A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

IpPROCESS - Introdução Francielle - Laboratório para a Integração de Circuitos e Sistemas.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "IpPROCESS - Introdução Francielle - Laboratório para a Integração de Circuitos e Sistemas."— Transcrição da apresentação:

1 ipPROCESS - Introdução Francielle - Laboratório para a Integração de Circuitos e Sistemas

2 12/07/07 Francielle Santos 2 Sobre o ipPROCESS Desenvolvido durante o projeto Brazil-IP (ano 1), na UFPE: 1 tese de mestrado; 3 trabalhos de graduação; 5 pessoas em contato direto. Finalidade: Uso acadêmico; Laboratório LINCS.

3 12/07/07 Francielle Santos 3 Quem são Vocês?

4 12/07/07 Francielle Santos 4 Agenda Necessidades de Processo O que é um Processo? O ipPROCESS Conceitos de SPEM Utilizando o ipPROCESS Prática de Planejamento

5 12/07/07 Francielle Santos 5 Motivação O que há de errado com o desenvolvimento? Há muito risco de fracasso e dificuldade no gerenciamento das atividades? Clientes na maioria das vezes ficam insatisfeitos com o resultado? Programadores também estão insatisfeitos?

6 12/07/07 Francielle Santos 6 Realizando um Projeto de Desenvolvimento... Como o marketing solicitou

7 12/07/07 Francielle Santos 7 Realizando um Projeto de Desenvolvimento... Como as vendas negociaram

8 12/07/07 Francielle Santos 8 Realizando um Projeto de Desenvolvimento... Como o engenheiro projetou

9 12/07/07 Francielle Santos 9 Realizando um Projeto de Desenvolvimento... Como foi implementado

10 12/07/07 Francielle Santos 10 Realizando um Projeto de Desenvolvimento... Como foi corrigido

11 12/07/07 Francielle Santos 11 Realizando um Projeto de Desenvolvimento... O que o cliente realmente queria...

12 12/07/07 Francielle Santos 12 Problemas com o Desenvolvimento Problemas de gerenciamento e sobrecarga das equipes; Baixa confiabilidade e corretude do produto; Altos custos de produção; Atrasos na entrega; Dificuldade de medição. Baixa qualidade dos produtos finais!!!

13 12/07/07 Francielle Santos 13 Causas Desenvolvimento == Programação; Falta de suporte às equipes: Formas ad-hoc de trabalhar; Poucos mecanismos de acompanhamento e correção; Poucos treinamentos e consultorias formais. Programação é somente uma pequena parte do trabalho!!!

14 12/07/07 Francielle Santos 14 Resumindo... Projeto de sistemas, envolve: Organização de times para construção de sistemas; Arquitetura de sistemas; Análise e testes de sistemas; Ferramentas. Planejamento, estimativas e gerência de projetos: Determinação do que precisa ser construído; Ciclos de vida e processos de desenvolvimento.

15 Processos

16 12/07/07 Francielle Santos 16 O que é Processo? O que não é processo: Não é documentação;

17 12/07/07 Francielle Santos 17 O que é Processo? O que não é processo: Não é documentação; Não é cronograma;

18 12/07/07 Francielle Santos 18 O que é Processo? O que não é processo: Não é documentação; Não é cronograma; Não é UML;

19 12/07/07 Francielle Santos 19 O que é Processo? O que não é processo: Não é documentação; Não é cronograma; Não é UML; Não é codificação;

20 12/07/07 Francielle Santos 20 O que é Processo? O que não é processo: Não é documentação; Não é cronograma; Não é UML; Não é codificação; Não é boa prática de programação;

21 12/07/07 Francielle Santos 21 O que é Processo? O que não é processo: Não é documentação; Não é cronograma; Não é UML; Não é codificação; Não é boa prática de programação; Não é burocracia.

22 12/07/07 Francielle Santos 22 O que é Processo? Processo, segundo o Michaelis: Sucessão sistemática de mudanças numa direção definida. Concatenação ou sucessão de fenômenos. Série de ações sistemáticas visando a certo resultado. Ação ou operação contínua ou série de ações ou alterações que ocorrem de uma maneira determinada.

23 12/07/07 Francielle Santos 23 O que é Processo? É um conjunto ordenado de passos pré-determinados que levam a um objetivo.

24 12/07/07 Francielle Santos 24 Aplicação - Geral A Justiça utiliza processo para aplicar as leis; Empresas utilizam processo em diversas áreas: Fabricação, compras, vendas, recursos humanos, auditoria, etc...

25 12/07/07 Francielle Santos 25 Aplicação - Informática Computadores utilizam processo para realizar tarefas ; Equipes de desenvolvimento utilizam processo para construir softwares e hardwares com qualidade no tempo e custos esperados. Engenharia de Sistemas Análise de Requisitos ProjetoProjeto CodificaçãoCodificação TestesTestes ManutençãoManutenção

26 12/07/07 Francielle Santos 26 Processo de Desenvolvimento Definições: Conjunto de atividades e resultados associados que geram um produto de software. [Sommerville, 2003] Conjunto de passos parcialmente ordenados, constituídos por atividades, métodos, práticas e transformações, usado para atingir uma meta. Meta associada a um ou mais resultados concretos finais, que são os produtos da execução do processo.

27 12/07/07 Francielle Santos 27 Processos Definem: O que é feito: Produto, atividades, passos; Como é feito: Guias e boas práticas; Por quem é feito: Papéis; Quando é feito: Pré-requisitos, fluxos; O que usa e produz : Artefatos.

28 O ipPROCESS

29 12/07/07 Francielle Santos 29 Relembrando...

30 12/07/07 Francielle Santos 30 O Primeiro Problema Como capturar as necessidades dos usuários?

31 12/07/07 Francielle Santos 31 O Segundo Problema Como desenvolver com qualidade?

32 12/07/07 Francielle Santos 32 ipPROCESS Processo de desenvolvimento de Soft IP-cores com prototipação em FPGA: Define um conjunto de atividades para determinados papéis na organização; Transforma os requisitos no IP-core desejado. Necessidades do usuário ipPROCESS IP-core

33 12/07/07 Francielle Santos 33 ipPROCESS Precisa ser instanciado, para cada novo projeto na organização: Customização dos fluxos, atividades e artefatos. A quem se destina o ipPROCESS? Organizações que desenvolvem IP-cores: Projetistas; Implementadores; Testadores.

34 12/07/07 Francielle Santos 34 Por que usar o ipPROCESS? Porque ele provê um processo de desenvolvimento estruturado, com atividades abrangentes: Podendo ser aplicado em projetos com diferentes tamanhos e propósitos: Customização de acordo com as necessidades da organização. O processo ajuda os desenvolvedores: Definindo o que tem que ser feito; Definindo o fluxo a ser seguido; Sugerindo alguns guias para ajudar na execução das atividades.

35 12/07/07 Francielle Santos 35 Características (1/4) ‏ Ciclo de vida Iterativo e Incremental: Cada iteração resulta em um build (versão funcional); Problemas complexos não são resolvidos de uma única vez; Facilidades para: Interação com o cliente; Planejamento. Gerência de instabilidade da equipe.

36 12/07/07 Francielle Santos 36 Características (2/4) ‏ Guiado por casos de uso: Definições atômicas sobre o que um IP-core deve fazer mas não como um IP-core deve operar; Capturam o comportamento pretendido para o IP-core; Dividir para conquistar: X casos de uso por iteração. Centrado na arquitetura.

37 12/07/07 Francielle Santos 37 Características (3/4) ‏ Usa uma linguagem universal de modelagem visual: Simplicação da realidade sob um determinado ponto de vista; Linguagens utilizadas: UML e SPEM. Processo gerencial disciplinado:UMLSPEM Planejamento e acompanhamento por fases e iterações: Cada fase é única; A cada iteração atividades se repetem.

38 12/07/07 Francielle Santos 38 Características (4/4) ‏ Processo gerencial disciplinado: (cont.) ‏ Identificação prévia dos riscos: Trabalha os casos de uso mais críticos nas primeiras fases do projeto; Definição de milestones: Transparência dos critérios de saída e de aceitação; Facilidade para o monitoramento de custo e riscos.

39 12/07/07 Francielle Santos 39 Fases

40 12/07/07 Francielle Santos 40 Fases Seu objetivo é elicitar os requisitos (funcionais e não funcionais), a fim de definir o escopo do projeto, critérios de aceitação, escopo negativo e o que deve ser entregue com o produto.

41 12/07/07 Francielle Santos 41 Fases O objetivo desta fase é a elaboração de uma arquitetura estável, servindo de base para os esforços de projeto e implementação.

42 12/07/07 Francielle Santos 42 Fases O objetivo da fase de Projeto é desenvolver um protótipo do IP- core baseado na arquitetura previamente definida.

43 12/07/07 Francielle Santos 43 Fases O foco desta fase é a criação do protótipo físico, garantindo que o IP-core será distribuído para os seus usuários finais (integradores) com qualidade.

44 12/07/07 Francielle Santos 44 Fases ArquiteturaArquitetura Código RTL Código RTL Protótipo Final Protótipo Final Casos de Uso

45 12/07/07 Francielle Santos 45 Conceitos

46 12/07/07 Francielle Santos 46 Conceitos de SPEM Disciplina: Conjunto de atividades relacionadas que compõem uma certa “área de concentração” do projeto. Exemplo: Disciplina de Requisitos. Fluxo de Atividades da Disciplina: Descreve o fluxo de eventos que deve ser seguido para alcançar os objetivos da disciplina. Propõe uma execução ordenada (ou parcialmente ordenada) das atividades.

47 12/07/07 Francielle Santos 47 Conceitos de SPEM Atividade: Unidade de trabalho executada por um papel específico no projeto. Apresenta passos ordenados, entradas e saídas. Papel: É composto por uma série de responsabilidades, comportamento e habilidades, formando assim um perfil requerido para a execução de determinadas atividades no contexto da organização desenvolvedora.

48 12/07/07 Francielle Santos 48 Conceitos de SPEM Artefato: É um produto de trabalho do projeto. Artefatos são entradas e saídas das atividades, havendo papéis responsáveis por cada um destes. Ou seja, são produzidos, manipulados, modificados e distribuídos ao longo da execução do projeto. Exemplos: documentos, templates, código fonte, etc. Template : É uma estrutura pré-definida para um artefato.

49 12/07/07 Francielle Santos 49 Conceitos de SPEM Guia O propósito de um guia é auxiliar na execução de atividades, ou ainda na elaboração de artefatos. Tutorial Guia de como executar uma atividade utilizando ferramentas.

50 12/07/07 Francielle Santos 50 Arquitetura do Processo

51 12/07/07 Francielle Santos 51 Arquitetura do Processo Esforço Em cada iteração, todas as disciplinas são executadas com diferentes esforços. Tempo

52 12/07/07 Francielle Santos 52 Iterativo Incremental RequisitosRequisitos A&PA&P ImplementaçãoImplementação VerificaçãoVerificação RequisitosRequisitos A&PA&P RequisitosRequisitos A&PA&P RequisitosRequisitos A&PA&P PrototipaçãoPrototipação ImplementaçãoImplementação VerificaçãoVerificação PrototipaçãoPrototipação ImplementaçãoImplementação VerificaçãoVerificação PrototipaçãoPrototipação ImplementaçãoImplementação VerificaçãoVerificação PrototipaçãoPrototipação

53 12/07/07 Francielle Santos 53 Benefícios (1/2) ‏ Utilização de práticas de Engenharia de Software para aumentar a produtividade: São aplicadas as boas práticas já disseminadas; Iterações reduzem os objetivos principais a fim de alcançá-los em intervalos de tempo menores: Dividir para conquistar!!!

54 12/07/07 Francielle Santos 54 Benefícios (2/2) ‏ Integração contínua do projeto, a cada iteração: Resolução dos problemas de integração cedo no projeto; Aumento do conjunto de “Lições Aprendidas”, a cada nova iteração: Treinamentos, consultorias, replanejamentos, etc; Aumento do reuso: Identificação das oportunidades de reuso através do desenvolvimento incremental.

55 Usando o ipPROCESS

56 12/07/07 Francielle Santos 56 O Site

57 12/07/07 Francielle Santos 57 Exemplo O LCD

58 12/07/07 Francielle Santos 58 Processos – Relembrando... Definem: O que é feito: Produto, atividades, passos; Como é feito: Guias e boas práticas; Por quem é feito: Papéis; Quando é feito: Pré-requisitos, fluxos; O que usa e produz : Artefatos. Gerente de Projeto

59 12/07/07 Francielle Santos 59 O Que é Feito

60 12/07/07 Francielle Santos 60 Processos – Relembrando... Definem: O que é feito: Produto, atividades, passos; Como é feito: Guias e boas práticas; Por quem é feito: Papéis; Quando é feito: Pré-requisitos, fluxos; O que usa e produz : Artefatos.

61 12/07/07 Francielle Santos 61 Como é Feito

62 12/07/07 Francielle Santos 62 Processos – Relembrando... Definem: O que é feito: Produto, atividades, passos; Como é feito: Guias e boas práticas; Por quem é feito: Papéis; Quando é feito: Pré-requisitos, fluxos; O que usa e produz : Artefatos.

63 12/07/07 Francielle Santos 63 Por Quem é Feito Definição de papéis: Perfil associado; Responsabilidade; Habilidade. Subequipes: Orientadas a papéis; Orientadas a sub-sistemas.

64 12/07/07 Francielle Santos 64 Por Quem é Feito

65 12/07/07 Francielle Santos 65 Processos – Relembrando... Definem: O que é feito: Produto, atividades, passos; Como é feito: Guias e boas práticas; Por quem é feito: Papéis; Quando é feito: Pré-requisitos, fluxos; O que usa e produz : Artefatos.

66 12/07/07 Francielle Santos 66 Quando é Feito

67 12/07/07 Francielle Santos 67 Quando é Feito

68 12/07/07 Francielle Santos 68 Quando é Feito

69 12/07/07 Francielle Santos 69 Processos – Relembrando... Definem: O que é feito: Produto, atividades, passos; Como é feito: Guias e boas práticas; Por quem é feito: Papéis; Quando é feito: Pré-requisitos, fluxos; O que usa e produz : Artefatos.

70 12/07/07 Francielle Santos 70 O Que Usa e Produz

71 12/07/07 Francielle Santos 71 Dúvidas, Sugestões

72 12/07/07 Francielle Santos 72 Contato LINCS André Aziz e Francielle Santos {andreaziz,


Carregar ppt "IpPROCESS - Introdução Francielle - Laboratório para a Integração de Circuitos e Sistemas."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google