A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Procesamiento de minerales II Usina de Queiroz Maria Luiza Souza Montevideo-Porto Alegre 23 Setembro 2013 1 UNIVERSIDADE DE LA REPUBLICA – URUGUAY UFRGS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Procesamiento de minerales II Usina de Queiroz Maria Luiza Souza Montevideo-Porto Alegre 23 Setembro 2013 1 UNIVERSIDADE DE LA REPUBLICA – URUGUAY UFRGS."— Transcrição da apresentação:

1 Procesamiento de minerales II Usina de Queiroz Maria Luiza Souza Montevideo-Porto Alegre 23 Setembro UNIVERSIDADE DE LA REPUBLICA – URUGUAY UFRGS - DEMIN - BRASIL

2 Planta de Queiroz Neste item será analisada a planta hidrometalúrgica de Queiroz. Nesta unidade há dois circuitos de tratamento de minerais de ouro: - O circuito Raposos, mostrado no slide no. 3 da apresentação “Au-Cap06-19set13”, para tratamento de ouro livre. - O circuito Cuiabá, que será detalhado a seguir. 2 UNIVERSIDADE DE LA REPUBLICA – URUGUAY UFRGS - DEMIN - BRASIL

3 Fluxograma para mineral de ouro refratário UDELAR – URUGUAY UFRGS – DEMIN - BRASIL 3 Fluxograma de blocos: beneficiamento de mineral de ouro refratário contendo sulfetos. Anglogold-Ashanti, Minas Gerais (MG) – BR.

4 Fluxograma para mineral de ouro refratário UDELAR – URUGUAY UFRGS – DEMIN - BRASIL 4 Distribuição granulométrica do calcinado produzido na ustulação do mineral de ouro refratário contendo sulfetos. Anglogold-Ashanti, MG – BR.

5 Fluxograma para o mineral de ouro refratário UDELAR – URUGUAY UFRGS – DEMIN - BRASIL 5 Análise química típica de um calcinado produzido na ustulação do mineral de ouro refratário contendo sulfetos. Anglogold-Ashanti, MG – BR.

6 UDELAR – URUGUAY UFRGS – DEMIN - BRASIL 6 Fluxograma para mineral de ouro refratário Fases cristalinas de um calcinado típico produzido na ustulação do mineral de ouro refratário contendo sulfetos. Determinação via difração de Raio-X. Anglogold-Ashanti, MG – BR. Ao lado: composição química elementar do mesmo calcinado. Determinação por EDS.

7 UDELAR – URUGUAY UFRGS – DEMIN - BRASIL 7 Fluxograma para mineral de ouro complexo Tanque Pachuca de neutralização e “Pre-Lime”, onde ocorre oxidação da pirita. Anglogold-Ashanti, MG – BR.

8 UDELAR – URUGUAY UFRGS – DEMIN - BRASIL 8 Fluxograma para mineral de ouro complexo Cascata de lixiviação CIP com tanque Pachuca. Anglogold-Ashanti, MG – BR.

9 UDELAR – URUGUAY UFRGS – DEMIN - BRASIL 9 Fluxograma para mineral de ouro complexo Algumas conclusões do estudo realizado A planta hidrometalúrgica apresenta alto consumo de cianeto. A investigação realizada na usina mostrou os seguintes resultados: - Os principais cianicidas são o zinco e o cobre. - A perda irreversível de cianeto, devida à formação de tiocianato é muito elevada e é atribuída à presença do enxofre reduzido nos tanques de lixiviação. Isto se deve ao “by-pass” de finos de sulfeto para os tanques de lixiviação na operação mostrada em linha descontínua no slide no Uma rota “paliativa” seria aumentar o tempo residência da polpa no tanque de pré-aeração e aumentar a dosagem de cal, pois isto diminuiu o consumo de cianeto. -Entretanto, o problema permanecerá enquanto a empresa não aumentar a capacidade do ustulador ou usar outro método oxidativo para eliminar os sulfetos da lixiviação.


Carregar ppt "Procesamiento de minerales II Usina de Queiroz Maria Luiza Souza Montevideo-Porto Alegre 23 Setembro 2013 1 UNIVERSIDADE DE LA REPUBLICA – URUGUAY UFRGS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google