A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Teoria do Produtor. Todos os dias alguém tem que cozer o nosso pão antes de o podermos comer; tem que cultivar a laranja, batata, tomate; tem que fabricar.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Teoria do Produtor. Todos os dias alguém tem que cozer o nosso pão antes de o podermos comer; tem que cultivar a laranja, batata, tomate; tem que fabricar."— Transcrição da apresentação:

1 Teoria do Produtor

2 Todos os dias alguém tem que cozer o nosso pão antes de o podermos comer; tem que cultivar a laranja, batata, tomate; tem que fabricar o carro em que andamos, etc. A capacidade produtiva de um país – número de pães, laranja, batata, tomate, carros é a medida do potencial económico do país que os produz.

3 Teoria do Produtor - Análise de Custos A relação entre a quantidade do produto e a quantidade de factores produtivos é designada por função de produção. Onde quer que haja produção os custos seguem-na como uma sombra. Num mundo de escassez as empresas devem pagar pelos seus factores produtivos. O papel dos custos vai muito além da influência do nível de produção. As empresas inteligentes também prestam atenção aos seus custos quando tomam as suas decisões de funcionamento.

4 Teoria do Produtor - Análise de Custos Podemos encontrar a seguinte relação de custos: Custo Fixo (CF): representa a despesa monetária que é suportada, mesmo que não haja qualquer produção; o custo fixo não é afectado por qualquer variação da quantidade produzida. Custo Variável (CV): representa a despesa que varia com o nível de produção (matéria-prima, salários, combustíveis, etc) e inclui todos os custos que não são fixos. Custo Total (CT): representa a menor despesa monetária total necessária para produzir cada nível de produção q. O custo total aumenta quando q aumenta.

5 Teoria do Produtor - Análise de Custos Por definição verifica-se sempre que: Custo Marginal (CMa): representa o custo adicional, ou suplementar, que ocorre aquando da produção adicional de uma unidade de produto. Custo Médio (CMe): é o custo total dividido pelo número total de unidades produzidas. CT = CF + CV

6 Teoria do Produtor - Análise de Custos O custo médio esta subdividido em Custo Fixo Médio (CFM) e Custo Variável Médio. q – quantidade produzida CFM = CF/q CVM = CV/q

7 Teoria do Produtor - Análise de Custos Usando os dados da tabela calcula o CT, CMa, CMe, CFM e CVM. Quantidade (q)Custo Fixo (CF) - Mt Custo Variável (CV) - Mt

8 Teoria do Produtor – As curvas de Custo

9

10 Custos Totais: as curvas de custos totais sofrem a influência da lei dos rendimentos decrescentes, o qual determina a taxa de variação dos custos à medida que se aumenta a quantidade produzida do bem. O custo médio no curto prazo é geralmente representado por uma curva em forma de U, que é sempre intersectada no seu ponto minimo pela curva CMg na sua fase ascendente. No ponto inferior da curca Cme em forma de U, CMg = CMe = minimo de CMe.

11 Teoria do Produtor – As curvas de Custo CMa < CVMe a curva de custo variável médio é decrescente. CMa > CVMe a curva de custo variável médio é crescente. CMa = CVMe a curva de custo variável médio é mínima. CMa = CMe a curva de custo médio é mínima.

12 Teoria do Produtor – Análise da Produção Produção: é o processo de transformação dos factores adquiridos pela empresa em produtos para a venda no mercado. No processo de produção diferentes insumos ou factores de produção são combinados, de forma a produzir o bem ou serviço final. Função Produção:é a relação que mostra a quantidade física produzida a partir da quantidade utilizada dos factores de produção num determinado período de tempo.

13 Teoria do Produtor – Análise da Produção A partir da função de produção de uma empresa podemos calcular 3 conceitos importantes: Produto Total (PT) – quantidade total realizada de um produto em unidades físicas. Produto Marginal (PMg) – produto adicional ou produto acrescentado por 1 unidade de um factor de produção mantendo os restantes factores constantes. Produto Médio (PMe) – é nos dado pelo produto total dividido pela totalidade de factores de produção.

14 Teoria do Produtor – Análise da Produção Utilizando os dados da tabela a seguir calcule o PMg e o PMe Unidades de Trabalho Produto Total

15 Teoria do Produtor – As curvas de Produto

16 Teoria do Produtor – Relação entre as curvas de Produtos Total, Marginal e Médio PT Máximo PMg = ZERO Fator de Produção (N)

17 Teoria do Produtor – A lei dos Rendimentos Decrescentes Na maioria dos processos de produção o produto marginal do trabalho é decrescente. Por que isso ocorre? A lei dos rendimentos decrescentes explica. A lei dos rendimentos decrescentes diz que á medida que aumenta o uso de um determinado insumo (mantendo-se fixos os demais insumos), acaba-se chegando a um ponto em que a produção adicional decresce (PINDYCK, p. 183). Considerando o capital fixo, incrementos de trabalho podem gerar aumentos significativos no volume de produção. Entretanto, se houver aumento excessivo da mão de obra, alguns trabalhadores se tornarão ineficientes e o produto marginal do trabalho decresce.

18 Teoria do Produtor – A lei dos Rendimentos Decrescentes A lei dos rendimentos decrescentes é aplicada para uma tecnologia dada. Novas tecnologias podem determinar o deslocamento da curva do produto total, como se observa na figura abaixo:

19 Teoria do Produtor – Isoquantas Uma isoquanta é uma curva que representa todas as possíveis combinações de insumos que resultam no mesmo volume de produção. (Pindyck, p. 177).

20 Teoria do Produtor – Isoquantas O conjunto das isoquantas Q1, Q2 e Q3 da figura anterior denomina-se mapa de isoquantas. Cada isoquanta está associada a um nível de produção e o nível de produção aumenta à medida que a isoquanta se desloca para a direita e para cima. As isoquantas indicam a flexibilidade das firmas na tomada de decisão para a produção. A flexibilidade se refere à combinação dos recursos de produção, trabalho e capital. A combinação dos recursos depende da tecnologia de produção utilizada.

21 Teoria do Produtor – Recta de Isocusto Recta de isocusto é a linha que mostra todas as combinações de dois factores que mantêm o custo constante. Trabalho Terra CT 1 CT 2 CT 3 Todos os pontos numa dada recta de isocusto representam o mesmo custo total. As linhas são rectas dado que os preços dos factores são constantes e têm uma inclinação negativa igual à razão entre o preço do trabalho e o preço da terra, sendo por isso paralelas.

22 Teoria do Produtor – Equilibrio do Produtor Geometricamente CT 1 CT 2 CT 3 A empresa tenta minimizar os seus custos de produção de uma quantidade pré-estabelecida e procura a combinação de factores produtivos que se situa na linha de isocustos mais baixa. A posição de menor custo é o ponto A, onde a isoquanta é tangente à recta de isocustos. Este ponto A chama-se o ponto óptimo do produtor. A empresa tenta minimizar os seus custos de produção de uma quantidade pré-estabelecida e procura a combinação de factores produtivos que se situa na linha de isocustos mais baixa. A posição de menor custo é o ponto A, onde a isoquanta é tangente à recta de isocustos. Este ponto A chama-se o ponto óptimo do produtor. A Equilibrio do Produtor Trabalho Terra

23 Teoria do Produtor – Equilibrio do Produtor Analiticamente O Produtor atinge o seu ponto óptimo quando o produto marginal obtido da última unidade monetária dispendida é igual para todos os factores de produção. (Equilíbrio do custo mínimo). Produto Marginal L Produto Marginal T ……. Preço de LPreço de T


Carregar ppt "Teoria do Produtor. Todos os dias alguém tem que cozer o nosso pão antes de o podermos comer; tem que cultivar a laranja, batata, tomate; tem que fabricar."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google