os espaços com menores exigências de aquec. ou ilumin. devem estar na zona norte – tampão Entrada protegida Pequena e protegida dos ventos dominantes Janelas Mais a S, SE e SW. Poucas a E, W e N

33 332004/2005 MEEC - Gestão de Energia em Edifícios e na Indústria TSP (abordagem quase reducionista) Massa de armazenamento térmico As divisórias interiores devem ter capacidade adequada de armazenamento (espessura); a radiação deve ser preferencialmente difusa Isolamento móvel Os vãos envidraçados devem ter isolamento móvel Sombreamento Devem ser previstos sombreamentos nos envidraçados a sul Isolamento exterior O isolamento deve estar na caixa de ar ou no exterior – armazenamento Arrefecimento verão Prever ventilação natural para o verão (estando assegurado o sombreamento)


Carregar ppt "2004/2005 MEEC - Gestão de Energia em Edifícios e na Indústria 1 URE em edifícios. Tecnologias Solares Passivas. Álvaro Gomes Mestrado em Engenharia Electrotécnica."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google