A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ENCONTRO COM A MIDIA SANTA CATARINA TECNOLOGIA E INOVAÇÃO Abril de 2012 1.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ENCONTRO COM A MIDIA SANTA CATARINA TECNOLOGIA E INOVAÇÃO Abril de 2012 1."— Transcrição da apresentação:

1 ENCONTRO COM A MIDIA SANTA CATARINA TECNOLOGIA E INOVAÇÃO Abril de

2 ENCONTRO COM A MIDIA SANTA CATARINA 2 Proposta de agenda: Conceitos; Por que inovar? Paradigmas do nosso tempo; Papel da mídia no processo. Contribuições da ANPEI: Conferência

3 ENCONTRO COM A MIDIA SANTA CATARINA 3 Algumas definições iniciais

4 ENCONTRO COM A MIDIA SANTA CATARINA 4 É o conjunto de instrumentos, regras e procedimentos através dos quais o conhecimento científico é aplicado de maneira reprodutível a uma determinada tarefa. (CASTELS). Tekhnologia (grego) = uso do conhecimento para obter algo prático(útil).

5 ENCONTRO COM A MIDIA SANTA CATARINA 5 Ato ou efeito de introduzir algo novo em qualquer atividade humana Innovatione(latim) = introduzir novidades

6 ENCONTRO COM A MIDIA SANTA CATARINA 6 É a viabilização econômica, realizada por uma empresa, de um produto ou processo novo (ou substancialmente modificados), com sua aceitação pelo mercado Inovação Tecnológica é toda mudança que uma empresa realiza para fazer coisas melhor do que antes (Michael Porter)

7 ENCONTRO COM A MIDIA SANTA CATARINA 7 Novos desenvolvimentos tecnológicos. Novos desenvolvimentos tecnológicos. Novas combinações de tecnologias existentes. Novas combinações de tecnologias existentes. Utilização de novos conhecimentos adquiridos pela empresa. Utilização de novos conhecimentos adquiridos pela empresa. Novos métodos de produção. Novos métodos de produção. Novas técnicas de gestão e organização do trabalho. Novas técnicas de gestão e organização do trabalho.ENTÃO: Alterar arranjo físico (lay-out). Alterar arranjo físico (lay-out). Instalar maquinário mais produtivo. Instalar maquinário mais produtivo. Melhorar design do produto. Melhorar design do produto. Adequar produto à normas. Adequar produto à normas É INOVAÇÃO TECNOLÓGICA !

8 8 Porque é preciso inovar? Cadeia Produtiva: Valor Agregado Matéria Prima MP Processada Bem Industrial Bem Consumo Produto Final Matéria –Prima (Petróleo R$ 1,00/kg) (1° geração) 1 Resina (PS R$ 5,00/Kg) (2° geração) 5 Peça injetada (R$ 10,00/Kg) (3° geração) 10 Produto Final (R$ 35,00/Kg) 35 Televisor (R$ 50,00/Kg) 50 Valor Agregado ENCONTRO COM A MIDIA SANTA CATARINA Matéria primaProduto

9 Arquivo: Cadeias Produtivas 1 Kg soja 1l óleo soja 4 1 impressora refrigerador automóvel ENCONTRO COM A MIDIA SANTA CATARINA Porque é preciso inovar? Cadeia Produtiva: Valor Agregado

10 ENCONTRO COM A MIDIA SANTA CATARINA 10 Diferenças entre invenção e inovação

11 ENCONTRO COM A MIDIA SANTA CATARINA 11 DESCOBERTA INVENÇÃO INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

12 ENCONTRO COM A MIDIA SANTA CATARINA 12 Tomógrafos de Ressonância Supercondutores de Eletricidade Criogenia (Ohnes) Telecomunicação Por ondas de Rádio Rádio (Marconi) Eletromagnetismo (Maxwell) INOVAÇÃO RADICAL Rádio-telescópio INVENÇÃO Telescópio DESCOBERTA Leis da óptica (Isaac Newton)

13 ENCONTRO COM A MIDIA SANTA CATARINA 13 Shumpeter interpretou o resultado econômico das Inovações. Propôs que a economia evolui aos saltos provocados pelas inovações: Como Shumpeter, Marchetti teve a percepção de que as inovações ocorrem em ciclos definidos.

14 ENCONTRO COM A MIDIA SANTA CATARINA 14 1° Paradigma: Redução do Tempo de Adoção Invenção > Inovação

15 15 Energia primária e ciclos : Madeira Invenção > Inovação conforme Cesare Marchetti: Exemplo do critério usado: Locomotiva 1769 – Watt: propõe máquina à vapor 1790 – Read: veículo movido à vapor 1801 – Trevithick: conceito locomotiva 1813 – Hadley: locomotiva sobre trilhos 1814 – Stephenson: protótipo locomotiva 1824 – Stephenson: linha Estocolmo – Darlington ENCONTRO COM A MIDIA SANTA CATARINA

16 16 Energia primária e ciclos : Invenção > Inovação conforme Cesare Marchetti: TECNOLOGIAInvenção / AnoInovação / AnoTempo / Ano Fotografia Cimento Portland Trilho laminado Locomotiva Exemplo do critério usado: Locomotiva 1769 – Watt: propõe máquina à vapor 1790 – Read: veículo movido à vapor 1801 – Trevithick: conceito locomotiva 1813 – Hadley: locomotiva sobre trilhos 1814 – Stephenson: protótipo locomotiva 1824 – Stephenson: linha Estocolmo – Darlington

17 ENCONTRO COM A MIDIA SANTA CATARINA 17 Ciclos: Invenção > Inovação conforme Marchetti Ciclo de 1921 TECNOLOGIAInvenção / AnoInovação / AnoTempo / Ano Locomotiva diesel Helicóptero Motor jato Transistor Δ Média 23 anos ENERGIA PETRÓLEO CICLO 1921

18 18 Δ Tempo Invenção X Inovação MadeiraForragemCarvãoPetróleo 80 anos40 anos20 anos10 anos INVENÇÃO x INOVAÇÃO Ciclos Energéticos MADEIRA FORRAGEM CARVÃO PETRÓLEO GN FUSÃO NUCLEAR Ciclos: Invenção > Inovação Sobreposição dos ciclos invenção > inovação Tempo de adoção vem sendo reduzido pela metade a cada século 2012

19 19 Exemplo da redução do tempo de penetração no mercado: Inovação INVENÇÃO x INOVAÇÃO Numero de anos que o mercado mundial levou para atingir 50 milhões de unidades Eletricidade Telefone Radio Televisor Microondas PC Celular Internet

20 ENCONTRO COM A MIDIA SANTA CATARINA 20 2° Paradigma: Ciclo de Vida da Tecnologia

21 J.M. Utterback Masterring the Dynamic of Innovation (Boston Harvard Business School Press, Tushman and L.Rosenkopf 21 / Descarte Ciclo de vida da tecnologia ENCONTRO COM A MIDIA SANTA CATARINA

22 22 Estratégia Blue Ocean e o Ciclo de Vida de Tecnologias ENCONTRO COM A MIDIA SANTA CATARINA

23 23 3° Paradigma: Ciclo de vida da tecnologia exemplo real

24 Exemplo de impacto de novas tecnologias no mercado. ENCONTRO COM A MIDIA SANTA CATARINA

25 CRITÉRIOS EXEMPLO: Reprodução de Imagem 25 LED LCD Robert Phaal, Care Farrukl and David Probert – Technology Road mapping Exemplo de impacto de novas tecnologias no mercado. Atuação do gestor de inovação: ROADMAP ENCONTRO COM A MIDIA SANTA CATARINA

26 26 Próxima geração da reprodução da imagem = LED + projeção Função do gestor de P&D: Antecipar tendências e inovações ferramenta = Road Map Exemplo de impacto de novas tecnologias no mercado. ENCONTRO COM A MIDIA SANTA CATARINA

27 27 Próxima geração da reprodução da imagem = LED + projeção Função do gestor de P&D: Antecipar tendências e inovações Ferramenta = Road Map *Tela de TV e Monitor feita de OLED (Organic Light Emiting Diode) ENCONTRO COM A MIDIA SANTA CATARINA

28 28 Exemplo de impacto de novas tecnologias no mercado televisores com tela LCD x CRT Produto Venda Total CRT Plana e normal Plasma e LCD ENCONTRO COM A MIDIA SANTA CATARINA

29 29 Reportagem veiculada dia 13 de Fevereiro de 2010 FSP Exemplo de impacto de novas tecnologias no mercado: TV com tela LCD x CRT ENCONTRO COM A MIDIA SANTA CATARINA

30 30 4° Paradigma: Crescimento da População e suas consequências

31 31 Multiplicação da população mundial em milhões População Mundial em milhões de habitantes Em 2012 = ENCONTRO COM A MIDIA SANTA CATARINA

32 32

33 $1.500 à Classe média emergente Mercados de baixa renda < – Na base da pirâmide global estão os mercados de baixa renda do terceiro mundo, onde cerca de 4 bilhões de pessoas ganham menos de 3 dólares por dia Inovação, Destruição Criativa e Sustentabilidade – Stuard Hart Setembro/Outubro 2005 Inclusão e sustentabilidade 33 ENCONTRO COM A MIDIA SANTA CATARINA Ricos

34 34 Tecnologia e sustentabilidade EMISSÃO DE GASES COM EFEITO ESTUFA EM 2000 POR FONTE ENCONTRO COM A MIDIA SANTA CATARINA

35 35 5° Paradigma: Onde a inovação acontece na sociedade?

36 TECHNO- LOGY PUSH MARKET PULL INDUSTRIA GOVERNO Segundo pesquisas, 80 % das inovações que não deram certo foi por erro de avaliação do mercado. 36 Investimentos públicos e privados – geração de conhecimento X uso ENCONTRO COM A MIDIA SANTA CATARINA

37 TECHNO- LOGY PUSH MARKET PULL 37 FASES E MODELOS DE INOVAÇÃO GeraçãoAnoPressupostos Autor I FASE> 1939Aumentando o estoque de conhecimen- Shumpeter to, aumentam as inovações II FASE> 1962O mercado é o motor das inovaçõesSchmookler III FASE> 1982Mistura dos dois modelos anterioresFreeman IV FASE> 1992 Integração atores: fases anteriores, Rothwell demanda e supridores. V FASE Sistemas integrados e networking Jarunee Wonglimpiyarat - The use of strategies in managing technological nnovation Investimentos públicos e privados – geração de conhecimento X uso

38 38 Atores da Inovação na Industria: Cada um dos vértices da figura abaixo representam atores, com missões específicas, cuja importância Depende da fase em que se encontra a industria. C P M E D CONCEPÇÃO PESQUISA MERCADO ENGENHARIA DESENVOLVIMENTO CAPACITAÇÃO TECNOLOGICA

39 ENCONTRO COM A MIDIA SANTA CATARINA 39 6° Paradigma: Qual é papel dos atores da inovação?

40 40 OS PAÍSES E A INOVAÇÃO O índice global do INSEAD classifica as 107 nações de acordo com sua capacidade de criar um ambiente que estimula a inovação. O índice varia entre 1 a 7. A análise envolve 8 aspectos: 1.instituições e políticas 2.capacidade humana 3.infra-estrutura 4.sofisticação tecnológica negócios 5.mercado de capitais 6.conhecimento 7.competitividade 8.riqueza 1° EUA 4° Japão 23° India 29° China 43° Brasil Indicadores de um eco-sistema favorável à inovação INVESTIMENTOS EM P&D ENCONTRO COM A MIDIA SANTA CATARINA

41 SISTEMAS DE C, T & I – PRINCIPAIS ATORES ENSINO Universidades Escolas Técnicas Educação continuada PESQUISA Universidades Inst. Pesquisa Centros P&D de empresas GOVERNO Formulação e Gestão da Política de C&T Agências de Fomento ENTIDADES NÃO GOVERNAMENTAIS Associações de Classe ONGs FAPs e Inst. Fomento SETOR PRODUTIVO Empresas de engenharia empresas industriais e de serviços Qual é o papel da MIDIA?

42 ENCONTRO COM A MIDIA SANTA CATARINA 42 7° Paradigma: Gerações de P & D da eficiência à inovação.

43 43 Evolução do foco na Eficiência ao da Inovação: Da I à III Geração de P&D. Desde os anos 70, o foco da função de P&D das empresas vem evoluindo: Do foco na eficiência produtiva Ao foco na inovação tecnológica Ò Desde os anos 90 inovação é o único diferencial capaz de oferecer vantagem competitiva em relação à concorrentes e plataforma produtiva, no mundo GLOBALIZADO. ESTAGIOS DE CAPACITAÇÃO TECNOLOGICA Toward the Innovative Frim – Challange for R&D Management – T. Kump & P. T. Bolwijin

44 44 Do foco na Eficiência ao da Qualidade – I Geração de P&D Evolução da Função de P&D Foco da Empresa Estrutura Organizacional Função em evidência Estrutura de P&DProduto Eficiên-cia 1. Estrutura hierarquizada; burocratica e racional; 2. Orientada para dentro. Empresa eficiente quando maquina bem azeitada. FOLHA DE PROCESSO Manufatura 1. Parede P&D / Manufatura tida como normal; 2. Aloca o tempo na Manufatura, especialmente após lançamento de produtos novos; 3. Desenvolvimentos incrementais durante o longo ciclo de vida dos produtos. Preço Transição1) Nega o problema qualidade 2) Reconhece o problema 3) Identifica a oportunidade em qualidade Concorrência de importados Quali- dade 1. Estrutura hierarquizada e voltada para a Gestão; 2. Orientada para o Consumidor. Comunicação horizontal e vertical valorizada. QUALIDADE TOTAL Qualidade 1. Interação com o mercado. O consumidor/mercado puxa ações de renovação. 2. Atenção dada ao design e facilidade de serviços e manufatura CONFIABILIDADE DOS PROCESSOS: FMEA Qualidade ESTAGIOS DE CAPACITAÇÃO TECNOLOGICA

45 45 Do foco na Qualidade ao da Flexibilidade – II Geração de P&D Foco da Empresa Estrutura Organizacional Função em evidência Estrutura de P&DProduto Quali- dade 1. Estrutura hierarquizada e voltada para a Gestão; 2. Orientada para o Consumidor. Comunicação horizontal e vertical valorizada. QUALIDADE TOTAL Quali-dade 1. Interação com o mercado. O consumidor/mercado puxa ações de renovação. 2. Atenção dada ao design e facilidade de serviços e manufatura CONFIABILIDADE DOS PROCESSOS: FMEA Qualidade Transição1) Nega o problema flexibilidade 2) Reconhece o problema 3) Identifica a oportunidade: reduzir estoques Importados com qualidade Flexibili- dade 1. Redução dos níveis hierárquicos; 2. Orientada para segmentação do mercado; 3. Redução de estoques. JUST IN TIM E Planejament o (PCP) 1. Interação com diferentes mercados e funções agregadas aos produtos concorrentes; 2. Interação das tecnologias CAD e CAM; 3. Fornecedores participam em co-design. REDUÇÃO DO TIME TO MARKET Linha de Produtos Evolução da Função de P&D ESTAGIOS DE CAPACITAÇÃO TECNOLOGICA

46 46 Do foco na Flexibilidade ao da Inovação – III Geração de P&D Foco da Empresa Estrutura Organizacional Função em evidência Estrutura de P&DProduto Flexibi- lidade 1. Redução dos níveis hierárquicos; 2. Orientada para segmentação do mercado; 3. Redução de estoques. JUST IN TIME Planeja- mento (PCP) 1. Interação com diferentes mercados e funções agregadas aos produtos concorrentes; 2. Interação das tecnologias CAD e CAM; 3. Fornecedores participan em co-design. REDUÇÃO DO TIME TO MARKET Linha de Produtos Transição1) Nega o problema falta de inovação 2) Reconhece o problema 3) Identifica a oportunidade em inovar Blindagem pela inovação Inova- ção 1. Organograma matricial e times had hoc. Redução de barreiras de comunicação; 2. Buscar por inovação em todas as áreas; 3. Coesão e espírito de equipe. LEARNING ORGANIZATION P, D & E Inova-ção 1. Interação com fontes de tecnologia, roadmaping de tecnologia, mercados eaplicações; 2. Comunicação em tempo intra e internet workst; 3. Valorização do empreendedorismo corporativo. INOVAÇÃO Produtos Exclu-sivos Evolução da Função de P&D ESTAGIOS DE CAPACITAÇÃO TECNOLOGICA

47 47 Sumario e evolução

48 ENCONTRO COM A MIDIA SANTA CATARINA 48 8° Paradigma: Busca por um benchmarking e indicadores da inovação nas empresas.

49 49 Indicadores = medidas de resultado Output / Input: Intensidade de P&D: Despesas de P&D/vendas ; Intensidade de NP: Novos Produtos/vendas; Intensidade de RH: Colaboradores P&D/total. medidas do processo de inovação: Medidas de pratica X medidas de desempenho. INPUTOUTPUT PROCESSO Benchmarking = comparação entre indicadores de resultado e de processo entre as industrias BENCHMARKING / INDICADORES P&D

50 50 Vulneráveis Promissores Líderes em Inovação Inovadores Desafiadores Reativos Matriz de indicadores Performance X Prática BENCHMARKING INDICADORES P&D

51 51 Vulneráveis Promissores Líderes em Inovação Inovadores Desafiadores Reativos Benchmarkeing: amostra mundial e brasileira BENCHMARKING INDICADORES P&D

52 52 Vulneráveis Promissores Líderes em Inovação Inovadores Desafiadores Reativos Resultado das empresas do comitê ANPEI BENCHMARKING INDICADORES P&D

53 Visão dos empresários: expectativas e temores. Pergunta: o que tira o teu sono? Respostas da pesquisa e campo. 53 ENCONTRO COM A MIDIA SANTA CATARINA

54 Perceptiva, porém dividida e ambivalente Versátil Integrada Comprometida Inepta, porém cooperativa e envolvida Fixada Fragmentada Resistente CULTURA COMPETITIVA (MO3) 14% 31% 45% 10% (incapaz) Rígida com relação a situação atual CULTURA DE APRENDIZAGEM (MO4) Flexível com relação ao meio externo (capaz) CULTURA ESTAGNADA (MO1) CULTURA CONSERVADORA (MO2) Orientação Paroquial (não disposta) Compro- metimento Organizacional (disposta) PESQUISA: CONTEXTO DOS PRESIDENTES- Prof. Léo F.C. Bruno e Profa. Mariá Giuliese - Fundação Don Cabral 54 Visão dos empresários: expectativas e temores. Maturidade organizacional para mudanças ENCONTRO COM A MIDIA SANTA CATARINA

55 55 Conhecimento CooperaçãoCompetição InovaçãoSoluçãoProduto InformaçãoDados Colaboração Estrutura anos Estrutura anos Estrutura Século XXI P&D de I° geração anos P&D de II° geração anos P&D de III° geração Após 2000 Evolução ao longo do tempo Foco na eficiência Foco na qualidade/flexibilidade Foco na inovação ENCONTRO COM A MIDIA SANTA CATARINA

56 56 Redução do Tempo de Adoção Invenção > Inovação Ciclo de Vida da Tecnologia Crescimento da População e suas consequências Onde a inovação acontece na sociedade? Qual é papel dos atores da inovação? Gerações de P & D da eficiência à inovação Busca por indicadores da inovação nas empresas

57 ENCONTRO COM A MIDIA SANTA CATARINA 57 OBRIGADO!


Carregar ppt "ENCONTRO COM A MIDIA SANTA CATARINA TECNOLOGIA E INOVAÇÃO Abril de 2012 1."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google