A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Capítulo 9 Preços e produto numa economia aberta.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Capítulo 9 Preços e produto numa economia aberta."— Transcrição da apresentação:

1 Capítulo 9 Preços e produto numa economia aberta

2 Enquadramento Qual é o comportamento da economia entre o curto e o longo prazo? Ou seja o que acontece quando o nível de preços se ajusta a choques económicos e alterações de política?

3 Março 2001 Junho 2005

4 Modelo AD/AS Para incorporar no nosso modelo o ajustamento de preços necessitamos de distinguir a oferta da procura e estudar a sua relação; O modelo de procura e oferta agregada da economia é neste caso o nosso laboratório para investigar as questões que já identificámos.

5 Maçãs versus PNB Q P Q P P 0 =P 1 P0P0 P1P1

6 Modelo AD/AS PNB P Oferta Agregada Procura Agregada

7 O declive da curva de procura agregada A curva de procura agregada tem um declive negativo por dois motivos; Em primeiro lugar um aumento no preço doméstico (P), com P* e e constantes,, aumenta o preço dos bens domésticos relativamente aos bens externos porque R=P/eP*. Logo os consumidores respondem consumindo menos bens domésticos e mais bens estrangeiros; A segunda motivo vem do mercado monetário. Um aumento de P provoca uma redução no saldo monetário real e um aumento da taxa de juro.

8 Modelo AD PNB P D(P|P*,e,M,G,T) Aumento de M,G,T Aumento de e, P*

9 Modelo AS PNB P MRAS LRAS

10 Curva de Oferta de Longo Prazo No longo prazo uma variação no nível geral de preços na economia implica que todos os preços se alteram proporcionalmente deixando os preços relativos inalterados; Porque as decisões sobre o que produzir dependem do nível relativo de preços o produto real da economia não se altera logo LRAS é vertical; A disponibilidade de recursos e de tecnologia determinam a posição da LRAS. A curva desloca-se para a direita com aumento no nível de recursos disponíveis e com o progresso tecnológico. A deslocação da LRAS acontece por via de factores que normalmente estão fora do âmbito das políticas macroeconómicas.

11 Curva de Oferta de Médio Prazo A curva de oferta de médio prazo captura o comportamento dos produtores e das empresas quando: Não à informação perfeita sobre os preços; Os preços são viscosos;

12 Política Macro com taxa de câmbio fixa LRAS MRAS 1 MRAS 2 Efeito duma política fiscal expansionista

13 Política Fiscal Uma política fiscal expansionista desloca a procura agregada para a direita de AD 1 para AD 2 e um aumento do nível geral de preços; Se os preços dos factores são viscosos as empresas respondem a esse aumento do preço relativo aumentando o produto; O aumento de preços domésticos e o desequilíbrio da balança de pagamentos levam a um aumento da taxa de juros doméstica e uma entrada de capitais provocando uma deslocação para AD 2 ; Quando os preços dos factores de ajustam à nova situação a curva de oferta agregada (MRAS) desloca-se para a esquerda e a economia volta à posição de equilíbrio de longo prazo; O efeito final é um aumento de preços sem efeito no produto real. O aumento no nível de preços altera R=P/eP* e tem como efeito uma contracção nas indústrias exportadoras e nas que competem com importações no mercado doméstico.

14 Necessidade duma política fiscal expansionista Se a economia está abaixo do pleno emprego pode uma política fiscal expansionista aumentar o produto? Sim mas o nível de preços aumentaria igualmente Com preços flexíveis a economia dispõe de mecanismos automáticos de reajustamento Neste caso o nível de preços desce e cria uma depreciação real; A competitividade da economia melhora e permite reequilibrar a CAB

15 MRAS 0 MRAS 1 AD 0 LRAS PNB P AJUSTAMENTO AUTOMÁTICO

16 Política monetária, preços e produto A política monetária é ineficaz com preços fixos, câmbios fixos e perfeita mobilidade de capital. Esta conclusão mantêm-se quando os preços são flexíveis; Uma expansão do stock monetário nominal causa uma descida da taxa de juros doméstica e uma saída de capital; A pressão gerada pelo déficit na BOP obriga o Banco Central a intervir oferecendo divisas e contraindo as suas reservas. O stock monetário contrai-se voltando ao nível inicial

17 Política cambial, preços e produto

18 MRAS 2 MRAS 0 AD 0 LRAS PNB P AJUSTAMENTO AUTOMÁTICO p0p0 p1p1 p2p2 AD 2 Aumento do preço Dos factores

19 Procura Agregada e câmbios flexíveis Como com câmbios fixos a curva de procurar agregada reflecte a relação entre o nível de preços doméstico e a quantidade de bens e serviços domésticos; A diferença é que com câmbios flexíveis qualquer alteração no nível de preços pode causar uma variação na taxa de câmbio; Assim a taxa de câmbio não é constante ao longo da curva de procura agregada mas ajusta-se para manter a BOP em equilíbrio.

20 Ajustamento automático com câmbios flexíveis Quando o nível de preços e a taxa de câmbio são flexíveis a economia tem mecanismos automáticos de ajustamento que restauram o equilíbrio de longo prazo e da BOP; Como no caso de câmbios fixos a velocidade de ajustamento pode ser lenta, especialmente o ajustamento dos preços;

21 AD 1 AD 2 MRAS 1 MRAS 2 LRAS P GDP p1p1 p2p2 Efeito duma política monetária expansionista com Preços flexíveis, taxa de câmbio flexível e perfeita Mobilidade de capital

22 Política monetária Uma operação de mercado aberto causa um aumento do stock monetário nominal e desloca AD 1 para a direita e o produto aumenta ao longo da curva MRAS 1; O aumento da procura é provocado pela depreciação da moeda pois como já vimos P e e devem aumentar proporcionalmente com M; O aumento do produto verifica-se porque os fornecedores de factores não ajustam automaticamente o preço dos factores; Com o aumento do preço para P 2 e o ajustamento de e R volta ao nível inicial e o preço dos factores aumentam. O produto volta ao nível de equilíbrio de longo prazo; No longo prazo o efeito da politica monetária expansionista é um nível de preços mais alto e uma moeda proporcionalmente depreciada. Como o ajustamento do nível de preços é mais lento do que o ajustamento da taxa de câmbio pode ocorrer um overshooting da taxa de câmbio

23 Política QPieRCAB Fiscal Iniciada na LRAS À esquerda da LRAS Monetária Iniciada na LRAS À esquerda da LRAS Sumário dos efeitos de longo prazo com câmbios flexíveis

24 Supply Shocks P1P1 LRAS 0 LRAS 1 MRAS 0 MRAS 1

25 Supply Shocks- Ajustamento automático P1P1 LRAS 0 LRAS 1 MRAS 0 MRAS p2p2 3 MRAS 2

26 Supply Shocks-política expansionista P1P1 LRAS 0 LRAS 1 MRAS 0 MRAS 1 AD 0 AD

27 Supply Shocks- política super-expansionista P1P1 LRAS 0 LRAS 1 MRAS 0 MRAS 1 AD 0 AD Q0Q0 Q1Q1 4

28 Argumentos a favor duma política de câmbios flexíveis Autonomia de política monetária. Sem necessidade de intervir para sustentar a taxa de câmbio os governos ficariam livres de usar os instrumentos monetários para atingir o equilíbrio interno e externo; Simetria. Neste sistema os USA não poderiam fixar unilateralmente as condições monetárias como faziam no sistema de Bretton Woods; As taxas de câmbio funcionariam como estabilizadores automáticos. Mesmo sem uma política monetária activa o rápido ajustamento no mercado cambial ajudaria a manter o equilíbrio interno e externo; Defensores dos câmbios flexíveis também argumentam que permitiria a cada país escolher a taxa de inflação de longo prazo sem importar inflação externa. As taxas de câmbio ajustam-se para eliminar as diferenças de inflação de acordo com a teoria da paridade do poder de compra


Carregar ppt "Capítulo 9 Preços e produto numa economia aberta."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google