A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

“Era Uma Vez...” Um Conto de Fadas às Avessas! O Projeto Levar crianças, jovens e adultos à uma viagem mágica, num conto de fadas às avessas, onde a trilha.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "“Era Uma Vez...” Um Conto de Fadas às Avessas! O Projeto Levar crianças, jovens e adultos à uma viagem mágica, num conto de fadas às avessas, onde a trilha."— Transcrição da apresentação:

1

2 “Era Uma Vez...” Um Conto de Fadas às Avessas! O Projeto Levar crianças, jovens e adultos à uma viagem mágica, num conto de fadas às avessas, onde a trilha sonora é composta por clássicos da música popular brasileira. Elas servem de base para abrilhantar esta estória, onde um príncipe hipocondríaco e medroso é tirado de seu trono pela tia vaidosa e egoísta. Mas ele encontra em seu caminho a valente e destemida camponesa Beatriz por quem se apaixona. Juntos eles vão descobrir que os opostos e as diferenças podem conviver harmoniosamente. Utilizando músicas 100% brasileiras já conhecidas do grande público infanto-juvenil e adulto, pretendemos estimular uma maior aproximação desta platéia com o universo teatral, artístico e social de forma lúdica. Contribuindo assim, para a formação de platéia, utilizando canções que tocam o sentimento das crianças e jovens transmitindo uma mensagem de auto-estima e confiança através dos conflitos dos personagens. De Anderson Bueno Fone (11)

3 “Era Uma Vez...” Um Conto de Fadas às Avessas! Justificativa Os contos de fadas são uma variação do conto popular ou fábula. Partilham com estes o fato de serem uma narrativa curta cuja estória se reproduz a partir de um motivo principal e transmite conhecimento e valores culturais de geração para geração, transmitida oralmente, e onde o herói ou heroína tem de enfrentar grandes obstáculos antes de triunfar contra o mal. Nos contos, que muitas vezes começam pelo “Era uma vez”, para salientar que os temas não se referem apenas ao presente tempo e espaço, o leitor encontra personagens e situações que fazem parte do seu cotidiano e do seu universo individual com conflitos, medos e sonhos. A rivalidade de gerações, a convivência de crianças e adultos, as etapas da vida (nascimento, amadurecimento, velhice e morte), bem como sentimentos que fazem parte de cada um (amor, ódio, inveja e amizade) são apresentados para oferecer uma explicação do mundo que nos rodeia e nos permite criar formas de lidar com isso. De Anderson Bueno Fone (11)

4 “Era Uma Vez...” Um Conto de Fadas às Avessas! Público Alvo Este projeto foi desenvolvido para abranger o grande público. Isso se deve ao fato de que independentemente de classe social, nível econômico ou cultural, todas as pessoas de alguma maneira tiveram acesso a estas canções em algum momento de suas vidas. Classificação etária: LIVRE - 02 (duas) sessões semanais, sábados e domingos às 16h (seiscentas) pessoas por sessão durante 01 mês em São Paulo, totalizando 15 apresentações - Público previsto: (nove mil) pessoas - De Anderson Bueno Fone (11)

5 “Era Uma Vez...” Um Conto de Fadas às Avessas! Sinopse ERA UMA VEZ... uma garota em dúvida sobre seus relacionamentos. Seus gostos fúteis para a moda, música e internet provocam a sua saudosista avó, que a faz ouvir, a contragosto, uma história, que aos poucos vai mostrando que não é tão diferente da nossa realidade apesar da liberdade artística proposta pela narradora. A aparente ficção às avessas, relata a busca de uma jovem humilde pelo verdadeiro amor numa época romântica de castelos e príncipes de contos de fada. Uma Rainha obcecada pela beleza e pelo poder e seu sobrinho, Príncipe Filipe, o qual usa a hipocondria como forma de se esconder da realidade e obrigações. À medida que a história prossegue, vai capturando cada vez mais a atenção da garota, deixando-a em dúvida se está ouvindo um conto real ou não. Até que ouve certas revelações feitas por sua avó nos últimos momentos, e a magia se revela... O espetáculo será todo pontuado por músicas populares brasileiras, de todos os tempos, fazendo parte do repertório canções como: “Corra e Olhe o Céu” de Cartola, “Erva Venenosa” de Rita Lee, até a dançante “Felicidade Urgente” de Claudio Zolli. De Anderson Bueno Fone (11)

6 “Era Uma Vez...” Um Conto de Fadas às Avessas! Contribuição Social - Escolha de Teatro com projeto de “Acessibilidade” para deficientes físicos, auditivos e visuais; - 02 ensaios abertos com arrecadação de alimentos não perecíveis revertidos para instituições a serem definidas; - Parceria / descontos com associações representativas pertinentes ao tema do espetáculo; - Serão concedidas cotas de ingressos gratuitos a todas as empresas que patrocinarem e ou apoiarem este projeto, permitindo assim que a classe trabalhadora menos privilegiada tenha acesso à cultura teatral e uma maior inclusão social; - Serão também cumpridas as leis Federais, Estaduais e Municipais de meia-entrada a todos que tenham direito ao benefício. De Anderson Bueno Fone (11) O compromisso que nós artistas temos, não é só com a arte em si, é também com a sociedade na qual estamos inseridos e acreditamos que todas estas ações promovem uma inclusão social mais justa e o fortalecimento da cidadania. Através do Teatro, nós contribuímos para inverter esta situação de exclusão que muitas crianças e adolescentes vivem hoje. A exclusão social está alicerçada na falta de uma política pública decente, na falta de cultura, no despreparo escolar, na educação precária, na desqualificação para o trabalho do jovem que não consegue inserir-se no mercado de trabalho devido às suas próprias deficiências. O primeiro motivo para a iniciativa privada se associar ao Estado e apoiar o desenvolvimento da cultura é o aprimoramento da sociedade. Ao crescer em qualidade e quantidade, o entretenimento cultural cria um mercado próprio, que se consolida como parte da estrutura econômica do país. Outros Aspectos

7 “Era Uma Vez...” Um Conto de Fadas às Avessas! Divulgação e Mídia - GUIA DA FOLHA DE SÃO PAULO - Anúncios cor – (Lançamento antes da estreia e temporada); - GUIA DA FOLHA DE SÃO PAULO - Anúncio cor – (Estreia); - CADERNO ACONTECE DA FOLHA DE SÃO PAULO - Anúncios cor - (Lançamento antes da estreia e temporada); - “RÁDIO FM - CHAMADAS DE 30” (Lançamento e temporada); - GUIA OFF - Anúncio no Guia cultural mensal com maior veiculação em SP. Distribuição nos principais centros culturais. Mailing de nomes entre formadores de opinião, artistas, educadores e jornalistas; CARTÕES “MICA CARDS” - A distribuição de mídia MICA Cards nos circuitos culturais e de negócios dos grandes centros urbanos (cafés, museus, salas de espera de cinemas, teatros e restaurantes), é uma eficaz estratégia de divulgação de um produto cultural CARTAZES - (30 cm x 35 cm, 4 cores com verniz em papel couché) para distribuição em pontos estratégicos pela cidade; (Lançamento e temporada); FOLDERS/PROGRAMAS - Distribuídos na pré-estreia, estreia e temporada para artistas, imprensa, convidados e públicos em geral; - BANNERS – Com logomarcas dos patrocinadores e apoiadores que serão colocados no foyer do teatro (lançamento e temporada); - PARTICIPAÇÕES EM PROGRAMAS DE TV - Rede Globo (Vídeo Show, SPTV, Programa do Jô, entre outros), TV Gazeta, TV Bandeirantes; - PARTICIPAÇÕES EM PROGRAMAS DE RÁDIOS - Jovem Pan, Bandeirantes, Cultura, Mundial e Gazeta; - SITES - TERRA, UOL, TEATRONLINE - entre outros - Parceria para permutas de anúncios e promoções; De Anderson Bueno Fone (11)

8 “Era Uma Vez...” Um Conto de Fadas às Avessas! Material Promocional Programas do Espetáculo - Postais -Camisetas - Canecas - Sacolas Ecológicas - Pôsteres - De Anderson Bueno Fone (11)

9 “Era Uma Vez...” Um Conto de Fadas às Avessas! Lei de Incentivo PROAC ProAc - ICMS - Programa de Apoio à Cultura de São Paulo - Lei de incentivo à cultura com uso do ICMS do Estado de São Paulo para apoio de projetos culturais com renúncia fiscal de 100%. - Cadastramento no site da Secretaria de Estado da Fazenda das empresas interessadas em patrocinar projetos culturais por meio de incentivo fiscal – ICMS. - Todos os participantes que fizerem seu cadastro no decorrer do mês atual poderão liberar recursos de patrocínio para artistas ou produtores no mês seguinte. - O sistema de cadastro pode ser feito pela Internet, da forma mais simples possível. - Como todas as empresas em atividade no Estado possuem senha de contribuinte, basta usá-la para entrar no “posto fiscal” do sistema e oficializar seu interesse. Valor Aprovado: R$ ,50 PROAC n De Anderson Bueno Fone (11)

10 “Era Uma Vez...” Um Conto de Fadas às Avessas! Cotas Apresentador - 100% do valor (Contrapartida) - Nome/Logo na lateral esquerda superior do cartaz ou anúncio; - 01 sessão fechada para convidados da empresa em data a ser definida por ambas as partes; - Cota de 50 ingressos por sessão; - Desconto de 50% no valor do ingresso para funcionários; - Ação promocional para clientes; - Vídeo da empresa antes da apresentação; - Divulgação da marca no site do espetáculo; - Divulgação da marca em entrevistas feitas com o elenco quando possível; De Anderson Bueno Fone (11) Patrocinador - 50% do valor (Contrapartida) - Nome/Logo na lateral esquerda superior do cartaz ou anúncio, - 01 sessão fechada para convidados da empresa em data a ser definida por ambas as partes, - Cota de 50 ingressos por sessão, - Desconto de 50% no valor do ingresso para funcionários, - Ação promocional para clientes, - Vídeo da empresa antes da apresentação, - Divulgação da marca no site do espetáculo, - Divulgação da marca em entrevistas feitas com o elenco quando possível;

11 “Era Uma Vez...” Um Conto de Fadas às Avessas! Ficha Técnica Texto e Direção Artística: Anderson Bueno Co-Direção: Lena Roque Com: Amanda Acosta, Leonardo Miggiorin, Lena Roque, Nany People Participação especial como narradora: Fafy Siqueira Direção de Produção: Cássio Reis Direção Musical: Ricardo Severo Figurinos: Olintho Malaquias Cenário: Cris Aisner Iluminação: Caetano Vilella Coreografias: Keila Fuke Concepção de Design: Via Pixel Agência De Anderson Bueno Fone (11)

12 “Era Uma Vez...” Um Conto de Fadas às Avessas! Repertório Musical 01-) Rosa Cálida (Lucina e João Gomes) 02-) Corra e Olhe o Céu (Cartola) 03-) The Best (Luni) 04-) Absolutamente (Jouber de Carvalho / Olegário Mariano) 05-) Erva Venenosa (Rita Lee) 06-) O Homem de Gelo (Bel) 07-) Pela Luz dos Olhos Teus (Tom Jobim e Miúcha) 08-) Infinito Amor (Jorge Vercilo / João Maranhão) 09-) Felicidade Urgente (Claudio Zoli). De Anderson Bueno Fone (11)

13 “Era Uma Vez...” Um Conto de Fadas às Avessas! Anderson Bueno - Texto e Direção Apaixonado pela profissão, estudioso e dedicado. Estes três fatores resumem a personalidade do visagista e diretor artístico Anderson Bueno, 36 anos. Há 20 anos na área ele busca cada dia mais aprender e exercitar seu ofício. O início da profissão aconteceu por acaso e aos poucos foi tomando forma. O primeiro curso de teatro foi com um dos pioneiros na arte da dramaturgia, Emílio Fontana. Mais tarde ingressou na bem conceituada escola de teatro Célia Helena. Incentivado por um amigo, desenvolveu a arte de criar personagens para o Teatro. Estudou especialização em maquiagem e caracterização, “Make-up For Ever”, ministrado por Corinne Perez. Logo Anderson partiu para a Espanha rumo ao curso de maquiagem artística “Stick Art Studio”, em Barcelona. A pesquisa é uma ferramenta essencial para suas criações artísticas e desenvolvimento de consultorias empresariais. Alguns trabalhos realizados: De Anderson Bueno Fone (11) Teatro: Visagismo para os espetáculos: “Uma Noite com Yoko Ono” / “Victor ou Vitória” / “Godspell” / “Elas São do Baralho” / “Tieta do Agreste” / “Senhora Macbeth” / “As Nove Partes do Desejo”, entre outros. Cinema: “O Sequestro” – 2001“ As Meninas do ABC” – 2002 “O Não de São Paulo” – 2004

14 “Era Uma Vez...” Um Conto de Fadas às Avessas! Cássio Reis - Direção de Produção Ator e Produtor Cultural com experiência internacional, Cássio Reis formou-se em Comércio Exterior pela UNA – União de Negócios e Administração em Belo Horizonte. Em 1986, mudou-se para Nova York onde morou por 14 anos. Em 1992, apaixonado pelo teatro e influenciado pelas grandes produções da Broadway, abandonou a carreira de executivo para dedicar-se ao curso de Arte Dramática em uma das mais respeitadas escolas do gênero dos Estados Unidos – THE LEE STRASBERG THEATER INSTITUTE, onde também estudou “Speech For Classical English in Theater”. Em 1994, estudou “Acting For The Câmera” na “THE SCHOOL FOR FILM AND TELEVISION” (AIA/Three of Us) também em Nova York e em seguida fez aulas particulares de canto com o professor Tom Butler, especializado em musicais da Broadway. Em 1996, Cássio criou a FBTC of New York – primeira companhia Brasileira de teatro em solo americano, através da qual produziu 03 espetáculos antes de sua volta ao Brasil em 2000 para produzir “OS MONÓLOGOS DA VAGINA”, texto da americana Eve Ensler e direção de Miguel Falabella, peça esta que está em cartaz a 08 anos consecutivos e ininterruptos e é referência de sucesso por todo o Brasil. Alguns de seus trabalhos são: De Anderson Bueno Fone (11) Teatro: My Sister Eileen – First Admiral – Centerfold Productions – N. York The Dutchman – Doug – Dionisious Theater Company – N. York Um Auto Brasileiro – José – The First Brazilian Theater Co. of New York – N. York The Last Straw – Tony – The First Brazilian Theater Co. of New York – N. Yorksejo”, entre outros. Curtas: April’s Fool – Steven – New York Film Academy – N. York O Cabeça de Copacabana – Mário – Direção Rosane Svartman – Rio de Janeiro. Produção: Um Auto Brasileiro – The First Brazilian Theater Co. of New York – N. York The Last Straw – The First Brazilian Theater Co. of New York – N. York Os Monólogos da Vagina – FBTC do Brasil Ltda. – Rio de Janeiro (2000 a 2008) Nany People’ Salvou Meu Casamento – Nany People’ Produções Artísticas Ltda. (Jan/2008). Televisão: Soccer World Cup 94 – Documentário – Globo International/TV Globo – N. York Astoria-USA – Piloto de Sitcom – Brazil Update Productions – N. York.

15 “Era Uma Vez...” Um Conto de Fadas às Avessas! Amanda Costa - Camponesa Beatriz Em 1988, Amanda substituiu Patrícia Marx no grupo musical infantil Trem da Alegria, criado em 1984 por Michael Sullivan e Paulo Massadas, tendo feito enorme sucesso alcançando 5 discos de ouro e 3 de platina, sendo uma das crianças mais importantes da época. Ainda no grupo, fez uma homenagem especial a Xuxa cantando a música “Recado pra Xuxa”, além de participar da canção “Terra Prometida” com a mesma. Fez sucesso com músicas que são lembradas até hoje como “Iô-iô”, “Pra Ver se Cola”, “Pula Corda”, “O Lobisomem”, entre outros. Amanda ficou no Trem da Alegria até sua dissolução em Sua carreira começou aos 4 anos de idade cantando no Programa do Raul Gil a música “Ursinho Pimpão”, do grupo A Turma do Balão Mágico. Daí em diante ela fez muitos comerciais - inclusive posou para foto da caixa da Boneca Guigui aos 5 anos e chegou a montar o grupo musical “Amanda e suas Netinhas”, grupo familiar composto por Amanda, suas irmas (Paula e Patricia) e duas primas. Em 1987 fazia parte da turma Dó- Ré-Mi e em 1988 ingressou para o famoso grupo Trem da Alegria. Demonstrando toda sua vocação, charme e carisma, Amanda conquistou não apenas as crianças da época, mas uma legião de fãs e admiradores, como Xuxa, a eterna Rainha dos Baixinhos. Em 1998 foi convidada pela produtora Cintia Abravanel para interpretar Narizinho no espetáculo No Reino das Águas Claras, baseado na obra de Monteiro Lobato. Em 2005, Amanda apresentou o programa “Clipearte na Tv” que mostrava todo o cenário musical de músicas que iam do chorinho ao hip hop, além de letras que questionavam uma realidade e a questionava e alguns anos depois na mesma emissora ainda fez a minissérie “Unidos do Livramento”. Ficou em cartaz de 2003 a 2005 com a peça “O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá”, baseada em história de Jorge Amado. Em 2007, viveu a personagem Elisa Doolittlte, em “My Fair Lady”, ao lado de Daniel Boaventura se tornando uma das mais importantes atrizes do circuito brasileiro de musicais. Em 2009, interpretou a personagem Sonia Walsk, no musical “Esta é a nossa Canção”, ao lado de Tadeu Aguiar. De Anderson Bueno Fone (11)

16 “Era Uma Vez...” Um Conto de Fadas às Avessas! Fafy Siqueira - Narradora Atriz, humorista, cantora e compositora. Apresenta um extenso e valioso currículo, seja em TV, Teatro, Cinema ou compondo trilhas sonoras. Seus trabalhos são sempre reconhecidos em premiações como o Prêmio Sated de melhor humorista de Teatro em 1995; o Troféu Imprensa de melhor Humorista de 1989 e o Globo de Ouro de cantora revelação em 1974, O Premio Qualitá de melhor humorista em 1987 e o Troféu Antena de Ouro como melhor cantora em 1975, assim como inúmeros prêmios que ganhou como interprete e compositora nos “Festivais de Música” dos anos 70 e 80. No teatro começou sua carreira em 1984 na peça “Amor”, e depois seguiu carreira fazendo inúmeros espetáculos de sucesso como “As Noviças Rebeldes” em 1997 sob direção de Wolf Maia e “O Amigo Oculto” em 2001 sob direção de Marília Pêra, “Camisa de Força” em 2003 com Benvindo Sequeira e o mega sucesso de Miguel Falabella “Os monólogos da Vagina” de 2005 a Em 2011 Fafy participou da montagem de “As Bruxas de Eastwick” em São Paulo. Fafy contribui para o teatro não só atuando, mas também como Diretora Musical das peças “Blue Jeans” (Wolf Maya) em 92; “Queridos Monstros” em 93 e “Chico Mau” em 94. Além do teatro, Fafy anima platéias com seus shows de humor, tendo feito “Um dia serei Notícia” em 89; “Bom Humor” em 90; “Graças a Fafy” em 91; “Fafy Siqueira ou não Queira” em 94, “Fafy Siqueira ou não Queira II” e agora o mais recente sucesso entre as empresas: “Do-Re-Mi-Fafy” com direção de Chico Anysio. As novelas também fazem parte do currículo da artista. Um dos seus grandes sucessos, onde ficou nacionalmente conhecida foi a novela “Hipertensão”, em 1986, onde fazia uma fofoqueira, depois vieram “O Fantasma da Ópera” na extinta TV Manchete em 1997; “Quem é Você” na TV Globo em 1996; “Zazá” em 1997 também na TV Globo, “Brida” em 1998 na TV Manchete, “Cobras e Lagartos” em 2006 e “Duas Caras” em 2008, ambas na Tv Globo. Também trabalhou como diretora no programa infantil “Pintando o 7” na TV RECORD em Alguns programas de destaque estão em seu currículo de atriz: “A Praça é Nossa”, “Escolinha do Professor Raimundo”, ”Você Decide”, “Mulher” “Especial de Natal com Xuxa” 1998 e 2008 com “Xuxa e as Noviças”. Em 2003 na TV Cultura, aventurou-se como apresentadora e fez o programa de auditório “Alô, Alô”. Na música, compôs canções para vários astros como Sandra de Sá, Joanna, Ângela Maria, Sandy & Júnior, Renato Aragão, Xuxa e outros. Como cantora tem 4 discos gravados, três compactos simples e o LP “Posso Falar?” em Seus últimos trabalhos na TV foram as Mini séries de Maria Adelaide Amaral, “Dalva & Herivelto” e “Dercy de Verdade” onde interpretou a grande comediante Dercy Gonçalves e recebeu inúmeras críticas elogiando seu desempenho. De Anderson Bueno Fone (11)

17 “Era Uma Vez...” Um Conto de Fadas às Avessas! Lena Roque - Fada Madrinha 43 anos, natural de São Paulo, capital, formada em artes cênicas na ECA/USP, em Experiência profissional como atriz há 23 anos. Atuou em cinema, teatro e TV. No teatro destacam-se os espetáculos “Domésticas” direção de Renata Melo, “Dúvida” direção de Bruno Barreto, “Aurora da minha Vida” direção de Bárbara Bruno e “Frenesi” direção de Naum Alves de Souza. Fez o filme “Domésticas” de Fernando Meirelhes e Nando Olival, “Quanto Vale ou é por Quilo?” de Sergio Bianchi e “Bom dia Eternidade” de Rogério Moura. Na TV atuou no seriado “Galera” na TV Cultura e nas novelas “Essas Mulheres” na Rede Record e “7 pecados” na TV Globo. Ministrou aulas de teatro por 15 anos em cursos profissionalizantes, escolas e oficinas culturais. Faz atualmente trabalho individual de preparação de atores. Histórias, fez teatro de máscaras e clows e teatro de rua. Atou como mestre de cerimônias em eventos e animador cultural. Além de ser iluminadora de espetáculos de teatro e dança. Escreveu o livro “Impressões” e três peças de teatro. De Anderson Bueno Fone (11)

18 “Era Uma Vez...” Um Conto de Fadas às Avessas! Nany People - Rainha Bárbara Atriz, Humorista e Apresentadora, fez curso de Extensão Universitária de interpretação pela Unicamp, além de Ter estudado teatro na Escola Macunaíma. Trabalhou por 10 anos no Teatro Paiol (SP) com a Família Goulart/Bruno em diversas funções. Projetou-se no cenário nacional, em 1997, como repórter do programa “Novo Comando da Madrugada” de Goulart de Andrade, (Extinta Rede Manchete) e foi jurada residente do programa “Guerra é Guerra”, da Rede Mulher. Em 1998, interpretou com absoluto sucesso um dos mais importantes papéis femininos da obra do dramaturgo alemão Bertold Brecht, a viúva Begbck, na peça “Um Homem é um Homem”, dirigida por Alexandre Stockler (Teatro FAAP / SP). Filmes - “Cama de Gato” (1998) (direção Alexandre Stockler) com Caio Blat onde fez participação especial; - “Acredite, um Espírito baixou em Mim”de Ronaldo Ciambrone com direção de Sandra Pêra ao lado de Marília Pêra, Arlete Salles, entre outros. Atuou como “Repórter Especial” em entrevistas e matérias inusitadas nos programas: - “Comando da Madrugada” (Rede Manchete) - Março/1997 a Jan/ “Flash” (Rede Bandeirantes) – Out/99 a Jun/00; - “Comando da Madrugada” (Rede Gazeta) – Jul/00 a Mar/01 - “Hebe”(SBT) - de Abr/01 a Agosto/06. Participou do programa humorístico “A Praça é Nossa” SBT (Nov/2006 a Jan/2009), trabalhou em três programas de rádio: *Rádio Jovem Pan: “Zipper”– com Dr. Jairo Bouer e “Pânico” – Mar/00 a Jul/01. *Rádio 89,1 (Radio Rock) – “Sexo Oral”com Dr. Jairo Bouer – Fev/02 a Jun/05. Convidada especial como “Mestre de Cerimônias do Risorama” (Festival de Teatro de Curitiba) – 2004, 2005, 2006, 2007, 2008 e 2009, convidada especial do “Improriso” (Festival de Humor de Belo Horizonte). Atualmente atua em Diversos Shows de “Comédia Stand-Up” na capital Paulista e viaja pelo país em apresentações com a comédia que produziu e protagoniza, “Nany People Salvou meu Casamento” e também com o show stand-up “Nany People, Deu no que Deu”, de sua própria autoria, onde interage por com a platéia de maneira bem humorada e inteligente, marca registrada de sua verve profissional. De Anderson Bueno Fone (11)

19 “Era Uma Vez...” Um Conto de Fadas às Avessas! Ricardo Severo - Produtor Musical Há mais de vinte anos um dos mais conhecidos músicos e compositores de Porto Alegre, já tendo tocado com Adriana Calcanhotto, Bebeto Alves, Valéria Venturini, Joe Euthanázia, entre outros. Desde 1986 compõe trilhas para teatro, cinema, TV, vídeo, dança, moda, multimídia, internet e publicidade. Teve um texto seu encenado pela primeira vez em 1999, o musical “Caçadores de Aventuras”, destinado ao público infanto-juvenil. Em teatro, trabalhou (sempre compondo trilhas originais e fazendo a preparação vocal do elenco) com alguns dos mais competentes diretores de Porto Alegre, como Camilo de Lélis, Luciano Alabarse, Luís Henrique Palese, Arines Ibias, Dilmar Messias e Paulo Guerra, e também em São Paulo, com José Possi Neto, William Pereira, Luiz Arthur Nunes e Maria Alice Vergueiro. Já realizou a trilha de pelo menos quarenta montagens, entre textos adultos e infantis, clássicos ou inéditos, além da música-tema do festival de Teatro de Canela/RS, executada a partir de Em dança, já trabalhou com alguns dos mais competentes coreógrafos de Porto Alegre, como Eva Schull, Andréa Druck e Édison Garcia (do Grupo Phoenix), e em São Paulo com Mariana Muniz, Cláudia Palma e Armando Aurich. Premiações Artísticas 1. Troféu Terça Insana de Humor - Ano 1 - Categoria Música ; 2. Prêmio Tibicuera de Melhor Música de 2000 para “Por Um Punhado de Jujubas”; 3. Prêmio Açorianos de Melhor Música para Dança de 1996 por “Nihil”; 4. Kikito de Melhor Trilha Sonora Original para Curta-Metragem em 35mm do Festival de Cinema Latino de Gramado de 1995 por “Deus Ex Machina”; 5. Prêmio Açorianos de Melhor Música para Dança de 1995 por “Momices”; 6. Prêmio Açorianos de Melhor Música para Dança de 1994 por “Caixa De Ilusões”; 7. Prêmio Quero-Quero de Melhor Música para Dança de 1994 por “Caixa De Ilusões”; 8. Prêmio Quero-Quero de Melhor Música para Teatro Adulto de 1993 por “Uma Chance Para Feuerbach”; 9. Prêmio Tibicuera de Melhor Música de 1992 por “Anil”; 10. Prêmio SATED de Melhor Música de 1992 por “O Ovo de Colombo”; 11. Prêmio do Festival de Teatro de Pelotas de Melhor Musicalização de 1992 por “O Ovo de Colombo”; 12. Prêmio Açorianos de Melhor Música para Teatro de 1991 por “A Visita da Velha Senhora”; 13. Prêmio Quero-Quero de Melhor Música de 1991 por “A Lenda do Rei Arthur”; 14. Prêmio Festival de Teatro de Pelotas de Melhor Musicalização de 1991 por “A Lenda do Rei Arthur”; 15. Prêmio Quero-Quero de Melhor Música de 1990 para “Por um Punhado de Jujubas”; 16. Prêmio Festival de Teatro Infantil de Viamão de Melhor Música de 1990 para “Por um Punhado de Jujubas”; 17. Prêmio do II FestVídeo de Melhor Música de 1989 por “Oca-Maloca”; 18. Prêmio Açorianos de Melhor Música para Teatro de 1987 por “Um Beijo, um Abraço, um Aperto de Mão” e “A Sétima Lua”. De Anderson Bueno Fone (11)

20 “Era Uma Vez...” Um Conto de Fadas às Avessas! REALIZAÇÃO Direção de Produção Cássio Reis (55-11) / De Anderson Bueno Fone (11) Produções Artísticas e Entretenimento


Carregar ppt "“Era Uma Vez...” Um Conto de Fadas às Avessas! O Projeto Levar crianças, jovens e adultos à uma viagem mágica, num conto de fadas às avessas, onde a trilha."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google