A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Como a educação pode mudar o Brasil: O Educacionismo Cristovam Buarque Lançamento do Movimento SBPC: Educação Urgente Brasília, 13 de novembro de 2009.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Como a educação pode mudar o Brasil: O Educacionismo Cristovam Buarque Lançamento do Movimento SBPC: Educação Urgente Brasília, 13 de novembro de 2009."— Transcrição da apresentação:

1 Como a educação pode mudar o Brasil: O Educacionismo Cristovam Buarque Lançamento do Movimento SBPC: Educação Urgente Brasília, 13 de novembro de 2009

2 O quadro atual

3 A tragédia O Brasil tem 14 milhões de crianças e adolescentes de até 17 anos excluídos do sistema educacional. Apenas 15% das crianças de até 3 anos têm acesso a creche.

4 As escolas brasileiras estão no 4 o lugar em Matemática, 9 o lugar em Leitura, 6 o lugar em Ciências, só que de baixo para cima. A tragédia A Finlândia tem a melhor escola básica, entre 57 países selecionados pela OCDE. Fonte: PISA/OCDE 2006 Estão entre as piores!

5 A tragédia Apenas 782 escolas brasileiras (1,2 % do total) atingiram média 6, o desempenho ideal em educação, segundo a OCDE. Ensino Fundamental Ensino Médio 1ª a 4ª série5ª a 8ª série Pública4,03,53,2 Federal6,26,15,7 Estadual4,33,63,2 Municipal4,03,43,2 Privada6,05,85,6 Notas médias das escolas brasileiras IDEB 2007 (MEC/Inep)

6 A tragédia O Brasil possui mais de 14 milhões de jovens e adultos analfabetos (10% da população). Nenhum deles é rico! Se for mantido o atual ritmo de alfabetização, o Brasil só será território livre do analfabetismo dentro de 17 ou 18 anos.

7 O Brasil possui o 10º maior PIB do planeta, mas ocupa a última colocação no ranking da OCDE que analisou os investimentos em educação de 32 países. A tragédia Em 2008, o Brasil investiu pouco mais de R$ 3 por dia em cada aluno matriculado na educação primária.

8 A tragédia A situação da estrutura escolar reflete o baixo investimento:  5,5% dos estudantes da 1ª à 4ª série estudam em escolas sem eletricidade  38% não tem acesso a biblioteca  77,2% estão matriculados em colégios que não têm Internet.

9 Um terço dos estudantes da 4ª série têm os conhecimentos relativos ao conteúdo da 1ª série, segundo a Provinha Brasil (MEC/INEP). 85,7% dos estudantes que chegaram ao fim do ensino fundamental em 2007 sabiam menos do que deveriam. (UNESCO, 2008) A tragédia

10 O Muro da Desigualdade nos separa internamente CIEP Guiomar Gonçalves Neves, Trajano de Morais, RJ Colégio Pedro II, RJ Escola municipal de Sabonetinho, zona rural de Barra do Corda, MA Escola municipal Severino Miguel de Oliveira, zona rural de Alexandria, RN

11 A tragédia O Muro do Atraso nos distancia de outros países EspanhaCoréiaIrlandaPortugal

12 As causas da tragédia - Por que não avançamos? Metas CulturalIdeológica Política Financeira Corporativa Propósito utópico Descontinuidade

13 As conseqüências - Somos um povo dividido No Brasil, os 10% mais ricos têm renda média 57 vezes maior do que os 10% mais pobres. (Relatório de Desenvolvimento Humano, 2006)

14 As conseqüências - Somos um povo dividido Pronto-socorro de Mandaqui, SP Hospital Monte Sinai, Juiz de Fora

15 As conseqüências - Somos um povo dividido Rodoviária de GoiâniaAeroporto de Recife

16 Por que Educação é importante? Única forma atual de ascender socialmente

17 Por que Educação é importante? Única forma de desenvolver a indústria

18 Por que Educação é importante? Sem educação, sobram desempregados

19 Por que Educação é importante? mas também sobram vagas...

20 Por que Educação é importante?... por falta de capacitação.

21 Por que Educação é importante? Única forma do país ser desenvolvido Nos produtos modernos, o preço não vem da matéria- prima, nem da quantidade de trabalho manual, vem do conteúdo em inteligência.

22 Por que Educação é importante? No século XXI, cada pessoa sem educação é um recurso desperdiçado. Única forma do país ser desenvolvido

23 Por que Educação é importante? A Universidade sem qualidade puxa Ciência e Tecnologia para baixo. Única forma do país ser desenvolvido O Ensino Fundamental sem qualidade puxa o Ensino Médio para baixo. O Ensino Médio sem qualidade puxa a Universidade para baixo. Se não fizermos a revolução científica e tecnológica, o Brasil ficará para trás. Sem educação para todos, não haverá pleno desenvolvimento de Ciência e Tecnologia.

24 O potencial tecnológico depende de educação para todos. Por que Educação é importante? Talento depende do número de pessoas disputando.

25 O que fazer? 1. Transferir para o Governo Federal a coordenação nacional da educação de base, com descentralização gerencial.  Transformar o MEC em Ministério da Educação de Base  Criar uma Agência Nacional para a Proteção da Criança e do Adolescente  Garantir descentralização gerencial

26 O que fazer? 2. Realizar a revolução na educação em todo o País em 20 anos, iniciando-a imediatamente por blocos de cidades.  Plano Nacional de Carreira do Magistério  Programa Federal de Qualidade na Educação  250 cidades, 100 mil professores, escolas, 3 milhões de alunos.

27 O que fazer? 3. Definir padrões nacionais para todas as escolas brasileiras.  Padrões Nacionais de salário, formação e dedicação do professor  Padrões Nacionais para as edificações e equipamentos das escolas  Padrões Nacionais Mínimos para o Conteúdo Escolar

28 O que fazer? 4. Estabelecer uma Lei de Metas para a Educação e uma Lei de Responsabilidade Educacional para os dirigentes

29 O que fazer? 5. Valorizar, formar e motivar o Professor.  A localização do professor na sociedade.  A conceituação do professor.  A motivação do professor  Apoiar as leis em discussão no Congresso para criar um Piso Nacional de Salário para a Carreira do Professor  Criar uma Rede Nacional para a Formação de Professores  Retomar os projetos de valorização do professor  Criar um Conselho Nacional do Magistério

30 O que fazer? 5. Valorizar, formar e motivar o Professor (cont.)  Iniciar a implantação de uma Carreira de Estado de Magistério Brasileiro  Implantar uma Rede de Centros de Pesquisas e Desenvolvimento da Educação  Implantar o Sistema de Residência Educacional  Criar a opção de Dedicação Exclusiva para os professores da educação de base  Oferecer a todo professor remuneração adicional conforme sua dedicação e a conseqüente contribuição para o aprendizado de seus alunos  Proibir a substituição de professor durante o ano letivo, salvo nas graves exceções por impossibilidade física.

31 O que fazer? 6. Modernizar o conteúdo.  Modernizar o conteúdo, o que implicará pelo menos 12 cuidados.  Complementar a escola, o que significa ir além do horário integral, adotar no processo educacional a prática de esportes, o exercício das artes, a reflexão filosófica, as atividades de voluntariado

32 O que fazer? 7. Qualificação de infra-estrutura.  Construir e reformar pelo menos 100 mil das atuais escolas.  Garantir equipamento moderno de teleinformática e multimídia em todas as escolas.  Garantir equipamento moderno de ginástica, teatro, música  Generalizar a leitura na escola

33 O que fazer? 8. Proteger as edificações e os equipamentos escolares.  Tratar como crime hediondo o desvio de verbas  Aprovar uma lei específica para criminalizar com rigor o vandalismo nas escolas e proteger as instalações escolares  Abrir as escolas à população  Criar a Agência Federal para a Coordenação da Segurança Escolar

34 O que fazer? 9. Universalizar a freqüência às aulas até a conclusão do Ensino Médio  Atender as crianças em idade pré-escolar com um programa de acompanhamento da alimentação e do desenvolvimento psicológico e pedagógico  Garantir vaga a toda criança brasileira, a partir dos quatro anos de idade  Identificar e trazer para a escola todas as crianças que compõem os 5% não matriculados  Retomar o compromisso da Bolsa-Escola com a educação  Criar a Poupança-Escola

35 O que fazer? 10. Universalizar o Ensino Técnico.  Ampliar o número de escolas técnicas de nível médio  Garantir atendimento e formação a todos os interessados  Ampliar o PROJOVEM  Ampliar o uso dos sistemas de educação técnica com alternância

36 O que fazer? 11. Envolver a universidade com a Educação de Base.  A criação de convivência entre a universidade e a escola básica  A formação de professores para a educação de base;  A realização de pesquisas relacionadas com aspectos pedagógicos e técnicas de aprendizado;  O envolvimento na educação de base de alunos e ex-alunos.

37 O que fazer? 12. Substituir o Vestibular pelo Programa de Avaliação Seriada. 13. Criar o Cartão Escolar de Acompanhamento Federal.

38 O que fazer? 14. Erradicar o analfabetismo no Brasil.  Retomar a Secretaria para a Erradicação do Analfabetismo  Criar o programa Bolsa Alfa  Mobilizar as instituições públicas e privadas  Criar incentivos para que os universitários sejam alfabetizadores de adultos  Retomar o programa de Leituração  Retomar o Labirinto do Analfabetismo

39 O que fazer? 15. Criar um Sistema Nacional de Avaliação e Fiscalização da Educação de Base.  Criar um “TCU” da educação  Retomar o antigo Sistema de Inspetores Federais Educacionais

40 O que fazer? 16. Garantir o envolvimento das famílias e os meios de comunicação na revolução educacional.  Estimular o envolvimento dos meios de comunicação por meio de uma Lei do Envolvimento Midiático na Educação  Estimular o envolvimento da família na educação de suas crianças  Criar canais televisivos educacionais e de reforço escolar  Incentivar, divulgar, apoiar o uso do Ensino a Distância, sintonizando a educação brasileira, em todos os níveis, com o avanço das novas tecnologias educacionais não presenciais.

41 O que fazer? 17. Instituir um sistema de Premiação Educacional. 18. Criar o PROESB. 19. Retomar o Programa Educa Brasil.

42 O que fazer? 20. O Pacto da Excelência.  Criar uma Escola Nacional para Gestores Educacionais  Implantar um sistema de “mérito-democracia”  Assegurar a continuidade  Substituir a discussão política, centrada na ocupação de cargos  Não limitar a discussão aos apoiadores do governo  Usar o Conselho da República para agir na Educação  Garantir que, nos momentos de grandes enfrentamentos, o Poder Executivo e o Congresso Nacional trabalhem de forma combinada  Criar o Pacto da Sala de Aula

43 O que fazer? 21. O custo de fazer. 22. O custo de não fazer. 23. O Educacionismo e o Educacionista.

44 A revolução possível Gestão, regulamentação e avaliação Transferir para o Governo Federal a coordenação nacional da educação de base Estabelecer uma Lei de Metas para a Educação e uma Lei de Responsabilidade Educacional Proteger as edificações e os equipamentos escolares Criar o Cartão Escolar de Acompanhamento Federal Criar um Sistema Nacional de Avaliação e Fiscalização da Educação de Base Qualidade e modernização Definir padrões nacionais de conteúdo e aprendizagem Modernizar o conteúdo Retomar o programa educa Brasil Objetivos Fazer a revolução na educação chegar a todo o País em 10 ou 15 anos, iniciando-se de imediato por blocos de cidades. Universalizar a freqüência às aulas até a conclusão do Ensino Médio. Universalizar o Ensino Técnico. Erradicar o analfabetismo no Brasil. Investimento O custo de fazer x O custo de não fazer Vontade política Estabelecer o Pacto da Excelência Criar o Educacionismo Formação da nova escola Definir padrões nacionais de salários, formação e dedicação dos professores Definir padrões nacionais de instalações e equipamento. Qualificar a infra-estrutura Evolver a Universidade com a Educação de Base Garantir o envolvimento das famílias e dos meios de comunicação na revolução educacional Instituir um sistema de Premiação Educacional Substituir o Vestibular pelo Programa de Avaliação Seriada Criar o PROESB

45  Movimento Educacionista  Dificuldade: classes médias e altas vão sentir que perderão os privilégios que têm por causa do monopólio da qualidade, como foi com o movimento abolicionista A revolução possível


Carregar ppt "Como a educação pode mudar o Brasil: O Educacionismo Cristovam Buarque Lançamento do Movimento SBPC: Educação Urgente Brasília, 13 de novembro de 2009."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google