A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A MENTIRA INFANTIL Discentes: Bárbara Simão Nº16 Inês Afonso Nº22 Marta Ribeiro Nº27 Sónia Tavares Nº32 ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO JOÃO DE DEUS Licenciatura.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A MENTIRA INFANTIL Discentes: Bárbara Simão Nº16 Inês Afonso Nº22 Marta Ribeiro Nº27 Sónia Tavares Nº32 ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO JOÃO DE DEUS Licenciatura."— Transcrição da apresentação:

1

2 A MENTIRA INFANTIL Discentes: Bárbara Simão Nº16 Inês Afonso Nº22 Marta Ribeiro Nº27 Sónia Tavares Nº32 ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO JOÃO DE DEUS Licenciatura em Educação de Infância Unidade Curricular: Formação Pessoal e Social Docente: Paula Colares Pereira

3

4 • O que é a Mentira?

5 Uma mentira pode ser entendida como: • Uma afirmação contrária à verdade (Piaget,1932); • Uma falsidade, uma ficção, uma ilusão, um juízo errado, uma indução em erro, uma persuasão falsa (Priberam); • Ao nível da Psicopatologia é considerada um distúrbio do comportamento (Marcelli, 2005); • Para Sutter (1961), mentir é manter uma ideia, em desacordo com a verdade, com a finalidade de induzir em erro; • Para Bakwin (1974), entende-se por mentira a falsificação deliberada com a intenção de enganar.

6 Segundo Angeles Gervilla Castillo (1994), existem 3 causas fundamentais para a mentira: • Organização intelectual - Para Piaget, o pensamento infantil é caracterizado por:  Egocentrismo: A criança centra-se no seu próprio ponto de vista, destacando-se pelo monólogo, a criança fala para si como se pensasse em voz alta. Esta característica mantém-se até aos 5 anos (Piaget, 1996);  Social: Entre os 5 e os 7,5 anos a criança começa a formar pequenos grupos. A partir dos 8 anos existe a necessidade de trabalhar em comum.

7 • Conduta do adulto – Razões pelas quais a criança mente ao adulto: para agradar, para evitar o sofrimento, por generosidade, por solidariedade, para convencer, por timidez, por prazer, por culpa, e por agressividade. • Conduta de outras crianças – Razões pelas quais a criança mente a outras crianças: para parecer interessante, por desejo de poder e por agressividade.

8 Segundo a mesma autora é possível distinguir 3 tipos de mentira: Pseudomentira ou mentira aparente Mentira socialMentira patológica

9 A pseudomentira ou mentira aparente • Para Piaget, a criança pequena não mente por mentir; na verdade, ela altera a realidade em função dos seus desejos e fantasias, pois, até aproximadamente 7/8 anos, a criança não tem obstáculo interior à mentira, mente como brinca, não sentindo a necessidade de dizer a verdade.

10 A mentira social Mentira fantástica Mentira imitativa Mentira defensiva Mentira para chamar a atenção Mentira escolar Mentira compensadora Mentira antagónica

11 A mentira patológica Mentira e Histerismo Mentira e Simulação Mentira Neurótica Mitomania

12 ESTRATÉGIAS DE COMBATE À MENTIRA INFANTIL

13

14 Quando a criança mente a atitude do adulto deve ser: a)Chamar a criança à atenção, mencionando que ela foi mentirosa; b)Deixar passar ao lado; c)Explicar as consequências negativas do acto de mentir com exemplos práticos.

15 Mãe e filha estão em casa quando o telefone toca. A mãe diz: “Atende e diz que não estou!” Este tipo de atitude: a) não tem mal porque a criança percebe que não há consequências negativas; b) é nociva porque o exemplo dos pais é muito importante; c) é conveniente para que a criança apreenda as vantagens das mentiras úteis.

16 A Sara partiu uma jarra de colecção. O pai, agressivamente, perguntou: “Foste tu que partiste a jarra?!” Ao que a criança melindrada, respondeu: “Não…” A atitude do pai foi: a)correcta, pois a peça era valiosa pelo que a agressividade do pai se justificava; b)incorrecta, pois a agressividade nas palavras do pai, intimidou a criança, levando-a a mentir; c)correcta, porque já não era a primeira vez; d)incorrecta, porque ele não gostava da jarra.

17 O Frederico chegou ao infantário e disse à educadora: “Ontem à noite estive a conversar com o Pai Natal!” Ao que a educadora respondeu: “Não sejas mentiroso. Ultimamente só dizes mentiras!” Esta atitude foi: a)correcta porque apesar de já lhe ter sido dito que o pai Natal não existe, a criança mentiu; b)incorrecta porque não se deve chamar a criança de mentirosa pois isso não ajudará a erradicar o comportamento inadequado; c)incorrecta porque a Educadora tinha contado uma história de Natal na véspera; d)correcta porque isso reforçará uma imagem negativa na criança o que vai facilitar a correcção do comportamento.

18 Sempre que os pais do Pedrinho se dão conta de que o filho mente, castigam-no duramente. a) Este comportamento contribui para que a criança entenda que mentir é um comportamento incorrecto; b) O castigo continuado apenas contribui para que sinta medo e aumente a necessidade de voltar a mentir; c) Perante a mentira, os pais deveriam ignorar, fingindo não se aperceberem, para a criança não se sentir incentivada a mentir novamente.

19 Concluindo… A mentira é uma afirmação contrária à verdade. Só se pode falar de mentira infantil a partir dos 7/8 anos, antes disso trata-se de fabulação. A mentira está relacionada com a organização intelectual da criança, com a conduta do adulto e com a conduta das outras crianças. São distinguíveis 3 tipos de mentira: pseudomentira, social e patológica. Para combater este comportamento nas crianças devemos dar o exemplo, levar a criança a reconhecer que mentir não é benéfico, evitar o castigo optando pelo diálogo, entre outras estratégias.

20

21 1. Quais as causas da mentira na infância? • Organização intelectual - Para Piaget, o pensamento infantil é caracterizado por:  Egocentrismo: A criança centra-se no seu próprio ponto de vista, destacando- se pelo monólogo, a criança fala para si como se pensasse em voz alta. Esta característica mantém-se até aos 5 anos (Piaget, 1996);  Social: Entre os 5 e os 7,5 anos a criança começa a formar pequenos grupos. A partir dos 8 anos existe a necessidade de trabalhar em comum. • Conduta do adulto – Razões pelas quais a criança mente ao adulto: para agradar, para evitar o sofrimento, por generosidade, por solidariedade, para convencer, por timidez, por prazer, por culpa, e por agressividade. • Conduta de outras crianças – Razões pelas quais a criança mente a outras crianças: para parecer interessante, por desejo de poder e por agressividade.

22 2. A partir de que idade se pode considerar mentira infantil e qual a denominação correcta para a mentira antes disso? Nos primeiros anos de vida a dita mentira infantil é um processo natural do desenvolvimento da criança e não um acto voluntário, pois até aos 6/7 anos, a criança não distingue a realidade da ficção. Antes desta idade trata-se de pseudomentiras que são produtos espontâneos do pensamento infantil.

23 3.Enumera diferentes categorias associadas à mentira social. A mentira social Mentira fantástica Mentira imitativa Mentira defensiva Mentira para chamar a atenção Mentira escolar Mentira compensadora Mentira antagónica


Carregar ppt "A MENTIRA INFANTIL Discentes: Bárbara Simão Nº16 Inês Afonso Nº22 Marta Ribeiro Nº27 Sónia Tavares Nº32 ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO JOÃO DE DEUS Licenciatura."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google