A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CONCLUSÕES COOPERATIVAS CORRESPON- DENTES NO PAÍS CORRESPON- DENTES NO PAÍS MICROCRÉDITO MICROFINANÇAS INTRODUÇÃO 1 Realidade atual e tendências das microfinanças.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CONCLUSÕES COOPERATIVAS CORRESPON- DENTES NO PAÍS CORRESPON- DENTES NO PAÍS MICROCRÉDITO MICROFINANÇAS INTRODUÇÃO 1 Realidade atual e tendências das microfinanças."— Transcrição da apresentação:

1 CONCLUSÕES COOPERATIVAS CORRESPON- DENTES NO PAÍS CORRESPON- DENTES NO PAÍS MICROCRÉDITO MICROFINANÇAS INTRODUÇÃO 1 Realidade atual e tendências das microfinanças no Brasil Luiz Edson Feltrim Realidade atual e tendências das microfinanças no Brasil Luiz Edson Feltrim SEMINÁRIO ITAU DE MICROFINANÇAS

2 CONCLUSÕES COOPERATIVAS CORRESPON- DENTES NO PAÍS CORRESPON- DENTES NO PAÍS MICROCRÉDITO MICROFINANÇAS INTRODUÇÃO 2 Com base na Lei 4.595/64 Administração do SPB e do Mecir Formulação e gestão das P.M. e cambial  Diretrizes do Governo Federal Regulação e supervisão do Sistema Financeiro Nacional Assegurar a estabilidade do poder de compra da moeda E um sistema financeiro sólido e eficiente

3 CONCLUSÕES COOPERATIVAS CORRESPON- DENTES NO PAÍS CORRESPON- DENTES NO PAÍS MICROCRÉDITO MICROFINANÇAS INTRODUÇÃO 3

4 CONCLUSÕES COOPERATIVAS CORRESPON- DENTES NO PAÍS CORRESPON- DENTES NO PAÍS MICROCRÉDITO MICROFINANÇAS INTRODUÇÃO 4 A prestação de serviços financeiros adequados e sustentáveis para a população de baixa renda, tradicionalmente excluída do sistema financeiro, com a utilização de produtos, processos e gestão diferenciados. MICROFINANÇAS

5 CONCLUSÕES COOPERATIVAS CORRESPON- DENTES NO PAÍS CORRESPON- DENTES NO PAÍS MICROCRÉDITO MICROFINANÇAS INTRODUÇÃO 5 Microfinanças Ações educativas •Educação financeira •Alfabetização •Capacitação •Associativismo •Apoio e divulgação Centrais de atendimento, calculadora do cidadão, taxas de operações de crédito, estatísticas de consórcio, conversão de moedas, evolução do SFN e muito mais... Marco legal: Democratização do crédito Cidadania COMO O BANCO CENTRAL ATUA COM MICROFINANÇAS? Cooperativas Correspondente Microcrédito

6 CONCLUSÕES COOPERATIVAS CORRESPON- DENTES NO PAÍS CORRESPON- DENTES NO PAÍS MICROCRÉDITO MICROFINANÇAS INTRODUÇÃO 6 Microfinanças – Mercado Brasileiro – Rendimento mensal (%) 1/ Inclusive pessoas que recebem apenas benefícios - Fonte: IBGE – PNAD2005 I.F. tradicionais (bancos) Cooperativas de crédito Microfinanças De R$ 760,00 a 1.140,00 MICROFINANÇAS

7 CONCLUSÕES COOPERATIVAS CORRESPON- DENTES NO PAÍS CORRESPON- DENTES NO PAÍS MICROCRÉDITO MICROFINANÇAS INTRODUÇÃO 7 Microfinanças – Mercado Brasileiro  Demanda: 80% das 87 milhões de pessoas ocupadas (70 milhões) encontram-se na faixa de renda compatível com o mercado microfinanceiro  35 milhões com demanda efetiva  Oferta: Fonte: BCB / Data-base: Dez/ % MICROFINANÇAS

8 CONCLUSÕES COOPERATIVAS CORRESPON- DENTES NO PAÍS CORRESPON- DENTES NO PAÍS MICROCRÉDITO MICROFINANÇAS INTRODUÇÃO 8 Microcrédito – Mercado Brasileiro  Demanda: 16 milhões de pequenas unidades produtivas  13 milhões trabalhadores por conta própria  7 milhões com demanda efetiva  R$ 12 bilhões  US$ 6 bilhões  Oferta: Fonte: Livro Microfinanças – Papel do Banco Central e a Importância do Cooperativismo de Crédito – % MICROCRÉDITO

9 CONCLUSÕES COOPERATIVAS CORRESPON- DENTES NO PAÍS CORRESPON- DENTES NO PAÍS MICROCRÉDITO MICROFINANÇAS INTRODUÇÃO 9 Microcrédito - Público-Alvo MICROCRÉDITO

10 CONCLUSÕES COOPERATIVAS CORRESPON- DENTES NO PAÍS CORRESPON- DENTES NO PAÍS MICROCRÉDITO MICROFINANÇAS INTRODUÇÃO 10 Microcrédito Micro-empreendedores(ras) Critérios técnicos JUROS  Filantropia Tecnologia MICROCRÉDITO

11 CONCLUSÕES COOPERATIVAS CORRESPON- DENTES NO PAÍS CORRESPON- DENTES NO PAÍS MICROCRÉDITO MICROFINANÇAS INTRODUÇÃO 11 Microcrédito - Tecnologia - Importância do Agente de Crédito MICROCRÉDITO

12 CONCLUSÕES COOPERATIVAS CORRESPON- DENTES NO PAÍS CORRESPON- DENTES NO PAÍS MICROCRÉDITO MICROFINANÇAS INTRODUÇÃO 12 Microcrédito Possibilidades de atuação ONG SCM (Res ) Carteira especializada de I.F. OSCIP (Lei 9.790/1999) Instituição financeira Com objetivo de lucro Fundos públicos Sujeitos à Lei da Usura (i<12% a.a.) MICROCRÉDITO Não sujeitos à supervisão do Banco Central

13 CONCLUSÕES COOPERATIVAS CORRESPON- DENTES NO PAÍS CORRESPON- DENTES NO PAÍS MICROCRÉDITO MICROFINANÇAS INTRODUÇÃO 13

14 CONCLUSÕES COOPERATIVAS CORRESPON- DENTES NO PAÍS CORRESPON- DENTES NO PAÍS MICROCRÉDITO MICROFINANÇAS INTRODUÇÃO 14 SOCIEDADES DE CRÉDITO AO MICROEMPREENDEDOR Entidades financeiras que visam lucro, especializadas em microcrédito 56 SCM em funcionamento Posição em DEZ/2006 MICROCRÉDITO

15 CONCLUSÕES COOPERATIVAS CORRESPON- DENTES NO PAÍS CORRESPON- DENTES NO PAÍS MICROCRÉDITO MICROFINANÇAS INTRODUÇÃO 15 Evolução Sociedades de Crédito ao Microempreendedor - SCM Em R$ mil MICROCRÉDITO

16 CONCLUSÕES COOPERATIVAS CORRESPON- DENTES NO PAÍS CORRESPON- DENTES NO PAÍS MICROCRÉDITO MICROFINANÇAS INTRODUÇÃO 16  Definição Acordo ou contrato feito entre instituições financeiras e pessoas jurídicas para a execução de serviços em seu nome  Importância para o Brasil – Ocupação dos espaços deixados pelos ajustes do mercado – Desafio das dimensões continentais  Sua existência remonta ao início do funcionamento dos bancos Correspondente no País CORRESPON- DENTES NO PAÍS CORRESPON- DENTES NO PAÍS

17 CONCLUSÕES COOPERATIVAS CORRESPON- DENTES NO PAÍS CORRESPON- DENTES NO PAÍS MICROCRÉDITO MICROFINANÇAS INTRODUÇÃO 17 Histórico  I - recepção e encaminhamento de propostas de abertura de contas de depósitos à vista, a prazo e de poupança  II - recebimentos e pagamentos relativos a contas de depósitos à vista, a prazo e de poupança, bem como a aplicações e resgates em fundos de investimento  III - recebimentos, pagamentos e outras atividades decorrentes de convênios de prestação de serviços mantidos pelo contratante na forma da regulamentação em vigor;  IV - execução ativa ou passiva de ordens de pagamento em nome do contratante  V - recepção e encaminhamento de pedidos de empréstimos e de financiamentos  VI - análise de crédito e cadastro  VII - execução de serviços de cobrança  VIII - recepção e encaminhamento de propostas de emissão de cartões de crédito  IX - outros serviços de controle, inclusive processamento de dados, das operações pactuadas  X - outras atividades, a critério do Banco Central do Brasil AUTORIZAÇÃO DO BANCO CENTRAL Correspondente no País - Depois de 1999 (Res ) CORRESPON- DENTES NO PAÍS CORRESPON- DENTES NO PAÍS

18 CONCLUSÕES COOPERATIVAS CORRESPON- DENTES NO PAÍS CORRESPON- DENTES NO PAÍS MICROCRÉDITO MICROFINANÇAS INTRODUÇÃO 18

19 CONCLUSÕES COOPERATIVAS CORRESPON- DENTES NO PAÍS CORRESPON- DENTES NO PAÍS MICROCRÉDITO MICROFINANÇAS INTRODUÇÃO 19 Cooperativismo  1 cooperado  1 voto  Sobras (+ para quem + usa)  Estrutura mais organizada  No Brasil: Lei / 71 MUTUALISMO • conceito sociológico: relação na qual grupos sociais fornecem benefícios mútuos de forma organizada  base: compromisso de oferecer assistência a membro daquele grupo que dela carece COOPERATIVAS

20 CONCLUSÕES COOPERATIVAS CORRESPON- DENTES NO PAÍS CORRESPON- DENTES NO PAÍS MICROCRÉDITO MICROFINANÇAS INTRODUÇÃO 20 Cooperativas de Crédito – Pontos de atendimento Fonte: Banco Central do Brasil COOPERATIVAS 2,9 MILHÃO DE ASSOCIADOS – Dez/2006

21 CONCLUSÕES COOPERATIVAS CORRESPON- DENTES NO PAÍS CORRESPON- DENTES NO PAÍS MICROCRÉDITO MICROFINANÇAS INTRODUÇÃO 21 Posição dentro do SFN Fonte: Banco Central do Brasil COOPERATIVAS

22 CONCLUSÕES COOPERATIVAS CORRESPON- DENTES NO PAÍS CORRESPON- DENTES NO PAÍS MICROCRÉDITO MICROFINANÇAS INTRODUÇÃO 22 Microfinanças - Desafios / Projetos em andamento • Governança cooperativa • Seminário microfinanças - Ago/2008 • Moedas sociais • Reavaliação modelo SCM • Acompanhamento / Avaliação impacto CONCLUSÕES

23 COOPERATIVAS CORRESPON- DENTES NO PAÍS CORRESPON- DENTES NO PAÍS MICROCRÉDITO MICROFINANÇAS INTRODUÇÃO 23 Microfinanças – Panacéia? Consenso: • os serviços microfinanceiros sustentáveis são um importante veículo de combate à pobreza • políticas macroeconômicas sólidas (controle inflação) • taxas de juros livres para as microfinanças – competição ao invés de limites – baixar juros pela eficiência • a eliminação de subsídios • estímulos à entrada e expansão dos serviços microfinanceiros – Diversidade de operadores • o estímulo à adoção de indicadores de performance e padrões contábeis CONCLUSÕES

24 COOPERATIVAS CORRESPON- DENTES NO PAÍS CORRESPON- DENTES NO PAÍS MICROCRÉDITO MICROFINANÇAS INTRODUÇÃO 24 CONCLUSÕES

25 COOPERATIVAS CORRESPON- DENTES NO PAÍS CORRESPON- DENTES NO PAÍS MICROCRÉDITO MICROFINANÇAS INTRODUÇÃO 25 Deorf – Departamento de Organização do Sistema Financeiro Luiz Edson Feltrim Tel.: (61) / 1645 – Fax: (61)


Carregar ppt "CONCLUSÕES COOPERATIVAS CORRESPON- DENTES NO PAÍS CORRESPON- DENTES NO PAÍS MICROCRÉDITO MICROFINANÇAS INTRODUÇÃO 1 Realidade atual e tendências das microfinanças."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google