A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Microeconomia 1 Curso: Contabilidade e Auditoria Docente: Margarete H. Vida.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Microeconomia 1 Curso: Contabilidade e Auditoria Docente: Margarete H. Vida."— Transcrição da apresentação:

1 Microeconomia 1 Curso: Contabilidade e Auditoria Docente: Margarete H. Vida

2 Introdução – O que é economia? Economia é uma ciência social que estuda a produção, distribuição e consumo de bens e serviços. O termo economia vem do oikos (casa) e nomos (costume ou lei). Segundo Samuelson e Nordhaus, economia pode ser definida como a ciência que estuda a forma como as sociedades utilizam os recursos escassos para produzir bens com valor e de como os distribuem entre os vários indivíduos.

3 Introdução – O que é economia? Na definição de Samuelson e Nordhaus estão implícitas duas questões fundamentais para a compreensão da economia: Por um lado a ideia de que os bens são escassos, ou seja, não existem em quantidade suficiente para satisfazer plenamente todas as necessidades e desejos humanos; Por outro lado a ideia de que a sociedade deve utilizar os recursos de que dispõe de uma forma eficiente, ou seja, deve procurar formas de utilizar os seus recursos de forma a maximizar a satisfação das suas necessidades.

4 Introdução – O que é economia Na sua generalidade a economia procura responder a três questões, as quais constituem os três problemas de qualquer organização económica: o quê, como e para quem. 1. O quê produzir e em que quantidades? Quais os produtos e serviços deverão ser produzidos por forma a satisfazerem da melhor forma possível as necessidades da sociedade? 2. Como devem os bens ser produzidos? Que tecnologias e métodos de produção utilizar? Que matérias primas deverão ser utilizados para produzir determinado produto? Como maximizar a produção tendo em conta os recursos disponíveis? 3. Para quem são os bens produzidos? Como repartir pelos diferentes agentes económicos os rendimentos disponíveis? Quem deverá ganhar mais e quem deverá ganhar menos?

5 Introdução – Abordagem Cientifica Os economistas usam a abordagem cientifica para comprenderem a vida económica. Isto envolve a observação dos acontecimentos económicos e da elaboração das estatisticas e de registos históricos. A economia baseia-se frequentemente em análises e teorias. As abordagens teóricas permitem aos economistas proceder as generaliza ç ões abrangentes (vantagens do comércio internacional, desvantagens dos impostos alfandegários e das quotas de importação). Na abordagem estatística os economistas desenvolveram uma técnica especializada conhecida por econometria, a qual aplica os instrumentos estatisticos aos problemas económicos

6 Introdução – As armadilhas do raciocinio económico 1.A armadilha do post-hoc (a seguir a isto): tem a ver com a dedução da causalidade. Ela ocorre quando, pelo facto de um acontecimento ocorrer antes de um outro se admite que o primeiro acontecimento é a causa do segundo. 2.Falha em não manter o resto constante: aqui se reflecte o esquecimento de manter o resto constante quando se pensa numa questão. Quando estiver a analisar o impacto de uma variável sobre o sistema económico, lembre-se de manter o resto constante. 3. A armadilha da composição: geralmente admitimos que o que é verdade para uma parte do sistema também é verdade para o conjunto. Contudo, verificamos com frequência que o todo é diferente da soma das partes.

7 Introdução – Lei da escassez o conceito de escassez económica deve ser entendido como a situação gerada pela razão de se produzir bens com recursos limitados, a fim de satisfazer as ilimitadas necessidades humanas. Todavia, somente existirá escassez se houver uma procura para a aquisição do bem. A lei da escassez diz que os bens são escassos porque não há recursos suficientes para produzir todos os bens que as pessoas desejam consumir. Porque os recursos são limitados, temos que estudar como a sociedade escolhe no menu de bens e serviços, como as diferentes mercadorias são produzidas e lhes é atribuído um preço e quem consegue consumir os bens que a sociedade produz.

8 Introdução – Lei da escassez O conceito económico de escassez deve ser distinguido do conceito físico de escassez. Pense, por exemplo, num pote de veneno de jararaca. A menos que alguém não esteja pensando em assassinar, este bem não é desejado por ninguém, portanto, apesar de fisicamente escasso não é economicamente escasso. Pense agora porém, que um cientista descobre uma vacina contra o veneno da jararaca e para esta vacina precisa do veneno da dita cuja. A partir daqui o veneno passa a ter utilidade, ou seja, passa a ser desejado, se enquadrando então num bem que, além de fisicamente escasso, é também economicamente escasso.

9 Introdução – As utilizações da economia A Economia é utilizada para: Estudar como as pessoas e as sociedades acabam por escolher, com ou sem utilização da moeda, a aplicação de recursos escassos, que podem ter usos alternativos, para produzir variados bens e distribuir esses bens para consumo, actual ou futuro, entre as várias pessoas ou grupos sociais. Analisar os custos e os benefícios resultantes do aperfeiçoamento dos modelos de repartição de recursos. Analisar as tendências dos preços, da produção, do desemprego e do comércio externo.

10 Introdução – As utilizações da economia Estudar como os indivíduos decidem usar os recursos produtivos escassos ou limitados (trabalho, equipamentos, conhecimento tecnológico), para produzir diversas mercadorias (cereais, casacos, etc.) e distribuir esses bens para consumo. Estudar o dinheiro, a banca, o capital e a riqueza. Estudar o comércio entre países. Ajuda a explicar porque os países exportam uns bens e importam outros, analisando o efeito da imposição de barreiras económicas nas fronteiras nacionais.

11 Introdução - Tipos de Economias Economia Dirigida O Governo toma todas as decisões acerca da produção e da repartição. Pode possuir uma parte importante dos meios de produção (terra e capital). Possui e dirige as empresas na maior parte dos ramos de actividade. Decide como a produção da sociedade deve ser subsidiada entre os diversos bens e serviços. Economia de Mercado Os indivíduos e as empresas privadas tomam as decisões acerca da produção e do consumo. Um sistema de preços, de mercado, de lucros e de prejuízo, de incentivos e recompensas determinam O QUÊ, COMO e PARA QUEM.

12 Introdução - Tipos de Economias As empresas produzem as mercadorias que geram elevados lucros (O QUÊ). Com técnicas de produção que são as menos dispendiosas (O COMO). O consumo é determinado pelas decisões individuais sobre como despender os salários gerados pelo trabalho (O PARA QUEM). Economia Mista As regras das economias de mercado e dirigidas misturam-se.

13 Introdução – Alguns conceitos Bem É tudo aquilo capaz de atender uma necessidade humana. Eles podem ser: materiais – pois se pode atribuir-lhes características físicas de peso, forma, dimensão, etc. Por exemplo: automóvel, moeda, borracha, café, relógio etc.; imateriais – são os de caráter, abstrato, tais como: a aula ministrada, a hospedagem prestada, a vigilância do guarda-noturno etc. Eficiência Significa ausência de desperdício, os recursos da economia são utilizados tão bem quanto é possível para satisfazer as necessidades e desejos dos indivíduos. Custo de Oportunidade Tomar uma decisão num mundo de escassez obriga-nos a prescindir de alguma coisa, custa-nos de facto a oportunidade de fazer outra coisa. O valor do bem ou serviço de que se prescinde é designado por custo de oportunidade.

14 Introdução – Alguns conceitos Capital É o conjunto de equipamentos, ferramentas e máquinas, produzidos pelo homem, que não se destinam à satisfação das necessidades através do consumo, mas concorrem para a produção de bens e de serviços, aumentando a eficiência do trabalho humano. Necessidade humana Este conceito é concreto, neutro e subjetivo, porém, para não se omitir da questão, definir-se-á necessidade humana como qualquer manifestação de desejo que envolva a escolha de um bem económico capaz de contribuir para a sobrevivência ou para a realização social do indivíduo.

15 Introdução – Alguns conceitos Mercado A palavra mercado tem um sentido económico de um grupo de vendedores e compradores que negociam um bem em questão. Tem origem nos conhecidos mercados físicos em que se negociam tais bens, mas seu sentido foi generalizado para todo ambiente económico onde há vendedores e compradores de um bem. Tradeoffs Possibilidades enfrentadas. De acordo com a teoria básica da economia, os recursos existentes são limitados e, portanto, essa escassez cria tradeoffs entre os bens a serem consumidos. É o famoso ditado que diz que não se pode ter tudo. Inflação É definida como um aumento geral dos preços que ocorre ao longo de certo tempo.

16 Obrigado pela aten çã o


Carregar ppt "Microeconomia 1 Curso: Contabilidade e Auditoria Docente: Margarete H. Vida."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google