A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Tema 2 – Delimitaçom da disciplina Universidade de Vigo - 2007.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Tema 2 – Delimitaçom da disciplina Universidade de Vigo - 2007."— Transcrição da apresentação:

1 Tema 2 – Delimitaçom da disciplina Universidade de Vigo

2 O conhecimento científico Doxa: Termo grego ( δόξα ) que significa “crença comum” ou “opiniom popular”. Dele derivam os termos modernos “ortodóxia” e “heterodóxia”.Doxa: Termo grego ( δόξα ) que significa “crença comum” ou “opiniom popular”. Dele derivam os termos modernos “ortodóxia” e “heterodóxia”. Episteme ( ἐ πιστήμη ): Significa “conhecimento sistemático”. Episteme ( ἐ πιστήμη ): Significa “conhecimento sistemático”. Epistemologia ou Teoria do Conhecimento: É o ramo da filosofia que estuda a natureza, métodos, limitações e validade do conhecimento. Procede das palavras gregas ἐ πιστήμη e λόγος (logos = razom) e é considerada a corregedoria da Ciência.Epistemologia ou Teoria do Conhecimento: É o ramo da filosofia que estuda a natureza, métodos, limitações e validade do conhecimento. Procede das palavras gregas ἐ πιστήμη e λόγος (logos = razom) e é considerada a corregedoria da Ciência.

3 O conhecimento científico Definiçom de “ciência”:Definiçom de “ciência”: –Em sentido amplo refere qualquer conhecimento ou prática sistematizados. –Num sentido mais restrito, refere-se a um meio de adquirir conhecimento baseado no método científico, ou bem ao conjunto organizado de conhecimentos obtidos de tal jeito. Método científico: Conjunto de técnicas para pesquisar fenómenos, adquirir novo conhecimento ou corregir e integrar conhecimentos prévios. Baseia-se na reuniom de evidências observáveis, empíricas e mensuráveis sujeitas aos princípio da razom; a recolecçom de dados por meio da observaçom e a experimentaçom, e a formulaçom e verificaçom de hipóteses.Método científico: Conjunto de técnicas para pesquisar fenómenos, adquirir novo conhecimento ou corregir e integrar conhecimentos prévios. Baseia-se na reuniom de evidências observáveis, empíricas e mensuráveis sujeitas aos princípio da razom; a recolecçom de dados por meio da observaçom e a experimentaçom, e a formulaçom e verificaçom de hipóteses.

4 O conhecimento científico A comunicaçom científica:A comunicaçom científica: –Oral: congressos, conferências, jornadas, simpósios... (geralmente recolhida em actas ou transcrições) –Escrita (literatura científica): artigo científico, estudo monográfico, teses, dissertações, recensões... A transmissom por escrito de conhecimentos científicos está formalizada: estrutura..., citações (ISO 690), notas a rodapé, bibliografia... etc.A transmissom por escrito de conhecimentos científicos está formalizada: estrutura..., citações (ISO 690), notas a rodapé, bibliografia... etc.

5 O conhecimento científico O epistemólogo Rudolf Carnap propujo fazer a seguinte classificaçom das disciplinas científicas:O epistemólogo Rudolf Carnap propujo fazer a seguinte classificaçom das disciplinas científicas: –Ciências formais: não estudam fenómenos empíricos. Empregam a deduçom como método de procura da verdade. P.ex: matemática, lógica. –Ciências naturais: Tenhem por objecto de estudo a natureza e empregam o método científico. P.ex: astronomia, biologia, física... –Ciências sociais: Ocupam-se da cultura e sociedade humanas. O método de conhecimento e o grau de cientificidade varia para cada disciplina ou inclusive dentro dela: antropologia, economia, sociologia, psicologia..., linguística.

6 A linguística A linguística como ciência:A linguística como ciência: –Trata-se da ciência que tem a língua como objecto de estudo. –Nom se trata dumha ciência estritamente unitária, mas dum conjunto de disciplinas que apresentam diversos graus de cientificidade: Possibilidade de observar os fenómenos a estudar: (p.ex: Sintaxe sincrónica vs. Sintaxe diacrónica)Possibilidade de observar os fenómenos a estudar: (p.ex: Sintaxe sincrónica vs. Sintaxe diacrónica) Método de estudo: dedutivo, indutivo, hipotético-dedutivo... (metodologias introspectivas ou objectivas)Método de estudo: dedutivo, indutivo, hipotético-dedutivo... (metodologias introspectivas ou objectivas) Possibilidade de formalizaçom (p.ex. Fonética experimental vs. Semântica)Possibilidade de formalizaçom (p.ex. Fonética experimental vs. Semântica)

7 A linguística Estrutura-se em (sub)disciplinas, umha vez que a linguagem humana constitui umha realidade mui complexa:Estrutura-se em (sub)disciplinas, umha vez que a linguagem humana constitui umha realidade mui complexa: –Necessidade de ter presentes as características dos sistemas linguísticos gerais ou particulares para o delineamento de aparelhos que dependam da actividade linguística: transmissom ou reconhecimento da voz humana, etc... –Necessidade de tentar detectar ou solucionar desordens linguísticas que podam apresentar as pessoas. –Os fenómenos linguísticos aparecem ligados a factores psicológicos, sociais e culturais. –Os fenómenos linguísticos, em si mesmos, também podem ser contemplados de ângulos diferentes e com finalidades diferentes. –As línguas estám constituídas pola integraçom, interacçom e sobreposiçom (em jeitos diversos) de planos, níveis e tipos de unidades diferentes

8 A linguística As disciplinas linguísticas:As disciplinas linguísticas: –Nucleares ou internas: ocupam-se do estudo dos fenómenos linguísticos em si mesmos: sons, estruturas, sentido... Constituem a Gramática –Nom nucleares ou externas: Pragmática e uso da línguaPragmática e uso da língua Disciplinas ponte: estudam a língua na sua relaçom com factores como a cultura, instituições, extensom geográfica, etc., ou bem aplicam os conhecimentos linguísticos a outras disciplinas.Disciplinas ponte: estudam a língua na sua relaçom com factores como a cultura, instituições, extensom geográfica, etc., ou bem aplicam os conhecimentos linguísticos a outras disciplinas.

9

10 Estruturaçom das disciplinas nucleares Polo seu objecto de estudo:Polo seu objecto de estudo: –Sons: fonética e fonologia –Estruturas: morfo-sintaxe morfologiamorfologia sintaxesintaxe –Sentido: semântica Pola sua focagem:Pola sua focagem: –Sincrônica –Diacrônica (p.ex. Fonologia sincrónica vs. Fonologia diacrónica, e, de modo geral, linguística sincrónica vs. linguística diacrónica). A linguística comparada: conhecer a evoluçom dumha língua mediante o contraste entre duas fases da mesma ou um grupo de línguas (hoje considera- se umha especialidade subsidiária dos estudos diacrónicos). Diferencia-se da linguística contrastiva (mediante o contraste entre duas línguas, estudar as diferenças que podam chegar a supor dificuldades para o seu aprendizado.). A linguística contrastiva situa-se fundamentalmente como disciplina auxiliar da linguística aplicada...

11 Estruturaçom das disciplinas nucleares Polo seu carácter: geral vs. específico. Nom se trata dumha separaçom radical.Polo seu carácter: geral vs. específico. Nom se trata dumha separaçom radical. –Linguística geral: focada para todas as línguas. Nela, o debate teórico e metodológico adquire todo o seu sentido. –Linguísticas específicas (galega, espanhola, inglesa, francesa..., etc). Os três pontos de vista anteriores interseccionam-se: p.ex: sintaxe diacrónica geral.Os três pontos de vista anteriores interseccionam-se: p.ex: sintaxe diacrónica geral.

12 Paradigmas linguísticos Paradigma científico: constitui umha realizaçom científica que é reconhecida universalmente durante um determinado período de tempo, fornecendo modelos de problemas e soluções a umha comunidade científica. (Kuhn, 1975)Paradigma científico: constitui umha realizaçom científica que é reconhecida universalmente durante um determinado período de tempo, fornecendo modelos de problemas e soluções a umha comunidade científica. (Kuhn, 1975) Paradigmas linguísticos:Paradigmas linguísticos: –Estruturalismo –Generativismo –Cognitivismo

13 A linguística aplicada Um conjunto determinado de subdisciplinas que se diferencia da linguística estrita polo facto de o conhecimento se orientar cara a umha finalidade diferente: proporcionar soluções práticas a problemas concretos de base linguística. (linguística aplicada vs. linguística teórica ~ física aplicada, matemática aplicada...)Um conjunto determinado de subdisciplinas que se diferencia da linguística estrita polo facto de o conhecimento se orientar cara a umha finalidade diferente: proporcionar soluções práticas a problemas concretos de base linguística. (linguística aplicada vs. linguística teórica ~ física aplicada, matemática aplicada...) Inicialmente ficou adscrita à didáctica de línguas. Posteriormente, incorporou novas disciplinas: linguística computacional, planificaçom linguística, etc.Inicialmente ficou adscrita à didáctica de línguas. Posteriormente, incorporou novas disciplinas: linguística computacional, planificaçom linguística, etc. Tradicionalmente, era comum incluir a tradutologia também dentro das subdisciplinas da linguística aplicada. Actualmente, a maior parte dos estudiosos considera a tradutologia uma disciplina independente.Tradicionalmente, era comum incluir a tradutologia também dentro das subdisciplinas da linguística aplicada. Actualmente, a maior parte dos estudiosos considera a tradutologia uma disciplina independente.

14 A linguística aplicada à traduçom Alguns autores, como é o caso de Isabel García Izquierdo, afirmam que existe um espaço interdisciplinar entre a tradutologia e a linguística aplicada, onde talvez caberia situar a linguística aplicada à traduçom.Alguns autores, como é o caso de Isabel García Izquierdo, afirmam que existe um espaço interdisciplinar entre a tradutologia e a linguística aplicada, onde talvez caberia situar a linguística aplicada à traduçom. Compreenderia os elementos de base linguística (procedentes de quaisquer subdisciplinas linguísticas) que som usados no âmbito da tradutologia ou da prática da traduçom.Compreenderia os elementos de base linguística (procedentes de quaisquer subdisciplinas linguísticas) que som usados no âmbito da tradutologia ou da prática da traduçom. Contudo, é de salientar que a proposta mais aceita de organizaçom da tradutologia (Holmes) já contempla como parte da tradutologia um conjunto de subdisciplinas aplicadas e, particularmente, a que denomina “elementos auxiliares”.Contudo, é de salientar que a proposta mais aceita de organizaçom da tradutologia (Holmes) já contempla como parte da tradutologia um conjunto de subdisciplinas aplicadas e, particularmente, a que denomina “elementos auxiliares”.


Carregar ppt "Tema 2 – Delimitaçom da disciplina Universidade de Vigo - 2007."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google