A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Capítulo 6 Política Macroeconómica no curto prazo com câmbios fixos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Capítulo 6 Política Macroeconómica no curto prazo com câmbios fixos."— Transcrição da apresentação:

1 Capítulo 6 Política Macroeconómica no curto prazo com câmbios fixos

2 Política macro de curto prazo Quais os objectivos da política macroeconómica em economia aberta? Qual a eficácia das políticas macro num regime de câmbios fixos: Política fiscal; Política monetária; Política cambial.

3 Objectivos Equilíbrio Interno: pleno emprego e estabilidade de preços; Equilíbrio Externo: equilíbrio no mercado de divisas. Num regime de câmbios fixos implica o equilíbrio da balança de pagamentos. Num regime de câmbios flexíveis implica a estabilidade da taxa de câmbio.

4 O saldo da CAB é um objectivo? CAB=0 ? Implica prescindir dos ganhos de comércio numa perspectiva inter temporal. CAB>0 ? Implica uma acumulação de activos externos e baixos níveis de investimento interno. Aumenta a pressão externa para reduzir as exportações e abrir os mercados internos. CAB<0 ? Implica financiamento externo e uma grande dependência da percepção externa dos riscos da economia.

5 O equilíbrio geral é: uma coincidência? Um automatismo da economia? Um objectivo de política económica?

6 Equilíbrio Interno Devido ao declive negativo da curva IS e ao declive positivo da LM e da BOP esta intersecta sempre estas curvas mas não obrigatoriamente no mesmo ponto.

7 Politica macroeconómica de curto prazo Em que circunstâncias os instrumentos de politica económica estão disponíveis e são eficazes?

8 Objectivos e instrumentos O objectivo global da política macroeconómica numa economia aberta é levar a economia a atingir uma determinada performance. Os objectivos podem ser atingir simultaneamente o equilíbrio interno e externo. Os instrumentos possíveis incluem a política fiscal, gastos do estado e impostos, política monetária, gestão do stock monetário, e política cambial. O objectivo da nossa análise é determinar em que circunstâncias cada política está disponível e é eficiente.

9 Política Macroeconómica com câmbios fixos Capital imóvel

10 BOP LM IS Equilíbrio Interno e deficit da BOP. Banco Central vende divisas E diminui as suas reservas. Stock monetário contrai. LM* QIBQIB=QEB Défice da BOP e mecanismos de ajustamento

11 Politica Fiscal com imobilidade de capital IS 0 IS 1 LM 0 LM 1 BOP Aumento dos Gastos estado

12 Política fiscal Aumento de G ou diminuição de T; Curva IS 0 para IS 1 ; Taxa de juro aumenta; BOP <0; Intervenção do Banco central redução da oferta monetária; Rendimento volta ao nível inicial mas a sua composição altera-se; Efeito de crowding out devido à imobilidade de capital. Politica fiscal ineficaz para expandir economia e atingir equilíbrio interno.

13 IS 0 LM 0 =LM 2 BOP LM 1 i Q Política monetária Expansionista desloca LM 0 para LM 1

14 Efeitos da política monetária Aumento do stock monetário; Redução da taxa de juros; Aumento de investimento; Aumento da despesa causa aumento do rendimento; Aumento do rendimento aumenta importações e causa déficit da BOP; Intervenção no mercado de divisas reduz oferta monetária e LM volta à posição inicial.

15 Esterilização monetária Variação de M=mm *(var. GB+var.FXR)=0 Logo –var FXR= var GB O efeito final é uma alteração no portfolio de activos do Banco Central. A politica a seguir nestas circunstâncias é comprar mais títulos para contrabalançar a redução nas reservas de divisas e aumentar a oferta monetária. Esta é uma politica de esterilização. Enquanto o governo prosseguir esta política a economia não atinge uma posição de equilíbrio externo; Neste caso os objectivos de politica doméstica sobrepõem-se aos objectivos externos.

16 Politica cambial BOP 0 IS 0 LM 0 Efeito da desvalorização

17 Efeitos da desvalorização Encoraja as exportações e diminui as importações; A desvalorização desloca a BOP e a IS para a direita; Inicialmente a economia move-se para uma posição superior de equilíbrio interno; O superhavit da BOP leva o Banco central a comprar o excesso de divisas aumentando o stock monetário; A curva LM desloca-se para a direita gerando um situação de equilíbrio geral consistente com um nível de rendimento superior;

18 Conclusão Com taxa de câmbio fixa e capital imóvel: Politica fiscal ineficaz; Politica monetária ineficaz; Politica cambial eficaz para alterar o nível de rendimento de equilíbrio.

19 Política macroeconómica com capital móvel O pressuposto de perfeita mobilidade do capital considera que os investidores decidem os activos em que investem com base na informação sobre taxas de juro e taxas de cambio; A KAB desempenha um papel central no mercado de divisas.

20 Política Fiscal BOP LM 0 LM 1 IS 0 IS 1 Y i

21 Efeitos da política fiscal Aumento dos gastos do estado; Deslocação da curva IS para cima e para a direita; Aumenta a procura de moeda e a taxa de juro; O aumento da taxa de juro gera uma entrada de capital e um excedente da BOP; Para manter a taxa de câmbio o Banco Central compra divisas e expande o stock monetário; A curva LM desloca-se para a direita e para baixo e a BOP volta à posição de equilíbrio.

22 Efeitos da politica fiscal com mobilidade de capital Com capital imóvel a política fiscal resultava em total crowding out e o nível de rendimento não era afectado; Com perfeita mobilidade de capital uma politica fiscal expansionista gera um aumento no stock monetário e previne o efeito de crowding out,

23 Política Monetária 1 2 IS BOP LM 0 LM 1 Y i

24 Efeitos da política monetária expansionista Política monetária expansionista desloca LM para a direita e para baixo; Taxa de juro doméstica desce e nível de rendimento de equilíbrio aumenta; A redução da taxa de juro provoca uma saída de capital; O aumento do rendimento provoca um aumento das importações e um deficit na CAB; O deficit da BOP leva o Banco Central a vender reservas até que o stock monetário se reduz para o nível inicial

25 Política cambial IS 0 LM 0 IS 1 LM 1 Y BOP i

26 Efeito da política cambial Uma desvalorização desloca a IS para a direita ao baixar os preços dos bens e serviços domésticos; A taxa de juro aumenta porque o aumento do rendimento de equilíbrio aumenta a procura de moeda; A BOP passa a uma posição superhavitária devido à entrada de capitais; O Banco central intervêm para adquirir o excesso de divisas e reduz o stock monetário deslocando a LM para a direita e para baixo.

27 Conclusão Com perfeita mobilidade de capital a politica fiscal e a politica cambial conseguem alterar o nível de rendimento de equilíbrio; A política monetária é ineficaz.

28 Politica fiscal com mobilidade imperfeita de capital IS 0 IS 1 LM 0 LM 1 BOP Y i

29 Efeitos da politica fiscal com mobilidade imperfeita de capita Aumento dos gastos do estado; Deslocação da curva IS para cima e para a direita; Aumenta a procura de moeda e a taxa de juro; O aumento da taxa de juro gera uma entrada de capital e um excedente da BOP; Para manter a taxa de câmbio o Banco Central compra divisas e expande o stock monetário; A nova posição de equilíbrio é gerada para um nível de taxa de juro e de rendimento mais elevados.

30 1 2 IS BOP LM 0 LM 1 Y i BOP Política monetária com mobilidade imperfeita de capital

31 Desvalorização com mobilidade imperfeita de capital LM 0 LM 1 IS 0 IS 1 BOP 0 BOP 1 Y i

32 Efeitos da política cambial com mobilidade imperfeita de capital Uma desvalorização desloca a IS para a direita ao baixar os preços dos bens e serviços domésticos; A taxa de juro aumenta porque o aumento do rendimento de equilíbrio aumenta a procura de moeda; A BOP passa a uma posição superhavitária devido à entrada de capitais; O Banco central intervêm para adquirir o excesso de divisas e reduz o stock monetário deslocando a LM para a direita e para baixo.


Carregar ppt "Capítulo 6 Política Macroeconómica no curto prazo com câmbios fixos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google