A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Trabalho e Energia Mecânica I DEMGi - Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial Mecânica I.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Trabalho e Energia Mecânica I DEMGi - Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial Mecânica I."— Transcrição da apresentação:

1 Trabalho e Energia Mecânica I DEMGi - Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial Mecânica I

2 Trabalho e Energia Steven Hawking A ideia de energia está intimamente ligada à de trabalho. Intuitivamente, podemos pensar em energia como alguma coisa que se manifesta continuamente e que pode ser utilizada para realizar trabalho útil. A energia não pode ser criada nem destruída. Ela apenas se manifesta sob outras formas de energia. Exemplos de formas de manifestação da energia Energia Térmica Energia Eléctrica Energia Radiante Energia Química Energia Nuclear DEMGi - Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial Mecânica I

3 Define-se trabalho como o produto intensidade da força aplicada sobre um corpo pelo deslocamento que esse corpo sofre na direcção da força. Trabalho de uma força James P. Joule ( ) Sempre que aplicamos uma força sobre um corpo, provocando o seu deslocamento, estamos a transferir energia, então diz-se que estamos a realizar um trabalho. W - trabalho (J) F - força (N) - ângulo formado entre a força e a horizontal x - distância (m) DEMGi - Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial Mecânica I

4 Trabalho de uma força constante num deslocamento rectilíneo DEMGi - Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial Mecânica I

5 Trabalho de uma força constante num deslocamento rectilíneo Área DEMGi - Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial Mecânica I

6 0 1 y Definição: É o trabalho realizado por essa força, sobre uma massa unitária, para deslocá-la sobre uma trajectória qualquer desde um ponto inicial até ao plano de referência. Trabalho da força gravítica numa trajectória qualquer DEMGi - Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial Mecânica I

7 Tomando-se por ponto de referência a posição de equilíbrio do sistema deformável, a sua energia potencial elástica, quando apresenta a deformação x, é medida pelo trabalho realizado pelas forças elásticas de restituição no deslocamento x: Trabalho das forças elásticas restauradoras O trabalho é positivo quando o corpo se aproxima da posição correspondente à da mola indeformada A xkF DEMGi - Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial Mecânica I

8 Trabalho da força variável numa trajectória qualquer A DEMGi - Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial Mecânica I

9 Trabalho da força de intensidade constante, tangencial, numa rotação R DEMGi - Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial Mecânica I

10 Teorema de Varignon O trabalho da força resultante de um sistema de forças num dado deslocamento é igual à soma algébrica dos trabalhos realizados por cada uma das forças. + S A B DEMGi - Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial Mecânica I

11 Energia Mecânica James Prescott Joule ( ) Energia Cinética Para que um corpo esteja em movimento em relação a um dado referencial é necessário que haja uma forma de energia denominada energia cinética. Energia Potencial Gravitacional É a energia que corresponde ao trabalho que a força gravítica realiza num deslocamento de um nível considerado até outro nível de referência. Energia Potencial Energia Cinética DEMGi - Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial Mecânica I

12 Energia Potencial Elástica Joseph Fourier ( ) É a energia que corresponde ao trabalho realizado pela força elástica ao deformar uma mola. A energia mecânica de um corpo ou de um sistema de corpos corresponde à soma das energias cinética e potencial. Energia mecânica DEMGi - Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial Mecânica I

13 Forças Conservativas Dizemos que as forças actuantes num corpo ou num sistema são dissipativas quando os seus trabalhos alteram a sua energia mecânica. Exemplos de forças dissipativas: forças de atrito actuando durante o deslocamento de um corpo, parte da sua energia mecânica (ou até a totalidade) dissipa-se sob forma de calor. Forças Dissipativas Energia Potencial Energia Cinética Uma força é conservativa se for nulo o trabalho que ela efectua sobre uma partícula que descreve uma trajectória fechada e retorna á posição inicial. Uma força diz-se conservativa quando trabalha no sentido de transformar energia potencial em cinética e vice-versa. Exemplos de Forças conservativas: força gravítica, força elástica e todas as forças cujo trabalho total é nulo (força centrípeta, força normal num deslizamento). DEMGi - Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial Mecânica I

14 A energia mecânica de um sistema mantém-se constante quando nele só operam forças do tipo conservativas: força gravítica, força elástica e forças cujo trabalho total é nulo. Conservação da Energia Mecânica Graficamente podemos mostrar que, à medida que o corpo desce, a sua energia potencial diminui, pois vai se transformando em energia cinética, de forma que a soma dessas energias (energia mecânica) permanece constante. Sistema Conservativo DEMGi - Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial Mecânica I

15 Teorema da Energia Cinética O trabalho total efectuado sobre uma partícula é igual á variação da energia cinética da partícula. Teorema da Energia Mecânica O trabalho efectuado pelas forças dissipativas sobre uma partícula é igual á variação da sua energia mecânica. DEMGi - Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial Mecânica I

16 Potência James Watt ( ) Um homem que precisa carregar uma mala do piso térreo para o quinto andar de um edifício pode pegá-la com a mão e transportá-la lentamente pela escada ou pode colocá-la no elevador. Em ambos os casos, o trabalho realizado (pelo homem ou pelo motor do elevador) é o mesmo. Esse trabalho é dado pelo produto do peso da mala pela altura a que se encontra o quinto andar. Mesmo que o trabalho realizado pelo homem ou pelo motor do elevador seja o mesmo, há entre os dois modos de realizá-lo uma diferença. O homem executa-o lentamente, enquanto o elevador realiza-o com rapidez. Por outras palavras, o motor do elevador é mais potente que o homem. Para exprimir a Potência de uma pessoa ou de um motor, é necessário conhecer o tempo que cada um deles gasta para realizar um determinado trabalho. Generalizando, podemos dizer que a potência com que uma força realiza um trabalho é a razão entre esse trabalho e o tempo gasto na sua realização. DEMGi - Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial Mecânica I

17 Rendimento Não existe máquina ideal, ou seja, aquela cujo trabalho das forças dissipativas é nulo. Para as máquinas reais o trabalho passivo (trabalho das forças dissipativas) deve ser incorporado como parcela do trabalho total; a outra parcela será o trabalho útil. Para tais máquinas tem-se, portanto: Nessas condições, define-se como rendimento da máquina a razão entre o trabalho útil e o trabalho total: Como na realidade W útil < W total o rendimento sempre será uma fracção da unidade. Para aumentar o rendimento das máquinas é necessário diminuir os atritos, o que se consegue por meio de lubrificantes, rolamentos de esferas de aço etc. DEMGi - Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial Mecânica I


Carregar ppt "Trabalho e Energia Mecânica I DEMGi - Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial Mecânica I."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google