A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Economia Brasileira Prof. Ricardo de Almeida Breves, Ms O PLANO DE METAS Expandir e diversificar a indústria O Plano de Metas do governo JK programou.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Economia Brasileira Prof. Ricardo de Almeida Breves, Ms O PLANO DE METAS Expandir e diversificar a indústria O Plano de Metas do governo JK programou."— Transcrição da apresentação:

1

2 Economia Brasileira Prof. Ricardo de Almeida Breves, Ms O PLANO DE METAS Expandir e diversificar a indústria O Plano de Metas do governo JK programou investimentos, para o período de 1956 a 1961, com o objetivo de expandir e diversificar a indústria brasileira; O plano delimitou a área de atuação do governo, do capital estrangeiro e do capital nacional. O governo e o capital estrangeiro passaram a liderar a industrialização a partir daí; Os investimentos do governo em infra-estrutura se concentraram nos setores de energia, transporte, comunicação e insumos básicos;

3 Economia Brasileira Prof. Ricardo de Almeida Breves, Ms CONTINUAÇÃO A finalidade era fornecer matéria-prima barata, como o aço, por exemplo, e outros insumos para a indústria automobilística; A produção do governo criaria demanda para os produtos da indústria estrangeira, que poderia remeter seu lucro para o exterior mais facilmente, além de ter garantia de reinvestimento e importações facilitadas.

4 Economia Brasileira Prof. Ricardo de Almeida Breves, Ms RESERVA DE MERCADO PARA EMPRESAS ESTRANGEIRAS A partir de 1957, vigorou a lei do produto similar nacional, que garantia a reserva de mercado para os produtos das empresas estrangeiras que viessem para o Brasil; A conseqüência foi a grande entrada de capital externo durante esse período. Mais uma vez, a indústria foi protegida da concorrência. ARRECADANDO O IMPOSTO INFLACIONÁRIO A política econômica desse período não se preocupou com a inflação: a prioridade foi dada ao crescimento econômico; A arrecadação do imposto inflacionário foi uma fonte de receita importante para o governo, que investia como se fosse uma empresa.

5 Economia Brasileira Prof. Ricardo de Almeida Breves, Ms NOVAS INDÚSTRIAS Houve um aumento dos investimentos, entre 1956 e 1961, em setores complementares entre si, como os de energia elétrica, aço, mecânica e transporte; Foram montadas as indústrias de automóveis, de material elétrico, mecânica, construção naval, material elétrico pesado e outras indústrias de bens de capital; No que diz respeito a insumos básicos, desenvolveram-se os setores de produção de petróleo, siderurgia, metais não-ferrosos, celulose, papel e química pesada; Houve crescimento da renda e do emprego.

6 Economia Brasileira Prof. Ricardo de Almeida Breves, Ms CONTINUAÇÃO A INDÚSTRIA DE BENS DE CAPITAL A indústria alterou a sua estrutura: os investimentos se concentraram na produção de bens de capital, que passaram a liderar o crescimento da economia; A indústria passou a abranger a produção de bens de consumo, bens intermediários e bens de capital. DÉFICIT DO BALANÇO DE PAGAMENTOS Com o acúmulo de déficits comerciais e o crescimento do pagamento dos serviços da dívida externa, em 1958 houve o déficit do balanço de pagamentos, que se manteve até 1961.

7 Economia Brasileira Prof. Ricardo de Almeida Breves, Ms O FINANCIAMENTO DO CRESCIMENTO A indústria nacional se financiou basicamente com recursos fornecidos a juros negativos pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico; Os grandes investimentos realizados pelo governo aumentaram o déficit público, que era financiado com criação de base monetária; O crescimento industrial desse período também se beneficiou das transferências de recursos do setor exportador para a indústria. Isso ocorreu por causa do protecionismo cambial reservado à indústria e da manutenção da taxa de câmbio oficial valorizada.

8 Economia Brasileira Prof. Ricardo de Almeida Breves, Ms DESACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO E INFLAÇÃO Em 1960 e 1961, o crescimento econômico desacelerou; A maioria dos investimentos do setor de bens de capital maturaram ao final de 4 anos, ou seja, por volta de Uma vez concluídos, foram necessários novos financiamentos, que não mais existiram; Como os investimentos em bens de capital tinham sido feitos em bloco e com alto grau de complementaridade, a sua interrupção fez com que, entre 1962 e 1967, a economia brasileira tivesse o pior desempenho desde o pós-guerra; Além da desaceleração do crescimento, a inflação se tornou um sério problema, agravada pelo déficit do governo.

9 Economia Brasileira Prof. Ricardo de Almeida Breves, Ms EXERCÍCIOS 1. Qual foi o objetivo do Plano de Metas? 2. Em que setores se concentraram os investimentos do governo no Plano de Metas? 3. Qual foi o privilégio que a reforma cambial de 1957 ofereceu às empresas estrangeiras que vieram para o Brasil? 4. O Plano de Metas conseguiu atrair o capital estrangeiro? 5. Como foi a política econômica durante o Plano de Metas? 6. O que ocorreu com a indústria após o Plano de Metas? 7. Como os investimentos do governo e da indústria nacional foram financiados no Plano de Metas? 8. Qual foi a situação do balanço de pagamentos entre 1958 e 1961? 9. Quais foram as principais causas da desaceleração do crescimento ocorrida a partir de 1960?

10 Economia Brasileira Prof. Ricardo de Almeida Breves, Ms O PLANO TRIENAL Em 1963, o governo Goulart lançou o Plano Trienal para combater a inflação, garantir o crescimento até 1965 e realizar as chamadas REFORMAS DE BASE; Para combater a inflação, o plano procurou elaborar uma política fiscal restritiva, através da elevação da carga tributária e da redução dos gastos do governo em investimentos e subsídios; Buscou-se, também, uma política monetária contracionista, principalmente pela restrição do crédito ao setor privado; As reformas de base se referiam à reforma da propriedade da terra, às reformas fiscal, administrativa e educacional, e ao problema dos desequilíbrios regionais; O Plano Trienal almejava empréstimos externos para financiar o crescimento econômico e melhorar a capacidade de importar da economia;

11 Economia Brasileira Prof. Ricardo de Almeida Breves, Ms PLANO TRIENAL– CONTINUAÇÃO Este plano previa a entrada de capitais estrangeiros através da renegociação da dívida externa e da recuperação das exportações; O Plano Trienal não deu certo, basicamente porque não foi recebido pela comunidade internacional.

12 Economia Brasileira Prof. Ricardo de Almeida Breves, Ms EXERCÍCIOS 1. Quais foram os principais objetivos do Plano Trienal? 2. A que se referiam as reformas de base? 3. O Plano Trienal foi bem sucedido?


Carregar ppt "Economia Brasileira Prof. Ricardo de Almeida Breves, Ms O PLANO DE METAS Expandir e diversificar a indústria O Plano de Metas do governo JK programou."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google