A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Porto Alegre, 05, 06 e 07 de agosto/2004 9º Seminário Nacional Unimed de Saúde Ocupacional e Acidente do Trabalho. 1º Seminário de Saúde Ocupacional e.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Porto Alegre, 05, 06 e 07 de agosto/2004 9º Seminário Nacional Unimed de Saúde Ocupacional e Acidente do Trabalho. 1º Seminário de Saúde Ocupacional e."— Transcrição da apresentação:

1 Porto Alegre, 05, 06 e 07 de agosto/2004 9º Seminário Nacional Unimed de Saúde Ocupacional e Acidente do Trabalho. 1º Seminário de Saúde Ocupacional e Acidente do Trabalho Unimed RS.

2 Intercâmbio Saúde Ocupacional e Acidente do Trabalho

3 Pesquisas mostram que produtos relacionados ao Trabalho não são forte nas Operadoras... Mercado Mercado

4 Mercado •74% das empresas não têm planos de saúde ocupacional. •70% das que não possuem, desconhecem quem fornece este tipo de atendimento. Fonte: H2R Pesquisas Avançadas – Abril/2003

5  41% das empresas entrevistadas não têm cobertura para acidentes de trabalho.  Entre aquelas que possuem, em 60% dos casos a cobertura é total.  46% das empresas entrevistadas que não possuem a cobertura não sabem dizer qual assistência médica que a oferece. Fonte: H2R Pesquisas Avançadas – Abril/2003 Mercado

6 TOP of MIND Fornecedores RH Nível de lembrança das marcas organizacionais que prestam serviços e/ou vendem produtos para os profissionais que atuam nas áreas de Recursos Humanos das organizações. A Unimed é TOP OF MIND na categoria “Plano de Saúde”. Na categoria Medicina Ocupacional não se vê as grandes marcas.

7 TOP of MIND Fornecedores RH Na categoria Medicina Ocupacional apenas empresas de Medicina do Trabalho “concorrem” ao prêmio Empresas TOP :  Grupo Atlas  BioQualynet  CLM  Engemed Empresas indicadas para 2004:  Astra  Bioqualynet  CL&M  Grupo Atlas  Worklife

8 Intercâmbio Saúde Ocupacional  Dentre outros motivos, pode-se atribuir esta baixa performance do Sistema Unimed, à falta de padronização e uniformização das rotinas e práticas administrativas-operacionais. PROTEÇÃO NO TRABALHO  O PROTEÇÃO NO TRABALHO surge para alcançar, dentre outras premissas, a uniformização e padronização do atendimento deste importante produto para o Sistema Unimed. Maior competitividade.

9 Intercâmbio Saúde Ocupacional  As grandes organizações estão unificando benefícios, principalmente o plano de Saúde, com uma única Operadora.  Mas no Produto Saúde Ocupacional, ainda vemos muitas contratações com empresas regionais de Medicina do Trabalho.  E, é neste nicho que precisamos inserir o Sistema Unimed, aproveitando nossa imagem, marca e credibilidade.

10  41 empresas clientes ( clientes) com SO  Destas, 04 têm PCMSO com coordenação pela UNIMED  O restante possui Coordenação pelo médico do trabalho da empresa  15 empresas clientes com cobertura para AT (LTTP) –  14 empresas clientes têm cobertura para AT, dentro do assistencial –  A CNU faz intercâmbio de Saúde Ocupacional com a maioria das Unimeds no território nacional. Realidade da CNU no Produto Saúde Ocupacional e AT

11 Intercâmbio Nacional  O Intercâmbio de Saúde Ocupacional é normatizado desde 1997, ano em que a Unimed do Brasil lançou a 1ª versão do Manual.  2ª versão: maio de 1999  3ª versão: julho de 2004, já com a logomarca PROTEÇÃO NO TRABALHO.  Aprovação do Manual específico para AT – vigência 1º de julho

12 Dificuldades no Intercâmbio de Saúde Ocupacional  Unimeds sem DSO  Desconhecimento das necessidades do produto e do Manual de Intercambio específico para SO  Falha no retorno / devolução da 3ª via do ASO  ASOs preenchidos de forma incorreta, gerando problemas com a fiscalização do trabalho para a empresa contratante

13 Dificuldades no Intercâmbio de Saúde Ocupacional  (administrativos) treinados para atendimento dos usuários de SO  Falta de recursos humanos (administrativos) treinados para atendimento dos usuários de SO  (neste produto, o cliente/usuário não tem “solicitação médica prévia do cooperado”. A rotina de atendimento é diferente do produto assistencial.)  Extravio de autorizações (neste produto, o cliente/usuário não tem “solicitação médica prévia do cooperado”. A rotina de atendimento é diferente do produto assistencial.) , quando do não recebimento de uma autorização, mesmo com a presença do usuário na recepção  Falta de contato da Unimed Destino, quando do não recebimento de uma autorização, mesmo com a presença do usuário na recepção

14 Dificuldades no Intercâmbio de Saúde Ocupacional  édicos do Trabalho sem a orientação necessária ao atendimento do usuário de Intercâmbio.  Médicos do Trabalho sem a orientação necessária ao atendimento do usuário de Intercâmbio.  no intercâmbio existe a síntese do PCMSO enviada pela Unimed origem e o Manual de Intercâmbio – Saúde Ocupacional e ASO em 3 vias.  mpossibilidade de manter o atendimento de uma determinada empresa, por um médico do trabalho cooperado (as empresas contratantes alegam que desta forma há um melhor acompanhamento)  Impossibilidade de manter o atendimento de uma determinada empresa, por um mesmo médico do trabalho cooperado (as empresas contratantes alegam que desta forma há um melhor acompanhamento) do usuário na rede cooperada  Perda do usuário na rede cooperada

15 Dificuldades no Intercâmbio de Saúde Ocupacional  Prontuários médicos perdidos na rede cooperada Algumas Unimeds não registram, previamente, a consulta do cliente (não sabem qual foi o cooperado que atendeu, não podendo, desta forma, acompanhar e controlar o recebimento do ASO e prontuário.  Atendimentos ocupacionais realizados sem registro em prontuário. Estas duas dificuldades geram: perda de dados valiosos relativos aos achados laboratoriais e clínicos, dificultando a elaboração do relatório anual e invalidando qualquer tentativa de se traçar um perfil da população e de se fazer um acompanhamento de casos.

16 Dificuldades no Intercâmbio de Saúde Ocupacional   Emissão de ASOs com a conclusão “Inapto” sem informar a Unimed origem ou o médico coordenador do PCMSO na empresa, podendo gerar problemas jurídicos para a empresa cliente (As empresas alegam que muitas vezes o cooperado não conhece profundamente a função desempenhada pelo empregado e gostariam de ser contatadas antes da emissão) O ideal é que todas as Unimeds informem à U.Origem, os casos de ASOS “inaptos” para que a empresa seja imediatamente informada.

17   Diferentes tipos de sistemas utilizados pelas Unimeds que não reconhecem os mesmos parâmetros, dificultando todo o processo de Intercâmbio. Dificuldades no Intercâmbio de Saúde Ocupacional

18 Sugestões de melhoria no Intercâmbio Saúde Ocupacional  Implantar DSOs nas Singulares que ainda não possuem uma equipe específica para estes atendimentos  Treinamento (T&D) dos colaboradores administrativos que prestam atendimento aos clientes  Divulgação do Manual de Intercâmbio-Saúde Ocupacional para os médicos do trabalho cooperados, bem como, nas áreas que viabilizam os exames ocupacionais, para que seja observada a correta utilização do mesmo.

19  Incentivo à participação dos gestores administrativos nos Seminários de SO e AT  Divulgação da NR-7 e suas alterações entre os Médicos do Trabalho cooperados (criação de um Boletim Eletrônico específico para fixar o produto)  Reuniões periódicas com os Médicos do Trabalho cooperados para revisão de problemas e atualização Sugestões de melhoria no Intercâmbio Saúde Ocupacional

20  Guarda dos prontuários médicos pela Unimed Origem, após a realização de cada exame ocupacional  Padronização de formulários, rotinas de atendimento SO, sistema de informática (se possível)  Atender solicitação das empresas clientes no sentido de personalizar os atendimentos, tendo um único médico do trabalho. Desta forma, o coordenador pode ter uma melhor comunicação quando necessário. Sugestões de melhoria no Intercâmbio Saúde Ocupacional

21  Reciclagem de toda a equipe das Unimeds que já têm DSO, pois ainda temos ASOs entregues aos usuários, com falhas no preenchimento.  Pelo Manual de Intercâmbio (item 8.3, letra h), a Unimed Prestadora do Atendimento deve enviar à Unimed Origem, comunicado de seu médico examinador sobre a ocorrência de doenças ocupacionais. Para atender as empresas contratantes, propomos também que os ASOs com conclusão “INAPTO”, também sejam comunicados de uma forma on-line, a se estudar.

22 ASO FALTAM OS SEGUINTES DADOS:  Riscos Ocupacionais específicos  Nome do Médico Coordenador  Exames complementares realizados X

23 ASO Não segue o padrão da NR-7 / Sistema Unimed X

24 ASO NÃO SEGUE O PADRÃO DA NR-7 / SISTEMA UNIMED X

25 FICHA CLÍNICA A ficha não é um formulário, mas o médico descreveu o exame realizado

26 FICHA CLÍNICA Ficha clínica sucinta, podendo ser reavaliada para conter descrição do exame realizado X

27 FICHA CLÍNICA Conteúdo claro, objetivo, com anamnese, descrição de exame e “Achados Clínicos” e laboratoriais

28  Falta de padronização visual do cartão de identificação do cliente (recentemente aprovado pela CIU), dificultando o atendimento.  A rede credenciada não cobre atendimento de AT (necessário extensão de credenciamento, em alguns casos)  Ausência de dados estatísticos, em função da falta de informações do tipo de acidente. Dificuldades no Intercâmbio de Acidente do Trabalho (LTTP) Estes pontos de atenção serão resolvidos com a divulgação do PROTEÇÃO NO TRABALHO - AT

29 Mudança de paradigma Estamos simplesmente ajudando as empresas a cumprir uma determinação legal (NR-7). Não podemos ser apenas “emissores de ASOs”. Neste contexto, os DSOs das Unimeds têm papel fundamental no subsídio de informações de “achados clínicos” para campanhas educativas, medicina preventiva e acompanhamento de casos crônicos. Medicina Preventiva e Qualidade de vida Saúde Ocupacional DSOs Assistencial / AT

30 Opinião dos Clientes “Em seu ponto de vista, como o Sistema Unimed pode auxiliar sua empresa no cumprimento das ações e diretrizes previstos no PCMSO, além da realização dos exames ocupacionais que é feita hoje?”  Unificando o procedimento para realização de exames ocupacionais em todas as UNIMEDs.  Unificando o ASO.  Mantendo um contato mais próximo com os coordenadores do PCMSO das empresas.  Não demorando tanto a faturar os serviços realizados, pois dificulta nosso controle. Márcia Cristina Lopes Vieira - Chefe de Saúde Ocupacional GSK (Glaxo Smithkline)

31 Opinião dos Clientes O Sistema Unimed de Saúde Ocupacional dentre outros pesquisados pela Empresa Merck S.A é o que apresenta as melhores condições de apoio em todo o território nacional, e é por isso que já estamos com esta parceria há muitos anos e com possibilidade de aumento para outros estados onde a Empresa mantém funcionários. A Unimed cumpre integralmente o contido no PCMSO em suas ações e diretrizes, bem como, na realização dos exames ocupacionais com presteza e dando atenção as solicitações de urgência com a brevidade exigida. Portanto a Merck S.A sente-se tranqüila em ter este apoio da Unimed no seu âmbito ocupacional, e não temos nenhuma sugestão no momento pois o grupo ocupacional da Unimed está sempre atualizado com quaisquer alterações de procedimentos do Governo Federal. Espero que este Seminário possa trazer maiores contribuições para um bom andamento das diretrizes ocupacionais. Plínio M. Castro Filho - Coordenador de Medicina Ocupacional MERCK

32 Para que a UNIMED possa ser Top of Mind nesta categoria e levar a estatueta, é importantíssimo o empenho e adesão de todo o Sistema Unimed. Com o PROTEÇÃO NO TRABALHO, melhorias no Intercâmbio e em nossas Unimeds, as chances são bem maiores!

33 Wagner Morandini Diretor de Produto e Operações CENTRAL NACIONAL UNIMED Muito obrigado


Carregar ppt "Porto Alegre, 05, 06 e 07 de agosto/2004 9º Seminário Nacional Unimed de Saúde Ocupacional e Acidente do Trabalho. 1º Seminário de Saúde Ocupacional e."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google