A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Estado Nutricional, Actividade Física e Aptidão Física Associada à Saúde em Crianças e Jovens da Cidade de Maputo: Influência do estatuto socioeconómico.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Estado Nutricional, Actividade Física e Aptidão Física Associada à Saúde em Crianças e Jovens da Cidade de Maputo: Influência do estatuto socioeconómico."— Transcrição da apresentação:

1 Estado Nutricional, Actividade Física e Aptidão Física Associada à Saúde em Crianças e Jovens da Cidade de Maputo: Influência do estatuto socioeconómico e efeito da idade e do sexo no crescimento som á tico e na aptidão física. 26 de Março 2014 Félix Langa & Leonardo Nhantumbo

2 Influencia da Pressão Ambiental Aptidão Funcional Características Ecológicas Singulares Estudos Centrados Nesta Temática Realizados em África

3 Crianças Africanas ASSIMETRIAS Socioeconómicas Educacionais Nutricionais Cuidados Sanitários Crianças Subnutridas Crianças Bem Nutridas Menores Valores Altura Peso Força Aptidão Motora

4 Contrastando os Níveis e Padrões de AptF e ActF e parâmetros Clínicos e Imuno-Hematológicos. ESTUDOS REALIZADOS EM MOÇAMBIQUE À excepção das tarefas dependentes do tamanho corporal, as crianças subnutridas não divergiram das crianças normais nas variáveis de AptF ou níveis de ActF habitual. PERMITIRAM CONSTATAR

5 REDUZIDO NÚMERO DE ESTUDOS REALIZADOS EM MOÇAMBIQUE Impossibilita a generalização dos seus resultados, Inviabiliza a leitura da variação e tendência que a associação entre Padrões e níveis de aptidão física, Actividade física, Estado nutricional APRESENTA AO LONGO DO TEMPO

6 Descrever e interpretar o estado de crescimento de crianças e jovens na cidade de Maputo; Analisar o estado nutricional e averiguar a sua associação com a actividade física e aptidão física relacionada à saúde em crianças e jovens da cidade de Maputo; Contrastar e caracterizar um conjunto de variáveis do crescimento somático, estado nutricional, actividade física e aptidão física relacionada à saúde em função do estatuto socioeconómico; Determinar o efeito do sexo, da idade e do estatuto socioeconómico na expressão do crescimento somático, estado nutricional, actividade física e da aptidão física relacionada à saúde em crianças e jovens na cidade de Maputo.

7 IdadeSexoTotal MasculinoFeminino Total Idade compreendida entre 10 e 17 anos, Selecção Aleatória, Escolas Privadas e Públicas da Cidade de Maputo. AMOSTRA MATERIAL E MÉTODOS

8 SOCIODEMOGRÁFICAS Sexo, Idade, ESE. ANTROPOMETRICAS Altura, Peso, IMC, CC, Prega Subescapular Prega Tricipital MOTORAS Flexibilidade, Resistência abdominal, Força explosiva MI, Força dos MS, Resistência CR. %GC=1.35(Tr+Se)-0.012(Tr-Se)²-2.4 e %GC=1.33 (Tr+Se)-0.013(Tr+Se)²-2.5 ) BOILEAU (1985) COMPOSICAO CORPORAL Actividade Física: Questionário (Prista et al., 2000) Estado Nutricional: IMC (OMS, 2000) ESE: Tipo e Localização da Escola VARIAVEIS MATERIAL E MÉTODOS

9 PROCEDIMENTOS ESTATÍSTICOS Medidas de estatística descritiva básicas, i.e., a média e o desvio padrão, Inspecção da normalidade das distribuições, assim como à eventual presença dos outliers, Análise da fiabilidade através do coeficiente de correlação intraclasse (R=0.93>

10 Estatutos Socioeconómicos Antropometria e Composição Corporal VariáveisESE1 (N=133)ESE2 (N=586)ESE3 (N=452)FpEfeitos Altura156.32± ± ± >1>3 Peso51.60± ± ± >2>3 IMC20.92± ± ± >2>3 Preg. Tricipital12.33± ± ± >2>3 Preg. Subescapular10.31± ± ± >2>3 % GC22.64± ± ± >2>3 Aptidão Física Sentar e Alcançar29.47± ± ± >2>1 Impul. Horizontal159.21± ± ± >3>2 Suspens na Barra10.80± ± ± >2>1 Força Abdominal32.20± ± ± >2>3 Corrida de ± ± ± >1>3 Quadro 1: Resultados da análise da variância resultantes da comparação dos valores médios da antropometria, composição corporal e aptidão física em função do estatuto socioeconómico da AMOSTRA GLOBAL RESULTADOS

11 Estatutos Socioeconómicos Variáveis ESE1 (N=67)ESE2 (N=310)ESE3 (N=251) FpEfeitos Antropometria e Composição Corporal Altura155.31± ± ± >2>3 Peso51.03± ± ± >2>3 IMC20.96± ± ± >2>3 PTricipital13.97± ± ± >2>3 PSubescapular11.63± ± ± >2>3 % GC25.59± ± ± >2>3 Aptidão Física Sentar e Alcançar31.46± ± ± >2>1 Impul. Horizontal144.02± ± ± >1>2 Susp. na Barra7.49± ± ± >2>1 F. Abdominal29.29± ± ± >2>3 Corrida de ± ± ± >1>3 Quadro 2: Resultados da comparação dos indicadores antropométricos, composição corporal e aptidão física das RAPARIGAS em função do estatuto socioeconómico RESULTADOS

12 Estatutos socioeconómicos Variáveis ESE1 (N=67)ESE2 (N=287)ESE3 (N=189) FpEfeitos Antropometria e Composição Corporal Altura157.31± ± ± >1>3 Peso 52.16± ± ± >2>3 IMC20.88± ± ± >2>3 PTricipital10.79± ± ± >2>3 PSubescapular9.07± ± ± >2>3 % GC23.01± ± ± >2>3 Aptidão Física Sentar e Alcançar27.48± ± ± >2>1 Imp. Horizontal174.18± ± ± >2>3 Susp. na Barra14.10± ± ± >1>3 F. Abdominal35.19± ± ± >2>3 Corrida de ± ± ± >1>3 Quadro 3: Resultados da comparação dos indicadores antropométricos, composição corporal e aptidão física dos RAPAZES em função do estatuto socioeconómico RESULTADOS

13 Estatutos Socioeconómicos Variáveis ESE1 (N=81)ESE2 (N=327)ESE3 (N=228) FpEfeitos Raparigas Activ. Domésticas11.94± ± ± >2>1 Jogos22.52± ± ± >2>1 Desporto19.46± ± ± >3>1 Andar5.85± ± ± >1>2 Rapazes ESE1 (N=67)ESE2 (N=287)ESE3 (N=203) FpEfeitos Activ. Domésticas8.69± ± ± >2>1 Jogos20.27± ± ± >2>1 Desporto27.49± ± ± >2>1 Andar5.31± ± ± >3>1 Quadro 4: Resultados da Avaliação de Actividade Física em função do Sexo e do Estatuto socioeconómico RESULTADOS

14 Grupos Nutricionais Estatutos Socioeconómicos X 2 (9) P ESE 1ESE 2ESE 3 N%N%N% Subnutridos Normoponderais Sobrepeso Obesidade Quadro 5: Resultados da Classificação do Estado Nutricional em função do Estatuto Socioeconómico RESULTADOS

15 Idade (Anos) Flexibilidade (cm) Impulsão horizontalSuspensão na Barra (seg.) Força Abdominal (reps.)Corrida de 12 (m) Fem.Masc.Fem.Masc.Fem.Masc.Fem.Masc.Fem.Masc ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ± ±53.65 Efeito de sexo: F=63.432, p<0.001 Efeito da idade: F=10.328; p<0.001 Interacção: F=4.109; p<0.001 Efeito de sexo: F= , p<0.001 Efeito da idade: F=31.439; p<0.001 Interacção: F=21.286; p<0.001 Efeito de sexo: F= ; p<0.001 Efeito da idade: F=10.310; p<0.001 Interacção: F=15.638; p<0.001 Efeito de sexo: F= ; p=0.001 Efeito da idade: F=8.535; p<0.001 Interacção: F=9.729;p<0.001 Efeito de sexo: F= ; p=0.001 Efeito da idade: F=7.804; p<0.001 Interacção: F=5.457; p=0.001 Quadro 6: Valores descritivos (média ± erro-padrão) nas diferentes variáveis de aptidão física e resultados da comparação (ANOVA II) das médias entre os sexos em função da idade RESULTADOS

16 Os valores médios de altura e peso dos sujeitos estudados aumentam, em ambos os sexos, com o avanço da idade, e apresentam um declínio em ambas as variáveis no intervalo etário dos anos no seio do sexo feminino. As raparigas apresentam médias superiores em relação aos rapazes no IMC, pregas de adiposidade e na % de GC, enquanto no peso e na altura os rapazes apresentam médias superficialmente superiores em relação às raparigas; À excepção da altura, em que o ESE médio apresenta valores médios superiores, o ESE elevado apresenta médias superiores de peso, IMC, pregas de adiposidade e % de GC em relação aos demais ESE. CONCLUSÕES

17 O ESE baixo apresenta uma maior prevalência de sujeitos classificados nutricionalmente como subnutridos, enquanto o ESE alto apresenta maiores índices de prevalência de indivíduos nutricionalmente classificados como sobrepeso e obesos em relação aos demais ESE. Na Aptidão Física é notório um dimorfismo sexual na expressão dos seus valores médios a favor dos rapazes, à excepção da prova de flexibilidades, onde as raparigas salientam melhores resultados. O ESE baixo apresenta médias superiores em relação aos outros ESE nas provas de flexibilidade e suspensão na barra, enquanto os ESE médio e alto apresentam médias superiores nas provas de resistência cardiorespiratória e impulsão horizontal e resistência abdominal, respectivamente. CONCLUSÕES

18 O ESE baixo apresenta, em ambos os sexos, índices de actividade física mais elevados na maioria dos grupos de actividades, exceptuando no desporto e na caminhada, em que no seio das raparigas, os índices de actividade física não diferem em função do ESE. É nítido um efeito altamente significativo da idade e do sexo em todos os indicadores de aptidão física, com clara vantagem dos rapazes sobre as raparigas na maioria das provas físicas, o que atesta o dimorfismo sexual no comportamento dos seus valores médios. CONCLUSÕES

19 MUITO OBRIGAGO


Carregar ppt "Estado Nutricional, Actividade Física e Aptidão Física Associada à Saúde em Crianças e Jovens da Cidade de Maputo: Influência do estatuto socioeconómico."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google