A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Arte Conceitual: Keith Arnalt Joseph Beuys e Christo e Jeanne-Claude Por Elisa B. Herrera Professora de Artes Visuais 1.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Arte Conceitual: Keith Arnalt Joseph Beuys e Christo e Jeanne-Claude Por Elisa B. Herrera Professora de Artes Visuais 1."— Transcrição da apresentação:

1 Arte Conceitual: Keith Arnalt Joseph Beuys e Christo e Jeanne-Claude Por Elisa B. Herrera Professora de Artes Visuais 1

2 A arte conceitual define-se como o movimento artístico que defende a superioridade das ideias veiculadas pela obra de arte, deixando os meios usados para criar em lugar secundário. O artista Sol LeWitt definiu-a como: "Na arte conceitual, a ideia ou conceito é o aspecto mais importante da obra. Quando um artista usa uma forma conceitual de arte, significa que todo o planejamento e decisões são tomadas antecipadamente, sendo a execução um assunto secundário. A ideia torna-se a máquina que origina a arte." Esta perspectiva artística teve os seus inícios em meados da década de 1960, contudo, já a obra do artista francês Marcel Duchamp, nas décadas de 1910 e 1920 tinha prenunciado o movimento conceitualista, ao propor vários exemplos de trabalhos que se tornariam o protótipo das obras conceituais, como os readymades, ao desafiar qualquer tipo de categorização, colocando-se mesmo a questão de não serem objetos artísticos. 2

3 Não é mais possível ir a uma exposição e dizer “essa paisagem está bem organizada, as cores estão bem colocadas, a pintura é de qualidade”. As questões clássicas das artes plásticas como a composição, a organização e distribuição dos elementos que formam uma obra, o estudo de cor e a uso da luz podem não ter sentido nenhum na arte conceitual. 3

4 Keith Arnalt –”Auto-enterro”- Keith Arnatt, Self-Burial, (Projecto de Interferência Televisiva), 1969, nove fotografias sobre cartão, 46,7 x 46,7 cm, Tate Gallery- 4

5 “Auto-enterro” "Self-Burial” representa um retrato irónico do destino do autor modernista às mãos da arte conceptual". 5

6 Joseph Beuys- “Uma e três cadeiras” Foi um artista alemão que produziu em vários meios e técnicas, incluindo escultura, performance, vídeo e instalação. Ele é considerado um dos mais influentes artistas europeus da segunda metade do século XX. 6

7 “Uma e três cadeiras” Três partes iguais – uma cadeira, uma foto e uma definição de dicionário impressa, constituem a obra. Ela é, nas palavras de um crítico, “uma progressão do real em direção ao ideal”. 7

8 Casal Christo e Jeann-Claude 8 Christo Javacheff nasceu na Bulgária em 13 de Junho de Conhece a francesa Jeanne-Claude, nascida em Casablanca, curiosamente também a 13 de Junho de 1935, com quem veio a casar.

9 Os guarda-chuvas amarelos, Japão – USA

10 Castelo empacotado, prédio do Reichstag, em Berlim. 10

11 O Reichstag 'empacotado', de 23 de junho a 6 de julho de (detalhe) 11

12 Central Park de Nova York 12

13 Central Park de Nova York 13

14 14

15 15

16 Com a morte da companheira, em 2009, Christo tenta dar prosseguimento à intervenção Over The River, que visa suspender 5,9 milhas de painéis de tecido luminoso no alto do rio Arkansas, no Colorado. A previsão é de que a obra seja realizada em

17 Trabalhando em parceria desde 1961, Christo e Jean- Claude desenvolveram diversos projetos que integram arte conceitual, arquitetura e engenharia. Suas instalações já encobriram Ilhas em Miami com tecidos gigantescos e parte da costa sudeste de Sydney com fibras sintéticas. Os dois também já instalaram portais no Central Park de Nova York, onde moravam desde Para viabilizar os trabalhos, centenas de pessoas auxiliavam Christo e Jeanne- Claude e, mesmo assim, eram empregados meses de preparação até que cada proposta fosse concluída. 17

18 18


Carregar ppt "Arte Conceitual: Keith Arnalt Joseph Beuys e Christo e Jeanne-Claude Por Elisa B. Herrera Professora de Artes Visuais 1."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google