A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CORROSÃO Faculdade de Tecnologia e Ciências Curso de Engenharia Civil Disciplina: Química.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CORROSÃO Faculdade de Tecnologia e Ciências Curso de Engenharia Civil Disciplina: Química."— Transcrição da apresentação:

1 CORROSÃO Faculdade de Tecnologia e Ciências Curso de Engenharia Civil Disciplina: Química

2 Pedaço de zinco é colocado numa solução contendo Cu 2+

3 Impacto econômico da corrosão Os E.U.A. perdem cerca de 50 bilhões de dólares por ano com danos da corrosão. Atualmente, 20% de todo ferro produzido neste país vão para a substituição de produtos inutilizados pela ferrugem. Fe (s) + ½ O 2 (g) + H 2 O (l) Fe(OH) 2 (s) Fe(OH) 2 (s) + ½ O 2 (g) + H 2 O (l) Fe(OH) 3 (s) 2 Fe(OH) 3 (s) Fe 2 O 3 (s) + 3H 2 O (l)

4 Fundamentos da corrosão em metais Com exceção de poucos como ouro, platina, irídio e alguns outros, os metais são sempre encontrados na natureza na forma de compostos: óxidos, sulfetos, etc. Isso significa que tais compostos são as formas mais estáveis para os mesmos.

5 A corrosão pode ser vista como nada mais que a tendência para o retorno a um composto estável. Assim, por exemplo, quando uma peça de aço enferruja, o ferro, principal componente, está retornando à forma de óxido, que é o composto original do minério. Fundamentos da corrosão em metais

6 Formas de corrosão Corrosão pelo ar Corrosão por ação direta Corrosão galvânica

7 Corrosão pelo ar A maioria dos metais tende a se combinar com o oxigênio do ar, produzindo os respectivos óxidos. Não considerando a ação de vapores contidos no ar (de água, etc), este processo se dá de forma lenta para o ferro em temperaturas usuais de ambientes. A presença de vapor d'água acelera o processo e ainda mais se tais vapores contém substâncias agressivas como sais ou ácidos. Ocorre em muitos ambientes industriais, locais próximos ao mar, etc.

8 Corrosão por ação direta Pode-se incluir neste item os casos em que o metal está diretamente em contato com substâncias que o atacam. É comum em processos industriais. Exemplos: soluções químicas, sais ou outros metais fundidos, atmosferas agressivas em fornos, etc.

9 Corrosão galvânica É provavelmente o tipo mais comum. Isto porque a corrosão devido à presença de água quase sempre se deve ao processo galvânico. Seja um metal exposto ao tempo e, portanto, sujeito à ação da umidade e da chuva ou submerso ou sob o solo. É o caso típico de reservatórios, tubulações, estruturas.

10 Corrosão galvânica Para que a célula galvânica ocorra, é necessário que os materiais do ânodo e cátodo sejam diferentes, ou melhor, apresentem potenciais de oxidação (tensão gerada por cada em relação a um eletrodo neutro de referência) diferentes.

11 Cátodo: íon ou molécula que sofre redução ao aceitar elétrons; Ânodo: íon ou molécula que sofre oxidação ao liberar elétrons; Espécie reduzida: diminui o NOX e atua como agente oxidante; Espécie oxidada: aumenta o NOX e atua como agente redutor; Quanto maior for E 0 red mais forte é o agente oxidante – oxida outras espécies facilmente.

12 Corrosão galvânica MaterialPot (volts) Magnésio comercialmente puro- 1,75 Liga de Mg (6% Al, 3% Zn, 0,15% Mn)- 1,60 Zinco- 1,10 Liga de alumínio (5% Zn)- 1,05 Alumínio comercialmente puro- 0,80 Aço estrutural (limpo e brilhante)- 0,50 / - 0,80 Aço estrutural (enferrujado)- 0,40 / - 0,55 Ferro fundido branco, chumbo- 0,50 Aço estrutural no concreto- 0,20 Cobre, latão, bronze- 0,20

13 Corrosão galvânica Fe E 0 red = - 0,50 volts Cu E 0 red = - 0,20 volts Cu é agente oxidante mais forte que o Fe.

14 Corrosão galvânica Para que um metal seja corroído é necessário que exista uma solução aquosa através da qual íons podem se movimentar para completar o circuito. O fato da corrosão ocorrer mais facilmente na água do mar que na água doce é que, na primeira, os íons presentes suprem os que são necessários para a ocorrência de corrente elétrica.

15 Corrosão galvânica Algumas construções práticas podem agravar o problema da corrosão: se uma tubulação subterrânea de cobre é assentada junto a uma de aço e se houver, de alguma forma, um contato elétrico entre ambas, haverá a formação de uma extensa célula galvânica que aumentará significativamente a corrosão no aço.

16 Proteções contra a corrosão galvânica Revestimentos de superfícies: Pintura ou revestimento anticorrosivo no tubo contribui para otimizar o sistema: as áreas de contato com o solo serão apenas as fissuras e pequenas falhas, reduzindo a potência necessária da fonte. Proteção catódica: Um ou mais eletrodos são introduzidos no solo junto à tubulação e a corrente de uma fonte externa é aplicada em ambos de forma a se opor à natureza anódica do mesmo. Assim, ele passa operar como cátodo, no qual não há oxidação.

17 Proteções contra a corrosão galvânica

18 Proteção catódica em oleoduto

19 Proteções contra a corrosão galvânica Galvanização, isto é, aplicação de uma película de zinco, é também uma forma clássica de proteção. Mas, na realidade, é também uma proteção catódica: o zinco, por ter um potencial mais negativo que o aço, atua como ânodo e é consumido no lugar deste.


Carregar ppt "CORROSÃO Faculdade de Tecnologia e Ciências Curso de Engenharia Civil Disciplina: Química."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google