A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 ISEL ECONOMIA – Políticas para o crescimento e a estabilização Políticas para o Crescimento e a Estabilização Instituto Superior de Engenharia de Lisboa.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 ISEL ECONOMIA – Políticas para o crescimento e a estabilização Políticas para o Crescimento e a Estabilização Instituto Superior de Engenharia de Lisboa."— Transcrição da apresentação:

1 1 ISEL ECONOMIA – Políticas para o crescimento e a estabilização Políticas para o Crescimento e a Estabilização Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Economia: Aula P9 Prof. Jorge Mendes de Sousa

2 2 ISEL ECONOMIA – Políticas para o crescimento e a estabilização Políticas para o crescimento e a estabilização Conteúdo 1. Introdução 2. Consequências da dívida pública 3. Interacção da política orçamental e monetária 4. Perspectiva económica no novo século 5. Tópicos para discussão

3 3 ISEL ECONOMIA – Políticas para o crescimento e a estabilização Introdução Citação A tarefa da estabilização económica exige que a economia não se afaste demasiado para cima, ou para baixo, de um nível de emprego constante e elevado. De um modo resultaria inflação e do outro recessão. A política orçamental e monetária vigilante e flexível permitir-nos-á seguir pelo estreito meio termo. Presidente John F. Kennedy (1962)

4 4 ISEL ECONOMIA – Políticas para o crescimento e a estabilização Introdução Revisão dos objectivos e instrumentos da macroeconomia Objectivos Objectivos Produto Nível elevado e crescimento rápido do produto Emprego Nível elevado de emprego e desemprego involuntário baixo Estabilidade de preços Nível de preços constante Instrumentos Política monetária Controlo da oferta de moeda. Determinação da taxa de juro Política orçamental Despesa pública. Impostos (política fiscal)

5 5 ISEL ECONOMIA – Políticas para o crescimento e a estabilização Consequências económicas da dívida pública Excedente, défice e equilíbrio orçamentais 1. Excedente orçamental Ocorre um excedente orçamental quando, num ano, o valor de todos os impostos e outras receitas são superiores às despesas do Estado. 2. Défice orçamental Verifica-se um défice orçamental quando, num ano, o valor das despesas ultrapassa o valor das receitas do Estado. 3. Equilíbrio orçamental Quando, num ano, o valor das despesas é igual ao valor das receitas então o Estado tem um equilíbrio orçamental.

6 6 ISEL ECONOMIA – Políticas para o crescimento e a estabilização Consequências económicas da dívida pública Tendências do orçamento de estado (EUA )

7 7 ISEL ECONOMIA – Políticas para o crescimento e a estabilização Consequências económicas da dívida pública Dívida vs. défice Défice orçamental Défice orçamental Quando incorre num défice orçamental, o governo tem de pedir emprestado no mercado para pagar as suas despesas. Para obter este empréstimo, o governo emite obrigações, que são dívidas pelas quais se compromete ao pagamento futuro (com juros que representam o serviço da dívida pública). Dívida pública A dívida do Estado, por vezes designada por dívida pública, consiste na dívida total acumulada, devida à emissão das obrigações destinadas a financiar os défices orçamentais ocorridos nos diversos anos passados.

8 8 ISEL ECONOMIA – Políticas para o crescimento e a estabilização Consequências económicas da dívida pública Défices cíclicos, estruturais e efectivos 1. Orçamento efectivo O orçamento efectivo regista o valor monetário efectivo das despesas, receitas e défices num dado período. 2. Orçamento estrutural O orçamento estrutural calcula quais as receitas, despesas e défices do Estado que ocorreriam se a economia estivesse a funcionar no produto potencial. 3. Orçamento cíclico O orçamento cíclico é a diferença entre o orçamento efectivo e o orçamento estrutural. Quantifica o impacto do ciclo económico sobre o orçamento, ao nível das receitas, despesas e défice.

9 9 ISEL ECONOMIA – Políticas para o crescimento e a estabilização Consequências económicas da dívida pública Défices cíclicos, estruturais e efectivos

10 10 ISEL ECONOMIA – Políticas para o crescimento e a estabilização Interacção da política orçamental e monetária Impacto da política orçamental – curto prazo Curto prazo Curto prazo No curto prazo, maior despesa e menores taxas de impostos tendem a aumentar a procura agregada e assim aumentar o produto e a reduzir o desemprego. Este é o impacto keynesiano da política orçamental, que funciona através do aumento do produto efectivo em relação ao produto potencial. O impacto expansionista da política orçamental pode ser anulado por uma política monetária apertada, especialmente se o banco central pensar que a economia está perto da zona de perigo de inflação correspondente à NAIRU. Pode haver expulsão de investimento se a reacção monetária for forte.

11 11 ISEL ECONOMIA – Políticas para o crescimento e a estabilização Interacção da política orçamental e monetária Impacto da política orçamental – longo prazo Longo prazo No longo prazo, uma maior despesa e menores taxas de impostos tendem a reduzir a taxa de crescimento da economia. O impacto sobre o crescimento diz respeito ao impacto dos défices do Estado sobre a poupança e o investimento nacionais numa economia em pleno emprego. Se os impostos forem menores, isto fará diminuir a poupança pública e, porque é improvável que a poupança privada aumente tanto quanto a pública se reduz, a poupança e o investimento nacionais irão diminuir. A redução do investimento levará a um crescimento mais lento da massa de capital e portanto do produto potencial.

12 12 ISEL ECONOMIA – Políticas para o crescimento e a estabilização Perspectiva económica no novo século Citação A produtividade não é tudo, mas, a longo prazo, é quase tudo. A capacidade de um país para melhorar os seus níveis de vida ao longo do tempo depende quase inteiramente da sua capacidade para aumentar o seu produto por trabalhador Paul Krugman (MIT)

13 13 ISEL ECONOMIA – Políticas para o crescimento e a estabilização Perspectiva económica no novo século Elementos para o crescimento e desenvolvimento 1. Investimento 2. Espírito empresarial 3. Progresso tecnológico / Inovação 4. Direitos humanos / Liberdades políticas 5. Condições de vida adequadas

14 14 ISEL ECONOMIA – Políticas para o crescimento e a estabilização Tópicos para discussão 1. Explique cada uma das seguintes afirmações: a. Um défice público leva ao aumento da dívida pública b. A redução do défice não reduz a dívida pública c. A redução da dívida pública exige um excedente orçamental d. Ainda que o défice do Estado tenha sido reduzido no período de 1993 a 1998 (EUA), mesmo assim a dívida pública aumento significativamente 2. Explique o impacto, tanto no curto prazo como no longo prazo, de uma política orçamental expansionista.

15 15 ISEL ECONOMIA – Políticas para o crescimento e a estabilização Políticas para o Crescimento e a Estabilização Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Economia: Aula P9 Prof. Jorge Mendes de Sousa


Carregar ppt "1 ISEL ECONOMIA – Políticas para o crescimento e a estabilização Políticas para o Crescimento e a Estabilização Instituto Superior de Engenharia de Lisboa."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google