A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

METODOLOGIA DA PESQUISA Prof. MsC. Marco Aurélio Togatlian

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "METODOLOGIA DA PESQUISA Prof. MsC. Marco Aurélio Togatlian"— Transcrição da apresentação:

1 METODOLOGIA DA PESQUISA Prof. MsC. Marco Aurélio Togatlian

2 Aula 3 A matriz do projeto de pesquisa Metodologias quantitativas e qualitativas Organização de um cronograma de trabalho Constituição de bibliografia: Normas da ABNT

3 “Qualquer pesquisa, para ser desenvolvida, necessita de um projeto, e bem feito, que a oriente. Ele pode não garantir o sucesso da investigação, mas a sua inadequação, ou sua ausência, certamente garantem o insucesso.” (VERGARA, 2000, p.15) PROJETO DE PESQUISA Projeto: do latin pro-jicere (colocar adiante)

4 Escolha do Tema O tema escolhido deve: a) Representar uma questão relevante, cujo melhor modo de solução se faz por meio de uma pesquisa científica; b) Ser factível em relação à competência dos pesquisadores, à infra-estrutura (equipamentos / laboratórios); c) Ser adequada ao tempo disponível; d) Apresentar interesse para a sociedade; e) Apresentar interesse para o pesquisador.

5 É um conjunto de abordagens, técnicas e processos utilizados pela ciência para formular e resolver problemas de aquisição objetiva do conhecimento, de uma maneira sistemática. Metodologia

6  Meta – objetivo a ser alcançado  Hodós – caminho / via  É a ordem que se segue na investigação da verdade, no estudo de uma ciência ou para alcançar um determinado fim.

7  Ajuda a elaborar / compreender algo  Define o problema de forma precisa  Cria formas de conhecer / perceber  Elabora hipóteses / articula conceitos  Busca soluções / amplia a percepção  Ajuda a comprovar / demonstrar  Analisa o seu próprio funcionamento  Se avalia / permite avaliação externa

8 A matriz do projeto de pesquisa Quanto à abordagem, a pesquisa pode ser: •Quantitativa •Qualitativa •Quanti-qualitativa ou quali-quantitativa

9 PESQUISA QUANTITATIVA: São mais adequadas para apurar opiniões e atitudes explícitas e conscientes dos entrevistados, pois utilizam instrumentos estruturados. Devem ser representativas de um determinado universo, de modo que seus dados possam ser generalizados e projetados para aquele universo. Tudo é quantificável. Usa ferramenta estatística (média, desvio-padrão, moda, coeficiente de correlação, etc). CÁLCULO DA AMOSTRA OBRIGATÓRIO

10 PESQUISA QUALITATIVA: As pesquisas qualitativas são exploratórias, ou seja, estimulam os entrevistados a pensarem livremente sobre algum tema, objeto ou conceito. Elas fazem emergir aspectos subjetivos e atingem motivações não explícitas, ou mesmo conscientes, de maneira espontânea. São usadas quando se busca percepções e entendimento sobre a natureza geral de uma questão, abrindo espaço para a interpretação. Cálculo amostral não obrigatório

11 PESQUISA QUANTI-QUALITATIVA: São complementares e o ideal é a construção de uma metodologia que consiga agrupar aspectos de ambas perspectivas. Um discurso recente defendendo a importância dos dois enfoques é o de May (2004) que considera que deveríamos prestar atenção não tanto aos métodos relativos a uma divisão quantitativa-qualitativa mas aos seus pontos fortes e fragilidades na produção do conhecimento. Cálculo amostral obrigatório

12 Quanto às técnicas, a pesquisa pode ser: • Experimental • Expost-Facto • Documental • Bibliográfica • Estudo de Caso • Etnográfica • Levantamento (survey) • Pesquisa-Ação • Pesquisa Participante

13 Pesquisa Quantitativa Pesquisa Experimental: quando se determina um objeto de estudo, selecionam-se as variáveis que seriam capazes de influenciá-lo, definem-se as formas de controle e de observação dos efeitos que a variável produz no objeto. Pesquisa Expost-Facto: quando o “experimento” se realiza depois dos fatos. Pesquisa documental: quando elaborada a partir de documentos que ainda não receberam tratamento analítico.

14 Pesquisa Qualitativa Pesquisa Bibliográfica: quando elaborada a partir de material já publicado, constituído principalmente de livros, artigos de periódicos e atualmente com material disponibilizado na Internet. Estudo de Caso: quando envolve o estudo profundo e exaustivo de um ou poucos objetos de maneira que se permita o seu amplo e detalhado conhecimento. Pesquisa Etnográfica: é um estudo e descrição dos povos, sua língua, raça, religião e manifestações materiais de sua atividade; descrição da cultura material dum determinado povo. Ou seja, é a descrição de determinados aspectos da cultura sem que se faça juízo de valor.

15 Levantamento (survey): quando a pesquisa envolve a interrogação direta das pessoas cujo comportamento se deseja conhecer. Pesquisa-Ação: quando concebida e realizada em estreita associação com uma ação ou com a resolução de um problema coletivo. Os pesquisadores e participantes estão envolvidos de modo cooperativo ou participativo. Pesquisa Participante: quando se desenvolve a partir da interação entre pesquisadores e membros das situações investigadas.

16 Orçamento a)Pessoal: Coordenador, pesquisadores, técnicos etc. Previsão de pagamentos mensais, semanais ou por hora/atividade. b) Material: b.1) Material de consumo: Material consumido durante a realização da pesquisa (papel, canetas, lápis, pastas, crachás, cartuchos, cópias, encadernações etc.) b.2) Material permanente: Material que será devolvido à instituição financiadora ou pode ser alugado (computadores, calculadoras, impressoras, arquivos, armários, mesas etc.)

17 Etapa / Mês/Ano 3/20094/20095/20096/20097/20098/20099/200910/2009 Revisão da Literatura Definição dos Capítulos (Sumário) Coleta dos Dados Organização dos dados Análise dos Dados Discussão dos resultados Redação Final Entrega da monografia CRONOGRAMA

18 Referências ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas Define as NBRs:NBR 14724:2005 (Formatação) NBR 6022:2003 NBR 6023:2003 (Referências) NBR 6034:2004 Referências:  A lista de referências é usada para indicar ao leitor as fontes consultadas para a elaboração do trabalho.  Podem ser referenciados todos os tipos de materiais consultados: Livros, revistas, relatórios, documentos na Internet etc.  A consulta pode ser feita em qualquer suporte: Papel, disquete, CD-ROM, Internet, vídeo, áudio etc.

19 Formação das referências, de acordo com as regras da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) – NBR 6023, de agosto de Existem diversas formas de organizar uma bibliografia ou as referências de um trabalho acadêmico. No caso do trabalho a ser apresentado, serão elaboradas, ao final, as Referências. Bibliografia: conjunto de todo o material consultado para a elaboração de um trabalho acadêmico. Referências: fontes efetivamente utilizadas na elaboração do trabalho; as obras citadas no texto. As referências englobam as fontes consultadas. Referenciam-se TODOS os tipos de materiais consultados: livros, revistas, folhetos, relatórios, documentos da Internet, CD-ROM, filmes etc.

20 Para a elaboração das referências do projeto, será utilizado o formato autor/obra/ano. A apresentação das referências é feita em ordem alfabética, pelo sobrenome dos autores, sem numeração, devendo conter os seguintes elementos: Autor(es) Título e subtítulo (se houver) Responsabilidades (tradutor, revisor etc.) Edição (a partir da segunda) Local Editora Ano da publicação No texto, as citações das obras referenciadas deverão figurar conforme regra da ABNT.

21 Nome do autor Autores pessoais Inicia-se pelo último sobrenome do autor, em caixa alta (letras maiúsculas) seguido do nome. Utiliza-se ponto e vírgula para separar vários autores. Mais de três autores: indica-se apenas o primeiro autor, seguido da expressão et al. (et alii = e outros). Atenção! Até três autores, indica-se o nome de TODOS os autores. SOBRENOME, Prenome. Exemplos: João Álvaro Ruiz → RUIZ, João Álvaro ou RUIZ, J.A. Amado L. Cervo; Pedro A. Bervian; Roberto da Silva → CERVO, Amado L.; BERVIAN, Pedro A.; SILVA, Roberto da. Ricardo Sodré; Antonio de Freitas; Ana Cristina Santos; Rogério de Oliveira; Renato Castro → SODRÉ, Ricardo et al.

22 Atenção!! Quando o sobrenome do autor apresentar indicação de parentesco – Júnior, Jr., Neto, Filho, Sobrinho, Filha, Neta etc. – considerá-la como parte do SOBRENOME. Exemplos: CAVALCANTI NETTO, João Uchôa. FONSECA JÚNIOR. Eduardo.

23 Autor(es) organizador(es), coordenador(es) ou editor(es) Algumas obras trazem a indicação de organização, coordenação ou edição sob a responsabilidade de um ou mais autores. Neste caso, após o nome do autor (ou autores) indica-se, entre parênteses e de forma abreviada, a informação. Exemplos: NEVES, Lúcia Maria Wanderley (Coord.). MOTTA, Fernando C. Prestes; CALDAS, Miguel P. (Orgs.).

24 Autores entidades No caso do autor ser um órgão governamental, empresa, associação, congresso, seminário etc. utiliza-se o nome por extenso, em caixa alta (letras maiúsculas). Exemplos: UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ. ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Autores entidades genéricas Exemplos: RIO DE JANEIRO. Secretaria de Turismo. BRASIL. Presidência da República.

25 Sem autor Se um documento ou publicação não tiver autoria, entra-se pela primeira palavra em caixa alta (letras maiúsculas). Exemplo: HANDBOOK de estudos organizacionais.

26 Título e subtítulo da obra Registra-se o título e o subtítulo do trabalho. O título deve vir destacado (negrito, itálico ou sublinhado). O subtítulo não é destacado e deve vir separado por dois pontos do título principal. Atenção!! Deve ser utilizado apenas um tipo de destaque (negrito, itálico ou sublinhado) para todas as referências. Atenção!! Apenas a primeira letra do título, ou se for um nome próprio, em letra maiúscula; as demais palavras em letra minúscula. Todo o subtítulo em letra minúscula (salvo na presença de um nome próprio). Exemplos: CERVO, Amado L.; BERVIAN, Pedro A.; SILVA, Roberto da. Metodologia científica. RUIZ, João Álvaro. Metodologia científica: guia para eficiência nos estudos.

27 Outras responsabilidades Após o título podem ser acrescentadas, quando destacadas, indicações de tradutor, revisor, ilustrador etc. Exemplos: DUBRIN, Andrew J. Fundamentos do comportamento organizacional. Tradução James Sunderland Cook e Martha Malvezzi Leal.

28 Edição Indica-se, após “outra responsabilidade”, a edição, quando houver a informação na publicação, de forma abreviada. Atenção! Só é indicada a edição após a segunda. Abreviaturas: número seguido de ponto (2., 4., ) → para o número da edição. Atenção!! Não utilize 2ª, 3ª, 10ª etc. ed. → para edição rev. → para revisada ampl. → para ampliada atual. → para atualizada Exemplo: CERVO, Amado L.; BERVIAN, Pedro A.; SILVA, Roberto da. Metodologia científica. 6. ed. GARCIA-PABLO DE MOLINA, Antônio; GOMES, Luiz Flávio. Criminologia. 4. ed. rev. atual. e ampl.

29 Local Indica-se o local (cidade) onde foi editado o trabalho. Se houver homônimo, indicar a sigla do estado. Após a indicação do local, acrescentar dois pontos. Se não houver indicação de local: [s.l.] Exemplo: MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de metodologia científica. 6. ed. São Paulo:

30 Editora Após o local, indica-se o nome da editora, tal como aparece na obra. Suprime-se palavras que indicam a natureza jurídica ou comercial (Ltda., Livraria, Editora, Cia., S.A.). Para editoras universitárias, usa-se a palavra Ed. seguida pela sigla da Universidade (ex. Ed. UERJ, Ed. UFF). Exemplo: CARLSON, Neil R. Fisiologia do comportamento. 7. ed. São Paulo: Manole, Ano da publicação Após a indicação da editora, separado por vírgula, registra-se o ano da publicação. Quando não houver o ano na publicação, indicar entre colchetes o ano ou a década aproximada: [19--]; [199-] Exemplo: MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de metodologia científica. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2005.

31 Capítulo de livro (ou artigo em livro) Capítulo de livro do mesmo autor do livro. Elementos: SOBRENOME, Prenome do(s) autor(es) do capítulo. Título do capítulo. In: SOBRENOME, Prenome do(s) autor(es) do livro. Título do livro (em destaque). Local: Editora, ano. páginas. Se o autor do capítulo for o mesmo do livro, o nome do autor do livro deve ser substituído por um traço equivalente a seis espaços. Atenção!! Após o título do capítulo, coloca-se a expressão In, seguida de dois pontos → In: A seguir, o nome do(s) autor(es) do livro. Exemplos: MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Ciência e conhecimento científico. In: ______. Fundamentos de metodologia científica. 6. ed. São Paulo: Atlas, p

32 Capítulo de livro (ou artigo em livro) Capítulo de livro de autor diferente do autor do livro. Elementos: SOBRENOME, Prenome do(s) autor(es) do capítulo. Título do capítulo. In: SOBRENOME, Prenome do(s) autor(es) do livro. Título do livro (em destaque). Local: Editora, ano. páginas. Atenção!! Após o título do capítulo, coloca-se a expressão In, seguida de dois pontos → In: A seguir, o nome do(s) autor(es) do livro. Exemplos: WOOD JR. Thomaz. Terra em transe: liderança em Eldorado. In: MOTTA, Fernando C. Prestes; CALDAS, Miguel P. Cultura organizacional e cultura brasileira. São Paulo: Atlas, p SIEWERDT, Maurício José; FLEURI, Reinaldo Matias. Mídia e mediações culturais na escola. In: FLEURI, Reinaldo Matias (org.). Educação intercultural: mediações necessárias. Rio de Janeiro: DP&A, p

33 Periódicos (revista) Elementos: nome da revista, local, editora, dados (volume/ano, número), data (mês e ano). Atenção!! A palavra número deve ser abreviada por n. (letra n, seguida de ponto). A palavra volume deve ser abreviada por v. (letra v, seguida de ponto). O mês deve ser abreviado pelas três primeiras letras que compõem seu nome por extenso (jan., fev., mar., nov. etc.). Exemplo: DIÁLOGOS, Brasília, Bárbara Bela, ano 4, n. 5, dez DISSERTAR, Rio de Janeiro, Contraste, ano 4, n. 8/9, jan./dez

34 Artigos em periódicos Tendo o artigo um autor, deve-se referenciar o documento da seguinte maneira: SOBRENOME, Prenome (do autor do artigo). Título do artigo. Nome da Revista (em destaque), Local da publicação, dados (volume/ano, número), páginas (inicial e final do artigo), mês (abreviado) e ano. Atenção!! A abreviatura para página(s) é p. (letra p, seguida de ponto). Exemplo: MARQUES, Elisabete Coentrão; DIAS, Cleonice de Oliveira; OLIVEIRA, Lenice Freiman. Gerenciamento da qualidade em serviços de alimentação. Dissertar, Rio de Janeiro, Contraste, ano 4, n. 8/9, p , jan./dez

35 Trabalhos acadêmicos (monografias, dissertações e teses) Semelhantes a livros: SOBRENOME, Prenome. Título do trabalho. Ano da conclusão do trabalho. Número de folhas. Tipo de trabalho (Nome do curso)-Nome da Universidade ou Instituição, local da defesa, ano da defesa. Exemplos (PATACO; VENTURA; RESENDE, 2006, p. ?????????????): AZEVEDO, Adriano Silvares. Responsabilidade civil do dentista à luz do Código de Defesa do Consumidor f. Trabalho monográfico (Graduação em Direito)- Universidade Estácio de Sá, Rio de Janeiro, MORENO, Arlinda B. Mobilidade ocupacional e qualidade de vida entre funcionários de uma universidade no Rio de Janeiro: o estudo pró-saude f. Tese (Doutorado em Saúde Coletiva)-Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2004.

36 Documentos de acesso exclusivo em meio eletrônico (CD’s, disquetes, bases de dados, s) Elementos: Autor (se houver). Título do serviço ou produto. Versão. Local, ano. Descrição física do meio eletrônico.

37 Livro: LIMA, Arievaldo Alves de. Contabilidade geral. Rio de Janeiro: Ed. Rio, MATTOS, Vera Lúcia de; KABARITE, Aline. Perfil psicomotor: um olhar para além do desempenho. Rio de Janeiro: Ed. Rio, Periódico (revista): EDUCAÇÃO E PESQUISA, São Paulo: FEUSP, v. 28, n. 2, jul/dez REVISTA DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS, São Paulo: FGV, v.42, n. 1, jan/mar Artigo de Periódico: BARRICHELO, Luciana. Canudo que faz a diferença. Veja, São Paulo, v.34, n 35, p , set GIAMBIAGI, Fábio. Superando as metas fiscais. Conjuntura Econômica, Rio de Janeiro, ano 56, n. 1, p , jan

38 Capítulo de Livro: TURA, M. L. R. A Observação do cotidiano escolar. In: ZAGO, N.; CARVALHO, M.P.; VILELA, R.A.T. (Org.). Itinerários de pesquisa: perspectivas qualitativas em sociologia da educação. Rio de Janeiro: DP&A, p Monografia/Dissertação/Tese: AZEVEDO, Adriano Silvares. Responsabilidade civil do dentista à luz do Código de Defesa do Consumidor f. Trabalho monográfico (Graduação em Direito) – Universidade Estácio de Sá, Rio de Janeiro, Evento (congresso, encontros etc.): ENCONTRO ANPAD, 27, 2003, Atibaia. Resumo dos trabalhos. Rio de Janeiro: ANPAD, CD-ROM. Base de Dados: PORTAL da pesquisa. Disponível em:. Acesso em: 12 nov Uso restrito nas Bibliotecas da Universidade Estácio de Sá.

39 Texto com autoria: SILVA, Deonísio. Até o mais amargo fim. Disponível em:. Acesso em: 12 dez Texto sem autoria: ESTUDANTES ajudam na preservação ambiental. Disponível em:. Acesso em: 19 set Artigo de periódico: DIAS, G. A. Periódicos eletrônicos: considerações relativas à aceitação deste recurso pelos usuários. Ciência da Informação, Brasília, DF, v. 31, n.3, Disponível em: Acesso em: 07 mai Monografia / Dissertação / Tese: PEDOTT, P. R. Publicidade na Internet: a Internet como ferramenta de comunicação de marketing Dissertação (Mestrado em Administração) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Disponível em:. Acesso em: 07 mai Documentos na Internet

40 Legislação e documentos oficiais BRASIL. Resolução RE n° 899, de 29 de maio de Determina a publicação do "Guia para validação de métodos analíticos e bioanalíticos"; fica revogada a Resolução RE nº 475, de 19 de março de Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 02 jun Disponível em:. Acesso em: 10 de mar. de BRASIL. Conselho Nacional de Secretários de Saúde. Coleção Progestores: Para entender a gestão do SUS. 1. ed. Brasília: CONASS, v.1. Disponível em:. Acesso em: 20 mar BRASIL. Lei nº de 19 de setembro de Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 20 set Disponível em:. Acesso em: 28 fev

41 EXEMPLOS DE REFERÊNCIAS Revista Brasileira de Ginecologia e Saúde 24(8): ,2002 Efeitos dos fitoestrógenos sobre alguns parâmetros clínicos e laboratoriais no climatério. Kyung Keo Han, José Maria Soares Júnior, Mauro Atir Haidar, Manoel João Batista C Girão, Marcia Gaspar Nunes, Geraldo Rodrigues de Lima, Edmund C Baracat Han, K.K. et al. Efeitos dos fitoestrógenos sobre alguns parâmetros clínicos e laboratoriais no climatério. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, v. 24, n. 8, p , 2002.

42 EXEMPLOS DE REFERÊNCIAS THEODORO PECKOLT: A PRODUÇÃO CIENTÍFICA DE UM PIONEIRO DA FITOQUÍMICA NO BRASIL Santos, N. P. dos. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, 12(2): , maio-ago Santos, N. P. dos. Theodoro Peckolt: a produção científica de um pioneiro da fitoquímica no Brasil. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, v. 12, n. 2, p , maio-ago

43 EXEMPLO DE REFERÊNCIA  PORTARIA Nº 344, DE 12 DE MAIO DE  D.O.U. - Diário Oficial da União; Poder Executivo, de 15 de maio de 1998  SVS/MS - Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância Sanitária  Aprova o Regulamento Técnico sobre substâncias e medicamentos sujeitos a controle especial.  Endereço eletrônico: Brasil. Portaria nº 344, de 12 de maio de Aprova o Regulamento Técnico sobre substâncias e medicamentos sujeitos a controle especial. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, DF, 15 maio Disponível em:. Acesso em: 10 mai


Carregar ppt "METODOLOGIA DA PESQUISA Prof. MsC. Marco Aurélio Togatlian"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google