A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

RESPONSABILIDADE CIVIL 2 Sílvio de Salvo Venosa. 2. RESPONSABILIDADE POR FATO DE OUTREM V. IV 2 2 2.1. Responsabilidade direta e indireta: – a responsabilidade.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "RESPONSABILIDADE CIVIL 2 Sílvio de Salvo Venosa. 2. RESPONSABILIDADE POR FATO DE OUTREM V. IV 2 2 2.1. Responsabilidade direta e indireta: – a responsabilidade."— Transcrição da apresentação:

1 RESPONSABILIDADE CIVIL 2 Sílvio de Salvo Venosa

2 2. RESPONSABILIDADE POR FATO DE OUTREM V. IV Responsabilidade direta e indireta: – a responsabilidade objetiva às pessoas descritas no art. 933 do Código, que hoje se apresenta com relação aos empregadores, por força da Súmula 341do STF;

3 2. RESPONSABILIDADE POR FATO DE OUTREM V. IV 3 3 – o pressuposto principal da culpa pelo fato de terceiro advém da responsabilidade aquiliana: a culpa de um agente, objetiva ou subjetiva, faz nascer a responsabilidade de terceiro indigitado pela lei (art. 932); – o terceiro, que arca com o pagamento da indenização, tem ação regressiva, cum granum salis, contra o causador direto do dano, para haver a importância que pagou, como se estatui do art. 934;

4 2. RESPONSABILIDADE POR FATO DE OUTREM V. IV 4 4 – a ação regressiva indisponível para o ascendente que paga por ato de descendente, com as mitigações do art. 928 atual; – o sistema de avaliação da culpa, para as pessoas de direito público, conforme a teoria do risco administrativo; o servidor que causou dano responde por culpa, no regresso movido pela Administração.

5 2. RESPONSABILIDADE POR FATO DE OUTREM V. IV Responsabilidade dos pais pelos filhos menores: – a conjugação de dois fatores na responsabilidade dos pais: a menoridade e o fato de os filhos estarem sob o poder ou autoridade e companhia dos pais; – a culpa in vigilando e in omittendo, do genitor, devendo o juiz observar a conduta sob a forma objetiva;

6 2. RESPONSABILIDADE POR FATO DE OUTREM V. IV 6 6 – no sistema do atual Código, art. 933, o pai deve provar que o filho não praticou ato danoso injusto; – na relação de responsabilidade envolvendo pais e filhos, prepondera a teoria do risco, e o parágrafo único do art. 942 estabelece a solidariedade entre as pessoas descritas no art. 932;

7 2. RESPONSABILIDADE POR FATO DE OUTREM V. IV 7 7 – a emancipação do menor não elide a responsabilidade dos pais, bem como o simples afastamento da casa paterna (RTJ 62/108; RT 590/154); – a guarda exclusiva de um dos cônjuges por força de separação responsabiliza apenas o pai ou a mãe que tem o filho em sua companhia; – se o filho está internado em estabelecimento de ensino, este será o responsável, por força do art. 932, IV.

8 2. RESPONSABILIDADE POR FATO DE OUTREM V. IV Responsabilidade de tutores e curadores: – tutor é o representante legal do menor cujos pais faleceram, foram declarados ausentes ou perderam o poder familiar (arts. 932, II, 1.728); – o curador é o representante do incapaz maior, que não possui o devido discernimento ou que é considerado pródigo;

9 2. RESPONSABILIDADE POR FATO DE OUTREM V. IV 9 9 – a responsabilidade dos tutores e curadores pelos atos do pupilo assenta-se sobre os mesmos princípios da responsabilidade dos pais; – a possibilidade da ação regressiva do tutor ou curador em relação ao pupilo, pelo que pagou em decorrência da prática de ato ilícito; o pródigo responde subjetivamente por seus atos; – o novel Código estabelece a responsabilidade do incapaz pelos prejuízos, de forma eqüitativa, se o responsável não dispuser de meios para com eles arcar (art. 928).

10 2. RESPONSABILIDADE POR FATO DE OUTREM V. IV Responsabilidade do empregador e assemelhado: – a responsabilidade do patrão, amo ou comitente decorre do poder hierárquico ou diretivo dessas pessoas com relação aos empregados, serviçais e comitidos ou prepostos; – o vigente Código absorve os fatos praticados pelo terceiro em razão do exercício do trabalho (art. 932, III);

11 2. RESPONSABILIDADE POR FATO DE OUTREM V. IV 11 – a presunção absoluta de culpa do empregador na Súmula 341 do STF; – a posição de garante da indenização do patrão ou preponente, perante o terceiro ofendido, cabendo-lhe direito regressivo ao causador do dano (art. 933 do Código); – a Súmula 492 do Supremo Tribunal Federal estabeleceu a responsabilidade solidária da empresa locadora de veículos com o locatário pelos danos por este causados a terceiros.

12 2. RESPONSABILIDADE POR FATO DE OUTREM V. IV Responsabilidade dos donos de hotéis e similares: – o art. 932, IV, do atual Código erige a responsabilidade de hotéis, hospedarias, casas ou estabelecimentos de albergue e de educação com relação a atos praticados por hóspedes, moradores e educandos;

13 2. RESPONSABILIDADE POR FATO DE OUTREM V. IV 13 – a empresa hoteleira assume obrigação de garantia com relação aos hóspedes, seus pertences e bagagens; – a responsabilidade cessa para os hospedeiros na hipótese descrita no art. 650; – quanto à responsabilidade pelos atos praticados pelos hóspedes com relação a terceiros, deve ser provada a culpa do agente causador do dano.

14 2. RESPONSABILIDADE POR FATO DE OUTREM V. IV Responsabilidade dos estabelecimentos de ensino: – o art. 932, IV estatui que a hospedagem para fins de educação faz com que o hospedeiro responda pelos atos do educando;

15 2. RESPONSABILIDADE POR FATO DE OUTREM V. IV 15 – a responsabilidade do estabelecimento de ensino perdura enquanto o aluno nele se encontra e se estende à sua incolumidade física e aos atos ilícitos que o educando praticar a terceiros ou a outro educando; – a responsabilização dos estabelecimentos de ensino refere-se aos que operam no regime de internato ou semi-internato; – a jurisprudência admite a culpa presumida do estabelecimento de ensino por acidente sofrido por aluno (RT 597/173; JTJSP 160/42).

16 2. RESPONSABILIDADE POR FATO DE OUTREM V. IV Responsabilidade pelo proveito do crime: – o art. 932, V, trata da responsabilidade dos que houverem gratuitamente participado nos produtos de crime, respondendo estes, solidariamente, pela quantia concorrente com a qual obtiveram proveito;

17 2. RESPONSABILIDADE POR FATO DE OUTREM V. IV 17 – a ação de enriquecimento ilícito, actio in rem verso, que objetiva reequilibrar o patrimônio daquele que sofreu a ilicitude; – o co-autor responde solidariamente pela reparação dos danos (art. 942, parágrafo único).

18 2. RESPONSABILIDADE POR FATO DE OUTREM V. IV Responsabilidade das pessoas jurídicas de direito público e de direito privado. Responsabilidade do Estado e do Magistrado. Responsabilidade pela Deficiente Prestação Jurisdicional. Responsabilidade por Atos Legislativos. – a responsabilidade civil das pessoas jurídicas de direito público não depende da prova de culpa, exigindo apenas a realidade do prejuízo, a autoria e o nexo causal;

19 2. RESPONSABILIDADE POR FATO DE OUTREM V. IV 19 – o Estado deve ser responsabilizado pela falha dos serviços judiciários, por aplicação da teoria da falta do serviço, de origem francesa; – referindo-se à esfera penal, a responsabilização tem previsão expressa na Constituição Federal, art. 5 o, LXXV: O Estado indenizará o condenado por erro judiciário, assim como o que ficar preso além do tempo fixado na sentença;

20 2. RESPONSABILIDADE POR FATO DE OUTREM V. IV 20 – somente se entenderá que essa hipótese de erro judiciário refere-se a julgamento errôneo, decisão equivocada, como uma exceção ao princípio da responsabilidade objetiva, descrita no art. 37, § 6 o da CF; – o juiz pode responder pessoal, civil e criminalmente por dolo ou fraude, quando omite, retarda ou recusa, injustificadamente, providências que deva ordenar de ofício ou a requerimento da parte (art. 133 do CPC);

21 2. RESPONSABILIDADE POR FATO DE OUTREM V. IV 21 – a responsabilidade subsidiária do Estado no caso de tutela, quando o tutor se tornar insolvente e o juiz não tiver exigido garantia legal (art , II); – aos atos administrativos materiais, praticados pelo Judiciário, Executivo e o Legislativo, é que se aplica o princípio da responsabilidade objetiva constitucional.

22 2. RESPONSABILIDADE POR FATO DE OUTREM V. IV Ação regressiva: – o terceiro que suporta a indenização pode voltar-se contra o causador do dano para receber o que pagou, buscando-se restabelecer o equilíbrio patrimonial; – o art. 462, § 1 o, da CLT, permite o desconto de salário somente quando for acordado pelas partes ou no caso de culpa grave ou dolo, impedindo na hipótese de culpa leve ou levíssima, se não houver acordo prévio.


Carregar ppt "RESPONSABILIDADE CIVIL 2 Sílvio de Salvo Venosa. 2. RESPONSABILIDADE POR FATO DE OUTREM V. IV 2 2 2.1. Responsabilidade direta e indireta: – a responsabilidade."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google