A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA. NOÇÃO DE PESQUISA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA. NOÇÃO DE PESQUISA."— Transcrição da apresentação:

1 METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA

2 NOÇÃO DE PESQUISA

3 Pesquisa é uma busca organizada de dados, com os quais se pretende construir um conhecimento para responder a um problema. Problema é uma dúvida importante, que exige resposta e merece os investimentos de tempo, energia e dinheiro que serão gastos buscando uma resposta. Respondê-lo aumenta nossa compreensão da realidade na qual vivemos. Respondê-lo afeta nossa vida de algum modo.

4 A pesquisa deve ser metódica, centrada num problema, trabalha com conceitos e informações precisas, pretende alcançar a compreensão de um fenômeno ou grupo de fenômenos. Envolve elaboração do pesquisador (senão é apenas cópia, transcrição, etc.) Nem toda busca é pesquisa: busca aleatória, por entretenimento, conhecimentos inúteis, fontes inidôneas. Ex: palavras cruzadas, curiosidades, show do milhão, etc. Dados, informações só se tornam conhecimentos quando analisados, interpretados e integrados a uma visão estruturada da realidade

5 ATITUDE CIENTÍFICA

6 Buscar informações, através de raciocínio lógico, rigor científico, criatividade, disciplina e espírito crítico. Atitude que podemos aprender, desenvolver e tornar habitual. Ampla utilização: nas empresas, permite controle e decisões mais rigorosos; na vida quotidiana: amplia conhecimentos e incrementa a visão de mundo; na universidade: permite aprender não só os conteúdos e instrumentos básicos para atuação profissional, mas permite aprender a aprender, aprender a construir os próprios conhecimentos e manter-se atualizado.

7 PRINCIPAIS TIPOS DE PESQUISA CIENTÍFICA

8 Pesquisa bibliográfica Tem como fonte publicações (livros, revistas, periódicos especializados, teses, monografias da biblioteca, internet, etc). As informações colhidas através de leitura e fichamento dos textos devem ser analisadas e interpretadas, ou seja, deve haver uma elaboração pessoal do pesquisador. No relatório, as fontes podem ser citadas, mas o texto principal deve receber redação do pesquisador.

9 Pesquisa documental Utiliza como fonte de dados diferentes tipos de registros, em geral elaborados por terceiros e para outras finalidades. Ex: controles de almoxarifado, prontuários de pacientes, atas de reuniões, cartas, boletins de ocorrência policial, filmes, gravações, etc. No caso de utilizar grande quantidade de documentos de um mesmo tipo, o pesquisador elabora um formulário, no qual vai registrando as informações que extrai dos documentos. Estas podem receber, se for o caso, um tratamento quantitativo para permitir a análise.

10 Pesquisa experimental Um experimento é o estudo de um fenômeno em condições que permitem controlar as variáveis que o influenciam e os efeitos que produzem. Muitas vezes o experimento envolve a reprodução do fenômeno em condições artificiais. Pode ser feito em laboratório (controle total/amplo das variáveis) ou em campo (controle parcial das variáveis). Procede por amostragem

11 Modelos: Experimento apenas depois, com grupo experimental e grupo controle. Ex: vacina contra carbúnculo. Exp. antes-depois com um único grupo. Ex: efeitos de melhora da iluminação em um grupo de trabalhadores. Exp. antes-depois com grupo experimental e grupo controle. Ex: efeitos de medicamentos em seres humanos.

12 Pesquisa ex-post-facto Procedimentos semelhantes aos experimentais, aplicados a fenômenos espontâneos, que só se pode estudar depois de ocorridos. Ex: autópsia.

13 Levantamentos Coleta de uma característica junto a indivíduos de uma população (humana ou animal) ou coleção de objetos. Procede em geral por amostragem e supõe técnicas específicas de coleta de dados. Ex: pesquisa de intenções de voto, controle de doenças do gado, controle de qualidade de produtos industriais.

14 Observações sistemáticas É a observação minuciosa e diacrônica de comportamentos ou efeitos não estimulados, segundo um conjunto de categorias previamente escolhido. Pode ocorrer em laboratório ou em campo. Ex: evolução de uma doença num grupo de pacientes. Diacrônico - relativo ao estudo ou à compreensão de um fato ou de um conjunto de fatos em sua evolução no tempo

15 Estudos de caso É o estudo de um único caso – que pode ser típico, atípico ou extremo – visando descrevê-lo e explicá-lo. Suas conclusões não podem ser estendidas a outros casos.

16 TIPOS DE RELATÓRIOS CIENTÍFICOS

17 Denomi nação Caracterís ticas Dimensõ e aproxim adas Utilização Mono grafia Discute em profundidade um único tema; apresenta alguma documentação comprobatória (informações e suas fontes) 25 a 100 páginas Graduação: algumas disciplinas e TCC; Pós graduação: disciplinas e TC de Pós Latu Sensu.

18 DissertaçãoInvestiga profundamen te um tema, apresenta ampla documentaçã o; muitas vezes baseia-se em revisão de literatura científica. 100 a 50 páginas Mestrado

19 TeseInvestiga profundam ente um tema, apresenta ampla documenta ção e perspectiva original. 200 a 400 páginas Doutorado

20 Artigo científico Destinado a publicação, apresenta de forma resumida os resultados finais ou ainda parciais de uma pesquisa. Permite circulação do conhecimento, debate e atualização dos leitores. Depende das normas do periódico. Entre 10 e 100 páginas. Graduação, pós- graduação, vida profissional, vida acadêmica.

21 Relatório técnico- científico Descreve o desenvolvi mento da pesquisa e suas conclusões. Apresenta documenta ção Depende das normas da instituição. Prestação de contas do pesquisado r à instituição ou entidade financiador a.

22 ResenhaApresentação crítica de um livro, destinada a publicação. Contém apresentação do autor e sua obra, resumo do livro e considerações críticas. 2 a 4 páginas Publicaçõe s especializa das.

23 ETAPAS DA PESQUISA CIENTÍFICA A elaboração de uma pesquisa segue etapas distintas, que precisam ser bem compreendidas para que o trabalho do pesquisador não fique comprometido ou invalidado.

24 Planejamento Esta etapa o pesquisador define qual será o objeto da pesquisa e constrói um plano detalhado de como ela será realizada. Este plano é chamado Projeto de Pesquisa e não deve ser confundido com a realização da pesquisa nem com o relatório que apresentará os resultados da pesquisa.

25 Escolha do tema da pesquisa. Consulta à literatura científica sobre o tema. Quais são os conceitos fundamentais, as aplicações, os temas mais interessantes, os autores mais importantes? Quais são os problemas que merecem ser pesquisados? Formulação do problema a ser pesquisado. Qual é a dúvida, a respeito do tema escolhido, que motiva a pesquisa? A pesquisa é viável? Há informações científicas disponíveis? Há fontes de pesquisa disponíveis? É relevante? Elaboração do projeto de pesquisa, segundo modelo proposto pela instituição ou segundo modelo abaixo descrito.

26 Pesquisas que envolvam diretamente seres humanos devem ter seu projeto submetido previamente ao Comitê de Ética em Pesquisa da PUC-Campinas.

27 Coleta de dados Esta é a etapa em que o pesquisador vai recolher as informações de que necessita para elaborar a resposta que proporá ao problema. Conforme o objeto da pesquisa e as fontes escolhidas, o pesquisador buscará informações nas publicações, nos registros e documentos, nos experimentos, nas entrevistas, nos casos estudados, seguindo sempre o projeto que elaborou. Pode ser necessário um estudo-piloto.

28 Análise e interpretação de resultados Etapa em que o pesquisador, examinando os dados que colheu, elaborará suas conclusões sobre a pesquisa. Noutros termos: concluirá se sua hipótese foi corroborada ou não pelos dados colhidos.

29 Triagem dos dados colhidos: segundo sua pertinência, relevância e autenticidade Organização ou tratamento estatístico: ordenação lógica, classificação, descrição estatística. Elaboração de tabelas e gráficos. Análise dos resultados: detectar tendências, regularidades, irregularidades, concordâncias, discrepâncias, etc. O que indicam os resultados? Interpretação dos resultados: à luz da teoria que dá suporte à pesquisa, utilizando os conceitos e categorias escolhidos, perguntar-se: o que significa aquilo que os resultados indicam ?

30 Redação e editoração do relatório Etapa em que o pesquisador elabora uma apresentação rigorosa de sua pesquisa, segundo o modelo de relatório que planejou. Revisão do plano de assunto provisório (elaborado como parte do projeto de pesquisa); Redação provisória e revisão; Editoração do trabalho: apresentação escrita, seqüenciação das partes, indicação das fontes consultadas. Segue as normas definidas pela ABNT.

31 O PROJETO DE PESQUISA – esquema simples

32 Que itens devem compor um projeto de pesquisa? As respostas variam bastante, de um autor para outro, de um livro para outro. Não que as divergências sejam significativas ou irredutíveis, mas as nomenclaturas discrepantes sugerem grandes afastamentos e cria espaço para injustificável intolerância. O esquema que se apresenta, abaixo, procura decompor o projeto em seus elementos menores, para facilitar a compreensão do que está envolvido no planejamento de uma pesquisa, sem impedir que alguns desses itens sejam reagrupados sob outros títulos. Assim, costumam compor o item Introdução o tema, o problema, o referencial teórico e a revisão da literatura. Da mesma forma, objetivos e problema podem ser fundidos num só item, que transforma o responder à pergunta-problema em objetivo da pesquisa. É também freqüente encontrarmos a descrição da metodologia seguida pela pesquisa, sob o título Materiais e métodos. Estas variações pouco importam. O que de fato conta é que o projeto de pesquisa contenha todas as informações de que necessita para traçar, com precisão e segurança, o caminho a ser seguido pelo pesquisador.

33 ElementoDescriçãoApresentaçãoPerguntas facilitadoras

34 TítuloNome da pesquisa Fórmula breve, relacionada ao tema. Como vai se chamar esta pesquisa?

35 TemaObjeto da pesquisa: assunto que será pesquisado. Formulado por meio de frases nominais, é a descrição precisa da parcela do real que será estudada. Sobre que quero pesquisar?

36 Proble ma Aspecto discutível/problemátic o do objeto, enfoque sob o qual ele será discutido, escolhido dentre outros possíveis. Deve ser relevante. Não é um pedaço do tema, mas a incidência de uma pergunta sobre ele. É o principal elemento direcionador de uma pesquisa Deve ser formulado como pergunta (contextualizad a e justificada), para facilitar o direcionamento da pesquisa. Pode haver uma ou mais perguntas, desde que apontem uma mesma direção para a pesquisa. O que quero saber sobre o tema?

37 Outras questões a serem respondida s Questões secundárias, subordinadas ao problema, que serão respondidas ao longo da pesquisa. Perguntas diretas. Que outros aspectos, além do problema, quero saber sobre o tema?

38 HipóteseSuposição que responde/e quaciona provisoriam ente o problema e direciona a elaboração da pesquisa. Deve ser resposta direta ao problema. O que quero provar com esta pesquisa? O que responde diretamente à pergunta do problema

39 Objetivo geral Finalidade principal da pesquisa, aquilo que quero atingir. Não deve repetir o problema. Inicia-se por um verbo operacional no tempo infinitivo. Para que quero fazer esta pesquisa? Para que quero responder ao meu problema?

40 Objetivos específicos Finalidades intermediári as/parciais da pesquisa, cujo atingimento permite alcançar o objetivo geral. Idem; podem correspon der a etapas da pesquisa ou a capítulos do relatório. Para atingir o objetivo geral, que metas devo atingir anteriormen te?

41 Justificati vas Relevância técnica, científica e social da pesquisa. Texto corrido Por que é importante fazer esta pesquisa?

42 Referen cial teórico e revisão da literatura Apresenta sucintamente a base conceitual que está sendo utilizada para a construção da pesquisa (inclui definição dos termos) e o estado atual da questão, para que a pesquisa avance sobre o que já se sabe. Texto corrido, contendo citações e indicação de fontes bibliográfi cas. Que teorias presidem minha investigação e explicarão minhas conclusões? O que já se sabe sobre o meu problema?

43 Bibliografia básica Lista das obras de leitura indispensá vel, por conterem o referencial teórico e o estado da questão. Referência s bibliográfic as, conforme o sistema adotado. Que obras são indispensá veis para me orientar?

44 Metodologia

45 Classificação e design da pesquisa

46 Delimitação do estudo (períodos, cortes transversal ou longitudinal, níveis de profundidade, variáveis) e descrição minuciosa de como será feita a coleta e a análise dos dados. Envolve: tipo de estudo, população, amostra, critérios de inclusão e exclusão, variáveis, procedimentos, análise estatística, análise de riscos e benefícios, limitações do método.

47 Como farei para atingir esses objetivos? Como farei para colher os dados que me permitirão responder ao problema?

48 OrçamentoOrçamento detalhado e indicação de quem se responsabil iza por eles. Descrição detalhada das despesas, etapa por etapa. Que despesas terei com cada atividade? Quanto somarão em cada etapa? E no total?

49 Recursos Humanos Apresentaçã o do pesquisador responsável e eventuais auxiliares. Nomes, instituições e currículos sucintos. Quem realizará a pesquisa?

50 Plano de Assunto Provisório Plano de apresentaç ão da pesquisa, conforme o tipo de relatório escolhido Plano de assunto temático ou experimen tal Como será estruturado o relatório? Que capítulos e itens utilizarei para apresentar a pesquisa?

51 Cronogram a de trabalho Plano que correlacion a as tarefas de cada etapa a prazos. Quadro etapas X duração; Quadro tarefas X prazos. Que tarefas terei de cumprir para realizar a pesquisa? De que prazos disponho para cada uma delas?

52 Um projeto de pesquisa deve ser apresentado na forma de texto, com capa, folha de rosto e, se necessário, sumário.

53 LEITURAS RECOMENDADAS CARVALHO, Maria Cecília Maringoni de (org.). Construindo o saber: metodologia científica – fundamentos e técnicas. 4. ed., Campinas: Papirus, CERVO, Amado L.; BERVIAN, Pedro A. Metodologia científica. 5. Ed., São Paulo: Prentice Hall, GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 4.ed., São Paulo: Atlas, JORGE, Miguel Tanús; RIBEIRO, Lindioneza Adriano. Fundamentos para o conhecimento científico: áreas da saúde. São Paulo: CLR Balieiro, KÖCHE, José Carlos. Fundamentos de metodologia científica: teoria da ciência e prática da pesquisa. 14. Ed., Petrópolis: Vozes, MATTAR NETO, João Augusto. Metodologia científica na era da informática. São Paulo: Saraiva, 2002.

54 PÁDUA, Elisabete Matallo Marchesini de. Metodologia científica: abordagem teórico-prática. Campinas, Papirus, PÁDUA, Elisabete Matallo Marchesini de; POZZEBON, Paulo Moacir Godoy. O estudo de caso: aspectos pedagógicos e metodológicos. Revista de Ciências Médicas PUCCAMP. Campinas, v.5, n.2, p , maio- ago POZZEBON, Paulo Moacir Godoy (org.) Mínima metodológica. Campinas: Alínea, SEVERINO, Antonio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 21.ed. rev. amp., São Paulo: Cortez, VARGAS, Milton. Tecnologia, técnica e ciência. In: ______. Metodologia da pesquisa tecnológica. Rio de Janeiro: Globo, 1985, p VIEIRA, Sônia; HOSSNE, William Saad. Metodologia científica para a área da saúde. Rio de Janeiro: Campus, VIEIRA, Sônia. Como escrever uma tese. 5.ed. rev.amp. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2002.


Carregar ppt "METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA. NOÇÃO DE PESQUISA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google