A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Capítulo 7 Política Macroeconómica com câmbios flexíveis.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Capítulo 7 Política Macroeconómica com câmbios flexíveis."— Transcrição da apresentação:

1 Capítulo 7 Política Macroeconómica com câmbios flexíveis

2 O sistema monetário no pós guerra O sistema de Bretton Woods criado no pós guerra manteve a convertibilidade do dollar em ouro, à paridade de $35 por onça de ouro, mas todas as outras divisas têm a sua cotação definida em relação ao dollar; As taxas de câmbio eram fixas mas ajustáveis; Como resultado das políticas fiscais expansionistas dos EUA o dollar suspendeu a sua convertibilidade em 1971 e desvalorizou 10%; O sistema de câmbios fixos de Bretton Woods entrou em colapso em 1973; As moedas dos países industrias passaram a flutuar relativamente ao dollar; A resposta dos países europeus foi primeiro a criação da Serpente para limitar a flutuação das respectivas moedas e posteriormente a criação do Sistema Monetário Europeu

3 Introdução Um regime de câmbios flexíveis permite que a oferta e a procura de divisas determine a taxa de câmbio; Os Bancos Centrais não intervêm no mercado de divisas; O equilíbrio externo é atingido automaticamente através dos movimentos da taxa de câmbio; Num regime de câmbios flexíveis é quebrada a ligação entre a oferta de moeda e o equilíbrio da balança de pagamentos; Os defensores deste regime de câmbios argumentam que ao quebrar esta ligação permite usar a política monetária para atingir o equilíbrio interno. Em resumo um Banco Central pode controlar a oferta monetária ou a taxa de câmbio mas não ambos.

4 Política Fiscal: câmbios flexíveis LM BOP IS

5 Política fiscal: câmbios flexíveis e capital imóvel Um aumento de G desloca IS para a direita; O efeito inicial é um aumento do rendimento e da taxa de juro de equilíbrio; A este nível de rendimento a BOP é deficitária; A taxa de câmbio ajusta-se desvalorizando a moeda e a curva BOP desloca-se para a direita; A desvalorização altera os preços relativos dos bens e serviços domésticos e a IS desloca-se para direita até ao ponto de equilíbrio interno e externo.

6 Política monetária: câmbios flexíveis e capital imóvel LM 0 LM 1 IS 0 IS 1 BOP 0 BOP 1 Q0Q0 Q1Q1 Q i

7 Política monetária: câmbios flexíveis e capital imóvel O efeito inicial duma expansão do stock monetário é a descida da taxa de juro e um aumento no rendimento de equilíbrio; A variação na taxa de juro não afecta a BOP porque o capital é imóvel; O aumento do rendimento de equilíbrio gera um aumento das importações, um deficit da CAB e uma desvalorização da moeda; A desvalorização gera uma deslocação da IS e da BOP para a direita até uma nova posição de equilíbrio interno e externo; O equilíbrio externo não restringe a dimensão do stock monetário desde que se aceite o valor da taxa de câmbio;

8 Sumário A política fiscal e a política monetária são eficazes no regime de câmbios flexíveis com capital imóvel; Ambas as políticas expansionistas geram a desvalorização da moeda doméstica e orientam a despesa para bens e serviços domésticos

9 Política fiscal: câmbios flexíveis e capital móvel LM 0 IS 0 IS 1 IS 2 BOP 0 BOP 1 Q i

10 Política fiscal: câmbios flexíveis e capital móvel A mobilidade de capital reduz a eficácia da política fiscal com câmbios flexíveis; Um política fiscal expansionista gera uma valorização da moeda e um efeito de crowding out; A deslocação da IS devido ao aumento da despesa aumenta o rendimento de equilíbrio e a taxa de juros; Com perfeita mobilidade de capital os fluxos de capital geram um superávit da BOP e uma valorização da moeda; A valorização desloca a BOP para cima e a IS para baixo devido ao aumento dos preços relativos dos bens domésticos; O equilíbrio é restaurado quando a IS, LM e BOP se intersectam mas só é estável quando o rendimento volta à posição inicial; Enquanto a taxa de juro doméstica for superior ao nível inicial i 0 a pressão para a moeda se valorizar mantém-se.

11 Política monetária: Câmbios flexíveis e capital móvel LM 0 LM 1 BOP 0 BOP 1 IS 0 IS

12 Política monetária: Câmbios flexíveis e capital móvel A expansão monetária desloca a curva LM para a direita e para baixo; Com o aumento do stock monetário o rendimento e a taxa de juro ajustam-se para manter a procura de moeda igual à oferta; A diminuição da taxa de juro gera uma fuga de capitais e gera um déficit da BOP causando uma desvalorização da moeda; Se a expansão monetária é percebida como temporária os preços dos bens e serviços domésticos baixam e a curva IS desloca-se para a direita e a BOP para baixo para uma nova posição de equilíbrio. A política monetária expansionista desvaloriza a moeda, baixa a taxa de juro, aumenta o nível de rendimento e gera um excedente na BOP.

13 Sumário Com capital móvel uma política monetária expansionista origina uma valorização e um efeito de crowding out em que a despesa se desloca para os bens e serviços estrangeiros; A política monetária expansionista provoca uma desvalorização; Os efeitos finais das políticas dependem da percepção se a política é permanente ou temporária.

14 Política Fiscal: câmbios flexíveis e capital imperfeitamente móvel LM 0 IS 0 IS 1 IS 2 BOP 1 BOP 0 i Q 1 2 3

15 Política Fiscal: câmbios flexíveis e capital imperfeitamente móvel A política fiscal expansionista causa uma deslocação inicial da IS para a direita e para cima; O rendimento de equilíbrio e a taxa de juro aumentam; Em resposta ao aumento da taxa de juros capitais externos afluem causa um superhávit e uma valorização da moeda; A BOP movimenta-se para a esquerda e para baixo devido à valorização da moeda e a IS desloca-se para baixo devido à substituição de bens domésticos por bens externos devido à apreciação da moeda.

16 Política Monetária: câmbios flexíveis e capital imperfeitamente móvel LM 0 LM 1 IS 0 IS 1 BOP 0 BOP 1 Q i

17 Política Monetária: câmbios flexíveis e capital imperfeitamente móvel A expansão da massa monetária, LM para baixo, baixa a taxa de juro e gera uma fuga de capital; Como resultado da saída de capital gera-se um deficit ma BOP e a moeda desvaloriza-se; A desvalorização desloca a curva BOP para baixo, o preço relativo dos bens domésticos baixa e a procura por bens domésticos aumenta deslocando a IS para a direita; O novo equilíbrio é encontrado a um nível superior de rendimento porque a desvalorização favorece os sectores exportadores e os que competem com importações no mercado doméstico.

18 Sumário da eficácia das políticas macro num regime de câmbios flexíveis A eficácia depende do grau de mobilidade do capital; Quando a mobilidade aumenta a eficácia da política monetária aumenta devido ao seu impacto na taxa de câmbio; As variações induzidas na taxa de câmbio são importantes num contexto em que assumimos que os preços são fixos; As alterações nos preços relativos por via da taxa de câmbio geram deslocações da procura entre o sector doméstico e o sector externo. Uma taxa de câmbio flexível permite à autoridade monetária controlar o stock monetário através de operações de mercado; A escolha da combinação de políticas afecta a performance relativa das industrias domésticas.


Carregar ppt "Capítulo 7 Política Macroeconómica com câmbios flexíveis."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google