A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Murilo Barbosa Salles UFRRJ Abril/Maio 2011 Terceira Aula.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Murilo Barbosa Salles UFRRJ Abril/Maio 2011 Terceira Aula."— Transcrição da apresentação:

1 Murilo Barbosa Salles UFRRJ Abril/Maio 2011 Terceira Aula

2 Desenvolver o termo de Abertura do Projeto Desenvolver o Plano de Gerenciamento do Projeto Controle Integrado de Mudanças Orientar e Gerenciar a Execução do Projeto Monitorar e Controlar o Trabalho do Projeto Encerrar Projeto ou Fase Gerenciamento da Integração - Murilo Barbosa Salles

3 É um documento, ou uma composição de documentos que atua(m) como referência integradora das diferentes áreas de conhecimento e dos diferentes planos que compõem o projeto (POSSI et al.,2006); Será revisado e atualizado por meio do processo Controle Integrado de Mudanças; Define como o projeto é executado, monitorado, controlado e encerrado; Gerenciamento da Integração - Murilo Barbosa Salles

4 Entradas -Termo de Abertura do Projeto -Processos de Gerenciamento de Projetos -Fatores ambientais da empresa -Ativos de processos organizacionais Ferramentas e Técnicas -Opinião especializada Saídas -Plano de Gerenciamento do Projeto UTILIZA-SE DAS SAÍDAS DOS OUTROS PROCESSOS DE PLANEJAMENTO PARA CRIAR UM DOCUMENTO CONSISTENTE QUE PERMITA SER UTILIZADO DE GUIA PARA A EXECUÇÃO DO PROJETO, DOCUMENTAR AS PREMISSAS, DOCUMENTAR DECISÕES, DEFINIR OS PONTOS DAS PRINCIPAIS REVISÕES, FORNECER LINHAS DE REFERÊNCIA PARA O CONTROLE DO PROJETO E PARA FACILITAR AS COMUNICAÇÕES NO PROJETO Adequar o processo; Desenvolver detalhes técnicos; Determinar recursos e níveis de habilidades; Determinar o nível de gerenciamento de configuração; Determinar quais os documentos estarão no controle de mudanças.

5 INPUTS Gerenciamento da Integração - Murilo Barbosa Salles

6 Planos Auxiliares Gerenciamento da Integração - Murilo Barbosa Salles Na elaboração do Plano do Projeto são considerados todos os resultados dos processos de planejamento das outras áreas de conhecimento, como: Plano de gerenciamento do escopo; Plano de gerenciamento de requisitos; Plano de gerenciamento do cronograma; Plano de gerenciamento do custo; Plano de gerenciamento de qualidade; Plano de melhorias no processo; Plano de gerenciamento de recursos humanos; Plano de gerenciamento das comunicações; Plano de gerenciamento dos riscos; Plano de gerenciamento das aquisições.

7 Gerenciamento da Integração - Murilo Barbosa Salles

8 Para o Plano do Projeto - exemplos Gerenciamento da Integração - Murilo Barbosa Salles Software para elaboração de cronogramas, sistemas integrados (SISCAG, SIASG); Estrutura e Cultura organizacionais; Políticas de pessoal, qualidade, finanças

9 Para o Plano do Projeto - exemplos Gerenciamento da Integração - Murilo Barbosa Salles Modelo de plano de gerenciamento do projeto; Diretrizes padronizadas; Critérios de medição de desempenho.

10 Gerenciamento da Integração - Murilo Barbosa Salles

11 Armazena todos os dados a respeito do projeto, permitindo processar dados e transformá-los em informações através de relatórios; Pode ser um software ou uma combinação deste e um sistema manual; Mantém os integrantes da equipe e os demais stakeholders a par do status do projeto (informação na medida certa para a pessoa certa). Gerenciamento da Integração - Murilo Barbosa Salles

12 É um subsistema do SIGP; Está diretamente ligado ao escopo do produto; Produz especificações do produto do projeto e verifica sua conformidade; Controla todas as mudanças realizadas nessas especificações; Registra e relata cada mudança feita bem como o seu status. Nesses termos o SGC possui três objetivos básicos: -Estabelecer um método para identificar as mudanças nas linhas de base (baselines) de forma a avaliar a eficácia das mudanças; -Oferecer oportunidades de validação e melhoria contínua; e - Fornecer à equipe de projeto meios de comunicar as mudanças ocorridas. Gerenciamento da Integração - Murilo Barbosa Salles

13 É um subsistema do SGC; Conjunto documentado de procedimentos, sistema de acompanhamento e níveis de aprovação para a autorização de mudanças no projeto; Define o nível de autoridade para as mudanças solicitadas; Contempla, entre outros: - Um plano de controle de mudanças indicando o tipo de mudanças que serão gerenciadas; - Um Comitê de Controle de Mudanças(Change Control Board), integrado por representantes dos stakeholders, para aprovar ou não as mudanças; - Procedimentos de controle de mudanças Gerenciamento da Integração - Murilo Barbosa Salles

14 OUTPUTS Gerenciamento da Integração - Murilo Barbosa Salles

15 Termo de Abertura do Projeto; Ciclo de vida selecionado e processos em cada fase; Resultados das adequações feitas; Como o trabalho será executado; Plano de gerenciamento de mudanças; Plano de gerenciamento de configuração; Como a integridade das baselines será mantida; Necessidades e técnicas para comunicação entre os stakeholders; Revisões chave de gerenciamento de conteúdo, abrangência e melhor momento para questões; Gerenciamento da Integração - Murilo Barbosa Salles

16 Estrutura Analítica do Processo (EAP) e nível de controle; Baselines de cronograma, custo e escopo; Principais marcos e suas datas previstas; Mão-de-obra chave ou necessária (custo e esforço); Plano de gerenciamento do risco; Planos auxiliares Gerenciamento da Integração - Murilo Barbosa Salles

17 De acordo com cada projeto, obter opinião especializada sobre qual os detalhes técnicos, recursos e níveis de habilidades. Gerenciamento da Integração - Murilo Barbosa Salles


Carregar ppt "Murilo Barbosa Salles UFRRJ Abril/Maio 2011 Terceira Aula."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google