A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

António Costa Silva Presidente da Comissão Executiva OS RECURSOS ENERGÉTICOS do MAR em PORTUGAL OCEANOS Lisboa, 29 de Novembro de 2012 WORKSHOP IST AMBIENTE.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "António Costa Silva Presidente da Comissão Executiva OS RECURSOS ENERGÉTICOS do MAR em PORTUGAL OCEANOS Lisboa, 29 de Novembro de 2012 WORKSHOP IST AMBIENTE."— Transcrição da apresentação:

1 António Costa Silva Presidente da Comissão Executiva OS RECURSOS ENERGÉTICOS do MAR em PORTUGAL OCEANOS Lisboa, 29 de Novembro de 2012 WORKSHOP IST AMBIENTE

2 Os Recursos Energéticos do Mar em Portugal - IST António Costa Silva Presidente da Comissão Executiva 2 Population, GDP and Primary Energy Consumption Source: BP Statistical Review of World Energy June Novembro 2012

3 POPULATION 7 billion people GDP 65 trillion US$ CAR FLEET 800 million cars OIL USE in DEVELOPED WORLD 14 barrels/person/year OIL USE in DEVELOPING WORLD 3 barrels/person/year WORLD ENERGY MATRIX. Oil Production is 5 times greater than in Renewables have established a more secure foundation. Oil/Coal /Natural Gas provide 80% of supply ELECTRICITY 1,5 billion people without access WATER 700 million people with scarce resources POPULATION 7 billion people GDP 65 trillion US$ CAR FLEET 800 million cars OIL USE in DEVELOPED WORLD 14 barrels/person/year OIL USE in DEVELOPING WORLD 3 barrels/person/year WORLD ENERGY MATRIX. Oil Production is 5 times greater than in Renewables have established a more secure foundation. Oil/Coal /Natural Gas provide 80% of supply ELECTRICITY 1,5 billion people without access WATER 700 million people with scarce resources 2030 POPULATION 8,5 billion people GDP 130 trillion US CAR FLEET 3 billion cars OIL USE Billions of people with better incomes go from 3 barrels/person/year up to 3 or 4 times more WORLD ENERGY MATRIX. Dominance of Natural Gas?. Consolidation of Renewables. Solution for the transport system: (electric/biofuels/GTL//fuel-cells)? ELECTRICITY. Reduction or not of inequality? WATER. Reduction or not water access? POPULATION 8,5 billion people GDP 130 trillion US CAR FLEET 3 billion cars OIL USE Billions of people with better incomes go from 3 barrels/person/year up to 3 or 4 times more WORLD ENERGY MATRIX. Dominance of Natural Gas?. Consolidation of Renewables. Solution for the transport system: (electric/biofuels/GTL//fuel-cells)? ELECTRICITY. Reduction or not of inequality? WATER. Reduction or not water access? WORLD CHALLENGES 29 Novembro 2012

4 4 KEY FEATURES of the OIL and the GAS MARKETS FINANCIALIZATION OF OIL Commodity but also financial asset New era of oil pricing dynamics FINANCIALIZATION OF OIL Commodity but also financial asset New era of oil pricing dynamics OIL PRICE VOLATILITY Departure of oil prices from economic fundamentals Oil price 25% above marginal cost of production OIL PRICE VOLATILITY Departure of oil prices from economic fundamentals Oil price 25% above marginal cost of production GEOPOLITICAL EFFECTS Market instability Perception of supply disruptions The fear factor Long-term oil price above 70 US$/bbl GEOPOLITICAL EFFECTS Market instability Perception of supply disruptions The fear factor Long-term oil price above 70 US$/bbl OIL-SUPPLY CAPACITY IS GROWING Improved recovery efficiency Role of unconventional oil Impact of Gas Shale Revolution Technology improvements Expansion of oil output OIL-SUPPLY CAPACITY IS GROWING Improved recovery efficiency Role of unconventional oil Impact of Gas Shale Revolution Technology improvements Expansion of oil output DE-CONVENTIONALIZATION OF OIL SUPPLY US Gas Shale Revolution Impact on Oil Shale and Tight Oil Build-up of US, Venezuela and Canadian production capacity Brazil and Atlantic Basin Pre-Salt- discoveries DE-CONVENTIONALIZATION OF OIL SUPPLY US Gas Shale Revolution Impact on Oil Shale and Tight Oil Build-up of US, Venezuela and Canadian production capacity Brazil and Atlantic Basin Pre-Salt- discoveries GLOBALIZATION OF OIL DEMAND 85% of growth from developing countries Combined effects of income and population growth GLOBALIZATION OF OIL DEMAND 85% of growth from developing countries Combined effects of income and population growth UNPARALLEL INVESTMENT CYCLE From 2003 investment growing 1.5 trillion US$ every 3 years Investment in 2012 may reach a new record (600 billion US$) Strong build-up of production capacity UNPARALLEL INVESTMENT CYCLE From 2003 investment growing 1.5 trillion US$ every 3 years Investment in 2012 may reach a new record (600 billion US$) Strong build-up of production capacity

5 Os Recursos Energéticos do Mar em Portugal - IST António Costa Silva Presidente da Comissão Executiva 5 29 Novembro 2012 UNCONVENTIONAL GAS INSTABILITY in PRODUCING COUNTRIES and THREATS to SUPPLY FUKUSHIMA NUCLEAR ACCIDENT CLIMATE CHANGE and ENVIRONMENTAL REVOLUTION EMERGENCE of PACIFIC BASIN as TOP ENERGY CONSUMER INDUSTRY CATASTROPHIC ACCIDENTS (e.g. OFFSHORE OIL Spills) and PUBLIC IMAGE ENERGY GAME CHANGERS in XXI CENTURY

6 Os Recursos Energéticos do Mar em Portugal - IST António Costa Silva Presidente da Comissão Executiva 6 Source: 21st World Upstream Conference Global Pacific & Partners Major Oil and Gas Discoveries in the Atlantic 29 Novembro 2012

7 7 PORTUGAL : A Extensão da ZEE 29 Novembro 2012

8 Os Recursos Energéticos do Mar em Portugal - IST António Costa Silva Presidente da Comissão Executiva 8 Nº 7 B

9 9 Os Recursos Energéticos do Mar em Portugal - IST António Costa Silva Presidente da Comissão Executiva 29 Novembro 2012 SOLWARA COPPER GOLD PROJECT in PAPUA NEW GUINEA by Nautilus Minerals - OCEAN MINING -

10 29 Novembro 2012 Os Recursos Energéticos do Mar em Portugal - IST António Costa Silva Presidente da Comissão Executiva Automation / i-Field

11 PORTUGAL no SÉCULO XXI Seis pilares de uma NOVA IDEIA ESTRATÉGICA para PORTUGAL PORTUGAL PAÍS - ARQUIPÉLAGO E A ZEE COMO ÂNCORA. Desenvolvimento dos Recursos Minerais - Sulfuretos polimetálicos - Crostas de níquel e cobalto - Manganês - Campos hidrotermais. Aliança com a Alemanha/EUA. Criação de novos pólos de desenvolvimento. Criação de riqueza. Fortalecer know-how nacional (Universidades/ Empresas/R&D) PORTUGAL NA VALORIZAÇÃO DO DEEP-OFFSHORE. Mapeamento e desenvolvimento dos recursos de petróleo, gás e hidratos de Metano. Bacias de Peniche/Alentejo/Algarve. Aliança com o Brasil (Petrobrás) e Noruega (Statoil). Criação de novo pólo de desenvolvimento industrial. Aumento significativo da segurança energética do país. Criação de MODELO de geração eléctrica e térmica baseado em recursos endógenos. Reforço do Sistema Nacional de Monitorização dos impactos ambientais 29 Novembro

12 Os Recursos Energéticos do Mar em Portugal - IST António Costa Silva Presidente da Comissão Executiva 12 Working companies Petrobras Galp Partex Mohave Repsol Current exploration status Data adquired with partners 2D seismic: Alentejo, Peniche 3D seismic: Peniche Future work program 29 Novembro 2012

13 Os Recursos Energéticos do Mar em Portugal - IST António Costa Silva Presidente da Comissão Executiva 13 ? IODP/ODP wells Satellite oil slicks Oil in dredges Exploration wells and HC evidences 29 Novembro 2012

14 14 we believe that increased synergy between research and industry groups on both sides of the Atlantic will lead to greater drilling success on these conjugate margins S. Kearsey & M. Enachescu Portugal and Canada Basins 14

15 PORTUGAL no SÉCULO XXI Seis pilares de uma NOVA IDEIA ESTRATÉGICA para PORTUGAL 29 Novembro

16 16 29 Novembro 2012 Nº 18

17 17 The GEOPOLITICS of the PIPELINES Os Recursos Energéticos do Mar em Portugal - IST António Costa Silva Presidente da Comissão Executiva 29 Novembro 2012

18 Os Recursos Energéticos do Mar em Portugal - IST António Costa Silva Presidente da Comissão Executiva 18 Criação de RESERVAS ESTRATÉGICAS no ALGARVE 29 Novembro 2012

19 Os Recursos Energéticos do Mar em Portugal - IST António Costa Silva Presidente da Comissão Executiva 1929 Novembro 2012 MAJOR EUROPE SHALE GAS BASINS IDENTIFIED Source: EPCR, Dec.2009 (European Policies Research Centre, UK)

20 COMBUSTÍVEIS FÓSSEIS RECURSOSCARACTERÍSTICASVANTAGENSDESVANTAGENS PETRÓLEO Ocorrência de indícios Evidências em amostras marinhas, imagens de satélite e campanhas oceanográficas 43% do consumo de energia primária do país Dominante no sistema de transportes Competitivo mas preços a subirem Diminui a factura energética Versatilidade Poluente Preços a subirem GÁS NATURAL Ocorrência de indícios 20% do consumo de energia primária do país Importante para a geração eléctrica e térmica Menos poluente dos combustíveis fósseis Preço competitivo 30% mais eficiente que o carvão Diminui a factura energética Poluente embora com mais baixa emissão de CO 2 HIDRATOS DE METANO Associados a vulcões de lama Ocorrência de vulcões de lama no offshore do Algarve Conteúdo energético elevado Gás armadilhado em moléculas de água Ocorrência nos leitos submarinos a pouca profundidade Tecnologia de produção por despressurização (Mesoyaka/Sibéria) Risco libertação para a atmosfera SHALE GAS Probabilidade de ocorrência na Bacia Lusitaniana Potencial pode ser interessante Diminui a factura energética Tecnologia produção provada Problemas ambientais com a fracturação hidráulica Necessidade de regulação eficaz 20 RECURSOS ENERGÉTICOS DO MAR

21 ENERGIAS ALTERNATIVAS RECURSOSCARACTERÍSTICASVANTAGENSDESVANTAGENS EÓLICA OFFSHORE Bom recurso de vento na costa portuguesa Potencial elevado maior do que eólica onshore Recursos endógenos Energia limpa Redução da factura energética Intermitência Competitividade económica Necessidade de back-- up de centrais convencionais ENERGIA DAS ONDAS Criação de zonas piloto com potencial de exploração até 250 MW Central piloto Onshore do Pico (Açores) com 400 MW Tecnologia Pelamis em teste na Póvoa do Varzim Portugal tem das melhores zonas costeiras para o aproveitamento deste recurso Energia limpa As tecnologias conhecidas ainda estão a nível experimental Competitividade económica Necessidade de mais I&D ALGAS MARINHAS para BIOCOMBUSTÍVEIS (BIODIESEL) Boas condições de exposição solar e temperatura nas águas portuguesas Necessidade testar a sua utilização Algas de rápido crescimento produzem biodiesel e absorvem CO 2 INETI tem experiência de 25 anos Produção endógena de biodiesel diminui dependência do exterior Recurso endógeno Oferta de mais uma solução para os transportes Diminui importação de petróleo Selecção de culturas é crítica Passagem da experiência laboratorial para escala industrial não isenta de riscos BIOTECNOLOGIAS para PRODUÇÃO BIOMASSA MARINHA Biomassa pode ser transformada em recursos energéticos Recurso endógeno Aproveitamento das valências nacionais em biotecnologias Aproveitamento das condições do mar português Redução de CO 2 e absorção (sumidouros) Competitividade económica Falta de qualificação do potencial da biomassa marinha RECURSOS ENERGÉTICOS DO MAR 21

22 22 29 Novembro 2012 Os Recursos Energéticos do Mar em Portugal - IST António Costa Silva Presidente da Comissão Executiva Nº 19 POLÍTICAS PÚBLICAS CONHECER e IDENTIFICAR OS RECURSOS Mapear os recursos Criar base de dados eficaz dos recursos marinhos Desenvolver as Valências do País Qualificação dos Recursos Humanos para a extracção dos recursos marinhos Apoio aos Programas de I & D Definir o Conteúdo Local dos projectos e associar empresas, Universidades e Centros de Investigação Nacionais GESTÃO e AMBIENTE Promover a Gestão Integrada do Mar e Zonas Costeiras Atenção ao Ambiente e Conservação da Natureza Marinha e Biodiversidade Educação Ambiental O Carbono Azul: o mar como sumidouro de CO 2 e controle de acidificação ESTRATÉGIA e SEGURANÇA Produzir pensamento estratégico Associar a Marinha à Defesa e Segurança do Mar Regular todas as actividades no Mar

23 Os Recursos Energéticos do Mar em Portugal - IST António Costa Silva Presidente da Comissão Executiva 23 RECURSOS ENERGÉTICOS DO MAR: UM DESAFIO para as POLÍTICAS PÚBLICAS CONTRARIAR O PESSIMISMO NACIONAL e o FATALISMO. Definir um CONCEITO ESTRATÉGICO MOBILIZADOR. Combater as ideias instaladas e o statu quo intelectual. O MAR é a coisa mais realista que o país tem. Papel da Rede Portuária Nacional. Derrotar os preconceitos ideológicos e não fechar as saídas para o FUTURO AMBIENTE E PRESERVAÇÃO dos ECO- SISTEMAS MARÍTIMOS. A preservação dos sistemas ambientais é crucial mas não deve impedir o aproveitamento sustentável dos recursos. Essencial construir Centros de Defesa Ambiental ao longo da costa. Associação das Empresas às Universidades e Centros de Investigação COMPETITIVIDADE ECONÓMICA e DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO. Definir o conteúdo local dos projectos. Aliança: operadores com empresas e universidades nacionais. Conceito de país-laboratório tecnológico. R&D e vantagens competitivas. Geração de uma nova onda de EMPREENDEDORISMO e INOVAÇÃO no país A REGULAÇÃO e os DISPOSITIVOS LEGAIS e de CONTROLE. Definir regras claras e equilibradas. Construir Agência Regulação sólida e credível. Atrair Investimento Estrangeiro com bom sistema de Design Mechanisms. Instituir boas práticas, mecanismos de fiscalização e preservar os sistemas ambientais O POSICIONAMENTO da UE e as RELAÇÕES INTERNAS. Há um MAR Europeu?. A cláusula 3 do Tratado de Lisboa. Não cometer 2 vezes o mesmo erro estratégico e abandonar um recurso crucial como o mar. Capacidade de influenciar decisões da UE A MUDANÇA DO POSICIONAMENTO GEOPOLÍTICO de PORTUGAL. Assegurar a extensão da ZEE. Explorar o imenso Recurso Geográfico. Desenvolver capacidades internas institucionais, legais, de regulação e monitorização 29 Novembro 2012

24 Os Recursos Energéticos do Mar em Portugal - IST António Costa Silva Presidente da Comissão Executiva 24 OBRIGADO 29 Novembro 2012 OS RECURSOS ENERGÉTICOS do MAR em PORTUGAL


Carregar ppt "António Costa Silva Presidente da Comissão Executiva OS RECURSOS ENERGÉTICOS do MAR em PORTUGAL OCEANOS Lisboa, 29 de Novembro de 2012 WORKSHOP IST AMBIENTE."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google