A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Oração do Terço. Exulto de alegria no Senhor, a minha alma rejubila no meu Deus, que Me revestiu com as vestes da salvação e Me envolveu com o manto da.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Oração do Terço. Exulto de alegria no Senhor, a minha alma rejubila no meu Deus, que Me revestiu com as vestes da salvação e Me envolveu com o manto da."— Transcrição da apresentação:

1 Oração do Terço

2 Exulto de alegria no Senhor, a minha alma rejubila no meu Deus, que Me revestiu com as vestes da salvação e Me envolveu com o manto da justiça, como esposa adornada com suas jóias.

3 Ano A- I I I Domingo do Advento

4 Vem senhor oh vem senhor, vem oh Jesus Vem Vem reinar no meu coração, vem oh Jesus vem Ao ver as mãos gosto de as dar vem oh Jesus vem E aos meus irmãos eu vou ajudar vem oh Jesus vem

5 Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Ámen! A graça de Nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai e a Comunhão do Espírito Santo estejam convosco. Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo. Irmãos, para celebrar dignamente os Santos Mistérios reconheçamos que somos pecadores (momento de silêncio)

6 Confessemos os nossos pecados: Confesso a Deus Todo-Poderoso e a vós, irmãos, que pequei muitas vezes por pensamentos e palavras, actos e omissões, (batendo no peito) por minha culpa, minha tão grande culpa. E peço à Virgem Maria, aos Anjos e Santos, e a vós, irmãos, que rogueis por mim a Deus, Nosso Senhor. Deus Todo-Poderoso tenha compaixão de nós perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna. Ámen!

7 Senhor, tende piedade de nós. Cristo, tende piedade de nós. Senhor, tende piedade de nós.

8 ORAÇÃO COLECTA Deus de infinita bondade, que vedes o vosso povo esperar fielmente o Natal do Senhor, fazei-nos chegar às solenidades da nossa salvação e celebrá-las com renovada alegria. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. Amem.

9 Is 35, 1-6a.10 «Deus vem salvar-nos»

10 LEITURA I Is 35, 1-6a.10 Leitura do Livro de Isaías Alegrem-se o deserto e o descampado, rejubile e floresça a terra árida, cubra-se de flores como o narciso, exulte com brados de alegria. Ser-lhe-á dada a glória do Líbano, o esplendor do Carmelo e do Saron. Verão a glória do Senhor, o esplendor do nosso Deus. Fortalecei as mãos fatigadas e robustecei os joelhos vacilantes.

11 LEITURA I Is 35, 1-6a.10 Dizei aos corações perturbados: «Tende coragem, não temais: Aí está o vosso Deus, vem para fazer justiça e dar a recompensa. Ele próprio vem salvar-vos». Então se abrirão os olhos dos cegos e se desimpedirão os ouvidos dos surdos.

12 LEITURA I Is 35, 1-6a.10 Então o coxo saltará como um veado e a língua do mudo cantará de alegria. Voltarão os que o Senhor libertar, hão-de chegar a Sião com brados de alegria, com eterna felicidade a iluminar-lhes o rosto.

13 LEITURA I Is 35, 1-6a.10 Reinarão o prazer e o contentamento e acabarão a dor e os gemidos. Palavra do Senhor. Graças a Deus

14

15 Refrão: Salmo 145 (146), 7.8-9a.9bc-10 (R. cf. Is 35, 4) Refrão: VINDE SENHOR E SALVAI OU: VINDE SALVAR-NOS SENHOR

16 Tg 5, 7-10 «Fortalecei os vossos corações, porque a vinda do Senhor está próxima»

17 LEITURA II Tg 5, 7-10 Leitura da Epístola de São Tiago Irmãos: Esperai com paciência a vinda do Senhor. Vede como o agricultor espera pacientemente o precioso fruto da terra, aguardando a chuva temporã e a tardia. Sede pacientes, vós também, e fortalecei os vossos corações, porque a vinda do Senhor está próxima.

18 LEITURA II Tg 5, 7-10 Não vos queixeis uns dos outros, a fim de não serdes julgados. Eis que o Juiz está à porta. Irmãos, tomai como modelos de sofrimento e de paciência os profetas, que falaram em nome do Senhor. Palavra do Senhor. Graças a Deus

19 Aclamação Sua palavra é boa nova aleluia Sua palavra é notícia aleluia

20 Mt 11, 2-11 «És tu Aquele que há-de vir ou devemos esperar outro?»

21 EVANGELHO Lc 1, O Senhor esteja convosco, Ele está no meio de Nós. Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo segundo S. Mateus Gloria a Vós, Senhor!

22 EVANGELHO Mt 11, 2-11 Naquele tempo, João Baptista ouviu falar, na prisão, das obras de Cristo e mandou- Lhe dizer pelos discípulos: «És Tu Aquele que há-de vir, ou devemos esperar outro?». Jesus respondeu-lhes: «Ide contar a João o que vedes e ouvis: os cegos vêem, os coxos andam, os leprosos são curados, os surdos ouvem, os mortos ressuscitam e a Boa Nova é anunciada aos pobres.

23 EVANGELHO Mt 11, 2-11 E bem-aventurado aquele que não encontrar em Mim motivo de escândalo». Quando os mensageiros partiram, Jesus começou a falar de João às multidões: «Que fostes ver ao deserto? Uma cana agitada pelo vento? Então que fostes ver? Um homem vestido com roupas delicadas? Mas aqueles que usam roupas delicadas encontram-se nos palácios dos reis. Que fostes ver então? Um profeta?

24 EVANGELHO Mt 11, 2-11 Sim – Eu vo-lo digo – e mais que profeta. É dele que está escrito: ‘Vou enviar à tua frente o meu mensageiro, para te preparar o caminho’. Em verdade vos digo: Entre os filhos de mulher, não apareceu ninguém maior do que João Baptista. Mas o menor no reino dos Céus é maior do que ele». Palavra da salvação. Gloria a Vós, Senhor.

25

26 Nazaré, que tinha apontado como o Messias. Como o Messias não veio para libertar, João começou a duvidar. Não é fácil reconhecer o Messias de Deus. O povo, espiritualmente mais preparado, não conseguiu entendê-lO e acolhê-lO, e o próprio Baptista ficou desorientado. Foi uma surpresa para João a discrição com que Jesus curava, pregava e exercia o seu ministério de salvação dos pobres. Além disso, Jesus não tinha ainda cumprido a profecia:

27 “Ele vos batizará no Espírito Santo e no fogo”(Lc.3,16). Nem correspondia à fé popular dos Judeus, segundo a qual ‘o Messias seria um guerreiro e um político’, que traria a liberdade política, económica e social a Israel. Pelo contrário, pronunciou as bem-aventuranças dos pobres, dos mansos, e dos pacíficos. Ainda mais começou o Seu ministério na Galileia, entre os pobres, afastando-se de Jerusalém, que era o lugar onde estava o templo e sede da autoridade religiosa.

28 A resposta de Jesus aos discípulos de João Baptista baseia-se em seis ações que Ele tinha já realizado. Esperavam um Messias que fosse juiz rigoroso e se lançasse contra os maus. O Baptista é convidado a dar-se conta de seis novas realidades:- a cura dos cegos, dos surdos, dos leprosos, dos coxos, a ressurreição dos mortos e o anúncio do Evangelho aos pobres. Todos são sinais de salvação, nenhum de condenação. O ministério de Jesus é movido pela compaixão e o amor.

29 Quem caminhava na escuridão e era desorientado na vida, era agora iluminado pelo Evangelho; quem era coxo e não conseguia dar um passo em direção ao Senhor e aos irmãos, caminhava agora ligeiro; quem estava surdo para a palavra de Deus, escutava-a e deixava-se agora conduzir por ela; quem se envergonhava de si mesmo pela lepra do pecado que o mantinha afastado de Deus e dos irmãos, sentia-se agora purificado; quem só fazia obras de morte,

30 vivia agora a plenitude da sua existência; quem se considerava um miserável e não tinha esperança, conhecia agora a boa nova. Jesus pronuncia o seu juízo acerca de João Baptista. Ele não é como as canas- um oportunista que se adequa a todas as situações e se inclina diante de quem tem o poder no momento; João não é um corrupto- que acumula dinheiro sem escrúpulos e o esbanja em divertimentos, em roupas elegantes e refinadas.

31 Ele é “mais que um profeta”. João Baptista conheceu a sua dúvida na fé, mas manteve-se aberto às palavras de Jesus e foi ajudado a crescer. Sigamos o exemplo dele e aprofundemos a nossa vida espiritual nestes últimos dias de advento pela oração, leitura da Sagrada Escritura, meditação, sacrifícios e participação nas santas missas. Assim Seja!

32 «És tu Aquele que há-de vir ou devemos esperar outro?»

33

34 Creio, creio, creio (2x) Creio em Deus pai todo poderoso, criador do céu e da Terra creio, creio, creio em Jesus Cristo seu único filho Nosso Senhor que foi concebido pelo poder do Espírito Santo nasceu da Virgem Maria, padeceu sob Poncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado. desceu á mansão dos mortos, ressuscitou, ressuscitou ao terceiro dia subiu ao céu, está sentado á direito de Deus Pai,

35 subiu ao céu, está sentado á direito de Deus Pai, todo poderoso onde há-de vir a julgar, os vivos e os mortos. Creio, Creio, Creio Creio, no Espírito Santo, na Santa Igreja Católica na Comunhão dos Santos, na Remissão dos Pecados na ressurreição da Carne, na Vida Eterna. Creio, Creio, Creio Àmen

36 Creio em um só Deus, Pai todo-poderoso, Criador do céu e da terra De todas as coisas visíveis e invisíveis. Creio em um só Senhor, Jesus Cristo, Filho Unigénito de Deus, nascido do Pai antes de todos os séculos: Deus de Deus, Luz da Luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro; Gerado, não criado, consubstancial ao Pai. Por Ele todas as coisas foram feitas. E por nós, homens, e para nossa salvação

37 desceu dos céus (Faz-se inclinação) E encarnou pelo Espírito Santo, no seio da Virgem Maria. e Se fez homem. Também por nós foi crucificado sob Pôncio Pilatos; padeceu e foi sepultado. Ressuscitou ao terceiro dia, conforme as Escrituras; e subiu aos céus, onde está sentado à direita do Pai.

38 De novo há-de vir em sua glória, para julgar os vivos e os mortos; e o seu reino não terá fim. Creio no Espírito Santo. Senhor que dá a vida, e procede do Pai e do Filho; e com o Pai e o Filho é adorado e glorificado: Ele que falou pelos Profetas.

39 Creio na Igreja una, santa, católica e apostólica. Professo um só batismo Para remissão dos pecados. E espero a ressurreição dos mortos, e vida do mundo que há-de vir. Ámen.

40

41 Irmãs e irmãos: Cada novo ano litúrgico é um ano de graça. Cheios de alegria pela vinda gloriosa do Senhor, imploremos, com toda a confiança, dizendo Irmãs e irmãos: Cada novo ano litúrgico é um ano de graça. Cheios de alegria pela vinda gloriosa do Senhor, imploremos, com toda a confiança, dizendo Vinde, Senhor, e salvai-nos. Para que na Igreja inteira, nesta Diocese e nas suas paróquias, se anuncie a Boa Nova a toda a gente, e o Espírito faça florir cada deserto, oremos, irmãos. Vinde, Senhor, e salvai-nos.

42 Para que nos lares e instituições de todo o mundo, haja trabalho, liberdade, pão e paz, e a angústia não perturbe os corações, oremos, irmãos. Vinde, Senhor, e salvai-nos. Para que os cegos, os leprosos e os doentes, e os que vivem sem alegria e sem coragem, ponham toda a sua esperança no Senhor, oremos, irmãos. Vinde, Senhor, e salvai-nos.

43 Para que no meio da violência quotidiana, o Espírito faça desabrochar flores de paz e fortaleça todos aqueles que a perderam, oremos, irmãos. Vinde, Senhor, e salvai-nos. Para que nesta Paróquia e nos seus vários grupos, cada um de nós, à maneira de Jesus, sirva os mais pobres e vá em socorro dos maltratados e dos que sofrem, oremos, irmãos. Vinde, Senhor, e salvai-nos.

44 Senhor, nosso Deus, que nos prometeis a felicidade sem fim, concedei-nos um coração pobre e fazei que a próxima vinda do vosso Filho transforme o mundo com a sua paz. Ele que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. Ámen.

45

46 A ti meu Deus, elevo o meu coração, Elevo as minhas mãos, meu olhar, minha voz. A ti meu Deus, eu quero oferecer Meus passos e meu viver, Meus caminhos, meu sofrer. A tua ternura Senhor vem abraçar-me E a tua bondade infinita vem perdoar-me. Vou ser o teu seguidor e dar-te o meu coração, Eu quero sentir o Calor das tuas mãos. A ti meu Deus, que és bom e que tens amor Ao pobre e ao sofredor vou servir e esperar. Em ti Senhor, humildes se alegrarão Cantando a nova canção de esperança e de paz

47 Orai, Irmãos para que o meu e vosso sacrifício seja aceite por Deus Pai todo-poderoso. Todos: receba o Senhor por tuas mãos este sacrifício, para honra e glória do seu nome, para nosso bem e de toda a santa Igreja

48 (Todos de pé) ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS Fazei, Senhor, que a oblação deste sacrifício se renove sempre na vossa Igreja, de modo que a celebração do mistério por Vós instituído realize em nós plenamente a obra da salvação. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. Amen.

49 Prefácio V. O Senhor esteja convosco. R. Ele está no meio de nós. V. Corações ao alto. R. O nosso coração está em Deus. V. Dêmos graças ao Senhor nosso Deus. R. É nosso dever, é nossa salvação.

50 Pai santo, Deus eterno e omnipotente, princípio e fim de todas as coisas, é verdadeiramente nosso dever dar-Vos graças e cantar-Vos um hino de bênção e de louvor. Vós nos escondestes o dia e a hora, em que Jesus Cristo, vosso Filho, Senhor e juiz da história, aparecerá sobre as nuvens do céu, revestido de poder e majestade.

51 Nesse dia tremendo e glorioso, passará o mundo presente e aparecerão os novos céus e a nova terra. Agora Ele vem ao nosso encontro, em cada homem e em cada tempo, para que O recebamos na fé e na caridade e dêmos testemunho da gloriosa esperança do seu reino.

52 Por isso, na esperança da sua vida, com os Anjos e os Santos e todos os coros celestes, proclamamos a vossa glória, cantando numa só voz.

53

54 Sac. Vós, Senhor, sois verdadeiramente santo, sois a fonte de toda a santidade. Reunidos na vossa presença, em comunhão com toda a igreja, ao celebrarmos o dia santíssimo em que o Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho Unigénito, colocou à direita da vossa glória a nossa frágil natureza humana unida á sua divindade, humildemente vos suplicamos: Santificai estes dons, derramando sobre eles o Vosso Espírito, de modo a que se convertam para nós, no Corpo e Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo.

55 (Todos ajoelham) Na hora em que Ele se entregava, para voluntariamente sofrer a morte, tomou o pão e, dando graças, partiu-o e deu-o aos seus discípulos, dizendo: Tomai, todos, e comei: isto é o meu Corpo que será entregue por vós.

56 De igual modo, no fim da Ceia, tomou o cálice e, dando graças, deu-o aos seus discípulos, dizendo: Tomai, todos, e bebei: este é o cálice do meu Sangue o Sangue da nova e eterna aliança, que será derramado por vós e por todos, para remissão dos pecados. Fazei isto em memória de mim.

57 Mistério da Fé! Anunciamos, Senhor, a vossa morte, proclamamos a vossa ressurreição. Vinde, Senhor Jesus!

58 Sac. Celebrando agora, Senhor, o memorial da morte e ressurreição de vosso Filho nós Vos oferecemos o pão da vida e o cálice da salvação e Vos damos graças porque nos admitistes à vossa presença para Vos servir nestes santos mistérios. Humildemente Vos suplicamos que, participando no Corpo e Sangue de Cristo, sejamos reunidos, pelo Espírito Santo, num só corpo.

59 Lembrai-Vos, Senhor, da vossa Igreja, dispersa por toda a terra, e tornai-a perfeita na caridade em comunhão com o Papa Francisco, e o nosso Patriarca D. Manuel Clemente, os bispos auxiliares e todos aqueles que estão ao serviço do vosso povo. Lembrai-Vos também dos nossos irmãos que adormeceram na esperança da ressurreição, e de todos aqueles que na vossa misericórdia partiram deste mundo:

60 admiti-os na luz da vossa presença. Tende misericórdia de nós, Senhor, e dai- nos a graça de participar na vida eterna, com a Virgem Maria, Mãe de Deus, São José seu esposo, os bem-aventurados Apóstolos e todos os Santos que desde o princípio do mundo viveram na vossa amizade, para cantarmos os vossos louvores, por Jesus Cristo, vosso Filho.

61 Por Cristo, com Cristo, em Cristo, a Vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória agora e para sempre… Ámen.

62

63 Pai-nosso que estais no céu, Dá-nos a tua bênção, O teu nome Santo Seja por nós louvado, O teu amor de Pai, Acolha a nossa prece E venha ao teu reino, De paz e amor, (REZAR O PAI NOSSO)

64 Pai Nosso, que estais nos céus, santificado seja o Vosso nome. Venha a nós o Vosso Reino. Seja feita a Vossa vontade, assim na Terra como no Céu. O pão nosso de cada dia nos dai hoje. Perdoai-nos as nossas ofensas assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido. E não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal.

65 Todo o mundo, É um hino de glória, À grandeza de deus nosso PAI Cada homem, à imagem sagrada, Do Amor de Deus nosso Rei Aleluia Deus pai e Senhor Aleluia pelo seu grande Amor

66 Sac. Livrai-nos de todo o mal, Senhor, e dai ao mundo a paz em nossos dias, para que, ajudados pela vossa misericórdia, sejamos sempre livres do pecado e de toda a perturbação, enquanto esperamos a vinda gloriosa de Jesus Cristo nosso Salvador. Vosso é o reino e o poder e a glória para sempre.

67 Sac. Senhor Jesus Cristo, que dissestes aos vossos Apóstolos. Deixo-vos a paz, dou-vos a minha paz: não olheis aos nossos pecados mas à Fé da vossa Igreja e dai-lhe a união e a paz, segundo a Vossa vontade. Vós que sois Deus com o Pai na unidade do Espírito Santo. Amem. A paz do Senhor esteja sempre convosco. O amor de Cristo nos uniu. Sac. Saudai-vos na paz de Cristo.

68

69 Cantarei a paz, cantarei Cantarei a esperança cantarei Cantarei o amor, cantarei Senhor, Cantarei

70 CORDEIRO DE DEUS, QUE TIRAIS O PECADO DO MUNDO. TENDE PIEDADE DE NÓS, CORDEIRO DE DEUS, QUE TIRAIS O PECADO DO MUNDO. TENDE PIEDADE DE NÓS, CORDEIRO DE DEUS, QUE TIRAIS O PECADO DO MUNDO. DAI-NOS A PAZ,

71 Sac. Felizes os convidados para a Ceia do Senhor. Eis o Cordeiro de Deus, que tira os pecados do mundo. Senhor, eu não sou digno de que entreis em minha morada, mas dizei uma só palavra e serei salvo

72

73 Já se ouvem nossos passos a chegar, já se ouvem nossas vozes de alegria, neste dia que é uma bênção para a Igreja reunida: Jesus Cristo nos congrega e faz irmãos. Como são belos os pés que anunciam a paz e as mãos que repartem o pão. Na refeição do cordeiro, da palavra, vinho e pão, somos o povo de Deus em comunhão. Todos vós que tendes sede vinde beber da fonte da verdade: Saciai a vossa fome sem pagar vinho nem pão.

74 Já se mudam nossos corações de pedra pela força do Espírito de Deus, já vencemos as barreiras que destruem a harmonia: Jesus Cristo nos congrega e faz irmãos. Como são belos os pés que anunciam a paz e as mãos que repartem o pão. Na refeição do cordeiro, da palavra, vinho e pão, somos o povo de Deus em comunhão. Vinde todos que sois pobres, injustiçados, sem tecto ou sem pão: vinde ser fraternidade, gerar o Cristo, fazer libertação.

75

76 Vem Senhor, ensinar-me a rezar Vem Senhor, ensinar-me a esperar Quero ter uma razão p’ra viver Algo em que acreditar Eu só quero amar a Ti, Senhor Então saberei qual o caminho a seguir E encontrarei a razão de existir (bis) Sei Senhor que um dia Tu verás este mundo que Te pede amor e paz Construir algo que a todos trará A alegria de sentir Que esta vida mudará

77 Oração depois da comunhão Concedei, Senhor, pela vossa bondade, que este divino sacramento nos livre do pecado e nos prepare para as festas que se aproximam. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. Amem.

78

79 Sac. O Senhor esteja convosco. Ele está no meio de nós. Sac. Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai, Filho e Espírito Santo. Ámen. Sac. Ide em paz e o Senhor vos acompanhe. Graças a Deus.

80 Confiarei no meu Deus, Ele conduz-me não temo, vai comigo a caminhar Nem que eu, sem luz, caminhe pela noite, nem que o temor me impeça d’ avançar.

81

82 Ficha técnica : Eucaristia Celebrada por : Fr. Jacob Puthiyaparampil Animada por : Grupo de Jovens “ Seguindo teus Passos ” Projeção : Joshua Oliveira Realização : A. Alberto Sousa Imagens recolhidas : Via Google Projeção disponível : www. mcccastanheira. blogspot. pt www. mcccastanheira


Carregar ppt "Oração do Terço. Exulto de alegria no Senhor, a minha alma rejubila no meu Deus, que Me revestiu com as vestes da salvação e Me envolveu com o manto da."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google