A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Coesão textual Baseado nos livros: Ler e compreender, de Ingedore V. Koch e Vanda M. Elias; Coesão textual, de Ingedore V. Koch; Lições de texto: leitura.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Coesão textual Baseado nos livros: Ler e compreender, de Ingedore V. Koch e Vanda M. Elias; Coesão textual, de Ingedore V. Koch; Lições de texto: leitura."— Transcrição da apresentação:

1 Coesão textual Baseado nos livros: Ler e compreender, de Ingedore V. Koch e Vanda M. Elias; Coesão textual, de Ingedore V. Koch; Lições de texto: leitura e redação, de Platão e Fiorin.

2

3 Nestlé lança Alpino Fast “sem chocolate Alpino”  A bebida láctea Alpino Fast, lançada pela Nestlé, gerou buzz negativo para a marca ao trazer a frase "este produto não contém chocolate Alpino" na mesma embalagem ilustrada com os clássicos bombons Alpino. Fora isso, consumidores alegaram que o gosto da bebida não se parecia com o do chocolate original. Em um dos blogs que falou sobre o assunto, o post sobre a bebida chegou a ter mais de 400 comentários. A maioria trazia críticas. Em defesa, a Nestlé explicou que Alpino Fast tinha, sim, em sua fórmula, a massa do chocolate, mas para evitar que consumidores imaginassem que encontrariam o bombom derretido, incluiu as frases "este produto não contém Chocolate Alpino" e "imagem meramente ilustrativa para referência de sabor". Investigada pelo Conar, Ministério Público, pela Anvisa e por órgãos de defesa do consumidor, a bebida teve as peças publicitárias proibidas pela Anvisa.  Anvisa = Agência Nacional de Vigilância Sanitária  Conar = Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária  marketing html?v=5#show - 17/08/2010 marketing html?v=5#show

4 Questões sobre o texto  É um texto claro, fácil de entender?  Há uma ligação entre ideias, informações e argumentos apresentados?  As palavras utilizadas estabelecem referências e relações, articulando as várias partes do texto?  A articulação entre os elementos linguísticos possibilita a construção do sentido do texto?

5 COESÃO TEXTUAL  Por coesão se entende a ligação, a relação, os nexos que se estabelecem entre os elementos que constituem a superfície textual. A coesão é explicitamente revelada através de marcas linguísticas, índices formais na estrutura da sequência linguística e superficial do texto, o que lhe dá um caráter linear, uma vez que se manifesta na organização sequencial do texto. (Koch e Travaglia)

6  Há duas grandes modalidades de coesão:  1- COESÃO REFERENCIAL: é aquela que cria, no interior do texto, um sistema de relação entre palavras e expressões, permitindo que o leitor identifique os referentes sobre os quais se fala no texto;  II – COESÃO SEQUENCIAL: é aquela que cria, no interior do texto, condições para que o discurso avance.

7 COESÃO REFERENCIAL  A coesão referencial pode ocorrer por:  - ANÁFORA: retomada por uma palavra gramatical:  Os alunos prestaram atenção. Eles estavam muito interessados na palestra.  - CATÁFORA: antecipação por uma palavra gramatical:  O professor disse isto: vá estudar.

8  São anafóricos e/ou catafóricos os pronomes demonstrativos (este, esse, aquele, etc.), os relativos (que, o qual, cujo, onde, etc.), certos advérbios e locuções adverbiais (nesse momento, então, lá, etc.), o pronome pessoal de terceira pessoa (ele/ela, o/a, lhe, seu, sua), etc.

9  Em certos casos, o emprego de um anafórico pode provocar ambiguidade e romper a coesão, por exemplo:  “O famoso jornalista desentendeu-se com o jornal por causa de sua campanha a favor do presidente” (Fiorin, p.372).  “Pedro saiu com a sua namorada.”  Para evitar a ambiguidade, redige-se a frase de outro modo.

10 Outros tipos de coesão referencial  - HIPERÔNIMO: termo que mantém com outro uma relação do tipo contém/está contido – bebida/cerveja/skol  - HIPÔNIMO: termo que mantém com outro uma relação do tipo está contido/contém – ecosport/carro/veículo

11  - SUBSTITUIÇÃO: por sinônimos (menino/moleque/guri, etc), por contiguidade (palavras de um mesmo campo semântico): casa/moradia/lar, etc.  - ELIPSE: omissão de um termo que pode ser recuperado pelo contexto:  “A alguns, a vida oferece muito; a outros, pouco” (Fiorin, p.374).

12 Coesão sequencial  Sequenciação por recorrência:  1- Recorrência de termos:  Caro amigo:  Experimenta, experimenta, experimenta, experimenta, experimenta, experimenta, experimenta, experimenta.  Diretoria do Grupo Schincariol.  P.S.: Experimenta.

13 Coesão sequencial: recorrência por paralelismo sintático  2- Paralelismo sintático: uso de uma mesma estrutura sintática, preenchida a cada vez com itens lexicais diferentes  “Ele adorava o sofá de dois lugares que estava no living. A mulher odiava o sofá de dois lugares que estava no living. Ele adorava o sofá de dois lugares que estava no living porque era ali que, todas as noites, se instalava para assistir a TV…”

14 Recorrência de conteúdos semânticos  Paráfrase: apresentação de um mesmo conteúdo semântico sob formas estruturais diferentes. Há várias expressões linguísticas introdutoras de paráfrases, tais como: isto é, ou seja, quer dizer, ou melhor, em outras palavras, em síntese, em resumo. 

15  Exemplo de recorrência por paráfrase:  A fênix é um pássaro das Arábias. Não morre nunca. Ou melhor: morre muitas vezes, queimada no fogo, e cada vez renasce das cinzas.

16 Recorrência de recursos fonológicos 3- Tem-se, neste caso, a existência de uma invariante fonológica, como, por exemplo, igualdade de metro, ritmo, rima, assonância, aliterações. Por exemplo: Fígado bom com Belaton. Tomou Doril, a dor sumiu. Pense forte, pense Ford.

17 Exemplo de aliteração:  “Mundo maluco, máquina mortífera. Mundo moderno, melhore. Melhore mais, melhore muito, melhore mesmo. Merecemos. Maldito mundo moderno, mundinho merda.”  Chico Anysio

18 COESÃO SEQUENCIAL  A coesão também pode ser feita pela conexão de operadores discursivos, que são palavras ou expressões responsáveis pela concatenação entre os segmentos do texto. São exemplos: então, portanto, já que, com efeito, porque, ora, mas, assim, daí, dessa forma, etc.

19 Alguns exemplos de conectores  Os conectores (conjunções, expressões de ligação) podem estabelecer diversas relações entre as partes do texto, por exemplo:  - Relação de causalidade: porque, por isso, então;  - Relação de condicionalidade: se, caso;  - Relação de disjunção: ou

20  Relação de temporalidade: quando, assim que, logo que, nem bem, mal, antes, depois, enquanto;  - Relação de conformidade: conforme;  - Relação de comparação: tão… quanto;  - Relação de conclusão: portanto, assim, logo.

21 Sequenciação por justaposição  Muitas vezes a coesão é conseguida por meio do encadeamento entre enunciados sem elementos explícitos de ligação. Neste caso, tem-se o encadeamento por justaposição.  Exemplo:  “Em nosso país, a distribuição de renda continua cada vez mais injusta. É uma vergonha.”

22 Para saber mais:  =11257 (dicas diversas) =11257  0pdf/1/artigodois.pdf (recursos fonológicos) 0pdf/1/artigodois.pdf  pdf (cerveja e ideologia) pdf  009/resumos/R pdf (juventude na publicidade) 


Carregar ppt "Coesão textual Baseado nos livros: Ler e compreender, de Ingedore V. Koch e Vanda M. Elias; Coesão textual, de Ingedore V. Koch; Lições de texto: leitura."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google